História Lovely angel - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amizade, Amor, Anjos, Colegial, Romance
Exibições 4
Palavras 1.306
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


hello
boa leitura!

Capítulo 11 - Charlotte


Fanfic / Fanfiction Lovely angel - Capítulo 11 - Charlotte


Charlotte apoiada sobre o balcão olhava para min atenciosamente, parecendo querer perguntar algo. Percebi que eu estava aérea, meus pensamentos muito confusos e desorganizados. E eu tinha muito tempo para pensar, já que já eram oito da noite e o movimento do bar continuava fraco.
- Daria tudo para saber no que está pensando jess – ela olhava pra min com a expressão curiosa.
- Eu? – perguntei saindo de meus devaneios – nada demais... São algumas coisas que eu gostaria de entender...
- Se você compreender tudo que há nesse mundo, eu te chamaria de louca – ela dava risadas.
- Hmm, char? Já se apaixonou por algum garoto alguma vez?
- Já sim, e já até te falei sobre ele. – ela me respondia bem calma – acha que está apaixonada?
- De certa forma... É que estou confusa... São dois garotos – fui interrompida por ela.
- Dois? Mas que problemão! – ela sorria – agora vai ter que escolher entre eles, é algo assim?
- Digamos que sim.
- Vá, me conte, quem é o mais gato? – agora ela fazia piada com minha cara, e estava mesmo bem parecida com Carmen.
Eu sorri. Na verdade não havia parado para pensar quem era mais bonito. Mas a resposta era obvia. Ariel era o mais bonito, suas feições eram perfeitas. Mas Drew... Seu jeitão era realmente irresistível.
- Não é bem por um ser mais bonito que o outro... Eles têm personalidades diferentes. Eu me sinto diferentemente atraída por eles – char estava sentada ao meu lado, me observando e me escutando atentamente – Um deles é muito atencioso, me deixa calma, devo dizer que é bem intrometido às vezes, mas eu não sei quem é ele, e nem por que ele se interessa tanto por min. Ele não se abre não me fala sobre as coisas de sua vida. Ele apenas quer saber como eu estou, sei lá, talvez queira me proteger.
- Já parou para pensar que talvez ele te trate como uma irmã? Ou como alguém que necessita de ser cuidada... Você me disse que agora está sozinha, talvez ele, sei lá – Charlotte tentava ajudar.
Fiquei imaginando se Ariel me tratava como uma irmã. Um leve desapontamento surgiu. Não queria ser tratada como uma irmãzinha. Não por Ariel. Tentei voltar ao assunto, não queria falar sobre isto com charlote, nem com mais ninguém.
- E o outro, bem, me sinto atraída pela sua beleza, seu carisma, seu jeito despreocupado de ser... Mas hoje ele também me mostrou que está confuso. Parece que ele gosta de alguma garota e não sabe o que fazer. Acho que ele também está atraído por min da mesma forma que estou por ele, mas é algo superficial. 
- entendo... Ah! Como que queria poder te ajudar! Me sinto tão inútil... – Charlotte afundava no banco – só te digo uma coisa, não deixe de fazer o que você quer, nunca, e também nunca sinta medo do que possa acontecer, por que vai se arrepender se não tentar. Digo por experiência própria.
Os olhos dela brilhavam, Charlotte se arrependia de algo que não tinha feito, e eu no fundo sabia que era alguma razão ligada ao homem de sua vida.
- Charlotte, sobre o rapaz e você, o que aconteceu? – perguntei de repente.
- É uma longa história.
- Gosto de histórias longas.
-Tudo bem, então eu vou te contar. – Char olhava para frente agora, escorada com os cotovelos no balcão, seu banquinho de lado para o meu. – Eu era do segundo ano, eu costumava ser uma garota popular, e ele também. Mas ele era popular entre os babacas, ele sempre foi do tipo de garoto que chamava atenção por causa das brincadeiras de mal gosto. Eu o achava bem infantil. Mas um dia nos aproximamos em uma festa. e eu vi que seu jeito era totalmente diferente do que ele mostrava ser, por baixo da sua casca grossa, ele era alguém realmente incrível. Ele era sensível. E não era tão infantil como eu acreditava ser. Lembro-me de ter aproximado dele cada vez mais, e ele foi me mostrando a sua verdadeira face. Quando menos percebi, eu estava apaixonada. Mas ele era mais novo que eu. As minha amigas juravam que eu estava louca, que vários outros garotos eram muito mais bonitos que ele, mais atléticos, porém eu não ligava pra isso, o interior dele era, muito diferente. Acredita que ele escreveu uma música para min? – sua pergunta havia sido retórica, deixei que ela continuasse – e aos poucos, ele se declarou, e eu me senti a garota mais feliz do mundo. Estávamos tão apaixonados que decidimos sair da cidade, ir para um lugar só nosso, assim que ele se formasse. E essa foi a nossa promessa depois do meu baile de formatura. Mas nesse ano, bem no inicio, eu quase não o via, eu estava ocupada, ele estava ocupado com a escola, e alguns boatos começaram a surgir... algumas meninas da escola, que disseram que ficariam de olho nele por min, me contaram que ele estava saindo com uma garota. Que ele dava carona á ela todos os dias, e ainda ficava depois das aulas com ela. Eu fui pergunta-lo e ele não negou nada. Mas disse que não havia nada entre os dois, somente amizade, e que ficava depois da aula por que se sentia sozinho, pois eu não dava atenção á ele, mas eu não acreditei ser somente amizade, os dois eram muito próximos e se fosse só isso ele deveria ter me contado sobre a nova amiguinha, o que ele não fez, ele apenas escondeu de min. Então terminei com ele. Não ia continuar um relacionamento que era baseado em mentiras. Eu senti tanta raiva dele! Ele dizia que me amava! Como ele pode ser tão cínico? Era como se tudo fosse mentira. Então eu joguei tudo no lixo, todos os nossos planos, as nossas fotos... E depois disso, eu não quis me envolver com mais ninguém...
- Você o ama não é? – eu perguntava concentrada na história que ela acabara de me contar
- Eu acho que sim...
- E não é o suficiente para perdoa-lo? E se ele estivesse falando a verdade?
- ele não me procurou mais, depois que eu terminei com ele. Ele nunca mais me ligou. Assim como eu o pedi.
- E se vocês se encontrassem de novo?
- é uma coisa do passado... Acho que devemos seguir em frente.
Algo me dizia que ela mentia para si mesma. Mas decidi não perguntar mais nada. Charlotte parecia ter sofrido muito com a separação, e não ia ser eu quem a faria lembrar coisas tão desagradáveis.
- Agora só basta você seguir seu coração. E ser bem sincera com os dois. Para que ninguém saia machucado, muito menos você. – ela me lançou um sorriso e uma piscadela.
Eu assenti com a cabeça. Era exatamente o que eu faria. Eu iria me decidir. E também iria atrás de Ariel para saber sobre ele. Eu estava determinada.
- E olha só, não é que somos duas tagarelas? – Charlotte olhava para o relógio.
- E sempre muito bom conversar com você char – eu lhe lancei um sorriso. 
Eu me sentia feliz por poder passar meu final de dia ao lado de Charlotte, eu sentia que nossa amizade era concreta agora, assim como eu a tratava como amiga, ela também fazia exatamente o mesmo.
- Eu também te adoro. – Charlotte me abraçou apertadamente.
Sorrimos juntas. E ela ficava exuberante assim.
Deitada na minha cama e olhando para o teto, pensei nas palavras de Charlotte. Eu não queria me machucar e nem machucar ninguém. Eu sabia que Drew estava confuso, e talvez ele estivesse por que achava que eu podia o ajudar a superar seja lá o que for que ele precisava superar. Mas eu estava já estava apaixonada. E não era por Drew. Era por Ariel.


Notas Finais


Bjos da Chii ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...