História Love you like a love song - Capítulo 1


Escrita por: ~, ~NahuelPuddin e ~peartae

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Rap Monster, V
Tags Agwstd, Anyoongi, Bottom!jungkook, Calebe Ama Scar, Menção Minjoon, Minjoon É Amor Shippem, Não É Sugar Daddy, Taeguk, Taekook, Tkwishes, Top!taehyung, Vkook
Visualizações 1.890
Palavras 7.465
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente, se a história não estiver boa, quem escreveu ela sozinha foi o Calebe. Só salientando mesmo.
Segundo, pedido feito pela psychomisuzu. Desculpa a imensa demora e se não saiu do jeito que você descreveu/queria.
Terceiro, o Calebe é muito ômega sim. Me ajudem a fazê-lo admitir isso, please.

Ademais, boa leitura!~

Capítulo 1 - Ú n i c o


Taehyung estava entediado, e também não era para menos: estar numa reunião cheia de executivos chatos, tirava toda a sua já (não) existente animação e o filho e braço direito do presidente da empresa, só pensava em calar a boca do sócio do seu pai com um soco, este que tentava argumentar sobre uma estratégia de marketing poderosa para a empresa. Com ela, eles iriam atrair mais capital e pessoas comprariam cada vez mais dos seus produtos, colocando as finanças lá no alto.

O cara realmente não percebia todos os bocejos disfarçados com tossidas?

Aquilo estava mais insuportável do que os seus sábados à noite, quando tinha milhares de papéis para ler com extrema atenção e então repassá-los para o seu pai, que às vezes enchia a sua caixa de e-mail com mais trabalho ainda e Taehyung se perguntava por que havia seguido tão fielmente a vida de executivo e empreendedor que o velho senhor Kim havia arquitetado desde o seu nascimento. Ele poderia ter sido um filho rebelde e agora estar pelas estradas de Seul (ou qualquer outro país), fumando um beck e vivendo uma vida de hippie que se preocupa apenas em preservar a Natureza.

Dessa vez, foi impossível conter o suspiro entediado que deixou a sua boca e Taehyung inclinou a cabeça para baixo até tocar a testa numa mão, perguntando-se mentalmente quando a tortura acabaria. Não podia sair antes da reunião terminar pois, sendo filho do dono da empresa e o braço direito deste, interpretariam isso como mordomia e até mesmo descaso para com assuntos tão importantes como aquele que estava sendo discutido desde às três da tarde naquela sala. E agora já eram quase cinco e meia, o jovem Kim sentia a bunda doendo (e ficando quadrada) pela quantidade absurda de tempo em que estava sentado na mesma posição. Por mais que o couro da cadeira fosse caro e importado, tão macio quanto as plumas de ganso do seu travesseiro, agora ele se assemelhava a uma barra de metal tão rígida quanto o carbono.

Os músculos das suas pernas parecia que iam atrofiar.

Num insight, todavia, Taehyung sentiu como se uma luz clareasse a sua mente e uma ideia maravilhosa surgiu em meio aos pensamentos homicidas e suicidas que estava tendo. Por mais que as pessoas da empresa tomassem conta de si — como se ele não tivesse adquirido a sua maioridade e continuava sendo um bebê com fraldas —, naquela reunião quase ninguém lhe dirigia o olhar e Taehyung estava sentado num lado praticamente isolado. Portanto, colocar a sua encantadora ideia em prática não lhe custaria muito; apenas sacar o celular do bolso e navegar naquela quantidade absurda de aplicativos sociais que possuía no aparelho da Apple.

Ele passava os longos dedos pela tela observando algumas coisas aleatórias no Tumblr, mas nada o chamou atenção ali. Decidiu ir para o Instagram. Ele não seguia muitas pessoas, mas sempre estava de olhos nas fotos recentes e nas tags populares. Foi quando encontrou uma foto belíssima de uma linda paisagem. Analisou a foto, não se importando se estava evidente demais que não prestava atenção na reunião. Não lembrou-se daquele lugar, o que era estranho. Taehyung era um amante de viagens. Ou aquela foto estava tão bonita que ele não reconhecia o local ou ele nunca visitara.

Resolveu olhar o perfil. Não tinha muitas fotos, o Instagram parecia recente, mas havia alguns clicks do céu, de árvores e até uma foto do pátio de escola. Era um lugar comum, mas o ângulo e a forma a qual a figura foi tirada dava um ar diferente a todo o espaço. Taehyung gostou daquilo. Por mais que a foto fosse um tanto sem qualidade, talvez por causa da câmera do celular, porém o rapaz parecia profissional. Rolou a barra do navegador e encontrou duas fotos do dono da conta e, uau, que rapaz bonito.

Em uma delas, ele fazia um belo e fofo biquinho para a foto enquanto seus olhos negros brilhavam dando um ar infantil e gracioso. Na segunda foto ele estava de uniforme, provavelmente indo para a escola. Taehyung olhou atentamente para o tecido e viu que o emblema da instituição era a mesma que a sua. Ou seja, ele estudava em uma escola ali perto. Ele sempre via os estudantes entrando no local com seus uniformes amarelos e chamativos, mas nunca para reparar nas crianças.

Mas aquele garoto, em especial, era muito bonito e tinha talento. Taehyung gostara dele, olhou em torno para ver se aqueles bando de chatos olhavam para si e mandou uma rápida mensagem para o belo rapaz dono da conta. Não esperava muito do garoto, até porque raramente pessoas respondem a desconhecidos, mas resolveu arriscar. — Eu tenho que conhecer esse garoto.

— x —

Era mais um dia qualquer para Jeongguk, ele passeava com seus amigos pelo shopping depois de um dia cansativo de aula em sua escola. Ele já não gostava de estudar, quando os dias eram recheados de matérias pesadas e de difícil compreensão, eram piores do que a morte. E perdeu as contas de quantas vezes pensou em suicídio na aula de química.

Então, sempre naquele mesmo dia, ele chamava seus amigos Namjoon e Jimin para um passeio no shopping a fim de relaxar e espairecer a cabeça. É claro que o casal não negaria um passeio agradável no shopping.

Entretanto, algo nos últimos dias vem incomodando muito aquele casal, principalmente Jimin que era seu amigo de infância e o conhecia muito bem. A família de Jeongguk não era pobre, mas eles não gostavam de fazer “gastos desnecessários”. Ou seja, raramente o rapaz recebia algum dinheiro para sair, comer ou comprar alguma coisa para si. Entretanto Jeongguk estava gastando muito nos últimos dias. Estava vestindo roupas novas, algumas bem caras como o par de botas que ele usava. E o excesso de gastos não parava por aí, o estudante andava pagando vários lanches no shopping, sem contar nos doces que ele gostava de comprar.

Era um grande exagero na visão de Namjoon e um tanto preocupante, o Kim até pensou em uma possibilidade do jovem estar se metendo com coisas erradas e estava pensando seriamente em dar um puxão de orelha no moleque. Entretanto Jimin o convenceu de que ele não faria nada ilícito.

Depois de algum tempo fazendo brincadeiras e olhando objetos que nunca compraram, decidiram fazer um pequeno lanche para não precisarem voltar para casa tão cedo.

— O que vamos comer hoje? — Jeongguk perguntou praticamente se jogando no banco da praça de alimentação depois de jogar a mochila em qualquer canto. — Eu preciso esquecer dessa prova de sexta.

— É só simplesmente você não pensar. — Namjoon respondeu pegando a carteira de dentro da mochila. — Está com vontade de comer alguma coisa em especial hoje, amor? Eu recebi esses dias, então dá para comermos algo maneiro hoje.

— Uma pizza doce seria ótimo. Você sabe que tem dias que eu fico com desejos dessas coisas poucos saudáveis e que só aumentam meu peso, mas não tem como eu impedir isso. — Jimin fez aquela famosa expressão de cachorro abandonado para convencer o namorado de qualquer coisa.

— Então deixa que eu compro pizza de chocolate para meu mozi. — Ele falou como se conversasse com uma criança antes de trocar alguns selares rápidos. Jeongguk revirou os olhos e fez barulhos com a garganta como se fosse vomitar.

— Eu detesto quando vocês ficam fofos assim um com o outro, prefiro quando estão mais safados, é menos chato. — Jeongguk falou colocando a mão no bolso e pegando seu celular novo, o qual a dupla de namorados não tinha conhecimento. Era o mais recente dos iPhone, num modelo personalizado e que nunca seria encontrado numa loja para ser vendido igual. — Ainda bem que não faço esse tipo de coisa, é ridículo.

— De onde você tirou esse celular? Do inferno? — Jimin perguntou,  afastando-se do namorado. Ele inclinou-se na mesa e quase arrancou o aparelho das mãos ágeis de Jeon. Porém o moreno foi mais rápido para afastá-lo do amigo. — Você virou traficante ou assaltante, Jeongguk?

— Engraçado como você falou para eu esquecer esse assunto. — Namjoon comentou baixinho antes de levar uma cotovelada fraca do rapaz ao seu lado.

— Claro que não! Eu fui bem educado e tenho valores morais e éticos muito bem formados. — Jeongguk respondeu sem desfocar na tela de seu celular nem por um segundo. Jimin não gostou daquilo, detestava não ter atenção.

— Parece que ele prestou atenção na aula de sociologia. — Namjoon falou impressionado com o uso de palavras que o mais novo dentre eles usou.

— Prestou nada! Ele viu isso em uma página do livro e colocou no status dele. Nem sabe o que significa. — Jimin levantou-se com um olhar desconfiado e tentou ler a conversa do moreno. — Com quem você tanto conversa, seu amigo de infância pode saber?

— Não. — Jeongguk respondeu seriamente antes de bloquear o celular.

— Posso saber então como conseguiu o telefone?

— Não — respondeu da mesma forma.

— Você não vai ficar me respondendo dessa maneira?

— Vou.

— Ah, moleque, eu vou te esganar! — ameaçou, já começando a ficar irritado com o jeito infantil que o mais novo estava agindo, provavelmente apenas para irritá-lo.

— Jeongguk, esse é um assunto sério. Estamos preocupados com você e com a sua segurança. — Namjoon resolveu ser o bonzinho daquela relação meio bizarra que tinham. — Quando Jimin te perguntou se estava praticando crimes, não era brincadeira. Nós pensamos nessa hipótese porque anda gastando mais que o normal. E agora nos aparece com esse celular super caro? O que está havendo?

— Nada demais. Eu só estou namorando, assim como vocês dois namoram. — Ele respondeu de maneira simples e Jimin sentiu vontade de pular em seu pescoço. — Não tem porque vocês montarem esse show todo.

— Por que você não me contou, seu maldito pestinha? — Jimin falou cada palavra da sentença pausadamente, bufando de puro ódio. Jeongguk nunca escondeu nada de si antes, agora escondia tudo. Isso não só irritava Jimin, como também o magoava.

— Eu não achei que isso fosse de interesse de vocês. Sei lá, vai que vocês não vão com a cara do meu namorado e me obrigam a parar de falar com ele! — Jeongguk respondeu seco, erguendo uma de suas sobrancelhas. —  E eu também não sou obrigado a nada

— Ah, você está namorando há quanto tempo para ganhar presentes caros desse tipo? — Namjoon perguntou tentando fazer seu pequeno amigo pensar na furada em que estava se metendo. Afinal tudo apontava para uma coisa. Um homem mais velho presenteando o mais novo. Aquilo poderia acabar de um jeito ruim e tinha medo do seu pobre Jeon estar criando falsas expectativas.

— Sei lá, quem é que conta essas coisas? — Ele perguntou revirando os olhos. — E o que tem eu receber presentes? Vocês não recebem presentes um do outro?

— Meu pau alado, estou com vontade de me jogar pela janela.  — Os comentários de Jimin estavam começando a deixar Jeongguk nervoso.

— Está vendo? Por isso não contei para você. Está ficando velho e está ficando chato.  — Jeon argumentou cruzando os braços começando a ficar irritado com o amigo. —  Eu não sou nenhum bebê desprotegido que precisa de cuidado. Sou grande e sei me cuidar sozinho.

— Eu estou ficando velho? Ah, Jeongguk, me poupe! Você pode estar sendo enganado por um cara, ou ele deve te achar apenas um corpo que pode usar  e jogar fora quando quiser enquanto você está criando sentimentos e lhe dando atenção quando ele precisa. — Jimin estava tão indignado que nem pensava nas pessoas a volta ouvindo a discussão nem com os próprios sentimentos de Jeongguk. Ele estava se tornando o errado naquilo e Namjoon sabia que ele estava pegando pesado.

— Jimin, por favor, se controle. — Namjoon pediu esfregando a mão na testa. Aquilo tudo estava começando a lhe dar dor de cabeça. Jeongguk se metendo em furada e Jimin perdendo o controle. Aquilo não era novidade, mas a situação era muito mais delicada do que qualquer outra.

— Não fale coisas assim de Taehyung sem conhecê-lo! Ele gosta de mim! Eu nunca disse nada assim quando você começou a sair com o Namjoon. Qual a dificuldade em me apoiar agora?

— Eu não posso compactuar com isso. — Jimin falou finalmente sentando ao lado do seu namorado. — Fala com ele antes que perca o controle.

— Você ainda não perdeu? — Namjoon teve que rir do mais novo. Era impressionante como ele não conseguia se irritar com seu pequeno, apenas se apaixonava mais. — Vamos fazer o seguinte. Que tal então sairmos em um jantar de casais? Assim conhecemos o Taehyung, batemos um papo e dependendo da nossa conversa, todas as nossas desconfianças vão sumir por completo. O que acha?

— Eu aceito, vou provar a vocês que o TaeTae está apaixonado por mim e essas coisas que ele me dá são presentes amorosos e gentis de alguém caridoso. — Jeongguk falou pegando o celular novamente. — Mandarei uma mensagem para ele agora mesmo.

— Ótimo, enquanto isso vou comprar uma pizza de chocolate para nós. — Namjoon estava com um pouco de medo de deixar os amigos de infância sozinhos, mas das duas uma: ou eles vão se pegar no tapa ou se resolverem. Então foi até a pizzaria mais próxima.

— Vai ficar quieto como se eu não estivesse aqui? — Jeongguk perguntou após alguns minutos de silêncio entre os dois. Ele sabia que Jimin agiria daquele modo e por isso não falou nada, estava esperando o momento certo. Mas também detestava quando desconfiavam de si e de quando não confiavam em suas escolhas.

— Eu não te conheço, você não é a mesma pessoa que cresceu comigo. — Ele falou virando o rosto para outra direção.

— Para de drama, seu viado.

— Para você de criar desculpinhas para esconder as coisas de mim. — Novamente ficaram quietos, olhando um para o outro. Só nesse momento Jeongguk pôde reparar na tristeza que vestia em seus olhos.

— Pode falando.

— Falando o quê?

— O que está sentindo. Você está triste, não é?

— Não.

— A negação é a maior prova de que estou certo. — Jeongguk disse levantando-se de sua cadeira e caminhando até seu amigo de infância. — Anda, fala comigo.

— Não.

— Então vai tomar no cu.

— Hey! Você deveria insistir! São o que melhores amigos fazem. — Jimin disse empurrando o mais novo. — Você é pior amigo existente nesse mundo.

— E por isso somos amigos por tantos anos. — Jeongguk disse deixando uma pequena risada escapar junto com Jimin. — Era isso que eu queria, contar para você, para rirmos juntos. Eu me sinto bem e feliz perto dele, Jimin. É uma sensação engraçada.

— Eu te entendo, prometo que não vou julgar Taehyung sem conhecê-lo antes. Mas se for um velho ricaço, eu vou dar na sua cara. — Jimin brincou antes de abraçar o amigo. — Eu só me preocupo com você.

— Eu sei. — Jeongguk respondeu se aproximando. — E para sua informação, ele não é tão velho. É um jovem muito gato.

— Ok, não precisa ficar falando. Deixa que me surpreenda no dia do jantar. Não esqueça de nos avisar o dia porque você é muito avoado. Nunca vi.

— Cheguei! — Namjoon sorriu automaticamente ao ver os amigos abraçados conversando normalmente. Agradeceu a todos os deuses que conhecia por aquilo. Finalmente poderiam comer em paz.

— x —

Namjoon mal entrara no restaurante e já estava nervoso com tudo. Primeiro que o restaurante o qual o namorado de Jeongguk escolhera era muito caro e mesmo que dividisse a conta com o homem, ele teria que gastar muito dinheiro, talvez grande parte do seu salário com um jantar.

Segundo que para qualquer lado que olhasse, via pessoas elegantes, bem vestidas, refinadas e educadas. Namjoon sabia como se comportar à mesa, mas ele não era o tipo de pessoa que seguia a risca todas as regras de etiqueta, sem contar que Jimin fala alto quando conversa.

Deram seus nomes ao recepcionista elegante com o cabelo penteado e prontamente foram levados até a mesa onde duas pessoas já ocupavam. Eles estavam conversando tranquilamente, ambos vestindo sorrisos um tanto bobos. Um deles era Jeongguk, que ria baixinho, provavelmente de algo engraçado que seu acompanhante dizia, um homem bonito, aparentemente novo e bastante elegante.

Namjoon precisava admitir que ele era bonito.

Porém sentiu um aperto no braço, onde Jimin o segurava. Provavelmente o namorado estava incomodado com aquela cena. Namjoon não podia dizer naquele momento, mas bastou uma troca de olhares para o mais novo entender a mensagem.

— Boa noite, — Namjoon cumprimentou com um sorriso nervoso. Ainda estava inseguro, principalmente em relação a sua roupa. Eles não estavam de smoking como Jeongguk e seu namorado estavam. O mais velho apenas colocara uma roupa mais social e a mais elegante que tinha no guarda roupa, assim como Jimin vestira o terno de trabalho de seu pai.

— Boa noite. — O castanho levantou-se rapidamente. Após ajeitar a roupa, estendeu a mão com sua postura perfeita. — Sou Kim Taehyung, prazer em conhecê-lo.

— Pu… — Jimin segurou-se rapidamente o palavrão que iria soltar, mas se controlou devido ao local. — Nossa, meu amigo está namorando Kim Taehyung, um dos homens mais importantes na maior empresa da Coreia.

— Ah, não é isso tudo. — Ele falou apertando firmemente a mão dos dois rapazes. — Por favor, sentem-se. Apenas esperávamos vocês para fazer os pedidos. — Taehyung falou estendendo os braços nos bancos vazios, um de cada lado da mesa. — Vocês devem ser Namjoon e Jimin. O Gukie falou muito bem de vocês, me mostrou umas fotos engraçadas.

— Eu espero que você não tenha mostrado aquela minhas fotos dormindo. — Jimin sussurrou para o amigo mais novo que recusou-se a responder qualquer coisa.

— Sim, somos nós. Jiminie e eu estamos namorando há quase dois anos já, não é, amor? — Ele perguntou ainda um pouco trêmulo. Jimin sorriu concordando com a cabeça antes de pegar o cardápio para dar uma olhada. — Vocês estão há quanto tempo juntos?

— Vai fazer três meses, não é? Inclusive, vamos dar uma pequena festa para comemorar e vocês estão convidados. — Taehyung disse com um sorriso simpático. — Vai ser só o básico, um jantar, um champagne, um pouco de música.

— Uau, tenho certeza que vai ser ótimo. — Jimin disse mais preocupado em descobrir o que significava aqueles nomes no cardápio. Tinha coisas ali que nem sabia que existia. — O que seria entrecote?

— É bife coberto de molho especial com um pouco de queijo suíço e batatas fritas. Deve ser um dos pratos mais simples daqui. — Taehyung pegou um dos cardápios para olhar. — A gente pode pedir uma porção de porco laqueado no gengibre, assim podemos dividir igualmente.

— Eu amo esse prato. Foi o que comemos no nosso primeiro encontro. — Jeongguk finalmente disse algo, apoiando-se na mesa com um sorriso. — Você até me deu uns pedaços na boca.

— Nossa, que romântico. — Jimin continuava com os olhos no cardápio. Por fim, acabou aceitando a sugestão de Taehyung.

— Vocês já são maiores de idade? Porque eu sei que Jeongguk não é e por isso eu não o deixo beber. — Ele falou com seriedade e Namjoon gostou daquilo.

— Nós somos, mas não bebemos. — Namjoon respondeu educadamente.

— Então vou pedir uns refrigerantes. — Assim que Taehyung virou-se para falar com o garçom, Jimin chamou Namjoon para mais perto, a fim de falar sobre o jantar. Ambos se inclinaram sobre a mesa e aproximaram os corpos.

— O que achou dele? — O mais novo sussurrou de maneira que só o namorado ouvisse. Jeongguk estava tão fixado em Taehyung que nem percebeu.

— Eu estou gostando dele, parece ser uma pessoa de bem. — Namjoon respondeu normalmente, afinal raramente se enganava em relação aos valores de alguém.

— Ele é perfeito demais e isso que me incomoda. Que tipo de pessoa é tão educado, elegante? Quem faz uma festa para comemorar três meses de namoro? — Jimin perguntou como se fosse um absurdo.

— Você faz, inclusive, nossa primeira vez foi no aniversário de três meses! — Namjoon acabou rindo da paranóia de Jimin. Ele estava tão preocupado com Jeongguk que estava deduzindo errado.

— Eu sei! Mas sou um trouxa apaixonado, ele não tem cara de ser assim. — Jimin sussurrou um pouco mais alto.

— Você também não. — Namjoon rebateu antes de se afastar, afinal o pedido já tinha sido feito. — Então, Taehyung? Como conheceu Jeongguk? Você não tem cara de ser aquele homem estranho que fica olhando os alunos saírem da escola.

— E não sou mesmo. — Taehyung disse rindo com Namjoon da piada. — Eu nem teria tempo para fazer isso. O escritório tem mil coisas chatas para se fazer. Por isso eu não saio tanto com o Gukie quanto eu queria. — Taehyung colocou a mão sobre  a mesa a fim de uni-la com a do namorado. — Mas conheci o Gukie durante uma reunião, olhando o Instagram. Eu vi algumas fotos boas que ele tirou e me interessei, afinal eu adoro essas fotos de paisagens. Foi quando eu descobri que o fotógrafo era lindo.

— Ele adora me deixar constrangido com esses elogios. Ele sabe que sou apenas um adolescente comum cheio de espinhas na cara. — Jeongguk disse abaixando levemente o olhar.

— Um adolescente comum cheio de espinhas mais lindo que existe. — Taehyung devolveu.

— Ok, entendemos. Em falar nisso, você nem está mais com espinhas na fuça! O que aconteceu com elas? — Jiimin perguntou levando a mão ao rosto do mais novo a fim de olhar cada canto do local.

— Eu comprei para ele uns cremes que diminuem a oleosidade do rosto e reduz bastante a aparição de espinhas. — Taehyung respondeu procurando o nome da marca em sua memória, mas não lembrou-se. — Eu usei bastante quando era mais novo e é eficiente. Eu dou alguns para você, caso queiram.

— Taehyung, posso ser sincero com você? — Jimin perguntou tirando a mão do rosto do amigo.

— Claro, fique a vontade.

— Por que você presenteia tanto o Jeongguk? Tudo bem que vocês são namorados e coisas assim acontecem em um relacionamento. Mas uma coisa é dar bichinhos de pelúcia e chocolate, outra é dar roupas de marca e celulares. — Jimin foi tão direto que Namjoon levou a mão ao rosto e encolheu-se de vergonha.

— Para ser sincero, eu gosto de dar as coisas para os outros. Sempre fui assim; desde pequeno, eu gostava de dividir minhas coisas e dá-las quando não precisasse mais. — Taehyung explicava com um sorriso nostálgico no rosto. — Quando eu conheci o Gukie, eu percebi o quanto o sorriso dele era bonito e me prometi que sempre o faria sorrir, rir; que o faria feliz. E eu nem estava tão interessado nessa época. — Ele comentou. — Então lhe dei uma câmera profissional para ele ir treinando as fotografias a fim de, no futuro,  poder trabalhar com isso.

— Você nem me contou isso! — Jimin disse dando uma cotovelada em Jeongguk ao seu lado.

— Ai, desculpe, Hyung. Mas eu só vou usá-la pela primeira vez para tirar uma foto muito especial. Eu ainda não decidi. — Jeongguk disse com toda a sua certeza.

— Continuando, depois que começamos nosso relacionamento, e acreditem, foi muito de repente e natural porque nenhum de nós dois esperava isso, eu lhe disse que seria difícil ter tanto tempo dedicado a ele. Então, eu passei a lhe dar presentes que remetem a mim e diminuem a saudades dele por mim. Era uma forma de sanar minha ausência. Eu só o vejo uma vez por semana e não são por muitas horas.

— Entendo. — Namjoon falou lançando um olhar repreendedor para o namorado. O mais velho sabia que ele ainda estava desconfiado.

— E ele me deu um dos cartões de crédito dele para caso eu quisesse comprar alguma coisa porque eu sou muito tímido para pedir qualquer coisa. — Jeongguk complementou.

— Então você está querendo me convencer de que isso não é um relacionamento Sugar daddy? — Jimin perguntou com o indicador apontando para Taehyung. Namjoon, pela segunda vez naquela noite, levou a mão ao rosto com vergonha.

— O que é um relacionamento Sugar daddy? — Jeongguk perguntou confuso.

— Eu não faço a mínima ideia. — Taehyung respondeu na mesma hora. Estava evidente em suas expressões que ambos desconheciam aquela prática.

— Eu mereço o namorado que eu tenho. — Namjoon comentou com uma risada fraca.

— Como não sabem? Sugar daddy é quando um namorado mais rico enche o namorado mais novo de presentes caros. O ‘daddy’ dá dinheiro ao seu parceiro, entenderam? O namoro de vocês está mais do que na cara que é isso.

— Vocês está dizendo que nosso namoro se baseia em dinheiro, seu filho… — Jeongguk ficou mesmo estressado, mas como eles estavam em um restaurante caro, acabou se segurando. — Vamos no banheiro agora porque minha mão quer falar com a sua cara.

— Vai querer brigar comigo com esse terno super caro que ganhou do namoradinho? — Ele perguntou em provocação.

— Isso é um smoking, idiota. — Jeongguk nem estava mais pensando no que falava, apenas queria discutir.

— Está estudando moda agora? — Ele perguntou pela forma que o amigo mais novo falava.

— Jeongguk, senta um instante porque brigar com seu melhor amigo não é a resposta. — Taehyung pediu com um olhar sério para o mais novo. Então o moreno respondeu em silêncio.

— Jimin, Jeongguk não está comigo por dinheiro e eu não estou com ele pela juventude ou por ele ter um corpo lindo no qual eu posso usar em momentos de necessidades sexuais. — Taehyung falou com seriedade, em seguida, voltou a pegar a mão de seu namorado sem perder contato visual com Jimin. — Pode ser que algumas pessoas sejam assim, mas não nós. Desde o primeiro momento que bati o olho no Gukie, não posso negar que fiquei admirado e bem atraído por sua beleza, por seu sorriso. Mas depois que o conheci, percebi como ele é uma pessoa incrível, tão simples, mas repleto de coisas boas e interessantes para contar. Cada dia que passava eu me sentia cada vez melhor ao seu lado, me sentia bem e feliz. Uma coisa que apenas Jeongguk fazia. Eram apenas poucas horas de almoço, mas eram as melhores horas do dia. E quando ele se declarou todo envergonhado para mim e meu coração acelerou, eu percebi que estava apaixonado por ele. Depois do beijo, eu tive certeza. — Então Taehyung beijou a mão de Jeongguk. — Então você também pode ter certeza de que não há interesse por parte de nenhum de nós dois. Podemos estar namorando há poucos meses, mas sinto que me apaixono cada dia mais. Podemos até nos casar se tudo continuar na firmeza que estamos seguindo. Não é uma relação de Sugar Daddy, Jimin, é uma relação de amor.

— Eu também te amo, Taehyung. — Jeongguk disse um tanto envergonhado com o rosto completamente ruborizado.

— É, Jimin, acho que eles estão mesmo apaixonados. Afinal, ele disse a mesma coisa que você me disse quando se declarou. — Namjoon falou para o namorado com um sorriso. Já este estava de boca aberta sem palavras para expressar aquilo que acabara de acontecer, foi uma declaração de amor tão bonita que até sentiu certa vontade de chorar. Eles dois realmente lembravam a época em que ele e Namjoon começaram a namorar, os problemas que tiveram que superar juntos. Ele se viu nos dois.

Então apenas conseguiu sorrir e disse: — Vocês têm a minha benção.

— E desde quando eu preciso disso? — Jeongguk perguntou ainda entristecido com o amigo.

— Gukie, não seja tão duro com seu amigo. — Taehyung disse com certa dureza. — Obrigado, Jimin, isso é muito importante para mim. Eu quero ter uma relação boa com todos os amigos do Gukie.

— Você já tem, rapaz. — Namjoon disse dando uns tapinhas de leve no ombro do Kim. — A propósito, quantos anos você tem? Você deve ter demorado alguns anos para chegar ao posto grande na sua empresa, apesar de que diferença de idade não muda em nada, não é mesmo?

— Não mesmo, esse negócio de diferença de idade, creio eu, apenas nos aproxima mais. — Taehyung respondeu com simplicidade. — Mas Jeon e eu não temos muita diferença de idade. Eu tenho vinte anos.

— O quê? Você tem minha idade? — Jimin perguntou mais alto do que deveria. Taehyung acabou rindo enquanto os outros dois o mandavam falar baixo.

O jantar finalmente foi servido e eles puderam comer e ter uma conversa agradável.

— x —

Taehyung estava dirigindo pela cidade com Jeongguk ao seu lado. Ele estava atento dirigindo entre os prédios enquanto levava um namorado sorridente até sua casa. O mais velho estava tão focado na rua que nem percebeu que o moreno olhava para si.

— Aconteceu alguma coisa? Seus pais vão brigar pela hora que está voltando para casa? — perguntou antes de olhar para o relógio de pulso assim que parou no sinal vermelho.

—  Não, é que… — recuou um pouco, respirou fundo e continuou sua fala. —  É que eu falei para minha mãe que iria dormir fora.

—  Ué? Vai dormir na casa do Jimin? Por que não falou? Eu poderia ter levado vocês dois lá de uma vez e…

— Deixa de ser lerdo, Taehyung! —  Ele falou meio nervoso. Já estava fazendo um grande esforço para falar aquilo e o seu namorado ainda estava dificultando tudo. —  Eu vou dormir com você hoje. Não tem trabalho amanhã, não é?

— Não, eu pedi o dia de amanhã de folga. Bom, eu vou ligar para casa e pedir para as empregadas arrumarem uma cama para você e… — Ele pegou o celular e viu a expressão fechada do mais novo com os braços cruzados. — Ah! Entendi! Você tem certeza disso? É um passo muito importante. Nossa primeira vez...

— Depois daquilo que você disse no restaurante, eu tenho mais do que certeza. — Taehyung voltou a andar com o carro, mas Jeongguk colocou a mão sobre a do namorado. —  Por mais que isso seja idealização demais, eu também sinto o mesmo. Sinto que posso ficar com você pelo resto da minha vida.

O mais velho sorriu e apenas seguiu direto para a casa onde morava.

— x —

Ambos foram recebidos por empregados, que rapidamente tiraram o paletó mais pesado da roupa. Enquanto Taehyung levava Jeongguk pela mansão, o moreno já se desfazia daquela gravata que tanto incomodava em seu pescoço. Ele nem reparava nos corredores que passavam, nem nas escadas que subiam. Apenas caminhava no encalço do morador daquele enorme lugar.

Finalmente encontraram o quarto o qual Taehyung tanto procurava. Jeongguk não fazia ideia se aquele era o quarto dele mesmo, mas era um lugar belíssimo, grande, com uma cama aparentemente confortável. Reparou que todo os móveis tinham bastante elegância e havia alguns candelabros presos à parede. Era um lugar tão bonito.

Taehyung afastou-se de si e caminhou até o outro extremo. Ele girou um botão qualquer, as luzes do quarto diminuíram e a dos candelabros surgiram. Por mais que fosse uma luminosidade artificial, pareciam chamas de verdade.

Estava tão paralisado com a beleza do local que nem reparou Taehyung aproximando-se, envolvendo seu corpo em um abraço. — Esse tem que ser um momento muito especial para nós dois. —  Ele falou dando um beijo rápido na bochecha do namorado.

— Você já fez isso antes? — perguntou também abraçando o mais velho e escondendo o rosto em seu ombro tanto para esconder a vergonha quanto para absorver aquele cheiro forte de perfume.

— Não. — Ele respondeu com uma risadinha antes de passar a mão sobre o corpo do menor para acariciar os fios negros de Jeon. — E eu sei que você também não. Nem deixou eu ver se as cuecas que comprei para você estavam boas — alfinetou e riu depois que Jeongguk vestiu uma expressão ameaçadora no rosto.

— Aquilo foi uma grande injustiça que você fez comigo! Você só fez para eu sentir vergonha. — Ele falou dando um tapa de leve em seu ombro.

— Você é lindo, Jeongguk, não tem o que se envergonhar. — Taehyung então levantou o rosto alheio e interligou os olhares. — Eu tenho sorte de ter você.

Naquele momento, Jeongguk atacou seus lábios de forma tão rápido que Taehyung se assustou. O seu namorado quase nunca tomava iniciativas, ainda mais com um beijo tão quente como aquele. Então apenas fechou os olhos e tratou de sentir o gosto de Jeon com sua língua percorrendo cada centímetro daquela boca quente.

O mais velho acariciava a cintura de Jeongguk durante o beijo enquanto este, afobado, tentava desabotoar cada botão de sua camisa. Taehyung não pôde deixar de rir durante o beijo e cessá-lo.

— Você está sendo uma gracinha com essa ansiedade toda. — Taehyung disse apertando as bochechas do mais novo com a palma das mãos e unindo novamente os lábios.

— Eu não sei por que essas camisas são tão difíceis de tirar! — Ele reclamou com um bico no rosto que ficou ainda maior por causa dos lábios inchados.

— Apenas relaxe, ok? — Taehyung disse tirando rapidamente os botões da camisa social com um sorriso simples no rosto. Assim que terminou de abri-los. Jeongguk ficou parado, com a boca entreaberta, apenas olhando aquele corpo que tanto tinha curiosidade para ver, mas sempre era coberto por ternos elegantes e caros.

Ele tinha um tom de pele acobreada e mesmo com a luz fraca, podia ver perfeitamente aquele peito sem muitos músculos, mas que ele gostara bastante. Percebeu o quanto suas clavículas eram bonitas r marcadas e resolveu tocar no local. Passeou com a ponta do dedos nos osso enquanto sentia-se hipnotizado por elas. E quando viu aquela barriga gordinha e super fofa, Jeongguk quase esqueceu-se do que estavam fazendo. Ela era uma gracinha; ele sentiu vontade de morder, beijá-la várias vezes e até assoprar como os adultos fazem na barriga dos bebês. Taehyung era inacreditável, não bastava ter o rosto maravilhoso, tinha que ter o corpo perfeito.

— Eu não sei o que pensar com você olhando para mim desse jeito. — O mais novo nem percebeu quanto tempo ficou ali, admirando aquele corpo na sua frente. Seu transe acabou assim que ouviu a voz constrangida do namorado.

Jeongguk nada respondeu, apenas sorriu, passou a mão pelo peito de Taehyung antes de empurrar o tecido de seu ombro para descobri-lo de uma vez por todas. Em seguida, ele juntou os corpos e colou as testas enquanto acariciava o rosto de Taehyung. — Você é o ser mais lindo da face dessa terra. — O moreno respondeu antes de voltar a beijá-lo.

Jeongguk não parou por aí, passou a conhecer cada centímetro daquelas costas com suas mãos antes de fixá-las no quadril magro do rapaz. Ambos sorriram durante o beijo e separaram-se novamente, um tanto ofegantes. — Pronto para me mostrar o quão perfeito você é? — Taehyung perguntou antes de começar a tirar os botões daquela camisa branca.

O moreno se encolheu um pouco antes se ver sem a camisa. Taehyung suspirou ao sentir-se ansioso para tocar naquele corpo definido na medida certa. Nunca pensou que aquele garoto tão fofo e contagiante, debaixo daqueles casacos que costumava usar, tinha um corpo modelado pelos deuses.

O mais velho conduziu o jovem até sua cama e deitou-o ali, antes de se aproximar e voltar a trocar beijos quentes como antes. Taehyung passou a percorrer toda a barriga maravilhosa de Jeon com a ponta de seu indicador, fazendo várias carícias no local enquanto sentia afagos confortantes em suas costas.

Assim que afastou-se, Taehyung sorriu ao lembrar-se da pintinha adorável que ele tinha no pescoço. Então apressou-se em beijá-lo naquele lugar. Quando percebeu que ele tinha várias como aquelas por todo o seu tronco, fez questão de explorar cada uma delas com seus lábios. Era como uma brincadeira para si, e mesmo que Jeon sentisse um pouco de cócegas, seu corpo todo se arrepiava com os toques e como sua ereção já marcada na calça estava sendo apertado pelo corpo de Taehyung, o nível de seu prazer só estava subindo.

Logicamente, o mais velho percebeu o que estava causando nele e sorriu. Então, sem demorar-se demais,levou as mão até a barra da calça do mais novo e a tirou rapidamente. Se Taehyung antes gostava de pernas, seu amor por elas tornou-se ainda maior ao ver as de Jeongguk. Nunca vira coxas tão bonitas e fartas quanto as dele.

E aquela cueca preta tão colada em seu corpo com uma evidente ereção marcada. Nem ele mesmo sabia o motivo de tê-la deixado ali.

— Tae! — Jeongguk reclamou por ele estar parado ali, apenas olhando seu corpo sem roupas. — Se vai continuar me olhando assim, pelo menos tira a sua também para eu não ficar sem jeito.

Taehyung sorriu e levantou-se de imediato. Desabotoou a calça social e a abaixou-a, ficando apenas de cueca. Jeongguk voltou a admira-lo como antes, ali, de pé, na sua frente. Então ele sentou-se na cama e puxou o corpo do mais velho para mais perto. O moreno envolveu o corpo de Taehyung com seus braços e fechou os olhos enquanto movia o rosto pela barriga do namorado. Com suas mãos, ele acariciava as pernas e a bunda daquele que estava de pé.

Assim que o mais velho tocou com seus longos dedos os fios morenos, Jeongguk passou a beijar sua barriga várias vezes, ainda passeando com suas mãos perna coxas de Taehyung. Vez ou outra ele também beijava-as e brincava com o elástico da cueca, puxando-a e soltando contra a pele do mais velho.

Ele estava gostando tanto daqui, de ser tocado, de receber tanto carinho do mais novo, do jeito dele. E foi quando Jeongguk conectou os olhares com um sorriso fofo que as coisas mudaram. Ele tinha o brilho da ansiedade e do desejo nas orbes negras. — Eu vou te dar prazer, Tae.

Taehyung não disse uma palavra, apenas ficou observando Jeongguk abaixar a cueca e colocar sua ereção para fora.do tecido. Ele até suspirou com o alívio do aperto.do tecido. Ele mordeu os lábios quando Jeon segurou-o firmemente e passou a deixar vários beijinhos rápidos por toda a extensão. Ele sorriu com a forma fofa que o namorado fazia algo tão pervertido e passou a fazer carinhos em sua cabeça.

Depois que achou que estava bom de beijos, Jeongguk olhou para Taehyung e sorriu largo, aquele mesmo sorriso encantador o qual ele se apaixonara quando se viram. Ele não conseguiu se segurar.  — Você é lindo. O mais lindo de todos. — Comentou antes de Jeongguk voltar ao seu pênis, dessa vez, colocando-o em sua boca.

Taehyung deixou que a cabeça tombasse para trás, revirou os olhos de prazer e apenas ficou parado enquanto todas as sensações deliciosas de ter aqueles lábios o envolvendo poderia proporcionar ao seu corpo. Jeongguk não era experiente, nem sabia direito o que estava fazendo. Apenas o chupava movendo a língua de vez em quando. Tudo valeu a pena quando Taehyung soltou seu primeiro gemido grave e seu corpo estremeceu. Ele sorriu e aprofundou o contato, tentando colocar o máximo possível em sua boca. O maior desejo do Jeon era enlouquecer seu namorado, então apertou sua bunda com certa força e aumentou um pouco mais a velocidade do movimentos.

— Gukie, sua boca é perfeita. — Falou quase não conseguindo respirar. Poucos segundos depois, Taehyung quem quebrou o contato para deitar Jeongguk na cama com seu próprio corpo e passou a beijá-lo enquanto movia seu quadril contra o do namorado. Ambos já começavam a suar na medida que o calor ia aumentando.

Subitamente, Taehyung voltou a levantar-se, livrou-se da cueca e foi até o armário. Jeongguk fez questão de tirar a única peça de roupa que cobria seu corpo. O mais velho voltou com uma garrafinha de lubrificante, ajoelhou-se na cama e olhou para Jeongguk um tanto inseguro. Não sabia se realmente deveria fazer aquilo.

O mais novo apenas sorriu, sentou-se e beijou o namorado passando toda a confiança que ele precisava. Os beijos e os olhares era um sinal de que ele estava preparado.  Taehyung sorriu e deu um selinho naqueles lábios cheinhos. — Eu te amo, Gukie.

— Também te amo, Tae. — Ele respondeu, voltando a deitar-se com as pernas um tanto abertas apenas esperando o que estava por vir. Ele sabia que seria doloroso no início, mas também sabia que Taehyung nunca o machucaria. Tinha certeza que seu namorado lhe daria todo o prazer que queria sentir.

O mais velho derramou um pouco do líquido frio nos dedos e espalhou bem antes de tocar na entrada do namorado. Seu corpo se moveu involuntariamente com o toque. Taehyung então apressou-se em se mover e selou os lábios aos do rapaz antes de começar a penetrá-los com seus dois dedos.

Assim que Jeongguk deixou um barulho escapar por seus lábios, ele parou de mover sua mão e olhou para o namorado. Ele estava com as sobrancelhas unidas, com os lábios entreabertos respirando com dificuldade. Assim que Taehyung estava prestes a tirar os dedos de dentro do rapaz, Jeongguk segurou seu pulso para manter onde estava.

— Está tudo bem, apenas continue. — Ele falou com dificuldade antes de puxar sua cabeça para outro beijo quente. O mais velho continuou com seu ato enquanto vez ou outra, dizendo coisas carinhosas e fofas ou distribuia vários beijos pelo seu rosto. Jeongguk descontava o pequeno incômodo que sentia apertando as costas e ombro de Taehyung.

O moreno apenas precisou assentir para mostrar à Taehyung que estava preparado. Ambos trocaram sorrisos e uns beijos antes do mais velho afastar-se. Ele derramou o lubrificante sobre o próprio pênis e passou a estimular-se olhando para Jeongguk daquela forma, deitado, com as pernas abertas olhando para si. O mais novo passou a se tocar também e os movimentos de ambos pareciam conectados, ambos estavam perto de tornar um só.

Em seguida, posicionou-se entre as pernas de Jeongguk e começou a penetração. O moreno segurou com força os lençóis e mordeu o lábios segurando qualquer som que poderia produzir. Ele ainda estava na casa do seu namorado. Não queria que os empregados ouvissem o que estavam fazendo. Taehyung foi paciente e carinhoso, deslizava o pênis pelo interior de Jeongguk com cuidado até que entrasse por completo em seu interior. O mais novo levou as mãos até a bunda de Taehyung e apertou com força o local. Aquilo aliviava um pouco o desconforto, entretanto aquela sensação estranha de dor dava um prazer inexplicável para Jeongguk, mesmo que estivesse escondida debaixo da dor.

— Tae, me beija? — Ele perguntou com certa dificuldade.  Taehyung sorriu tentando controlar seu corpo porque ele estava prestes a perder o controle. Estar no interior do namorado lhe proporcionava um prazer tão grande que sua vontade era de começar a se mover naquele momento. Seu coração estava tão acelerado que podia jurar que voaria pelo seu peito e sua pele estava tão quente que estava suando em fazer nenhum exercício.

Passou a mão pelo corpo de Jeon e o beijo. Percorreu toda a sua boca com sua língua antes de levar as mãos até as coxas a fim de fazer carinhos no local. — Eu juro que vai melhorar, meu amor.

— Já melhorou. — Jeongguk comentou envolvendo o pescoço do namorado para colar as testas.  — Já pode se mover.

Taehyung tirou os braços em torno do seu pescoço, entrelaçou os dedos das duas mão, e após mais beijo, se moveu pela primeira vez. Jeongguk já não sentia mais dor, apenas uma leve ardência. Como não recebeu reclamação, o mais velho penetrou de novo e de novo, várias vezes, de maneira ritmada e quente  Taehyung afastou-se e permitiu que Jeongguk gemesse alto, as mãos apertavam-se com bastante pressão enquanto Taehyung aumentava seus movimentos pouco a pouco.

O quarto começou a ficar ainda mais quente, o que antes era dor, agora era prazer. Jeongguk gemia com vontade enquanto sentia sua ereção arrastar no corpo de Taehyung e todas a suas sensaçõe alcançaram um patamar que ele nem sabia que era possível. Soltou-se das mãos do namorado e apertou sua bunda para aumentar ainda mais o contato dos corpos.

Os mais velho apenas sorriu, beijou novamente Jeongguk antes de aumentar um pouco mais o seus movimentos. Os corpos se encaixavam perfeitamente, os movimentos não estavam muito rápidos, mas estavam bons e sensuais o suficiente.

Estavam aproveitando o máximo um do outro, os corpos molhados de suor pareciam se tornar um só, aquele momento estava sendo perfeito e especial para ambos. Taehyung atacou o pescoço de Jeon com beijos enquanto o mais novo passava a mão por todo o corpo acobreado de seu namorado. Gemeu mais um pouco antes de sorrir pela sensação maravilhosa que sentia e gozar entre os corpos.

Com a onda de prazer tomando o corpo de Jeongguk, ele não conseguiu controlar os movimentos de seus músculos. Os espasmos se fizeram presentes e Jeongguk passou a gemer baixinho no ouvido de Taehyung por conta da falta de ar. Seu interior envolveu com mais pressão o pênis do mais velho. Tudo ficou mais apertado e quente. Taehyung gemeu no pescoço do namorado antes de se desfazer de vez em seu interior.

Aquela foi a melhor sensação que Taehyung já sentira. Não porque havia gozado, não porque estava transando, mas por ter acontecido aquilo tudo com uma pessoa a qual era apaixonado, Jeongguk.

E não importava para quantas pessoas Taehyung tivesse que provar seu amor pelo namorado, ele não se importava de repetir a vida toda que amava Jeongguk assim como seu pequeno também o amava e que teriam uma vida longa e perfeita juntos.

Afinal, onde há amor, tudo fica perfeito, não importa quantas barreiras forem impostas.


Notas Finais


O TKWishes está com um projeto novo, vocês sabiam? Chama-se Kpop Wishes e serve, basicamente, para nos ajudar a adquirir os goods que as fanbases dos meninos colocam à venda. Deem uma olhadinha no Twitter (@wisheskpop) que, logo mais, terá notícias acerca das compras.

Também não esqueçam de encher o saco dos nossos beta-readers (@tkwbetas), por favor. Eles devem ser feitos de escravo (amo vocês) assim como os capistas (@tkwdesign) também.

Qualquer reclamação sobre a fanfic, lembrem-se: tudo culpa do Calebe (@hozitaegguk) e não minha (@gukvi)! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...