História Love you is a mistake. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gerard Piqué, Jordi Alba, Lionel Messi, Luis Suárez, Neymar, Rafael "Rafinha" Alcântara, Sergi Roberto
Personagens Neymar, Personagens Originais
Exibições 68
Palavras 2.335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey Cupcakes aqui vai mais uma fic minha,nos vemos lá embaixo...

Capítulo 1 - Presidente.


Acordei com travesseiros sendo jogados em cima de mim,me ergui num pulo olhando ao redor assustada até ver um garoto rindo ao pé da cama,cabelos castanho espetados para cima e olhos verde claro,usava roupas de corrida,bermuda e camiseta cavada deixando em evidência os músculos dele,eu estreitei os meus olhos e joguei o travesseiro que eu estava abraçada em sua direção.
-Thiago eu juro que te mato,eu vou enfiar esse travesseiro na sua garganta.-rosnei me erguendo enquanto ele corria.
-Só se você conseguir me alcançar pirralha.-ele gritou implicando e saiu correndo dali,eu pulei da cama e sai correndo esbarrando em alguns móveis no caminho vendo o rastro do meu irmão correndo à frente,quase caí nas escadarias enquanto corria atrás dele que surgiu do nada vindo da lateral no fim das escadarias me abraçando por trás e tirando meus pés do chão,eu gritei assustada.-Eu disse que trazia ela rapidinho.-ele disse rindo e me soltou enquanto eu me estabilizava no chão meio tonta,olhei para onde ele olhava e vi um casal,a mulher com uma menininha no colo,eu me ajeitei rápido piscando na tentativa de afastar de vez o sono ao passar as mãos em meus cabelos curtos escuro tentando arrumá-los.
-Pai,madá...Babi.-eu disse esticando as mãos na direção da garotinha de cabelos castanho mel e olhos azuis,a menina tentou pular do colo da mulher e correu para mim,eu segurei ela no colo e sorri beijando sua bochecha.-O que vocês fazem aqui tão cedo?-eu questionei curiosa,Thiago se jogou no sofá ao meu lado e eu me sentei também com Babi no colo.
-Também estou querendo saber.-Thiago disse cruzando os braços até Babi virar para ele sorrindo e ele fez um bico imitando um peixe o que a fez rir.
-É que aconteceram muitas coisas nos últimos dias.-meu pai começou a falar se entreolhando com a minha madrasta,mãe da Babi minha irmãzinha de 3 aninhos que era um doce de criança,minha madrasta mordeu o lábio e cruzou os braços,estreitei os olhos porque ela só fazia isso quando o assunto era sério.
-O que aconteceu?-questionei encarando ela que parecia mais propensa a contar mas ela só suspirou.-Madá?-chamei,era assim que eu a chamava,um apelido para madrasta que eu inventei logo que ela e meu pai começaram a namorar.
-Será que vocês podem arrumar uma mala pequena e vir para Santos conosco?-meu pai questionou franzindo a testa.
-Vocês vieram e querem nos levar para Santos?O que aconteceu?-Thiago questionou se erguendo,ele cruzou os braços.
-É uma longa história.-madá disse suspirando e eu mordi o lábio curiosa,Babi beijou minha bochecha e eu sorri para ela mas de testa franzida.
-Podem ir?É urgente.-nosso pai disse e eu concordei de leve com a cabeça,Thiago concordou também,me ergui colocando Babi no chão,ela correu para o colo da mãe.
-Desço em dez minutos.-afirmei e Thiago passou a mão ao redor dos meus ombros me acompanhando.
-O que será que aconteceu?-Thiago questionou franzindo a testa preocupado.-Para eles nos quererem em Santos deve ser sério.-completou e eu concordei com a cabeça.
-Não tenho ideia mas mal pude acordar direito.-eu resmunguei e Thiago riu negando com a cabeça,ele entrou no quarto dele e eu no meu,tomei o banho mais rápido da minha vida e sai do banheiro vestida num roupão para colocar uma muda de roupa na mala pequena vermelha,coloquei maquiagem,roupas e duas rasteirinhas,para caso precisasse,embora eu tivesse algumas roupas na casa dos meus em Santos mesmo morando aqui no Rio de Janeiro,vesti uma saia azul marinho justa na altura da metade das coxas e uma camiseta branca de botões com as mangas dobradas até os cotovelos,por cima eu pus um sobretudo azul marinho que eu amava,calcei tênis simples brancos nos pés e amarrei os cabelos num coque bagunçado,fiz o possível para organizar minha cama para não dar tanto trabalho a Tereza,nossa empregada,cozinheira e uma terceira mãe,arrastei a mala para fora descendo as escadas,meu irmão saiu do quarto carregando uma mochila preta e ergueu a sobrancelha ao me ver,sem dizer nada pegou minha mala e ergueu descendo com ela,eu sorri agradecendo baixo,Thiago era meu irmão mais velho,ele tem 21 anos,quase 22 para ser exata,nós tínhamos a mesma mãe e pai o que não era o mesmo no caso da Babi,éramos meio irmãos dela,Alice Figueiredo é a nossa madrasta a alguns anos,nossa mãe morreu quando tínhamos 11 e nosso pai casou com a Alice quando tínhamos 15,agora quase cinco anos depois ela era mais como uma mãe do que madrasta,é mãe da Bárbara ou só Babi como apelidamos,nosso pai sempre foi rico e cresceu tendo do bom e do melhor,nossa mãe nem se fala,ela é árabe,nosso avô materno era árabe e nossa avó brasileira,quando nossa avó morreu a nossa mãe resolveu viajar pelo mundo e se apaixonou pelo Brasil e pelo nosso pai,por aqui ela ficou até falecer,nem eu e nem Thiago conhecemos nossos avós maternos,eles sempre foram meio distantes mas mandavam presentes todos os anos no Natal e aniversário,franzi a testa sorrindo confusa pois fazia um bom tempo que eu não pensava nos nossos avós,dei de ombros de um jeito quase imperceptível e segui Thiago até onde nosso pai e madrasta nos esperavam.
-Podemos ir.-nosso pai disse se erguendo,nos arrastou para fora e fechou a casa,tentei dizer que deveríamos avisar a Tereza mas ele disse que tinha dado folga a ela,fiz bico emburrada por ele ter feito isso sem nos contar,eu moro com Thiago aqui no Rio desde que ele completou 18 e comprou uma casa no Leblon,na época eu tinha acabado de completar 16 e foi uma briga enorme para o nosso pai deixar mas com a ajuda da madá consegui convencê-lo,e aqui estava ele me arrastando de volta a Santos e sem nem mesmo me dizer o motivo da urgência,entramos num jatinho e eu franzi o rosto entortando o nariz ao sentar na poltrona ao lado de Thiago.
-Deve ser muito sério.-eu comentei baixo me inclinando para que só Thiago escutasse,ele balançou a cabeça bem de leve em concordância.
-Eles chegaram em casa cedo,pouco depois que eu sai para caminhar,quando voltei eles estavam lá impacientes esperando.-Thiago comentou do mesmo modo quase sussurrando,eu cocei a nuca curiosa,deitei a cabeça no ombro do meu irmão e fiquei mexendo no meu celular pelo resto da curta viagem.Quando nosso piloto anunciou que já poderíamos descer me ergui e segui até à porta,arrastei minha mala pequena pelo saguão logo atrás da minha família,Thiago cantava alguma música se remexendo a minha frente,tinha uma banca de jornais na saída do aeroporto e eu franzi a testa me aproximando para ler a manchete com o escudo do Barcelona como capa,a manchete gritava em letras grandes e escuras "Morre o dono do clube Barcelona,para quem vai o clube?",mordi o lábio curiosa para ler mais,eu torço para o Barcelona desde que me entendo por gente,meu pai levou eu e meu irmão a alguns jogos do time mas nenhum deles em Barcelona,cidade que eu sonhava conhecer mas até hoje não visitei,meu coração se divide entre Santos e Barcelona.
-Vamos logo Nathália.-meu pai chamou impaciente sentado atrás do volante num carro preto enorme,Babi estava na cadeirinha ao lado de Thiago e madá estava sentada no banco do carona,entrei no lugar vago e observei a banca sumindo a distância,ainda franzia a testa muito curiosa com o artigo lá atrás mas éramos proibidos de mexer no celular dentro do carro,era uma regra que existia desde sempre,nada de distrações durante os momentos em família e isso consistia nas viagens de carro e na hora do jantar quando estávamos todos na mesa,madá conversava com Thiago sobre a faculdade dele de administração e ele falava tudo animado como sempre,era só tocar no assunto faculdade que Thiago passaria horas falando,Babi dormia e meu pai continuava concentrado na estrada comentando vez ou outra enquanto eu me mantinha calada,eu faço faculdade de fotografia,sempre foi uma paixão mas meu insiste que eu devia fazer algo que me proporcionasse viver bem,queria que eu ajudasse Thiago com suas empresas mas viver fardada não era comigo mesmo,Thiago gostava da ideia mas eu nem pensar.Descemos do carro em frente a uma mansão enorme,eu conhecia,tinha sido criada ali dentro correndo por aquele gramado,caminhei sobre ele girando e sorrindo.-Não é hora para brincadeiras Nathália.-meu pai disse parado na porta,eu encolhi os ombros e me dirigi até lá,Thiago bagunçou meus cabelos soltando o coque e sorrindo para mim na tentação de passar confiança,quando entramos Alice levou Babi para o quarto dela e não voltou.-Venham,vamos para o escritório.-ele chamou e eu fiquei ansiosa,assim que entrei no lugar eu franzi a testa confusa,um homem alto de cabelos escuros que começavam a criar fios grisalhos estava sentado,os olhos castanhos concentrados repassando papéis da sua pasta como se checasse,ele estava sentado na cadeira que meu pai normalmente ocupava,dessa vez meu pai se dirigiu até o sofá preto de couro que ficava de lado do lugar,eu e Thiago nos dirigimos até as duas cadeiras de frente ao homem na mesa depois do nosso pai indicar com a cabeça,o homem sorriu e se ergueu.
-Você deve ser Nathália Andrade Guimarães.-ele disse apertando minha mão,ele tinha um forte sotaque e mais parecia falar uma espécie de portunhol,eu concordei com a cabeça fazendo uma careta.
-Só Nathália por favor.-pedi sorrindo e me sentando,ele concordou e apertou a mão do meu irmão.
-E você Thiago Andrade Guimarães.-ele afirmou e meu irmão deu de ombros concordando.
-Não precisa de toda essa formalidade.-meu irmão opinou sorrindo e sentando na cadeira,o homem se sentou também a sua cadeira onde eu estava acostumada a ver meu pai mas pelo visto esse homem era o mais importante na sala.
-Soube que vocês não conheceram seus avós.-ele disse assim que nos acomodamos,eu neguei com a cabeça e Thiago fez o mesmo parecendo cada vez mais curiosa.-Meu nome é Leonardo Sanches sei que a avó de vocês morreu a alguns anos,eu era o advogado dela e me tornei advogado do seu avô,sou de Barcelona.-ele disse explicando calmamente para que entendêssemos e eu consegui enfim perceber de onde era esse sotaque forte que ele tinha toda vez que falava,soltei uma exclamação em concordância sorrindo animada.-O ponto é que eu não se se vocês sabem mas o avô de vocês morreu.-ele disse hesitante,eu pisquei confusa e entreabri os lábios franzindo a testa.
-Como é?-meu irmão questionou incrédulo.
-Bom,pelo visto vocês não sabiam.-ele disse e olhou feio na direção do nosso pai que deu de ombros relaxado no sofá,seu olhar porém era atento como sempre.-O avô de vocês morreu nesse fim de semana,já que não sabiam disso imagino que não saibam sobre o que eu vou falar.-ele comentou suspirando.-Como vocês devem saber seja avô era viúvo e sua mãe era a sua única filha.-ele disse e ambos concordamos com a sua afirmação.-Sendo filha única vocês são os únicos netos biológicos dele.-ele disse devagar e eu mordi o lábio confusa mas concordei.-Ele estava longe e nunca os conheceu mas amava-os muito,o avô de vocês era um homem muito rico,tinha casas,apartamentos,jatinhos,dinheiro,jóias,pessoas trabalhando com ele,inúmeros carros de luxo mas o bem material mais importante dele era o clube que a família dele criou.-ele terminou de explicar e esperou que absorvêssemos tudo.
-Nosso avô era dono de um clube?Um clube de tênis,de piscina...de quê?-Thiago questionou de rosto franzido em confusão.
-Um clube de futebol.-o advogado tornou a dizer explicando,eu me engasguei tossindo.
-Um time de futebol?Nosso avô era dono de um time de futebol inteiro?-questionei assustada e olhei para o meu pai no sofá que sorria da minha reação enquanto eu encarava incrédula na sua direção.
-Não é um time qualquer meu bem.-meu pai disse sorrindo e eu encarei o advogado na esperança de uma luz na minha confusão.
-Seu avô era dono do Barcelona.-Leonardo disse eu tossi me dobrando para frente sem conseguir parar,quando me recuperei encarei incrédula.
-O que?-questionei gritando e meu pai olhou feio.
-Ele deixou tudo que tinha para vocês dois inclusive o clube que ele tanto amava.-ele falou sorrindo para mim parecendo se divertir comigo.-Vocês só precisam assinar os papéis e tudo será de vocês dois,o clube pode ser dividido entre vocês,ações de 50% para cada um.-ele sugeriu e eu fiz careta.
-Não mesmo.-meu irmão discordou.-Eu faço faculdade,quero continuar a empresa do meu pai não posso assumir um time.-ele disse negando com a cabeça.
-Você pode vender sua parte.-o advogado sugeriu dando de ombros,eu ainda estava boquiaberta.
-Muito bem,eu vendo minha parte para a Nath,fico com uns 25% e para mim está bom,assim não serei necessário em todas as reuniões e decisões.-ele disse sorrindo em minha direção,eu me ergui da cadeira furiosa.
-Mas eu só tenho 19 anos,não posso assumir a presidência de um time de futebol como o Barcelona.-eu disse andando de um lado para o outro.
-Legalmente pode sim.-o advogado disse sorrindo cruzando os braços.
-Você torce para o Barcelona desde criança,é o seu time,você pode fazer isso Nathália.-Thiago disse sorrindo e afogando meus ombros parado a minha frente,eu respirei e inspirei várias vezes.
-Você pode fazer isso filha,sempre amou futebol e ama esse time.-meu pai disse se erguendo e parando ao lado de Thiago em minha frente.
-Só precisa assinar e ir morar em Barcelona,então tudo estará feito,aposto que vai fazer um ótimo trabalho.-Leonardo disse sorrindo e esticando os papéis sobre a mesa.-Então poderemos resolver a divisão dos outros bens.
-Terei que ir morar em Barcelona?-questionei mais calma e ele concordou.
-Como presidente precisa estar sempre por perto.-ele afirmou e eu cocei a nuca nervosa.
-Tudo bem,eu assumo o time,75% não é?-questionei olhando para meu irmão que comemorou sorrindo largo,suspirei e assinei no lugar que ele pediu,Thiago assinou passando 25% para mim e Leonardo sorriu.
-Parabéns,o Barcelona agora está sobre seu comando,presidente.-ele disse sorrindo e eu senti algo embrulhar em meu estômago,talvez tenha sido a falta do café da manhã ou nervosismo mas algo me dizia que era animação.-Podemos então decidir o resto dos bens.-ele disse voltando a se sentar,com as pernas trêmulas eu me sentei de volta na cadeira,em minha cabeça só girava suas palavras e só que ele me chamou "presidente",ah deuses,eu só tenho 19 anos,pensei desesperada mas por fora me mantive quieta e séria escutando o advogado animado a minha frente.
 


Notas Finais


Espiroqueta hamrm gostado do capítulo pessoal,como me sai?
Até mais Cupcakes!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...