História Love You To Death - Capítulo 11


Escrita por: ~

Exibições 25
Palavras 4.503
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


I just wanna know if you feel the same where u at?

Capítulo 11 - Where U At


Jiny Jane estava com a cara tão abatida que estou com medo dele ter cometido suicídio.

O rei do exagero aka Jiwon montou um tipo de força tarefa pra procurarmos por ele porque ironicamente ele não pode dar parte na polícia. Porque se não já tinha feito.

O que eu tenho a ver com isso? Estou envolvido. Porque? Tecnicamente ele está comigo. O único que pode mentir e tem uma mãe desinteressada que até compactua. Todo mundo viu ele na última vez no sábado,quando estávamos bebendo juntos. Lembro dele indo embora na direção contrária à sua casa. Lembro que tive vontade de chamar ele pra usar comigo speedball no meu telhado,mas ele foi embora rápido demais.

Isso foi a 4 dias atrás e continua contando. Particularmente não acho que tenha acontecido alguma coisa. Lembro quando ele andava com o Mino e ficava fora por semanas, e todo mundo precisa de espaço. Se tivesse um melhor amigo como o Bobby iria desaparecer por meses.

Muito exagerado. M u i t o.

Ele já nos fez rodar por delegacias. E hospitais. Me fez de motorista particular e estamos transitando por onde ele costuma ir. Não aguentei a pressão e peguei um carro do white walker pra ter um espaço porque se aquele garoto gritar mais uma vez no meu ouvido falando pra parar bruscamente como se jinhwan fosse uma criança de 5 anos perdida e que não sabe voltar pra casa eu vou cometer um crime.

O único problema é que o garoto desapareceu. Sem deixar rastros. Ninguém faz a menor ideia de onde ele possa ter ido. E todo mundo sabe que Jinhwan inventou a expressão sem limites. Só que agora ele está sem o Mino, o que é pior que ele mas sempre soube como voltar vivo. Começo a me preocupar também apesar de não me sentir muito heroico. Dá trabalho demais e 0% reconhecimento. A única coisa que você ganha é gente torrando sua paciência.

- Você já ligou pras zilhões de pessoas que você sai e perguntou se alguém viu ele? Barbie pergunta pela 484934749383X e estou perdendo a paciência. De novo

- Já.

- E...

- O que você acha? Amanhã você vai com o Yunhyeong. Não aguento mais ouvir sua voz. Reclamo

- Ele realmente, realmente sumiu dessa vez. O outro choraminga. Ele tem um dom especial pra ignorar exatamente tudo que eu falo, me perguntar a mesma coisa mil vezes e me irritar no geral.

- Cara, ele deve estar chapado em algum lugar e a bateria acabou ou sei lá. Tento consola-lo porque pior que um Bobby chato é um chorão.

- Por 4 dias?

- 4 dias não é nada. Respondo porque não é mesmo. Geralmente a festa só começa a ficar interessante depois do 3 dia de qualquer forma.

- Eu lembro que ele costumava a sumir por semanas com o Mino relembro à cabeça de vento dele enquanto procuro o lugar que todo mundo parou pra comer. Como se tivéssemos em uma excursão. Essas pessoas sinceramente o que eu tô fazendo aqui quando eu posso andar com o Mino squad eu ainda não sei.

- Mas ele não anda mais com o Mino e de qualquer forma.E além do mais a Dinah sempre sabia onde eles estavam ou que pelo menos que ele estava com o Mino e me avisava.

-Algodão doce? Todo mundo conhece ela e eu não lembro da sua cara antes do mês passado

-Quem?

-Talvez ele esteja com o Mino de novo. Desde que o mundo é mundo minhwan existe. Eu falo porque é verdade. Aqueles dois tem uma especie de imã. Apesar deles quase se matarem quando estão juntos eles parecem quase predestinados.

-Eles não estão. O outro fala duro e eu me pergunto se o menino Jiwon não é secretamente (nem ttão secreto) apaixonado pelo Jiny Jane. Ele precisa realmente entrar na fila.

-Como você sabe?

-Eu sei que enquanto o Taehyun estiver aqui o Mino não vai voltar pro Jiny. Ele fala cansado, como se já tivesse explicado isso zilhões de vezes e eu me pergunto se Jiny fala muito sobre isso. Se ele conseguiu atravessar o Mino como um trator,como sempre faz. Talvez não.

-Mas de qualquer forma a gente devia perguntar pra ele. Se não achamos o Jihnwan ainda só ele vai. Eu falo. Por mim já tinha entregado o caso do desaparecimento nas mãos do Song faz muito tempo porque ser herói é chato pra caralho e o Mino criou uma espécie de Arlerquina só que abandonou ele. Sem esquadrão suicida. Não é como se eu não me importasse com o Jiny.Eu me importo e estou transitando de festa em, festa todas as noites. Sem beber (muito),mas eu realmente não sei onde ele possa ter ido. Eu procurei e perguntei em tudo quanto é lugar mas ninguém o viu. Talvez eu deva expandir as buscas pros lugares que ele costumava ir com o Seungyoon e os outros.

Quando finalmente deixo o Bobby em frente à loja da mãe, toco o carro pra casa do Mino.

Não sei se aguento mais uma noite procurando pelo outro às cegas. Não vamos encontrá-lo nunca assim. Talvez ele não queira ser encontrado também e eu o entendo. Gostaria de achá-lo só pra saber que está bem.

A casa do Mino é majestosa. Nunca vi uma família que SABE como ser rico como eles. É tão simples e minimalista. Passa a impressão de luxo sem a ostentação caracteristica. É simples e funcional. O ar parece cheirar a dinheiro.

Quem me recebe é algodão doce que manda eu a seguir. Odeio gente que fala em comandos.Estou quase perguntando de quem é a Mercedes que parece do white walker quando vejo ele em osso, formol e sangue azul.

Agradavelmente quem fica mais surpreso é ele. Sei disso porque posso ver uma expressão quase completa. Me sinto bem.

-Junhoe. Ele fala e alguma coisa no seu tom parece errado.

-Pai. Falo irônico mas não muito que tenho medo do Sr Song. Ele sim. Assustador pra caralho.

Me curvo respeitosamente pra ele que me avalia de volta. Me escaneia com um olhar cortante e tenho vontade de recuar. Repasso rapidamente todas as vezes que eu já o vi na vida e qual era meu estado. Nada mal, talvez assustado. Pra falar a verdade nunca o vi muitas vezes. Ele como imperador do continente não deve nem ver o próprio reflexo imagina confraternizar com os amigos do Mino ou até mesmo com ele.

White walker não pergunta o que estou fazendo aqui o que acho decente da parte dele. O imperador não falou nada também além de um quase inexistente reconhecimento da minha existência. Algodão doce me leva pra cima.

Continuo absorvendo o luxo do minimalismo e ela revira os olhos. Minha mãe sempre foi uma pessoa que acumula coisas. Antigamente eram coisas com significado, agora ela acumula o valor que ela paga. De qualquer forma é refrescante as paredes limpas e de cores sóbrias. O luxo nos detalhes que deviam passar desapercebidos mas são destaque.

Ela entra no quarto do irmão sem bater e se eu acreditasse em deus estaria glorificando. Meus olhos foram abençoados por um Mino que acabou de sair do banho, de toalha. Obrigado a todos os envolvidos no universo neste momento.

Ele olha pra mim e sorri.Eu eu me sinto fraco.

 Lindo pra c a r a l h o.

-June ele fala e eu estou pronto pra ficar de joelhos. Não sei definir mas tenho serios problemas com minha queda sexual por ele.Tento justificar isso ao fato de já que nunca fiquei com ele minha imaginação faz o trabalho de me fazer parecer no cio. Mino issues.

Não percebo quando algodão doce sai, ela parece aérea. Deve ser problemas com o namorado inteligente dela.

Infelizmente o Mino de agora vai se trocar no banheiro. Sinto saudades da era minhwan.Eles eram um tipo raro de casal e se eu tenho um arrependimento na vida é não ter entrado em um dos joguinhos deles onde eles escolhiam pessoas aleatórias pra brincar.

Falando em Jinhwan lembro que estou aqui pra bancar o herói ou pelo menos o Robin. Estas analogias estão começando a ficar muito confusas. Estou perdendo o contexto. De qualquer forma ele manda eu ficar a vontade então me jogo na cama. O quarto dele é mais minimalista que a casa. O que significa que não tem nada. Sei que ele desenha muito bem mas não tem nada a vista.Provavelmente deve ter um estúdio pra isso. Quando ele volta e se joga na cama do meu lado como se não fosse nada demais me apoio nos cotovelos. Princípios de herói.

-Eai? Ele pergunta casualmente como se fosse natural eu estar ali e não tenho paciência nem habilidade pra conversa fiada.

-O Jinhwan sumiu. Solto a bomba porque não tem jeito melhor de dizer e porque ele é a porra do coringa então tem algumas responsabilidades.

-Como assim sumiu? Ele pergunta sentando. Seu semblante muda de desinteressado pra preocupado. Nunca vou entender o que aconteceu com eles.

-Faz quatro dias que ele não dá sinal de vida e eu sei que não parece muito e você não tem mais nada a ver com isso mas o Jiwon está preocupado e montou um esquadrão pra encontrar ele e eu não sei mais onde...

Ele não deixa eu terminar e levanta. Pega o celular e liga pra alguém.

O que eu mais aprecio no Mino além do seu corpo é sua eficiência.

-Amor eu tenho uma coisa pra resolver agora então não vem aqui. Eu vou na sua casa quando terminar. Ele espera

-Não, nada grave.Mente.

-Com meu pai.Mente de novo mas seu semblante parece escurecer, como se sentisse culpado?

-okay.

-Te amo. Será que esta parte é verdade?

Ele termina a ligação. Não se passaram nem trinta segundos. Gente rica tem pressa.

Se vira pra se vestir e esquece totalmente da minha presença,parece estar perdido em alguma coisa, provavelmente lembranças de quando eles eram praticamente um.

Quando esta pronto vira pra mim e pergunta

-Como ele estava antes de sumir? Ele pergunta

-Estavamos bebendo todo mundo junto mas ele estava quieto. Mamando garrafa atrás de garrafa em silêncio. Seu rosto estava tão abatido que parecia alguma coisa errada.

-E ninguém percebeu isso? Ele pergunta me guiando pra fora do quarto e seu tom parece quase irritado.

-Tinha muita gente travada e o Jiwon estava baguetado dando trabalho. Quando conseguimos colocar ele no carro o Jiny já tinha sumido.

Ele me olha assentindo.No seu semblante tem culpa,remorso e dor. Ele não desfarça o que eu acho muito forte da parte dele. Considerando que ele acabou de falar que ama outro.

Saimos da casa e ele me diz pra seguir seu carro.

Só percebo o quanto ele está nervoso com isso quando o carro corre a quase 200 km/h e ele não parece perceber.

Sei que deve estar falando no telefone com muita gente ao mesmo tempo e espero que sua visão periférica seja boa.

Passamos por dois pubs e um bar subterrâneo que eu nem sabia que existia. Ele pergunta sobre o Jinhwan pra algumas pessoas e pede pra avisá-lo se souberem de alguma coisa.

Já é tarde quando encontramos o Seungri na boate EXID que é simplesmente a melhor do país inteiro e ele é dono. Playboy internacional. Acabou de fazer a idade perfeita.

Mino passa por todas as areas vips sem nem piscar e ninguém o para. Tento não me distrair pelo ambiente e tranco o olhar na frente. Seungri está sempre bebendo e sempre fazendo negócios.

Quando ele nos vê levanta e puxa o Mino em um abraço. Olha pra mim, sorri e me dá um selinho.

-June... Ele suspira. Eu sempre soube que este tipo de ambiente combinava com você, mas agora eu tenho certeza. Ele fala sorrindo. - Você deveria aparecer mais vezes... fala sujestivamente e eu concordo mentalmente. Estou prestes a responder quando sou cortado. Pela 3x.

-Você viu o Jinhwan? Nunca vi Mino falar formalmente e acho que seria estranho.

-Porque? O outro pergunta divertido. - Não acredito que vocês voltaram de novo. Ele fala fazendo biquinho.

-Não voltamos. Ele suspira cansado. -Só... Você o viu?Seungri o avalia. Parece ter visto isso antes, quando responde seu tom não é mais de brincadeira.

-Ontem ele estava com o Jay na sauna. Parecia virado de dias. Estava feliz demais... Fala mas deixa morrer a ultima parte como se o outro já soubesse o que isso significa.

-Obrigado. Mino fala e se vira pra ir embora

-Hey Mino... O outro chama. - Talvez você devesse deixar o June buscá-lo.Seungri alerta

-Não, eu vou.O menino fala cortante e vejo que sua expressão está dura.

O outro ascente e me dá um tchauzinho com a mão. Vamos embora.

 

 

 

 

 

 

Estou tão excitado que quero rasgar minha pele fora. A sensação é tão encomoda que não consigo parar de me mexer, mas mexer faz piorar. Não consigo enxergar nada mais que borrões e não sei mais onde estou. 

Estou me contorcendo no chão porque é gelado.Jay me ajudou a tirar a calça quando rasguei a blusa e essa sensação me faz querer gritar de agonia. 

-Jaaaaaaaaayyy.... Choramingo mas não sei se minha voz está saindo. Estou oco.

-Está doeeeendo... continuo porque preciso aliviar esta sensação. Apesar de estar excitado não estou excitado. Estou me sentindo excitado mas não chega no meu pau apesar de estar em todo meu corpo.

Sinto um corpo gelado se deitar sobre mim e ao invés de aliviar a pressão me faz mais irritado ainda.

-Você fica tão lindo assim... Ele fala e consigo finalmente focar seu rosto, mais ou menos. Sinto seus lábios contra os meus tentando aprofundar um beijo que não estou com vontade. Ele não parece se importar e desce pro meu pescoço e a trilha molhada me faz pinicar mais ainda. ele desce a lingua pelos meus mamilos e a sensação é estranha. Continuo formigando quando ele finalmente chega no meu pau.

Abochanha com pressa e eu me mexo. Estou excitado mas não estou excitado. Não sinto a dor ser aliviada, isso só faz eu sentir mais dor ainda o que me faz querer chorar.

Ele desce pra minha entrada porque continuo mole. coloca minhas pernas em seus ombros e começa a abrir caminho. Me contorso de agonia mas ele interpreta como se estivesse gostando. 

Coloca gel nos dedos e começa a me abrir e o gel queima. Lágrimas escapam dos meus olhos enquanto ele introduz um e depois dois dedos e parece sentir prazer com isso.

- Você está tão pronto pra mim... Ele fala e sua voz se transforma. Não parece mais distânte. Parece grave e distorcida. Alta demais, penetrando meus ossos e me deixando com medo. Contraio seus dedos e ele geme

Me pega no colo e me coloca deitado no sofá com as pernas viradas pro braço, minha cabeça de qualquer jeito. Não tem luz acessa e quando olho pra cima vejo sombras se arrastando no teto. Entro em pânico e grito quando sinto ele me penetrar.

agarra minhas pernas e me deixa em posição de frango enquanto entra e sai com brutalidade enquanto geme alto. Lágrimas escorrem dos meus olhos enquanto as sombras fazem circulos como pássaros descendo cada vez mais perto. Meu corpo doi mais a cada vez que eles se aproximam me dixando sem ar.Como se alguém tivesse pisando no meu peito. Começo a arfar desesperado em busca de ar e o outro bomba ainda mais forte. Coloco a mão no meu pescoço e tento gritar. Não consigo. As sombras estão realmente perto agora e o outro aperta meu pescoço me enforcando enquanto me estoca tão rápido que sinto meu corpo vibrar. tento tirar seu braço da minha garganta mas ele pressiona com força, tento focar seu rosto e só então percebo que ele parece com  as sombras.

Grito e ele goza. Quando solta meu pescoço eu dou um salto e saio correndo. As sombras me perceguem,enquanto tropeço as segas pela casa. Bato nos movéis e tropeço. Jay vem atrás de mim e corro mais ainda. Vou pra cozinha e pego uma faca.

-NÃO SE APROXIMA! eu grito 

-SAI!SAI!SAI!SAAAAAIII! grito fino enquanto ele tenta me subjulgar e tirar a faca da minha mão.

As sombras rondam o teto em cima de mim e estou hiperventilando.

-SAI DE PERTO DE MIM! SAAAAAAAAAAAI continuo gritando. O que estava sentindo antes não era excitação era uma especie de imã que parece quebrar meus ossos em milhões de partes conforme as sombras vão chegando mais perto.

Grito de dor e dou golpe as cegas fazendo o outro se afastar a força. Saio correndo da cozinha e subo as escadas. Tropeço varias vezes e olho pra trás e pra cima a todo tempo. Ouço alguém subindo as escadas gritando meu nome.

Encosto na parede e me desespero. As sombras estão aqui. Não posso entrar em nenhuma porta. A voz do Jay parece grave e ampliada me chamando e dizendo que está tudo bem.

Grito com todos os meus pulmões

- SOCORRO! ALGUÉM ME AJUDA!!!!! SOCORRO

As sombras parecem zombar de mim e Jay me grita pra eu calar a boca. Seus olhos parecem completamente pretos,sem iris e eu dou golpes pra ele nao chegar muito perto

-JINHWAN? EI CARA SOU EU O JAY. ESTÁ TUDO BEM OKAY? SÓ NÃO GRITA. uma sombra parece ter possuido o corpo dele mas eu consigo ver perfeitamente seu contorno.

quando ele fala olho diretamente pra ela.

-NÃO,NÃO O QUE VOCÊ QUER???? O QUE VOCÊ QUEEER? continuo gritando e ele tenta pegar a faca de novo. 

A sombra parece estar perdendo a paciência comigo e me agarra. Me debato pra me soltar dos seus braços e quase enfio a faca no pescoço do outro que recua

-VOCÊ É UMA PORRA LOUCA DO CARALHO! QUER ME MATAR? Ele grita com a voz ampliada e eu me encolho. a faca treme na minha mão.

-SAI DE PERTO DE MIM! grito -SE VOCÊ CHEGAR PERTO DE NOVO EU VOU TE MATAR!!! Ameaço e a sombra me responde que não faz diferença. As outras que estão guardando as portas se aproximam mais me fazendo sentir tanta dor que caio de joelhos.

Estou com tanto medo que não consigo parar de tremer. Jay desceu e todo barulho que escuto acho que é ele voltando com alguma coisa melhor que a faca pra me matar. 

As sombras se arrastam de um lado pra outro e as vezes chegam perto demais me fazendo sentir tanta dor que me faz gritar.

Eu sei que já faz muito tempo porque meu braço esta dormente segurando a faca. Escorrego lentamente e sento no chão,as sombras quebram mais espaço.Sinto espasmos correndo pelo meu corpo e estou coberto por uma camada espessa de suor pegajoso.

 

 

 

 

Mino sai da boate trombando em todo mundo e parece extremamanete irritado. Se segura até chegarmos no estacionamento e depois explode.Chuta o carro algumas vezes e pragueja. 

-Aquele filha da puta do Jay se ele fez alguma coisa eu vou...

Seu celular toca e ele respira fundo pasando as mãos no cabelo. Penso que vai deixar cair mais atende

- Oi Tae.

-Sim. Ele suspira

-Eu te busco amanhã cedo.

Desliga.

Odeio ver gente no telefone porque tenho que adivinhar o que o outro tá falando. Noto que dessa vez ele não falou que ama o outro. Me dá um olhar gelado e desliga.

-Provavelmente ele vai precisar ficar em algum lugar por um tempo... O menino fala

-Ele fica comigo. Respondo prontamente. Nunca pensei em qualquer outro lugar de qualquer forma. Na minha casa Jinhwan pode ter o espaço que quiser.

Mino captura alguma coisa na minha expressão mas eu não sei o que é, me encara por alguns segundos e está prestes a dizer alguma coisa mas muda de ideia.

Ele corre e vai em direção a um bairro familiar onde as casas são uma encostada na outra praticamente. Se estava correndo antes agora parece que está tirando racha. Atravessamos tantos sinais vermelhos que é um milagre a policia não estar nos perseguindo ainda.

Quando chega na frente da casa do outro para o carro atravessado na rua e bate a porta com força.

Toca a campainha insistentemente e olha pra camera com um olhar assustador digno do Sr Song - Imperador.

O portão dá um clique e ele entra na frente.

Jay parece detonado quando abre a porta. tem pequenos cortes no peito que parecem ser de gilete. Seus olhos estão tão vidrados que de cinza parecem pretos.

Mino invade a casa de sapatos e olha em volta

-Cadê ele? ele pergunta baixo demais o que o torna mais assustador.

-Cara eu não sabia, ele disse que vocês... é cortado .

-Cadê? ele repete olhando pro cara que se afasta

-Ele que tava na rodoviária procurando por alguma coisa então eu o chamei pra festa na sauna e

Escutamos um grito que parece de dor. Dou um salto e corro pras escadas. Reconheço a voz do Jinhwan em qualquer lugar. No andar de cima está escuro mas vejo seu contorno perfeitamente. Ele encolhido nu no chão com uma faca na mão olhando pra cima. Não pra mim mas pra alguma coisa que só ele enxerga.

Meu coração quebra com a visão. Me aprocimo devagar.

-SAI DAQUI JAY EU VOU TE MATAR SE VOCÊ CHEGAR PERTO!!! ele fala gritando mas sua voz parece gasta.

- Jiny? pergunto. - Jiny sou eu, o Junhoe. O junhoe ok? O jay não está aqui...Falo me aproximando suavemente e vejo  que ele esta desesperado pra acreditar em mim, me encara com os olhos bem abertos mas então arfa de dor e volta a olhar pra cima. Lagrimas escorrem dos seus olhos e de tanto ele esfregar estão vermelho sangue.

Mino aparece na escada e ascende uma das luzes. Ele toma minha frente e avança tão perto do menor que o outro se assusta e esquece de atacar com a faca.

Pega o rosto do outro com as duas mãos e encosta a testa na do outro. Totalmente vulnerável. Susurra alguma coisa que não posso ouvir e continua falando. O outro entrega a faca pra ele. Vejo quando ele quebra e começa a chorar alto. Abraça o Mino que segura o menor forte e protetoramente. O outro se aninha dos braços dele e seja o que for que estava  ameaçando ele parece ter ido embora.

 

 

 

Desço pra procurar suas roupas porque não aguento ver Jinhwan não atravessar. Eu sei que é egoista e nojento da minha parte mas não posso evitar.Ele me faz sentir forte e parece quase invencível, não quero pensar no quanto ele também está danificado. Alguma flor tem que florecer, mesmo que seja inverno.

Jay está sentado no sofá com uma garrafa na mão. Não olho pra ele duas vezes, encontro sua box jogada no chão e passo os olhos pela sala que parece revirada procurando pelo resto das roupas e penso em me certificar de pegar seus sapatos.

-A calça está ali, ele aponta pro outro lado da sala. A camiseta ele rasgou. Tem um moletom tambem, acho que está no meu carro. O outro fala apático.

Vou buscar os jeans e olho pra ele de volta

- Que porra aconteceu? pergunto

- Ele surtou. Bad trip obviamente.Ele dropou uma C4 muito forte. Eu o avisei mas ele ficava repetindo que não estava fazendo efeito. Perdeu totalmente a noção do tempo. Ele fala

-Porque ele está nu? pergunto e não quero que ele responda

-O que você acha? Ele pergunta e eu sinto minha orelha esquentar. quero dar um soco na cara de babaca dele

-Naquela situação? Falo entre os dentes

-Vou buscar o moletom. Ele fala e sai.

Estou quase subindo de novo quando Mino desce com o outro no colo que esconde o rosto no pescoço do maior. Vejo que seu corpo ainda treme.

Ele senta o menino no sofá que olha pra outra ponta paranoíco. olha pra cima várias vezes e pros lados também. Continua procurando. Vou do lado dele e entrego suas roupas na mão do Mino.O menor olha pra mim com os olhos vermelhos e inchados e sorri um pouquinho. Como fez no dia que quase o atropelei, como fez no dia que estavamos juntos na pista. Sinto meus olhos marejarem um pouco.

-Então era você mesmo. Ele fala rouco.

-June Parker ao seu dispor. Eu falo engolindo em seco e fazendo uma reverência. Escuto ele dar uma risadinha completa dessa vez.

Mino coloca a roupa nele com a eficiência que uma mãe veste uma criança pequena. - Cadê a camisa? ele pergunta virando pra mim e aponto um amontoado rasgado. Tiro a jaqueta e dou a camisa xadrez que tenho por baixo.

Entrego pro outro que abotoaa peça antes e acho estranho. Jiny espera e levanta os braços automaticamente.A camisa é tão grande nele que seus suas mãos ficam dentro das mangas. Mino dá uma risadinha e isso tem cara de referência. Coloca a propria mão pelo buraco, pega na do outro e puxa a camisa pra trás com a outra mão.

O outro ainda parece neurotico mas não como estava.Tem alguns espasmos de vez em quando e parece sufocar gemidos de dor.

Jay volta com o Moletom do Yunhy nas mãos e me entrega. Jinhwan abraça os joelhos no sofá e mino explode.

- Você fodeu com ele? Rosna avançando no outro. Mesmo ele na bad trip? chega perigosamente perto

-Ele queria caralho. Ficou se efregando no chão falndo que estava excitado. o outro se justifica e minha orelha esquenta de novo e coço a cabeça de nervoso.

-Ele queria que você enforcasse ele também? O outro pergunta sarcastico. Quase rindo, parece louco como o Coringa.

-Se eu souber que você chegou perto dele de novo eu vou te matar. Ele fala simplesmente e eu acredito. Ele parece acreditar também porque não responde.

Jinhwan continua tremendo mas levanta. Caminha lentamente e parece machucado. As pernas um pouco separadas. Não aguento,avanço pro outro e dou um soco em cheio no nariz. Ele cai e coloca a mão automaticamente tentando estancar o sangue.

Passo por cima dele em direção a porta, os outros me seguem. Minha mão lateja mas não me importo. Olho no pé da porta procurando pelos tênis, pego e abro a porta. A madrugada está gelada e pinica minhas articulações. Viro em direção a porta a tempo de ver os dois saindo, Coringa segura a mão do outro e caminha na frente. Saimos da casa em silêncio. 

Quando paramos em frente dos carros percebo que chamamos atenção. Encaro a mulher do outro lado da calçada mal humorado. Olho pros pés do Jiny e não aguento ver ele descalço. Mino o guia pro meu carro e abre a porta da frente. Coloca ele sentado e passa o cinto. Abaixa pra sussurrar alguma coisa pro outro e dar um beijo no topo da cabeça. Olha pra mim e me dá um aceno de obrigado, pelo menos parece e entra no carro arrancando e sumindo na madrugada.

 


Notas Finais


Minhwan realmente precisa ser explicado... Estou pensando em um cap especial... Por favor me deixem saber se vocês querem sim ou não já que a fic é junhwan. Eu sei que tá demorando pra ter uma coisa mais concreta em relação a eles mas é porque eles claramente tem alguns problemas que precisam lidar primeiro... Por favor seja paciente que daqui pra frente é surra de Junhwan
♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...