História LOVE YOURSELF - Quando a Chuva Cai - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Kim Nam-joon / Rap Monster
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 42
Palavras 2.964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha quem voltou....

Isso mesmo
Eu Unnie
Meus amores, a Unnie voltou com tudo, hoje foi a divulgação oficial dos posteres de LOVE YOURSELF do meu tão amado grupo Ultimate Bangtan Sonyeondan ♥ E enquanto eu analisava os mesmos eu fiquei pensando em uma historia que pudesse contar um pouco sobre eles, foi onde eu descidi fazer essa fic sobre. Então Espero que me deem muito amor como nas minhas outras 's e que me ajudem, espero poder postar um capitulo por semana, mas peço que tenham paciência pois ainda estou formando algumas coisas em minha cabeça okay. Dês de já obrigado e


BOA LEITURA

Capítulo 1 - Quando a Chuva Cai


Fanfic / Fanfiction LOVE YOURSELF - Quando a Chuva Cai - Capítulo 1 - Quando a Chuva Cai

Ainda estou tentando aprender a como me expressar melhor, ainda mais agora que meus movimentos se limitam a uma cadeira de rodas. Não, eu não sou um completo inútil, eu simplesmente não consigo mais andar. Se isso pode mudar futuramente? Talvez, os médicos extremamente caros que me auxiliam diz que por pouco não fiquei paraplégico. Mas vou explicar para vocês como vim parar aqui antes que me perguntem. 
Era dia 29 de Abril de 2015
Uma data comum e rotineira para qualquer pessoa comum, mas não para mim. Ainda me lembro como se fosse hoje, aqueles pingos de chuva grossa que caiam lá fora em plena quarta feira. Nos morávamos em uma vila da grande cidade de Seul na Coreia do Sul, eu estava com meus fone de ouvido jogando no celular em quando minha mãe cozinhava algo para podermos almoçar, meu pai que nunca parava em casa devido ao seu trabalho já que não tínhamos uma vida luxuosa ou nada do tipo, ele tinha avisado a mesma que não viria para o almoço e que iria continuar no trabalho até mais tarde.
- Filho, a comida vai esfriar, venha comer. 
Minha mãe disse ao entrar na porta, o que me fez retirar os fones. 
- A senhora acabou de cozinhar, como pode dizer que já vai esfriar Omma. 
Eu disse olhando aquela bela senhora de um pouco menos de meia idade que estava bem a minha frente escorada na porta do meu quarto. 
- Sabe qual é o lema da sua omma " O sabor sempre se realça com o calor "
Ela disse me fazendo rir, ela sempre repete isso, pois as vezes meu pai chega muito tarde do trabalho e sempre pede para que ela possa esquentar a comida novamente, foi então que ela começou a dizer que o sabor se realçava com o calor.
- Omma, realmente essa comida esta maravilhosa, alias, como sempre. 
Pude ver um sorriso surgindo em seus lábios instantaneamente.
- E como anda na escola meu filho, parou de se meter em confusão não é?
Ela me perguntou sem olhar em meus olhos, assim, como quem não quer nada. 
- Sabe que nunca me meto em confusão omma, ela que se mete comigo. 
Eu disse brincando e já me levantando da mesa, já que havia acabado minha refeição. 
- Aproveite que gosta de confusão e lave a louça Jeon Jungkook.
Quando ela inventava de me chamar pelo nome completo eu não podia nem contestar, então apenas o fiz. 
Mensagem On.
Jimin: Kookie, cadê você ?
Jungkook: Pode falar hyung.
Jimin: É assim que se fala com seu hyung que faz tudo por você ?
Jungkook: O que você quer homem. ㅋㅋㅋ
Jimin: Okay, nao quero mais falar com você, criança mesquinha, Annyeong! 
Jungkook: Brincadeira hyung que eu mais gosto e que faz tudo por mim. 
Jimin: Esse é meu maknae. E então, estamos combinando de ir nos trilhos hoje depois do expediente do Namjoon, quer ir ? 
Jungkook: Claro!
Jimin: Okay, vamos nos encontrar na loja de conveniência do Posto onde ele trabalha como sempre. umas 19h enão esteja lá okay. 
Jungkook: Okay 

Mensagem Off.
Park Jimin é meu melhor amigo, e junto com ele vem Kim Namjoon, Jung Hoseok. Min Yoongi e Kim Taehyung, meu vizinho, nos conhecemos a tanto tempo que acredito que já somos uma família, e claro, toda família tem seus problemas, no nosso caso resolvemos tudo na loja de conveniência, não que esse seja o caso, mas gostamos de conversar lá enquanto esperamos o Nam terminar seu trabalho de meio período.
- Omma, vou sair com a galera mais tarde, então não me espere okay. 
Disse indo até a sala, onde minha mãe estava vendo uma daquelas novelas chatas e melosas que ela tanto gostava de assistir.
- Certo, mas não cheque tarde pois amanha vocês tem aula, e prometa que não vai se meter em confusão okay, pois caso isso aconteça eu que vou te bater dessa vez. 
Dei uma risadinha, e sai de perto pois ela não estava mentindo e tem certas coisas que não posso prometer.
Já estava quase na hora de ir, então fiz minha higiene rapidamente, e me troquei.
- Annyeong omma, não me espere. 
Disse saindo de casa. 
- Então não me faça esperar.
Ela disse me mandando um beijo voador, que eu peguei e guardei no coração como de costume. 
Andei algumas casas até chegar na casa do Tae, meu vizinho. Ouvi alguns gritos do lado de dentro da casa, o que me impediu de bater logo que cheguei, os pais de Tae sempre brigam, principalmente quando o senhor Kim bebe, o que sempre acontece. 
Esperei que a gritaria desse uma trégua para poder finalmente bater na porta. Sem demorar muito a senhora Kim abriu a porta, ela não estava com uma boa aparência, aos meus olhos ela havia chorado novamente. 
- Oi meu filho, a quanto tempo esta esperando?
Ela perguntou meio envergonhada, acho que temia o que eu acabara de ouvir, mas eu não iria lhe dizer. 
- Oi tia, na verdade acabei de chegar, o Tae já esta pronto, vamos sair.
Eu disse para a mesma que deu um sorriso forçado mas reconfortante. 
- Vou chama-lo, espera só mais um pouco.
Ela encostou a porta e saiu para chamar meu amigo, que sem demora veio correndo assim que me viu e trancou a porta batendo a mesma com muita força atras de si.
- Você ouviu ? 
Ele me perguntou assim que já não estávamos perto de sua casa. 
- Sim, ouvi. Mas tudo bem, essas coisas acontecem. 
Eu disse lhe dando um abraço apertado, e fui retribuído com sorriso largo e quadrado que só meu amigo possuía, mas eu sabia que por trás daquele sorriso havia dor. 
Caminhamos por mais algumas horas, conversamos sobre muitas coisas e acredito que Tae finalmente se distraiu pois já estava muito mais animado e falante como sempre, afinal, esse era nosso refugio. Sem demorar muito chegamos até o Posto de Gasolina onde Namjoon trabalhava, e lá estava ele. 
POV Namjoon 
Jimin havia me avisado que chamou os meninos para irmos nos trilhos hoje depois do meu trabalho, então eu descidi acelerar um pouco as coisas, arrumei todo o posto, e cheguei a varrer o chão já que meu patrão era um senhor de idade já avançada, ele tinha um grande coração e me conhece dês de pequeno, foi por isso que me deu esse trabalho, minha vó costuma dizer que ele foi apaixonado por ela na juventude, e quando meu avó faleceu no meus 14 anos eu precisei arrumar um trabalho para ajudar minha avó com as despesas da casa, já que eu morava com ela dês de que me entendo por gente. Por isso aqui estou, no Posto de Gasolina Seul, um lugar humilde mais muito frequentado pelos moradores de nossa cidade, por seu bom preço e sua loja de conveniência magnifica. Pulando toda a publicidade, já estava tudo praticamente limpo quando um cliente chegou. 
- Boa tarde, por gentileza completa o tanque. 
Um homem aparentemente jovem e de boa aparência  estacionou uma caminhonete preta perto das bombas de gasolina me jogando as chaves em quanto se encaminhava a loja do posto. 
Eu apenas fiz o que ele me pediu e completei o tanque, depois de alguns minutos o mesmo retornou com algumas bebidas e a nota indicando que já havia pago a conta.
- Já acertei lá dentro. 
Eu acenei com a cabeça para o mesmo, ele era realmente bonito, era um pouco mas baixo que eu, e suas roupas era de alguém que trabalha em um escritório atras de uma mesa e de um computador. Mas seu olhas estava triste e confesso que me segurei para não perguntar o que houve ou até mesmo lhe dar um abraço. Apenas me limitei a minha vida de frentista barato e me curvei dando um breve adeus em demonstração de respeito.
- Aqui estão suas chaves senhor. 
Eu disse devolvendo-as para o mesmo em suas mãos, que tocaram as minhas brevemente. 
- Senhor? Não devo ser tão mais velho que você. Me chame de Jin na próxima vez okay. 
Ele me diz e entra na caminhonete, e logo em seguida se livra de alguns lixos que estavam em seu banco da frente, jogando todos no chão do posto, o que me deixou meio bravo, mas já era costume dos clientes daquele lugar. 
- Então ele se chama Jin, pois bem Jin, você é um tremendo de um porco. 
Eu disse em voz alta depois que a caminhonete negra já havia saído cantando pneus. 
POV Namjoon Off. 

Estávamos chegando quando uma caminhonete passou por nós as pressas quase atropelando Tae, se não fosse meu bom reflexo me fazendo puxar para perto sabe-se lá Deus o que havia acontecido com ele ali. 
- PRESTA ATENÇÃO SEU BABACA. 
Tae gritou logo em seguida para o veiculo que já estava distante de nós devido a sua velocidade. 
- Hei, você é muito novo pra morrer não acha.
Eu disse para ele, dando um leve soco em seu braço e o mesmo sorriu. 
- Vamos terminar de chegar, antes que algo me mate de vez. 
Ele disse me abraçando, atravessando seus braço direito por meus ombros.
- Chegaram cedo crianças, os outros nem estão aqui ainda. 
Namjoon disse quando nos viu, ele estava juntando algumas coisas que estavam jogadas no chão então acabei por lhe ajudar. 
- Você é realmente um maknae de ouro Jungkook. 
Ele esfregou as mãos em meus cabelos e eu lhe ajudei a jogar o lixo na lata.
- Eu até ajudaria se não estivesse em choque com aquela caminhonete que quase me matou. 
Disse Tae colocar suas mãos atras da cabeça em uma pose relaxada.
- A sim, foi aquele cliente que jogou as coisas no chão, ele não estava com uma cara muito boa quando saiu daqui, mas não tenho nada a ver com isso. 
Namjoon disse batendo no mesmo o fazendo desequilibrar e cair. Começamos a rir e o mesmo fez uma careta em resposta.
- Nam, cade o Ajusshi ? 
Perguntei me referindo ao dono do estabelecimento e patrão do Nam.
- Está lá dentro da loja como sempre. 
Ele me respondeu apontando para a pequena loja com luzes acesas, então me encaminhei até lá para cumprimentar o mesmo que era sempre muito receptivo e nos tratava como seus netos. 
- Boa tarde Ajusshi, como tem passado? 
Eu disse entrando na lojinha e dando de cara com um senhor de um pouco menos de 80 anos.
- Menino, que bom que veio, e então como andam as coisas lá na vila? 
Ele questionou já me entregando uma bala de goma que ficava em cima de seu caixa, já que ele as usava como troco as vezes.
- Estão bem, tudo indo, e com o senhor, como anda a conquista ?
Ele me deu um breve sorriso sabendo perfeitamente a quem me referia. 
- Não importa o que eu faça meu filho, a Ajumma do Namjoon nunca vai olhar para mim com os mesmos olhos que eu olho para ela, por mais que esse amor unilateral já venha de longos anos, eu estou destinado a amar sozinho por toda a minha vida. E sabe, o que eu mais quero, e desejo é que nenhum de vocês passem pelo mesmo que eu. 
Ele me disse com seu coração aberto, e vi que o que falava era verdade. 
- Eu não posso lhe prometer isso Ajusshi, já que, mesmo novo já sofro por um amor que não é correspondido. 
Olhei para trás e vi que a voz vinha do meu doce hyung Jimin, ele me lançou um olhar e me deu uma leve piscadela e entrou loja a dentro. 
- Mas você ainda é novo meu filho, não desista. 
o Ajusshi disse mais uma vez, agora se direcionando ao Jimin.
- Pode deixar, eu não vou. 
Mais uma vez ele olhava em meus olhos, ficamos um tempo nos encarando, mas precisei desviar o olhar para não entrar de vez naquele mar negro que era o mesmo.
- Ajusshi, já acabei meus afazeres, será que pode me liberar um pouco mais cedo hoje. 
Namjoon disse sem nem ao menos entrar dentro do local, ele ficou com seu corpo para fora e apenas sua cabeça estava para dentro, e pelos vidros do local conseguimos ver, Tae, Hoseok e Yoongi fazendo um sinal como se implorassem por um sim, o que nos fez rir. 
- Bom, o movimento esta fraco hoje, acho que acredito fechar a loja sozinho, então pode ir se divertir com seus amigos.
Acho que a quilômetros do local se conseguia ouvir nossos gritos de agradecimento. Sem dar muito tempo para o pobre senhor, saímos correndo indo direto para nosso destino.
Fomos caminhando pelos trilhos dos trens através dos vagões, aquele era realmente um caminho admirável e sempre o fazíamos, então conhecia aquele lugar como a palma das minhas mãos, nos caminhávamos e conversávamos sobre  como havia sido nosso dia, Tae nos contou que seus pais haviam brigado novamente, Hoseok disse que conseguiu passar todo o dia sem tomar seus calmantes e que até dormiu sem precisar do uso deles. Quando ele era menor, estava brincando com sua irmã mais velha de pega-pega pela casa, e em uma de suas fugas para não ser pego pela mesma, ele se desvencilhou dela que acabou se desequilibrando e caindo pelas escadas, quando finalmente parou de rolar pelos degraus a mesma ficou desacordada e quase sem vida, Hoseok ficou sem voz devido ao panico e não conseguiu chamar por socorro, a sorte foi que sua mãe passou e viu o mesmo junto a sua filha que estava pálida e coberta de sangue que escorreu pelo chão. A mãe dele o culpou por muitos anos desse acidente e uma vez chegou a o abandonar em um Parque de Diversões da cidade, mas o mesmo foi encontrado pela policia que tratou de o devolver, a mãe de Hoseok fingiu que o mesmo havia fugido de casa para os policiais que mesmo duvidando das palavras da mesma a orientaram para que fosse mais cuidadosa com seus filhos. Mesmo a irmã não ficando com nenhuma sequela, e o perdoando pelo acidente, a mãe nunca o aceitou, e dês de então ele toma remédios para se acalmar de seu trauma de infância por quase ter matado sua irmã e por ter sido abandonado por sua mãe que nunca mais o tratou como o filho que ele realmente é.
Suga nos contou que havia arrumado um novo trabalho como entregador de pizza e que estava tudo indo bem, Jimin disse que não havia nada a ser dito a seu respeito e que ele apenas estava bem. 
Quando chegamos em nosso lugar secreto, que não passava de um local onde havia um grande sofá velho e algumas cadeiras espalhadas e um bom esconderijo para bebidas que vez ou outra Namjoon trazia da conveniência, decidimos fazer uma fogueira e ficamos jogando conversa fora por horas. 
- Já esta tarde, e prometi para minha omma que chegaria cedo, então preciso ir. 
Eu disse me levantando do sofá onde eu estava deitado ao colo de Suga, um apelido carinhoso que demos para Yoongi já que o mesmo era branquinho como o açúcar, e quando ele quer até que é um doce de pessoa. 
- Você vem Tae ?
Perguntei me direcionado ao Tae que estava meio sonolento perto de Hoseok. 
- Não vou agora, vou me poupar mais um pouco de chegar em casa e ver os estragos que meu pai deve ter causado mais uma vez. 
Então eu apenas acenei e me despedi de todos eles que decidiram ficar mais um pouco desfrutando de suas bebidas. Meu caminho pela frente era longo mas eu fui com calma, minha pressa não era tanta assim, enquanto caminhava por um dos becos de um bairro qualquer pude ouvir alguns passos que vinham atras de mim, quando me virei para ver quem poderia ser me arrependi no mesmo momento. 
- Olha só, se não é o Jeon galera.
Blade, um idiota da minha escola que se acha por ser jogador titular do time de futebol estava junto com sua gangue de capachos idiotas. 
- Blade, o que você quer. 
Eu disse, e antes mesmo de terminar o garoto me prensou sobre uma porta de ferro de um estabelecimento.
- É bom te ver sem seus amiguinhos. Eu quero ver você sangrar. 
Ele disse me socando logo em seguida enquanto seus amigos me segurava, ele me acertou varias vezes e depois me deixou no chão com muita dor no estomago, ele se abaixou perto de mim.
- Nos vemos amanhã na escola Jeon. 
Foi a ultima coisa que disse, e saiu com seus amigos, fechei meus olhos de dor, não estava aguentando mais.
A chuva havia aumentado de intensidade e estava ficando frio quando finalmente consegui me levantar daquele lugar sujo. Coloquei meu capuz da blusa e sai cambaleando sem saber ao certo meu destino, meus olhos estavam apertados, e meu corpo doía por completo, saia sangue da minha boca e o gosto me incomodava de mais. 
- Desculpa omma, não consegui cumprir a promessa. 
Eu disse enquanto atravessava uma avenida que estava muito movimentada para aquele horário, o sinal havia fechado e outro me indicava que poderia atravessar, eu caminhei de vagar pois as dores eram fortes e não conseguia me movimentar direito, fiquei com medo de ter fraturado alguma costela com aqueles golpes, mas ele iria me pagar. 
De repente ouvi uma buzina muito alta e quando olhei para o lado vi apenas dois faróis grandes vindo em minha direção, a ultima coisa que me lembro é de um homem me gritando para aguentar. 
- Aguenta por favor. AGUENTA. 
 


Notas Finais


Essa fic tem muita referencia a alguns MV do BTS estão vou disponibilizar os links aqui para que possam assistir de onde tirei algumas coisas.
https://www.youtube.com/watch?v=2gWIjRqvtnI


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...