História Love You To Death - Capítulo 7


Escrita por: ~

Exibições 27
Palavras 4.331
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Uma parte do cap sumiu do programa que eu uso e eu tive que reescrever então estou bem triste...Eu planejava postar muito antes, ontem oficialmente... mas de qualquer forma espero que gostem. A brincadeira de larva eu gkgjskljslk
♥♥

Capítulo 7 - Good Boy 2-2


 

Ela engancha meu braço e anda confiante pra frente, tentando parecer inabalável. Acha o sr Yoon aka White walker e me solta. Estrategicamente perto do Mino. Reviro os olhos e quase bufo irritado, mas ele fala no meu ouvido

- A qualquer momento agora.E dá um sorriso de lado me deixando arrepiado. Aigo esse garoto eu tenho pressão alta não posso passar por fortes emoções. Ele dá risada do meu lado e bate palma quando o cara homenageado sobe. Não faço ideia de quem seja. Parece tão rico como a maioria das pessoas aqui. Não espero ele começar a falar e antes que as pessoas parem de aplaudir já estamos escapulindo pra fora.

Corremos em direção ao carro dele que eu descobri ser a porra de um Porsche. Quem tem 18 anos e a porra de um Porsche? Ele dirige desde os 16 porque tirou carta nos EUA. Eu acho que as pessoas deveriam rever os conceitos de permitir que menores de idade dirijam com careira estrangeira. De qualquer forma espero que não. Minha carteira de moto é do Canadá.

Atravessamos na rua e ele uiva abrindo a camisa achando que é a porra do Harry Styles. O Cayman é tão lindo que paro pra observar. Algodão doce me puxa pela mão e me empurra pra dentro do carro. Demoro pra processar a informação que só tem dois lugares. Ela entra e senta no meu colo com toda a naturalidade do mundo e bate à porta. O mino nem olha antes de acelerar pra longe. Apesar de ele ser um posso sem fundo ele está definitivamente alterado. Coloca música eletrônica no carro e grita. Fico animado. Algodão doce está praticamente fazendo lap dance com aquela bunda dela em mim e eu sei que é de propósito.

- Estamos oficialmente te sequestrando pra 3 noites e 3 dias. Sem dormir. Explodindo todos seus sentidos.

- BOOMM!!!. O mino fala gargalhando enquanto dirige e eles são loucos pra caralho. Pessoas ricas são insanas e eu uivo em aprovação.

Quando chegamos na casa do Seungyoon percebo que não é uma festa. É realmente uma reunião. A casa é enorme mas está vazia. A música não está alta. As pessoas estão chapando com todo tipo de coisa e conversando baixo.
Tiro os sapatos e me sinto extremamente empolgado. Mino anuncia sua chegada gritando e as pessoas se voltam pra gente. Algodão doce tira o vestido com a maior naturalidade na frente de todo mundo e fica de lingerie. Ninguém parece se importar. Ela pega o vestido e sai falando que vai pendurar

Mino se vira pra mim e tira o meu blaser passando as mãos (des)necessariamente sobre o meu corpo fazendo a peça cair no chão. Tranca o olhar no meu e abre minha camisa botão por botão até estar completamente aberta então sorri e anuncia:

- Esse é o Junhoe. Não precisa de apresentação.  A maioria já conhece  ou já fodeu com ele o que dá na mesma praticamente. As pessoas falam oi pra mim e eu sorrio de lado pra elas, algumas eu realmente conheço. Todo mundo pra falar a verdade. A diferença é que estou sendo oficialmente convidado pro Mino squad.

- Você pode escolher um presente de boas vindas ele fala. Qualquer um. E as pessoas olham sugestivamente. Ele passa a mão no meu abdômen me fazendo ter um espasmo no ventre.

- Mino! Finalmente. O Taehyun chega e desliza pra dentro dos braços do outro que quebra a tensão automaticamente e respira no pescoço do menino.
Sempre fico surpreso com a diferença do Mino com o Taehyun e sem ele. Tae  quebra o abraço e foge de um beijo vindo me cumprimentar.

-Oi June. Ele fala e  sempre parece doce. Às vezes não sei dizer se está sendo sincero ou não. De qualquer forma ele apoia as mãos no meu abdômen e me da um selinho estalado.

- Que bom que você está oficialmente aqui ele fala sorrindo pra mim e se afasta.Eu conheci ele mais ou menos na mesma época que o Minho já que o outro se mudou pra cá quando estávamos no 2 ano. Ele foi pra minha escola primeiro apesar de ter dinheiro. O clubinho da escola do Mino é opressor. Escola de gente chata pra caralho e metida. Todas as pessoas interessantes estão nesta casa, o resto é insuportável.
Ele andava com a gente no 2 ano. Antes do mino. Ele e o Jinhwan andavam juntos e eram realmente amigos e só de lembrar me dá um aperto...
Na calça.

Eles eram maravilhosos juntos. Todo mundo chamava eles de flower boys e eles dançando nas festas é a coisa mais quente que eu já vi na vida. Mas isso foi antes do Mino. Aquele filha da puta já fodeu os dois. Ao mesmo tempo. Foi assim que ele conheceu o Taehyun e depois de o mundo ameaçar a acabar várias vezes eles acabaram juntos. Taehyun mudou de escola.
Mas de qualquer forma o ponto é que já fomos amigos e mesmo sendo o Mino isso não quer dizer que eu vou ficar com ele até porque o drama que saiu desse triangulo eu não desejo pra ninguém. Mas quer dizer que eu quero.

Ele pega na mão do mino e se afasta. Fico um segundo parado e vou em direção a uma mesa mais afastada.Tem um ponche azul que parece estranho mas sirvo uma dose e começo a conversar com as pessoas. Vejo o Jinwoo e a Jimin. Flerto com quem não conheço e dou risada.
O ponche não tem gosto de álcool mas é muito gostoso. Vejo que todo mundo só está bebendo isso então bebo também. O seungyoon apareceu pra falar comigo e está com óculos escuros deitado no carpete felpudo se esfregando.

- June é como estar deitado em uma cama de dinheiro. Ele ri.
Parece ecstasy mas a sensação é mais aguda,suave. A sensação parece penetrar nos ossos me fazendo sentir tudo. Pergunto o que é que tem no ponche e uma menina ri e pergunta se eu vi Molly.

O seunghoon brota só de cueca falando pra brincar de twister. Alguém apaga as luzes e a sala gigante fica sob uma luz vermelha. Suspiro pesado e levanto. A música crescendo parece estar transpassando o meu corpo. 
Começamos a brincar e por um tempo é divertido. Isso antes da voz do Seunghoon começar a me dar nos nervos,falando sem parar  e fazendo todo mundo rir tirando muita gente do jogo fazendo cair e atacar ele que saiu na primeira rodada por ser daltonico.
Quando um menino me derruba por fazer uma ponte embaixo de mim tenho vontade de chutar a cara dele e estou me sentindo agoniado  então rolo para o tapete e fecho os olhos, meu corpo parece estar sendo transpassado por alguma coisa e sinto um calor se formar na minha barriga. 

-Yaaaa! Seungyoon você tem que colocar a mão no vermelho da outra ponta ali! O outro continua gritando e gesticulando pras pessoas que ainda estão no jogo torrando a paciência de todo mundo.
Respiro fundo e começo a perceber que a sensação que estou sentindo são calafrios aleatórios, como se meu corpo estivesse ficando excitado sozinho.Estou despertando pra sensação quando Mino me vê no chão e pula encima de mim dando risada enquanto eu sofro empurrando ele pro lado e reclamo de dor. Ele deita de bruços no tapete e me olha como se estivesse avaliando alguma coisa. 

-Que foi? Pergunto

-Você... Ele começa a falar mas muda de idéia. Alguma coisa me dá a impressão que ele talvez fosse perguntar do Jinhwan mas muda de idéia. - ...Não escolheu ninguém ainda?

-hmmm, você? Brinco mas tô falando sério.
Ele dá risada mas não recusa,sustentando um olhar sujestivo.

-Okay. Ele responde simplesmente e sinto o corpo dele se aproximar.Eu falei qualquer um certo? Ele fala deitando no meu braço aberto, rolando pra cima de mim. Aproxima a cabeça como se fosse me beijar e o encaro fixamente. Ele encosta nos meus lábios tão suavemente que não consigo nem sentir.Dá impulso pra levantar e me puxa junto. Vou em direção ao ponche e viro um copo de uma vez só, no segundo o menino que me derrubou do twister tira da minha mão.

-Você sabe que é isso que está te fazendo sentir assim né? Ele fala e sorri pra mim enquanto despeja o liquido de volta dentro do ponche

-Eu estou com ... calor. Reclamo 

-Tem gelo na cozinha, eu vou pegar pra você...Ele fala e mas o sigo em direção a cozinha de qualquer forma. Sento no chão de mármore buscando algum alívio enquanto ele abre o freezer e se inclina pra encher um balde. A cozinha está escura o que faz minha visão piscar verde. Ele estende a mão pra mim e me iça pra cima, me puxando com força contra si. Penso que ele vai me beijar mas sua boca tem uma pedra de gelo e sugo rapidamente absorvendo o alívio. Mordo a pedra e engolindo os pedacinhos, sorrio em aprovação.Ele me puxa pra uma sala escura e minhas costas batem em um armário de porcelana fazendo barulho. Me dá mais uma pedra de gelo e passa uma coma  boca pelo meu pescoço. A sensação é tão boa que encosto mais ainda no armário fazendo as porcelanas baterem. Ele faz uma trilha de gelo pelo meu peito fazendo movimentos circulares com a pedra nos meus mamilos os deixando excitados. A pedra derrete rapidamente e escorrem fios de água pelo meu corpo. Ele se ajoelha aos meus pés e beija meu abdomem deslizando uma pedra e arfo de antecipação quando ele puxa minha box. 

A pedra contra meu pênis parece queimar e meus joelhos sedem moles, não me sustentando em pé direito.o garoto passa a pedra por toda a extensão e isso me deixa ainda mais excitado, me fazendo latejar. Ele suga a pedra e me engole ao mesmo tempo me fazendo ter que apoiar as mãos na armário pra conseguir continuar em pé. Ele me chupa ritmado e faz movimentos profundos. Meu pau parece absorver as pedras de gelo e gemo pra sensação. Fico duro rapidamente e latejando dolorosamente. Seguro a cabeça do menino pra intensificar os movimentos e gozar pra ter um alívio na queimação do meu ventre mas o garoto para e sobe pra me beijar. Ele pareceum pouco mais alto que eu e maior por seu corpo ser trincado. Ele tira o pau pra fora e esfrega contra o meu os masturbando com as duas mãos.Ele volta de costas em direção a uma mesa que parece ser de jantar e puxa a cadeira do centro. Senta encima da mesa e puxa minha cabeça contra seu pau. Chupo um pouco mas ele parece querer que eu desça alguns centimetros então o faço.

O corpo dele se desfaz para minha língua e ele apoia as pernas no meu ombro gemendo profundo.Rodeio a entrada dele com a língua penetro enquanto ele se arreganha pra mim. Ele murmura impaciente então eu coloco um dedo nele e depois outro. Ele geme alto e abertamente, vejo seu pau ter espasmos involuntários. Ele arqueia as costas enquanto eu me encaixo nele e entro até o talo em uma estocada forte. Me curvo sobre seu corpo trincado e entro e saio com força, fazendo o corpo dele subir e descer. Seu rosto parece vermelho e ele geme incoerente jogando o corpo contra mim sem dó. Alguma coisa possui o meu corpo porque eu fodo ele rápido e com brutalidade. Quando atinjo sua próstata ele sufoca um gemido alto e tenta se masturbar. Eu tiro sua mão e curvo meu corpo completamente sobre a mesa segurando seus braços encima da cabeça. Meu corpo está queimando, convertendo a sensação pra minha corrente sanguínea. Quanto mais forte mais intensa é a sensação e eu trinco os dentes para tentar não gozar. Estou quase subindo na mesa quando o Seunghoon abre a porta com tudo, aparentemente tendo a mesma ideia de onde transar. Ele olha pra cena por alguns segundos e volta sem falar nada. O menino se assusta mas eu continuo estocando como se nada tivesse acontecido e ele volta a gemer. puxo suas pernas em posição de frango e volto a achar sua próstata e ele goza sem ter encostado no pau em espasmos, fazendo porra esguichar no abdómen. Não aguento mais segurar também e gozo sentindo meu corpo inteiro explodir com a sensação,me fazendo perder os sentidos por vários segundos. O menino abre os olhos e me encara com o rosto lívido. Me curvo sobre ele de novo para dar um beijo mas ele vira o rosto e acho estranho. De qualquer forma saio de dentro dele e vou atrás da minha cueca. Vejo o balde de gelo tombado e a maioria das pedras derreteram formando uma poça de água. Pego o balde e bebo o resto da água e das pedras quase descongeladas. Quanfdo volto pra olhar pro menino ele já desceu da mesa e está com a cueca de volta. 

-Vou... Buscar um pano pra limpar isso. Ele fala e desce da mesa. Parece mais bonito agora, depois de ter sido fodido assim,mas percebo que provavelmente ele deve ser "hetéro" e o seunghoon ter brotado o deixou estranho. Odeio esse tipo. De qualquer forma já esvaziei as bolas então dou de ombros e falo que vou voltar pra sala. Antes dele ir eu o alcanço e o beijo. Ele parece surpreso mas retribui e viver assim deve ser chato e exaustivo. 

Volto pra sala e as pessoas estão totalmente chapadas. Passo pelo corrimão e vejo algodão doce e Taehyun escorregando desde cima à centimentros de quebrar o pescoço. Seungyoon está tentando se equilibrar nas costas do sofá em pé falando alguma coisa sobre parkour e o seunghoon está chorando de rir enquanto tira foto. Algumas pessoas estão sentadas no sofá tentando fazer peso suficiente pro outro que está ameaçando a dar um mortal pra provar que realmente está aprendendo a fazer parcour e vejo que estão cortando carreiras então me aproximo e sento também.Elas me oferecem e nem pergunto o que é puxando as seis fileiras uma atrás da outra e quando volto a cabeça parece que estou em outra dimensão. 
 

Seunghoon coloca  pra tocar I follow rivers e eu começo a dançar, me fazendo sentir como se estivesse flutuando. Danço com todo mundo e subo no sofá enquanto brincamos que estamos presos em um poço de larvas e só podemos pisar nas pedras. Seungyoon parkour boy pula de uma poltrona pra uma almofada no chão e escorrega batendo a cabeça. Eu rio tanto que quase caio também mas as pessoas do sofá me seguram. 

Quem cai se transforma em um dragão e começa a atacar as pessoas. Passa de uma brincadeira idiota para um jogo de sobrevivência e começamos a fingir ter escudos de proteção e pranchas voadoras. Ninguém quer cair e o Mino se proclama rei do  inferno/matador de dragões. 

-A partir de agora meus súditos eu sou Tristão verdadeiro rei de Loonois e o Taehyun é Isolda! Protejam seu rei e ... Seunghoon derruba ele que finge que as larvas estão corroendo seu corpo e morre de um jeito dramático. Taehyun faz um drama sobre não querer viver mais e se joga dramaticamente no chão sendo consumido pelas larvas.

Continuamos por muito tempo e ainda não tem um ultimo guerreiro/sobrevivente/o que eles inventam de 5 em 5 segundos. Quando o Mino surge com muitas caixas de pizza.

Não sei se eu é que estou muito chapado e bebi muito ponche fingindo que era néctar dos deuses e depois elixir e tudo o que eu consegui pensar pra não morrer mas seu corpo inteiro tem um brilho estranho e ele parece uma estrela. Taehyun está com a camisa que antes estava no outro com o cabelo desgrenhado e com caixas de pizza na mão. Senta do meu lado e começamos a comer desesperadamente. Não sabia que estava com fome até agora e meus sentidos se expandem pra maravilha que é comer. Estamos comendo e rindo mas não sei de que exatamente. Ele vira no sofá pra apoiar as caixas melhor, colocando as pernas sobre mim. Isso parece com os velhos tempos e o velho Taehyun. Do jeito que ele está,daqui a pouco fica de pé no sofá e começa a dançar.

Ele fala tocando nas pessoas e  lembra que antigamente tínhamos mania de falar coisas ridículas e ver se nosso rosto esquentava de vergonha. Estamos tentando agora mas não temos certeza de estar sentindo algum valor é nosso rosto já parece vermelho pela luz o que nos faz chorar de rir.

- Lembra, lembra daquela festa que você pulou pelado na piscina falando que queria ter uma vagina com o PAU ENTRE AS PERNAS? Ele fala colocando as mãos nas minhas bochechas e a imagem veio na minha mente automaticamente. Aquele dia estava transtornado. Lembro que o chanwoo tirou foto e algumas pessoas lembram até hoje. Começo a rir tentando desvincular dele pra enfiar a cara no jarro de ponche e me afogar.

-E daquela vez que o yunhy e o donghyuk fizeram uma declaração na frente da escola inteira pra você e o jinhwan? Eles pareciam sérios a respeito e vocês ficavam rindo da cara deles... Eu lembro também DAQUELA VEZ QUE VOCÊ E O ....

-Cala a boca pelo amor de Deus ele pula sobre mim e tampa minha boca.
Eu mexo a cabeça e tiro a mão dele pra completar ... Foi a cena mais ridícula que eu já vi mas aí depois vocês ficaram com pena deles e levaram ele no karaokê onde a gente sempre ia e fizeram um show especial pra eles que nunca se recuperaram! Até hoje falam disso. Não deixaram mais ninguém entrar. Vocês eram legendários!! Bato palmas empolgado.

Ele desiste de tampar minha boca e prefere tampar os ouvidos. Coloco a mão no rosto dele e finjo que queimou. Continuamos gritando um pro outro nossos podres de quando andávamos juntos. Ele chutando a minha cara. Algumas pessoas ouvem e riem com a gente, contando histórias deles também fazendo todo mundo rir e participar da sessão da famosa vergonha alheia.

O Mino some e brota de novo mas agora parece molhado. Levanta a pernado namorado que estava em mim e senta entre nós dois mordendo metade da pizza do outro. Taehyun olha pra ele com o semblante fechado, pensando em alguma coisa e passa a mão pelos cabelos do outro que se inclina pra ele automaticamente terminando de comer a fatia de pizza. Mino pega a fatia da minha mão e da na boca do outro que sorri amavelmente.Eles parecem ter uma conexão muito forte e eu tenho medo pelo Taehyun. Eu não confiaria meu coração em alguém como o Mino, sem ofensa. Meu corpo sim mas não meu coração, principalmente desse jeito aberto e totalmente entregue que o outro parece fazer.

Não entendo como um relacionamento assim funciona e nem o quanto um tem que gostar do outro pra viverem como se fossem a gravidade. Parece difícil. Eles se beijam e não parece sexual. Parece afirmação a uma pergunta que está implícita a todos os momentos.
Você me ama? Eu te amo.
Mas poderia ser
Você ainda me ama? Ou vai continuar me amando depois de hoje? E algumas vezes perguntando o porque. Quando você está apaixonado deveria supostamente saber o porque mas no geral não tem muita explicação eu imagino. Acreditar em uma pessoa assim é o máximo que eu consigo entender sobre religião. Amar é viver sobre uma fé cega.

Acho que eventualmente durmo ou estou tendo lápsos atemporais porque quando acordo tem gente quase pisando na minha garganta. Dançando e gritando. Elas realmente não param. Me sinto pegajoso e levanto. Mino e Taehyun estão dançando também gritando sobre alguma coisa. Procuro pelo ponche mas está vazio. Vou em direção à cozinha e abro a geladeira. Procuro por água mas acho uma garrafa que parece vinho? Espumante? Bebo.

O gosto ainda parece doce demais mas pelo menos minha garganta não está mais seca. Procuro por alguma caixa de pizza pra tirar o gosto enjoativo da minha boca e me jogo sobre o balcão pra alcançar. Algodão doce está sentada debaixo do balcão conversando com alguém. Não acho que ela tenha me visto estão enquanto mastigo pizza fria escuto ela falar

- Nós estamos aqui agora. Você não pode me pedir mais do que isso. Sabe que não.

- E você não pode me pedir pra te esperar também. De nenhuma forma. Alguém a responde e eu fico interessado. O garoto sussurra com a voz mais sóbria que ouvi nas últimas ... Horas? Dias? Parece fofa mas séria.

- Se você não me quer então devia simplesmente me mandar embora. Não vê que assim é pior? Uma algodão doce que parece com a voz angustiada sussurra pra voz

- Eu estou indo embora todos os dias mas você me faz voltar com promessas que não pode cumprir. O garoto fala e eu gostaria de saber quem é

- E porque você volta? Ela sussurra mas parece ter medo da resposta.

- Quantas vezes vamos ter que dizer adeus até realmente ser de verdade? Ele rebate. Garoto profundo.

- Por todas as vezes que você voltar. Até não voltar mais. Ela continua. Está segurando o choro. Me curvo mais pra tentar escutar a resposta mas além da gritaria das pessoas só há silêncio e o eco da música mas mesmo assim parece estar distante.
Eles provavelmente devem estar se beijando? Fiquei tão envolvido na história que esqueci que estou encima da mesa mastigando. Pego mais dois pedaços na mão e estou me preparando pra sair de cima da mesa mas então o garoto levanta. Arregalo os olhos e tendo enxergar quem é. Ele parece mais velho que eu? Não consigo ver! Aigo como ele pode ir assim? No meio da cena e me deixar curioso? Ele surfa pra fora pela porta da cozinha e como assim está claro? Parece ser dia. Dia? Todo esse tempo realmente só passou algumas horas??
Preciso de um banho. Se não tomar um banho agora vou morrer.

Volto pra sala que ainda parece caótica mas meio morta. Percebo que estou voltando a ficar sóbrio. Subo as escadas e entro na primeira porta que vejo. É um banheiro mas não tem chuveiro. Decido ir até o final do corredor e mais luz escapa entre as cortinas. Entro em uma porta e parece ser um quarto de hóspedes talvez. Não tem mais que uma cama. Sem decoração, sem criado mudo. Só uma mesa perto da janela. É agradável. Entro pra conferir se tem um banheiro.

Sento no chão e deixo água gelada cair sobre. Fico parado muito tempo sob a água acordando cada parte do meu corpo. Me sinto dolorido. Flashes pintam minha visão de vermelho de novo. Assisto como se não fosse eu. Saio enrolado em toalhas depois de me secar bem. O quarto parece tão arrumado que é um pecado interferir nesta ordem. Saio secando o cabelo e rezando pra ter roupas. Usei shampoo masculino então entrei no quarto certo. Abro um armário que está organizado em cartela de cores. Cuecas dobradas em perfeitos quadrados que não parecem nem ter sido usadas. Penso na minha mãe e pisco rápido pra tirar a visão. Escolho uma pilha que está atrás e retiro uma box com cuidado. Todas as roupas são sociais e me pergunto porque o pai do Kang tem um quarto separado. Minha visão continua verde. Depois de analisar o guarda roupa como um mapa complicado descubro uma pilha de camisetas e pego uma. Espero que ele não se importe. Nem me dou a trabalho de procurar alguma calça porque sei que não vai ter e além do mais  não consigo ver direito.

Desço e sento na escada resmungando, estou sóbrio e quero ir embora. O seungyoon me vê e senta do meu lado parecendo tão alheio quanto eu as pessoas.

- O que foi cara ? Essa cara de morto... Você tá sóbrio? Ele fala fazendo uma careta de aversão e eu rio um pouco.
Seungyoon sempre mantém sua integridade. Antes e depois das festas. Talvez ele não tenha muito pra se preocupar mas parece estar sempre sobre a superfície enquanto me afogo.

- Quanto tempo estamos aqui?

- hmmmm uns dois dias e meio? Ele fala mas também parece confuso.

- Algumas festas duram bem mais que isso então estou realmente acostumado.

- Eu vi você ficando com o Joo Wan e eu achei a vida inteira que ele era hetéro.

- Era o Joo Wan??? Eu sabia que conhecia ele mas não lembrava de onde...

- Você realmente sabe como marcar... presença. Ele gargalha e não vejo um pingo de vergonha na sua cara

-Já que apreciou o show deveria pagar por isso não acha?

-Alguém ainda paga pra ver pornografia hoje em dia?? Ele fala fazendo cara de chocado e eu só dou de ombros.

- Quer ir embora? Ele pergunta natural. - Só saiba se você for agora o Mino vai ficar te enchendo o saco.

- Estou sóbrio!Reclamo.

Não sei se quero ir embora ou não só não gosto de me sentir entediado. A verdade é que a muito tempo estou ficando de molho em festa atrás de festa e meu corpo está cansado de não fazer nada interessante ou que pelo menos envolva brigar com alguém. É realmente chato não causar problemas.

- Vem vamos resolver isso. Ele me puxa pra voltar de seja lá onde ele veio e eu o sigo. O quarto dele parece o oceano.
É de um azul que você tem a impressão de poder ver o reflexo dos seus pés na água. Luzes neon rodeando as paredes e no teto uma espécie de árvore de natal.

- Gosto de sentir como se todos os dias fossem de verão  ele diz e olho admirado. Ele balança uma latinha e eu sorrio.
 


Notas Finais


musica: https://www.youtube.com/watch?v=1ZRb1we80kM
https://www.youtube.com/watch?v=K3JGxj2rvAs ( i follow rivers todo mundo sabe que é de azul é a cor mais quente mesmo então a versão com as meninas)
O smut do June era originalmente diferente mas acho que ficou bom assim também... Vou fazer zilhões de copias dos próximos cap porque perdi umas 2 horas tentando reorganizar e espero que tenha ficado bom e que tenham gostado... Obrigado por ler e o próximo o Jiny volta...Ele está todo machucado eu :(
♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...