História Loved at the Wrong Time - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 235
Palavras 3.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Meu Deus do céu, nem sei que desculpa usar aqui. Gente que acompanhava minhas outras fanfics, me perdoem pelo sumiço. Cara, eu falei que voltaria no começo de setembro e olha eu aqui! Outubro! Meus amores, me desculpem. Vocês não têm ideia de como a minha vida ficou bagunçada nesses últimos meses. Enfim, quero agradecer pelos incentivos em Back To December, a one que eu postei há um tempinho, e agradecer ainda por How To Love, minha último long fic aqui.
E pedir que não desistam de mim, por favor.
Trabalhei nessa fanfic aqui há um tempo e não sei o que sentir sobre ela ainda, hahahaha. Mas espero que vocês gostem, comentem, ou sei lá. Algumas pessoas me pediram para avisar quando eu postasse algo novo, então farei isso com muita felicidade por saber que vocês sempre estão aí me apoiando <3
Chega de papo, leiam isso, por favor, acabei de editar (não tenho muita coisa pronta, estou sendo louca de postar isso e, por falar nisso, essa não será nossa capa, ainda estou trabalhando nela), então estou empolgada.
Mil beijos, boa leitura, e estou amando estar de volta <3

Capítulo 1 - What's past is prologue


(Jace's Point Of View)

Nova York, novembro de 2010

 

Então eu entrei na enorme cobertura dos Lightwood e a primeira coisa vi foi essa garota.

Essa garota de cabelos com cachos ruivos e um olhar verde brilhante que observava o seu redor, parecendo um pouco perdida. Eu não a conhecia. Dei alguns passos para dentro da sala cheia de adolescentes e a vi melhor. Agora ela digitava alguma coisa no celular, colocando uma mecha do cabelo para trás das orelhas. Ela estava usando uma saia preta rodada e comum, não muito curta, não muito comprida. O top branco com desenhos chamava atenção para a alça de seu sutiã vermelho, e eu fiquei mais interessado ainda a partir disso. Caminhei, quase chegando perto dela, até que avistei Sebastian Morgenstern, meu melhor amigo, andando em direção dela. Primeiro pensei estar enganado, mas ele estava sorrindo e ela sorriu de volta. Em seguida comprovei que eles realmente se conheciam, e talvez até estivessem juntos ali.

— Eu já estava mandando uma mensagem, você demorou. - ela disse, aceitando o copo azul que ele entregara a ela, olhando para o que tinha lá dentro com uma expressão duvidosa. Com isso, ele riu.

— Desculpa, encontrei umas pessoas. - explicou ele. Ela levantou as sobrancelhas. Sebastian se encostou na parede, assim como ela, dando um empurrãozinho de leve na garota, que rolou os olhos com um sorriso. - Você precisa se misturar, baixinha.

— É, eu sei. - ela resmungou. Eu podia ouvir alguma voz me chamando, mas continuei prestando atenção nos dois. A menina ruiva não tinha dado nenhum gole na bebida, ainda olhava para o copo. - Tem certeza que não vou pegar uma doença bebendo nesse copo?

Sebastian deu uma risada alta, mas, por causa da música, ninguém pareceu notar.

— Deixa de ser fresca, não é como se em Londres vocês fossem a festas do colégio e bebessem em taças de cristal igual as da sua mãe, né?

Ela olhou séria para ele.

— Se eu disser que sim, aí você vai me chamar de fresca. - ela respondeu, em seguida os dois riram e ela deu um gole na bebida, fazendo careta depois. - Tá, isso é bom. Meio amargo, mas é bom.

— Jacezinho, meu amor! - disse a voz irritante, agora muito perto. Eu tirei minha atenção da garota e de Sebastian, me virando para trás, procurando paciência para aturá-las.

Na minha frente estavam Camille, Seelie, Kaelie e Aline. As, provavelmente, garotas mais rodadas e irritantes do colégio. Eu nem mesmo me esforcei em sorrir para elas.

— E aí? Qual de nós vai ser hoje? - perguntou Seelie, mordendo o lábio. Era sexy, eu não podia negar, mas ainda me sentia intrigado com a garota desconhecida que conversava com melhor amigo como se tivessem intimidade. E mesmo olhando para as garotas mais cobiçadas do Upper East Side (embora elas fossem também as mais fáceis), me sentia curioso em relação a outra garota.

— Vão passear um pouquinho, que tal? - sugeri, meio ríspido - Sinto muito, mas não são as minhas únicas vítimas hoje.

E, com isso e uma passadinha de mão no vestido curtíssimo de Camille (ou melhor, na parte da pele que ele deveria cobrir), saí de lá para pegar algumas bebidas. No caminho, encontrei com Jordan. Ele estava procurando Maia, então mal conversamos. Fui para a pista de dança, encontrando Mark e Julian Blackthorn ali, então ficamos conversando até que a garota entrou novamente em meu ponto de vista.

— Eu amo essa música! - disse, e já estava meio alterada, com certeza pela bebida que o Sebastian deve ter dado, e que, se ele seguiu meus sábios conselhos, tinha um pouco mais de álcool do que o normal em apenas uma dose.

— É disso que eu estou falando, garota! - ele gritou de volta para ela, ambos rindo enquanto ele era puxado pela mão para a pista com ela. A ruiva cantava a música alto, dançando com Sebastian enquanto ele a segurava para que não caísse das vezes que ela se desequilibrou com o salto enorme. Ela segurava um copo nas mãos, vez ou outra dava grandes goles. Bastante gente olhava para eles, provavelmente pelo mesmo motivo que eu. Ninguém conhecia aquela menina incialmente tímida e agora bêbada e solta, dançando com Sebastian Morgenstern e chamando toda a atenção para si. Eu prestei atenção na música, rindo comigo mesmo, observando a sorte que o meu melhor amigo tinha naquele momento agora que a garota o puxou para perto, meio desconfortável, mas o suficiente para dançarem juntos e rirem alto enquanto isso.

 

Ela estava tão tímida, até eu levá-la a loucura

Eu faço as boas garotas se tornarem más

 

— Ei, alguém sabe quem é aquela gata ruiva com o Sebastian? - perguntou Jordan, vindo até nós, dando risada.

— Não, mas quero muito saber quem é... - Mark falou, sorrindo pervertido enquanto olhava para a pista onde Sebastian e a ruiva dançavam outra música, agora mais calmamente.

— Você também não sabe, Jace? - Julian me perguntou, parecendo surpreso. Eu mesmo estivera, porque Sebastian geralmente me contava as coisas, e eu não acreditava que, com aquela intimidade, ele devia ter conhecido a menina naquela festa.

— Sei não. - respondi normalmente, deixando o copo agora vazio de lado em uma mesa qualquer - Mas vou falar com ele e descobrir agora que eles pararam de dançar.

Com isso, eles começaram a falar que era para eu pegar o telefone dela e passar para eles depois, então eu dei risada e caminhei em direção aos dois. A menina ria de algo que ele falou, e os dois estavam perto de uma mesa, Sebastian colocava bebida para ela. Avistei Izzy conversando com Magnus no caminho, e parei para falar com eles.

— Hey, Jace! - ela disse, me dando um abraço. Izzy e eu éramos muito próximos, quase irmãos, assim como eu e Alec ou eu e Sebastian, pois todos nós crescemos juntos. Quando nos afastamos do abraço e eu cumprimentei Magnus, ela perguntou. - Quem é aquela com o Sebastian, hein?

— Nossa, ele não apresentou ela para ninguém mesmo. - falei, erguendo as sobrancelhas, olhando para os dois do outro lado da sala, que conversavam animadamente. - Eu não conheço ela, nem sabia que ele ia trazer alguém hoje.

— Acho que se chama Clary. - Magnus disse normalmente. Tanto eu quanto Izzy olhamos confusos para ele, que sorriu, deixando de examinar as próprias unhas pintadas de roxo para nos olhar. - Eu não conheço, também. É que passei perto dos dois e ouvi ele a chamando assim.

Eu dei de ombros.

— Bem, tanto faz, vou falar com eles. - falei.

— Eu também vou. - Iz disse, e olhou para Magnus, que sorriu e respondeu que não iria.

Caminhamos até os dois, e assim que cumprimentamos Sebastian, nós quatro ficamos em silêncio por alguns segundos esperando que alguém falasse.

— Ah, certo. Gente, essa é a...

— Clarissa. - a voz melodiosa e doce da menina se adiantou em falar, com um sorriso simpático olhando para mim e para Izzy.

— Minha irmã. - Sebastian completou, e nós o olhamos boquiabertos. Depois, ele olhou para a menina que agora tinha nome e ambos riram. - Lembram que meu pai casou, gente?

— Você não mencionou que isso incluía uma irmã, docinho. - Izzy falou, meio sarcástica, meio dando risada. - E nós achamos que vocês estavam se pegando!

Em seguida, os dois tossiram, engasgando com a bebida. Todos rimos depois, então Sebastian voltou a falar, notando que ainda estávamos confusos.

— Continuando, meu pai se casou com a Jocelyn, mãe da Clarissa, só que ela morava em Londres, e veio semana passada para morar com a gente. - ele explicou.

— Então você é britânica? - perguntou Izzy - Ai, deve ser o máximo. Os garotos lá são tão lindos...

— Sou daqui de Nova York mesmo, só fui morar lá com meu pai quando era mais nova. - Clarissa respondeu, com um sorriso, então olhou para mim - E sinto muito te decepcionar, nem todos os garotos são tão lindos. Quero dizer, não sei se é porque sou nova aqui, mas Nova York tem mais garotos lindos do que temos lá em Londres...

E foi assim que, dez minutos depois, estávamos transando no closet da Isabelle.

Mentira, gente, mas bem que podia ser verdade.

— Ahm, Jace... - Sebastian disse, rindo, assim que Clarissa terminou de falar e Izzy comentara algo em resposta - Seu fã-clube está chegando.

— Jacenáticas! - Izzy deu risada, batendo palminhas.

Eu revirei os olhos, olhando para trás e vendo Camille e Seelie juntas, caminhando até nós. Depois me virei para Sebastian e Clarissa, mas os dois já estavam saindo de lá, avisando que iam dançar. Dei de ombros, então caminhei até as garotas.

— Torçam para que o quarto de hóspedes esteja vazio, garotas. - falei, e elas se agarraram em mim, em seguida estávamos subindo as escadas.

Enquanto o fazia, ainda pude enxergar Clarissa, assentindo para Sebastian, claramente não prestando atenção no que ele dizia, e olhando para mim com uma sobrancelha erguida. Quando eu pisquei para ela, a mesma sorriu disfarçadamente, depois rolou os olhos e voltou a dançar.

 

 

(Sebastian's Point Of View)

Residência dos Morgenstern, 8:35PM

 

— Clary, o pessoal chegou. - eu disse, assim que ela gritou do lado de dentro do quarto que eu podia entrar.

Ela estava em frente ao espelho, de pé, terminando de passar o batom. Eu mordi os lábios disfarçadamente, fechando a porta atrás de mim quase que por reflexo.

Clary sorriu para mim, os lábios com o gloss doce estavam convidativos. Em seguida, deu uma volta, perguntou:

— E então, o que acha? - e ao ver que eu apenas assenti, deu uma risadinha. Ela estava usando uma calça jeans azul colada e solta apenas na barra, salto alto e uma blusa agarrada de veludo preto com as alças nos ombros. Senti o cheiro característico do perfume dela e sorri.

— Está linda. - me aproximei e beijei seu pescoço, segurando-a pena cintura.

— Sebastian, alguém pode aparecer... - começou a falar, se arrepiando com o toque das minhas mãos que agora estavam por baixo da sua blusa, sentindo a textura do sutiã e do fecho dele.

Eu dei um riso rouco, mais um beijo em seu pescoço, então me afastei. Ela mordeu os lábios sorrindo também, então foi até a penteadeira e colocou um relógio bege no pulso junto com algumas pulseiras. Saímos juntos do quarto, descendo as escadas e já encontrando o pessoal todo lá embaixo. Alguns jogados no sofá jogando videogame, outros vindo da cozinha com bebidas, outros dançando com a música que havia começado a tocar.

— Amiga, você tá linda! - Isabelle chegou ao nosso lado, elogiando Clary. Olhou para mim, e sorriu divertida. - Você também tá um gatão, Sebs!

Demos risadas juntos, e logo fui chamado pelos caras. Clary ficou conversando com Isabelle, Maia e as outras meninas. Em algum momento, alguns minutos depois, eu estava na cozinha fazendo umas misturas de bebidas e Clary foi me ajudar. E logo depois de ela ter elogiado a minha versão mais alcóolica de um Sex On The Beach e do pessoal ter provado e gostado também, ficamos quase todos na cozinha. E em outro momento Magnus teve a ideia:

— Galera, o que vocês acham de pegar essas garrafas de tequila e ir brincar de eu nunca, hein? - e, ao dizer isso, quase todos vibraram com a ideia, as meninas dando risadas com os comentários de Jordan sobre isso.

Jace, do entanto, não parecia muito contente com a ideia:

— Eu acho que um strip poker seria mais legal, caras. - e em seguida todos deram gargalhadas. Izzy respondeu que esse jogo seria apenas quando todos estivessem muito bêbados mesmo.

Pegamos então, as tequilas, abaixamos um pouco o som, nos sentamos no carpete na seguinte sequência: Eu, Clary, Izzy, Maia, Jordan, Jace, Alec, Magnus, Emma, Julian, Cristina e Mark. Colocamos as garrafas no meio da roda, e todos nos entreolhamos. Magnus suspirou teatralmente, dizendo:

— Tudo bem, vocês ficam enrolando, eu vou começar. - e pensando por um momento, voltou a falar - Eu nunca dormi com a Seelie.

Essa era difícil, todos os presentes do sexo masculino, exceto Alec e Magnus, que tinha feito a pergunta, beberam tequila. As garotas deram risada, Maia pediu explicação a Jordan e Isabelle gargalhava.

— Tudo bem, já estou vendo que isso vai ser ótimo! - Iz exclamou. - Eu nunca tive vontade de dormir com ninguém que está nessa sala.

Eu e Jace nos entreolhamos, dando gargalhadas. Izzy percebeu, e fez careta.

— É sério, gente. - respirou fundo, então olhou para Maia. - Amiga, antes de tudo, quero que saiba que isso foi antes de você sair de Nova Jersey e vir morar aqui...

— Ela e o Jordan ficaram! - eu e Jace gritamos juntos, e todos deram gargalhadas, incrédulos, porque além de nós ninguém sabia.

— Ok, certo, nós ficamos. - Izzy explicou, segurando a risada. Jordan também ria, Maia estava na mesma situação. - Mas foi só isso, não foi Jordy? - o garoto assentiu - Além disso, nunca tive vontade de dormir com ele.

Gargalhadas à parte, isso nem eu nem Jace poderíamos negar, porque a amizade entre Izzy e Jordan continuou, e eles quase nunca tocavam no assunto por não ter importância alguma.

— Hey, ninguém tomou nada! - ela reclamou - Vamos, gente, eu sei que vocês são um bando de tarados!

Magnus foi o primeiro a beber. Alec o seguiu. Maia e Jordan tomaram juntos. Mark tomou, e isso causou gargalhadas de Julian e Emma, que não beberam, assim como Cristina. Eu olhei de soslaio para Clary, que segurava uma risada. Ela bebeu, mas se quer olhou para mim. Eu segui seu olhar, e ele era em Jace. O mesmo Jace que sorriu de lado e bebeu também. Por fim, eu dei um grande gole, e fui notado, mas não questionado.

— Muito bem, a novata da turma já quis dormir com alguém daqui? - Isabelle bateu palminhas, olhando para Clary. - Eu realmente não esperava por essa, amiga!

Clary deu de ombros, rindo, e disse que o jogo não permitia nomes. Quer dizer, o jogo dela, porque até eu estava interessado na resposta. Em seguida, ela me olhou, rindo. Murmurou um desculpa que eu fui entender apenas quando ela falou:

— Eu nunca fiquei com um professor ou professora por causa de notas. - respondeu. Ok, isso era segredo nosso, ela pegou pesado. Mas eu não era o único ali, então dei de ombros e bebi. Jace e Emma beberam em seguida.

— Ai, eu amo essa música! - Clary bateu palminhas, gritando. Demos risada enquanto ela pegava a única garrafa vazia e usava como um microfone. - Oh, girls just wanna have fun!

— Ok, eu pergunto agora! - eu falei, depois de gargalhar com Clary. Ela ainda ria, apoiada no meu ombro. - Ahm... Eu nunca fui pego pela diretora transando com quatro garotas no ginásio.

As risadas foram altas, e Jace fez careta para mim.

— Morgenstern, Morgenstern... Tome cuidado com as perguntas que faz. - e sorrindo, tomou um gole generoso de tequila.

— Nossa, para tudo! - Emma falou, depois de sussurrar segredinhos com Izzy e Cristina. - Você nunca foi pego pela diretora, mas foi pego pela Izzy, coitada, e com o mesmo número de garotas. Não é tãaao diferente assim, né?

Todos riram mais uma vez, então Alec falou:

— Não só o mesmo número como as mesmas garotas!

— Quem eram? - Clary perguntou, rindo.

— Nossa, essa é realmente uma dúvida complexa... - Magnus disse, com ironia - Mas vamos poupar você, Claryzinha, porque é novata.

— Foi o fã-clube do Jace, gente! - Cristina exclamou.

— Nossa vocês simplesmente dividem as garotas com quem transam? Não rola briga, ou sei lá? - Clary perguntou, boquiaberta, rindo também.

— Nossa amizade é mais significante. - ok, momento gay do Jace. Ele respondeu isso olhando fixamente para Clary, depois olhou para mim, e fizemos um toque de mão de longe, dando risada.

— Vocês dois são mais gays que o meu irmão e o meu cunhadinho, por Deus! - Izzy gargalhou.

— Olha queridinha, ninguém é mais gay do que o Magnus! - Julian, que estava apenas rindo quase o tempo todo, se debruçou sobre Emma para chegar até Magnus, o abraçando. Alec fingiu uma cara de bravo, e todos demos risadas com alguns comentários seguintes de Mark e Clary.

Foi assim por mais alguns minutos, até que todos nós estávamos muito loucos e resolvemos ir até o terraço do terceiro andar e ir à piscina. O gênio que teve a ideia foi a Clary, e por isso eu a peguei no colo ao chegar lá encima, enquanto todos nos olhavam e riam, e a joguei na piscina. Ela saiu de lá em seguida, batendo os pés descalços, encharcada e com o rímel correndo um pouco pelo rosto. O cabelo ruivo estava mais escuro e pesado, mas ela sorria, divertida, e continuava tão linda como antes.

— Sebastian Morgenstern, seu filho de uma mãe, eu vou matar você!

 

 

Mais tarde, depois de eu ter sido jogado na piscina e ter descido com pressa para atender uma longa ligação do meu pai perguntando como iam as coisas, passei em meu quarto para pegar um casaco e no de Clary para pegar um para ela também. Subi para o terraço, encontrando todos lá. Magnus, Izzy e Emma na piscina, alguns outros bebendo, rindo e conversando. Corri meus olhos pelo ambiente até achar Clary, em um canto mais afastado, sentada em uma espreguiçadeira ao lado de Jace. Eles estavam dividindo um cobertor, ela estava um pouco mais seca e os dois riam.

Me aproximei, sem entender a intimidade dos dois, e me sentei na espreguiçadeira ao lado, interrompendo algum relato que Jace fazia sobre uma das tantas vezes em que ficou "bêbado pra caralho". Tipo de conversa decorada que ele usava com as garotas.

— Peguei um casaco pra você. - falei para Clary. Ela sorriu fraco para mim, então aceitou o casaco, mas não o vestiu por estar enrolada no cobertor. Apenas o segurou junto de si, depois agradeceu. - Por quê estão longe de todo mundo?

— Estamos conversando. - Jace falou, normalmente.

Ergui as sobrancelhas em concordância, Clary olhou de Jace para mim, depois perguntou:

— O que eles disseram no telefone?

— Nada demais. - dei de ombros, me levantando. - Meu pai perguntou como as coisas estão, sua mãe disse para eu ficar de olho em você. - ela deu risada, então eu a estendi uma mão - Vamos?

Ela olhou para Jace, que apenas nos observava, então fez que não com a cabeça.

— Depois eu vou. - e, sorrindo, completou - Ainda estou brava por ter sido jogada na piscina por um certo alguém.

Eu sorri para ela, assentindo, então me virei para sair dali. E, olhando para trás enquanto me afastava, vi Jace sussurrar alguma coisa para ela enquanto olhava para mim, com seu típico eito sarcástico e a gargalhada de Clary não soou tão agradável porque não fui eu quem a provocou.

Foi naquele momento que eu soube.


Notas Finais


Não, não sei quando postarei continuação. Não tenho tempo nem previsão, me desculpem. Estou me organizando ainda.
Comentem, por favor, me digam o que acharam, me deem sugestões. Estamos no começo dessa história e eu adoraria que me ajudassem a construí-la!
Sério, vocês são muito importantes para mim.
Até mais, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...