História Lovers of chance - Capítulo 52


Escrita por: ~

Visualizações 17
Palavras 2.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


quem esta pronto para uma maratona de omnis vell nihil ??
sim eu voltei !! desculpe a demora mas eu tava resolvendo uns assuntos pendentes com outra fic
AVISO
ESSE CAPITULO TEM CENAS FORTES BRUTAS E QUALQUER PESSOA EM SÃ CONSCIENCIA EVITARIA LER COISAS DO TIPO
então por favor não diga que eu não avisei
logo vocês entenderam de quem se trata esse capitulo
e bom...
eu chorei escrevendo essa porra então espero que vocês gostem
quem quiser sentir o capitulo ou melhor sentir o que eu senti enquanto escrevia vai no link da musica que vou deixar nas notas finais e bom...é só escuta enquanto ler
o nome da musica é : daddy issues de the neighbourhood

1\8

voa leitura

Capítulo 52 - Omnis Vell Nihil - Capitulo 7


Fanfic / Fanfiction Lovers of chance - Capítulo 52 - Omnis Vell Nihil - Capitulo 7

~ OMNIS VELL NIHIL ~

 

Tudo ou nada...

 

 

 

Tudo tinha começado ainda na infância da garota.

Ela não entendia os motivos para seu pai não a deixar sair de casa...não a deixar brincar com outras crianças...não a deixar ser uma criança normal.

Se ela saia, era com ele, se ela brincava, era com ele, obrigada a fazer tudo o que ele queria.  Afinal ele tinha todo o tempo do mundo para entreter sua pequena criança

A mãe dela sempre esteve viajando, não tinha tempo para sua filha, muito menos para o seu marido.

Com o tempo ele foi se desapegando de sua mulher, antes ele vivia para ela, e agora ele vive para acompanhar o crescimento de sua pequena, tudo nela o fascinava, o deixava abobalhado.

As beiradas dos sete anos ele percebeu que o corpo da criança já não era mais o mesmo. Isso o fez a trancar mais em casa. ele era obsessivo. Maluco. Possessivo ao extremo com sua querida filha.

Outras pessoas veriam isso como um tipo de loucura. Mas na mente dele aquilo tudo era amor.

 

Mas mesmo a prendendo, não a deixando sair, não a deixando brincar. Ela tinha duas melhores amigas, amigas essas que sempre contou a seu pai, e ele morria de ciúmes e inveja dessas garotas.

Ele queria que sua filha fala se dele da mesma forma que falava sobre aquelas garotas. Com um sorriso estampado no rosto e brilho nos olhos.

Sua obsessão ficou pior, sua loucura o fez fazer coisas que nenhum pai em sã consciência faria com sua amada filha. Mas mesmo assim. Tudo em sua mente era apenas uma demonstração de carinho, afeto, amor.

Tudo não passava de amor. Não era nada carnal. Pensava o homem.

 

Em diversas vezes, ele a Fe tomar banho com ela, ele a acariciou, ele a beijou, ele fez tudo para tirar cada casquinha e pedacinho de inocência da garota. Com apenas oito anos de idade.

 

Nessa época ela ainda era considerada uma garota inocente. Mas a parti daí tudo piorou. Veio a primeira menstruação e o homem surtou, ele percebeu que o corpo de sua criança estava mais mudado, na mente dele ele deveria ser o primeiro a toca La e abusa La, de qualquer forma ou jeito.

 

Mas, ele não poderia fazer isso com sua mulher em casa. então como um homem calculista e psicopata ele esperou que sua mulher saísse de suas férias, e viaja se novamente como sempre. Como nessa época o homem trabalhava durante a noite como segurança. O que sobrava era as tardes ensolaradas para ele abusar da carência que sentia pelo corpo de sua pequena.

 

Inocente como um anjo puro a garota fazia tudo o que o pai queria, o pai dizia que era apenas uma brincadeira, uma brincadeira para tirar o estresse pois o trabalho o estressava. E a menina ia La e fazia. O que ele queria.

 

Passou meses assim, ate que ele tirou totalmente a pureza da garota. Ele a amarrou na cama dizendo ser mais uma de suas brincadeiras e tirou sua virgindade em plenos gritos de dor da garota.

 

Mas ele adorou isso. na mente insana do homem aqueles gritos faziam parte da brincadeira. Aquilo o agradava ainda mais do que sentir o quão apertada era sua querida filha.

 

A garota por outro lado criou nojo do pai ao perceber o que realmente acontecia dentro de sua casa, tentou diversas vezes falar com sua mãe, mas ela nunca tinha tempo para ouvi La. Para ajuda La. Para dar lhe carinho. Então ela só pôde chorar e esconder seu segredo e isso durou anos.

 

Cansada de sempre fingir que esta tudo bem, tanto em casa quanto na rua ou em qualquer lugar. A garota desabafou com sua única amiga e chorou em seus braços, e ali encontrou o que mais quis em toda a sua vida. Carinho, amor, aconchego, um ombro amigo, e o que mais procurou, uma válvula de escape.

 

Com sua amiga ela podia descontar toda raiva e desconforte que sentia ao ser tocada pelo seu próprio pai. Ela podia fazer o que quisesse pois sua amiga a apoiaria em qualquer coisa.

 

Com o passar do tempo as coisas em sua casa pioraram, e ela sofreu com problemas graves por conta disso. Mesmo com todo o amor e carinho que recebia de sua amiga, o vazio dentro dela nunca era preenchido, mesmo com os dias e noites ao lado de sua válvula de escape, nada fazia o corpo dela sair daquela zona morta, daquele desconforto, daquela vontade insuportável de tirar sua própria vida. A garota tinha entrado em depressão, mas em vez de seguir o que seu corpo implorava, ela decidiu seguir o que sua mente insana queria.

 

Todo o seu vazio dor e repugnância foi substituído pela vontade de ter a sua amiga pra si, só o fato de brincar com ela não estava tirando toda a dor de si. Ela queria mais, sua mente a implorava por aquilo. Botar em pratica tudo o que seu pai lhe ensinou...ela iria praticar tudo aquilo com alguém que ela realmente ame.

 

Porque não ? pensou a garota

 

Não tinha motivos para ela não fazer, seu pai já a obrigava a ter relações a mais de três anos, porque não tirar a inocência dela também ?

 

E foi com esse pensamento que pela primeira vez ela teve uma relação sexual com alguém que não fosse seu pai. E a primeira coisa que ela pensou foi

 

Isso é bom.

 

Afinal, ela amava a garota, e a garoa também a amava e isso só a Fez a querer mais e mais. Mas. Tudo que é bom dura pouco. Seu pai descobriu sobre sua relação com a garota e tornou a vida da menina um inferno. Mas mesmo assim, ela tinha sua amiga, sua válvula de escape, ela tinha um motivo pra continuar a viver.

 

Passou meses dela suportando tudo sozinha. Ate que sua amiga surtou e a ordenou sair de casa.

 

E então ela foi morar na casa de sua amiga, por quase um ano inteiro. mas como eu disse antes, tudo que é bom dura pouco, o pai da garota conseguiu fazer a cabeça da mãe dela, e ela foi atras dela e debaixo de gritos e brigas ela foi obrigada a volta para casa. e daí em diante tudo piorou, sua mãe a deixou de castigo e viajou, ela não podia mais ir na casa de sua amiga e era obrigada a ficar em casa com o seu pai, e isso a gerou muitas tardes sofridas.

 

Então um mês depois de sair da casa de sua amiga, as duas se afastam por motivos idiotas e a garota vê se perdida. Vê se sem seu único motivo de continuar viva.

 

Sozinha em seu quarto ela pensava “ ela já tem outras...ela não precisa mais de mim...eu não sou mais útil “ e com esses pensamentos ela chorava e chorava, nem em dias como esse o homem deixava a garota em paz. Eram nesses dias que ele abusava da carência da garota, eram nesses dias que ele falava que ele era o único que a amava. O que fazia ela sentir vontade de morrer

 

Se isso é amor então eu não quero sentir isso. nunca

 

Pensava a garota enquanto era abusada pelo seu próprio pai.

 

E então no meio de uma tarde de domingo, ela ouviu a voz do pai de sua amiga, a voz do homem era desesperada e ele estava desesperado. Depois de vê que o motivo era uma briga entre a garota e o pai ela se desesperou. Sua amiga sempre foi sensível e carente. Sempre se culpou pela morte de sua mãe. Sempre se culpou pelo afastamento de sua irmã e a briga deles com certeza abalou a garota.

 

Depois de procurar em cinco lugares diferentes, eles finalmente encontraram a garota ruiva em pé sobre as barras de ferro de uma ponte conhecida pelas duas garotas.

Após gritos e mais gritos eles conseguiram fazer ela “ tentar “ sair de cima daquele local perigoso. mas então a garota escorregou da barra de ferro.

A única reação que a mariana teve naquele momento foi de correr. Ela correu. Correu como se sua vida dependesse daquilo. Mesmo que parte de seu corpo a disse-se que já era tarde. A outra metade dizia que ainda daria tempo de puxar a garota pelo braço e a salvar.

E bom, ela acabou salvando a garota.

E nesse dia ela teve seu motivo de viver renovado. Ela descobriu que sem a ruiva, ela não conseguiria mais respirar, quem dirá sobreviver a tudo o que acontece em sua casa. ela se viu presa a garota de todas as formas possíveis.

 

Mas mesmo assim tudo tem um porém. Ela tinha medo...medo de seu pai querer acabar com a amizade das duas, medo de sua mãe descobrir sobre o caso que tem com sua melhor amiga, medo de a própria Victoria se machucar com tudo o que acontece entre as duas. E com esse medo ela aceita a ficar com outros garotos...com esse medo ela faz o que jamais queria fazer. Com esse medo ela acaba afastando sua única amiga.

 

Quando ela voltou a conversar normalmente com Victoria, ela acabou voltando a morar com a garota. Mas mal pensou ela no que aconteceria depois daquilo. Depois de um mês morando na casa da garota, sua mãe voltou a fazer um barraco na escola e a levou para casa. passou uma semana e a mulher tornou a viajar e seu pai tinha um sorriso vitorioso no rosto. Mas ela daquela vez se recusou e bateu de frente contra o pai, ele tomado pela raiva e ciúmes ao perceber que ela tinha marcas pelo corpo, espancou a garota e a jogou no porão da casa, trancando ela por uma noite inteira naquele lugar. Ela passou toda a noite chorando de dor de fome de raiva de medo de tristeza. Quando amanheceu o homem foi ate o porão se dizendo esta arrependido, cuidou e tratou das poucas feridas que ela tinha, e no final como sempre abusou dela perguntando com a voz branda e rouca

Quem é melhor...eu ou aquela aberração ?

 

E isso só fez com que a garota chora se mais e mais.

 

Como esse homem poderia ser considerado um pai

 

Pensava ela em prantos

 

Passou o sábado e o domingo, ele bebia durante a noite e abusava dela aproveitando do castigo que a mãe tinha dado para não sair de casa.

Na segunda ela tentou de toda forma possível disfarça toda a dor e angustia que sentia. Afinal não iria adiantar nada contar para Victoria o que aconteceu durante o fina de semana. Ela tentou agir normalmente. E conseguiu

Conversou com anya sobre assuntos banais, brincou com as garotas, jogou com sara, riu e fingiu estar feliz e como sempre ninguém, nem mesmo a Victoria percebeu que quanto mais ela sorria. Mais ela se afundava, mais ela se entristecia, mais ela se desesperava.

 

Quem vai me tirar essa solidão ?? quem vai supri esse vazio ?? quem vai me tirar desse inferno ???

 

Se perguntava a garota caminhando de volta pra casa, ao chegar em casa seu pai enraivado por algum motivo idiota do trabalho puxou a garota pra si e começou a  tira suas roupas com brutalidade, ela pedia pra ele parar mas ela sabia que nada adiantava, ate mesmo chorar estava em fora de questão, ela não choraria mais por causa daquele monstro. Seu corpo todo pedia por descanso, mas o homem só fazia exigir mais e mais da garota.

 

Então, a mulher entrou em casa, ela viu aquela cena de seu marido transando com sua própria filha. E ódio percorreu todo seu corpo, ele parou com o ato e empurrou a garota exausta no sofá, ele tentou se explicar mas a mulher estapeou a cara dele e começou a gritar, e partiu pra cima da garota, ela começou a bater na garota, tanto de tapa, quanto de murro quanto de chinelada, foi tapas na cara, murros na bochecha, chineladas pelos braços e coxas, o homem tentou de inicio para La mas quando percebeu que a mulher não pararia ele só disse

 

A culpa não foi minha. Ela me beijou e disse que você não é mulher pra mim e que mostraria como uma mulher é de verdade na cama

 

Isso só fez a mulher se exaltar mais e mais, mariana só sabia chorar e pedir perdão, depois de muitos repuxões de cabelos e empurrões ela fez a garota tomar banho com todos os seus cortes, lavou a garota com brutalidade xingando e estapeando a cada esfregada de sabão contra a pele dela

 

Eu vou te mostrar quem não é mulher sua vagabunda !!!

 

Gritava a mulher socando e empurrando a garota que só fazia chorar e se encolher. Ela a forçou a se vestir e continuou a espancar a garota humilhando e xingando ela. Mal sabia a mulher que a pequena nunca teve culpa de nada. O homem só fazia olhar de boca aberta, e todas as vezes que tentou intervir foi xingado e empurrado. A mulher não parava de bater na menina, a puxou pelos cabelos ate a rua e a jogou na calçada jogando sua mochila de escola gritando

 

Nunca mais apareça viva na minha casa...se eu souber que você se aproximou do meu marido de novo eu acabo com a sua vida !!! sua vagabunda !!!

 

e trancou a porta começando a gritar com o marido dentro de casa, mariana mal conseguia andar, ela levantou com o pingo de forças que tinha e tremendo começou a andar lentamente pela rua com todo o seu corpo dormente pulsando ardendo calejando intocável sensível machucado, tudo doía, mas ela não pararia te chegar onde realmente queria. Ela não pararia de andar ate chegar na casa do  único motivo que ela tem pra continuar

e ela não parou. Ela chegou na casa da garota caindo das pernas, mal conseguia manter os olhos abertos. Mas ao ver a Victoria ali parada abismada com as mãos tremulas, ela não aguentou segurar o choro e continuou a chora feito uma criança uma criança que foi humilhada e espancada pela própria mãe. 


Notas Finais


link da musica : https://www.youtube.com/watch?v=vnLAa6_hB9A

bom...eu ainda to chorando
vamos parti pro outro capitulo né ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...