História Love Yourself - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Júlio Cocielo
Personagens Júlio Cocielo
Tags Christian Figueiredo, Julio Cocielo, Mauro Nakada
Exibições 395
Palavras 1.892
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oiii suas gostosas (e gostosos), demorei um pouquinho pra postar esse capítulo que já estava pronto faz uns 4 dias então resolvi tirar um tempo p postar hoje já que eu peguei meu crush e tô mt feliz ahakajnsns enjoy it

Capítulo 66 - Sixty Six


 

⁃    Tu se importa se eu me deitar? - falei apontando para o ombro do Mauro
    ⁃    Não, claro que não! - ele disse surpreso se ajeitando na poltrona. 

Antes de tentar dormir peguei meu celular já conectado no wi-fi do avião e postei a foto que nós tiramos juntos no Instagram. 

" Os de verdade eu sei quem são. 
        
   Melhor final de semana, amo vocês." 

 
Marquei todos e logo depois peguei no sono no ombro ossudo, porém confortável do Mauro. 

                        *** 

Acordei com algumas cutucadas no meu braço.

    ⁃    Você tava tão lindinha dormido que eu não queria te acordar,mas todo mundo já saiu.
    ⁃    Vamos sair então. - falei esfregando meus olhos mas na verdade eu queria mesmo era dormir pra sempre.

Fui até o banheiro me olhar no espelho,e meu Deus eu estava um caos! Como Mauro ousou me chamar de lindinha? Meus cabelos estavam bagunçados,não havia um resquício de maquiagem no meu rosto, eu estava com uma expressão triste e gasta.Por um momento me senti fraca. Lavei meu rosto na pia e escovei meus cabelos com os dedos, fazendo um rabo de cavalo no mesmo. 

Saí do banheiro com minhas malas e Lívia veio me abraçar. 

    ⁃    Eu sei que ele fez cagada mas você não pode se abalar tanto assim por isso! Imagina quando vocês namorarem e houver brigas? Ele vai sair de casa pra esfriar a cabeça e provavelmente não vai responder suas mensagens no WhatsApp e você vai fazer o que? Se atirar de uma janela? Não funciona assim Déby! - ela disse sendo menos áspera e abaixando o tom na última frase. - Eu sei que você está apaixonada e já sofreu muito por amor, mas você tem que amadurecer.
    ⁃    A gente não vai começar a namorar. - pareci firme, tentando ignorar cada palavra que ela me disse e que bateu lá no fundo do meu peito, principalmente por eu saber que é verdade.


Ela revirou os olhos e nós fomos embora, eu agradeci o Mauro por tudo enquanto ele insistia em me fazer companhia e me despedi de todos. Cheguei em casa e havia outro bilhete em cima da mesa

 "Saímos para jantar com os vizinhos do 48 e não voltaremos tão cedo. 

Tem comida na geladeira.

                     Te amamos."

Ótimo, véspera do meu aniversário e nem meus pais estão perto de mim. Larguei as malas na sala, peguei meu cachorro e subi para meu quarto me jogando em minha cama. Saudades do meu quarto, da minha cama... Eu ainda conseguia sentir o cheiro dele no travesseiro do lado oposto em que eu dormia, que saco! 

Tomei um banho e logo depois dormi com o cabelo molhado, não estava com um pingo de fome. 

Segunda - Feira 10:00 am 

"Parabéns Débora" pensei alto, 20 anos com atitudes de uma menina de 13, uhu! Fui tão sarcástica comigo mesma que decidi de uma vez por todas espantar todos esses pensamentos, hoje é meu dia, meu aniversário! Eu amo tanto fazer aniversário e não vou me deixar levar por pensamentos ruins. Graças a Deus ninguém na empresa trabalhava no dia do aniversário, resolvi tomar um banho e colocar uma roupa linda e confortável.

Lavei meu cabelo de novo e me senti renovada, coloquei um short,um cropped todo em tons pastéis e um chinelinho.

    ⁃    Parabéns pra você! Nessa data querida, muitas felicidades, muitos anos de vidaaa! - meu pai, minha mãe, meu irmão e Lívia cantarolaram enquanto eu descia da escada. Mesmo querendo explicações do meu irmão sorri sincera pra eles.
    ⁃    Parabéns meu amor! Tudo de bom pra você nessa vida, porque você é a melhor e merece o melhor. - minha mãe me abraçou. 
    ⁃    Obrigada mãe! - a abracei de volta.
    ⁃    Parabéns princesa, que você conquiste tudo o que quiser e continue sendo essa menina linda e querida. - meu pai me abraçou. - Nós te amamos! 
    ⁃    Eu também amo vocês. - falei abraçando os dois.
    ⁃    Eu sei que eu te devo satisfações,mas primeiro... - ele disse segurando meus braços com medo de qualquer reação minha e prosseguiu. - Eu quero te desejar feliz aniversário porque eu tenho muita sorte de te ter, você é a melhor irmã do mundo!Você sempre ficou do meu lado em todos os momentos que eu precisei e eu sempre vou estar do seu lado também. Quero você realize todas as tuas metas porque tu é uma mulher determinada e sabe o que quer. - mal sabe ele que eu estou numa crise de determinação.- Eu te amo e nunca vou te abandonar, me desculpa.

Nesse momento eu já estava chorando, pelas palavras dele,pelas palavras dos meus pais, pelo Julio, por tudo. Pedro me abraçou forte e eu retribuí. 

    ⁃    Eu posso ter sido rude com você, - Lívia disse sussurrando e me levando pro meio da sala.- Mas eu fiz isso pelo seu bem. - Fiz sinal com a cabeça para ela prosseguir.- FELIZ ANIVERSÁRIO AMIGA! - ela gritou e me abraçou, fazendo nós duas soltarmos sorrisos sinceros. - Eu amo você e sempre vou estar contigo! Você é especial, então... - ela tirou uma caixa preta enorme do lado do sofá e me entregou.
    ⁃    Sempre exagerada. - eu ri e peguei o presente. - Obrigada Lí! - abracei ela.
    ⁃    Abre,abre! 

Eu abri a caixa e tirei uns papéis que enrolavam o meu presente. MEU DEUS! Era uma camiseta vermelha de lacrosse com "Stilinski 24" escrito em branco atrás. Ela com certeza é a melhor amiga do mundo.

       - Meu deus eu amei! Muito obrigada. - falei quase gritando e abraçando a camiseta com cheirinho de nova.
       - De nada amiga! 
    ⁃    Temos um presente pra você também. - meu pai se pronunciou. - Seu celular é novo e você vive dizendo que precisa de roupas, então use isso para comprá-las. - ele estendeu a mão e tinham... 900 REAIS??? 
    ⁃    Meu Deus pai muito obrigadaaa! - pulei no colo dele. 
    ⁃    Então filha, você vai querer fazer o que hoje? Festa? - minha mãe perguntou porém eu não me animei nem um pouco em fazer festa, queria fazer alguma coisa mais social. 
    ⁃    Não tô querendo muito fazer festa. Por que nós não jantamos? Todos nós. - falei indicando Lívia também. 
    ⁃    A-Ahn, e-eu não posso hoje de noite. 
    ⁃    COMO ASSIM NÃO PODE? É MEU ANIVERSÁRIO E EU SOU SUA MELHOR AMIGA! - eu estava com raiva e só percebi que explodi quando Pedro tocou em meu ombro.
    ⁃    Calma... - Pedro sussurrou. 
    ⁃    Por que não almoçamos todos juntos então? - meu pai disse meio encolhido. 
    ⁃    Por mim tudo bem. - minha mãe completou. 
    ⁃    Eu posso. - Lívia disse meio chateada.
    ⁃    Foi mal... - eu disse meio envergonhada. 
    ⁃    Então vamos. - Pedro disse me puxando pelo ombro e entrelaçando seus dedos nos dedos da Lívia. 

Decidimos ir em um restaurante de comida mexicana e ficamos lá até umas 2 da tarde. Eu respondia os parabéns que me mandavam no carro a caminho de casa, e não tinha nada dele, NADA! Por algum motivo Lívia começou a enrolar e disse que não poderia passar a tarde comigo porque teria um compromisso de noite,então a deixamos em casa. Eu não me irritei, pelo menos tentei. E então para me distrair resolvi chamar minha vizinha para irmos ao shopping gastar o dinheiro que eu ganhei. 

    ⁃    Como se sente com 20 anos? - ela disse mexendo o corpo conforme a melodia da música, já sentada no banco do carona do meu carro.
    ⁃    Normal. - falei olhando pra frente, sentindo o vento em meus cabelos. Ela me olhou com uma cara de "fala sério" então eu reformulei a resposta. - Mais bonita e gostosa. - falei piscando pra ela. 
    ⁃    Aí sim! - ela disse animada.


Chegamos no shopping e entramos em todas as lojas possíveis. Eu gastei 400 reais e resolvi guardar o resto.

Comprei três croppeds novos, uma calça jeans preta rasgada no joelho e outra mais clarinha rasgada também, um maxi colar, várias blusinhas, um moletom de lã meio fininho porém lindo rosa clarinho, um vestido preto bem social porém sexy e um vestido vermelho meio rodado pra ir pro casamento da irmã do Julio. 

Sim, ela ia se casar, e ele me convidou. Se eu vou? Eu não sei, se eu vou perdoar ele... Tá quem eu tô querendo enganar? Lógico que eu vou perdoar ele, mas né...

    ⁃    Ei, no que você tá pensando? - Mariana disse estralando os dedos na frente do meu rosto. 
    ⁃    Nada. Vamos? -
    ⁃    Vamos.

Dirigi até o nosso bairro e estacionei o carro me despedindo de Mariana e indo pra casa.

Meus pais estavam em casa porém dormiam no sofá e Pedro eu nem fiz questão de procurar,por preguiça mesmo. Fiquei falando com Mauro e Teddy no telefone até me dar uma crise de choro. 

Eu me sinto tão excluída, tão insignificante. Nem o Christian apareceu aqui em casa, o cara que diz que me ama não me mandou nem um "feliz aniversário" e apenas as pessoas que eu achavam que queriam acabar com minha relação com o Julio estão tentando me animar. 

Acabei dormindo no meio de todos esses pensamentos e me acordei às seis horas, que legal, perdi toda a tarde do MEU dia! Ouvi duas batidas na porta e mandei entrar.

    ⁃    Se arruma aí, fica bem gata, tipo gata pra caralho mesmo, porque nós vamos num pub hoje à noite, eu e você. - Pedro falou e fechou a porta. 

Nem me dei o trabalho de levantar e perguntar algo pra ele, apenas me levantei correndo da cama e fui tomar um banho. Meu irmão me conhece muito bem, um pub, isso era tudo o que eu precisava! Beber e descontar tudo nele.

Lavei meu cabelo rápido pra sairmos as oito e sequei ele logo em seguida. Fiz uma puta maquiagem linda, fiz cachos só nas pontinhas do meu cabelo, coloquei meu vestido cor de vinho (foto nas notas finais) e um salto parecido com a cor do vestido.

Meu Deus eu tô me sentindo tão linda! Coloquei o perfume mais cheiroso da minha prateleira e cheguei no relógio, 20:08. 

    ⁃    Vamooo! - Pedro gritou da escada.
    ⁃    Te acalma sua anta! - falei descendo a escada.
    ⁃    Nossa você tá linda. - Pedro disse com a mão na minha cintura.
    ⁃    Obrigada maninho. - falei sorrindo pra ele.
    ⁃    A aniversariante está linda. - meu pai disse me agradando. 
    ⁃    Obrigada pai! 
    ⁃    Se cuidem. - minha mãe beijou nossas testas. 
    ⁃    Pode deixar. - dissemos saindo de casa.
    ⁃    Para onde nós vamos? - perguntei para Pedro que dirigia ao meu lado. 
    ⁃    Pra um pub, já falei. - ele disse olhando pra frente.
    ⁃    Credo. - me ajeitei no banco.

Demoramos uns 30 minutos para chegarmos no local e eu estava morrendo de vontade de chorar desde agora por não ter falado com o Julio. Tentei me convencer de que ele perdeu o celular ou que os seguranças do evento estão sufocando tanto ele que ele não consegue nem pegar o celular.

Chegamos no pub e era um lugar bem grande, porém estava bem escuro. Pedro entrou na minha frente e esperou eu entrar pra gritar junto com as pessoas um coro de uma palavra só.

    ⁃    SURPRESA! 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...