História Loves and Lie - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Baeklu, Baekyeol, Chansoo, Exo, Kaihun, Kaisoo, Lemon, Loves And Lie, Sekai, Sekai Otp
Visualizações 492
Palavras 1.071
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiee, voltei!

Boa leitura!

#Editado

Capítulo 3 - Mentiras


 

3 Sehun preenchia as papeladas relativa ao seu trabalho, enquanto seu melhor amigo, Baekhyun, bebericava um café que haviam feito pela manhã, assim que o Byun chegou ao apartamento do mais novo. Devido ao tédio que se instalara em sua casa, dado ao fato da ausência de Jongin, que tinha viajado, Sehun chamou seu melhor amigo para fazer-lhe companhia. Já que provavelmente o Kim só chegaria no dia seguinte, por conta da conferencia ter sido em outra cidade e ele não ter o levado.

Baekhyun era uma ótima companhia. Esbanjava uma boa áurea brincalhona e fazia o mais novo esquecer-se dos problemas, mesmo que temporariamente. Se conhecerem desde o fundamental, e a amizade entre os dois se estendia há anos.

 

 ‘’Quer mais café Baek?’’ indaga, encarando o menor que estava entretido com o filme que colocaram para assistir. Ele negou. ‘’Ta com fome? Posso preparar algo pra gente comer’’

‘’Estou bem’’

‘’E o Chanyeol, conseguiu zerar aquele jogo idiota?’’

‘’Conseguiu’’ respondeu e logo acrescentou: ‘’Acredita que aquele orelhudo passou três dias me ignorando pra zerar aquilo?’’

 Sehun gargalhou, largando os papeis pela primeira vez desde que sentou no sofá.

‘’Não ria Sehun-ah. Foi ridículo! Park Chanyeol me negando sexo por causa de um jogo’’

‘’Não sei se dou risada dele ou de você’’

 Baekhyun lhe acompanhou antes de atirar uma almofada qualquer nele. E então Sehun começou a lhe contar sua situação com Jongin, e tudo que aconteceu. As desconfianças, a briga que tiveram, o modo como ele vinha o tratando e de como mudou nessas ultimas semanas. O mais velho aconselhou-o em algumas coisas, e fez alguns comentários que tanto ajudaram como perturbaram a mente do mais novo.

              ♠♠♠

‘’... Com esse meio teremos um rendimento de 22% ate o final do ano, e uma perca de 4%. Por isso, eu adquiri uma postura diante de tais gráficos, e talvez, ou melhor, afirmo que achei uma conclusão que beneficiara não só a minha empresa; como todas as cinco empresas interligadas com rendimentos de 9% cada e os custos nada mais serão do que apenas 1,5% no máximo’’ sorriu com a atenção que recebeu ‘’ E isso Senhores, em apenas três meses. O que garanti...

‘’Garanti mais um ano de contrato. É esplêndido, Sr. Kim. Devo dizer que estou maravilhado com essas folhas e seus gráficos’’ um homem de idade mais avançada afirmou sorrindo ambicioso para o Kim mais novo.

 Com isso todos os representantes e empresários presentes naquela sala aplaudiram a Jongin que sorriu, e agradeceu com uma reverencia. Depois disso foram apenas papeladas, sorrisos vitoriosos, e um dia repleto de comemoração, afinal, era um grande negocio.

 

 

Os envolvidos daquela conferencia estavam reunidos no grande salão do hotel, comemorando a nova parceria. E Kim Jongin tava ao lado de seu secretario, Kyungsoo. Este que sorria e se curvava sempre que algum dos empresários vinha falar com seu chefe, exagero, pensava Jongin. Vez ou outra eles fitavam com certa intensidade, Kyungsoo por certo desejo oprimido há dias; o Kim porque julgava que seu assistente estava belíssimo dentro daquele terno e ao seu lado.

Imaginava que podia ser Sehun ali mas com as últimas brigas, resolveu que era melhor descartar essa possibilidade. E ao invés de levá-lo e quem sabe recompensá-lo, mentiu dizendo que seria mais um dos trabalhos chatos e que não podiam levar acompanhantes. Mentira! Lá estavam empresários podres de ricos ao lado de suas esposas ou mulheres que pagavam para acompanhá-los, e ate mesmo Jongin tinha Kyungsoo ao seu lado, e não apenas como um mero secretário. Mas isso era assunto pessoal, não mancharia sua reputação após fechar um contrato tão importante.

Sua consciência pesada o julgava por fazer aquilo novamente. Mentir e enganar Sehun que não merecia aquele tipo de coisa. Mas o desejo que sentia por Kyungsoo o deixava cego, o suficiente para trazê-lo a satisfazer seu prazer.

 

 

 ‘’E então Kai, satisfeito?’’ indagou o mais baixo.

‘’Obviamente. E devo muitos agradecimentos a você, Kyung!’’ disse com um tom malicioso, sugestivo afinal. ‘’Sem você, não teria obtido tanto sucesso hoje.’’

 

O menor lhe encarou e deu uma golada curta em sua taça, e sorriu.

‘’Julgando que esteja feliz e tendo meus devidos credito, creio que mereço uma recompensa. Não?’’ sugeriu malicioso.

Os dois se entre olharam com veracidade, deixando transbordar luxuria.  

 

 ‘’Com certeza. Que tal você subir para o quarto e me esperar. Creio que em quinze minutos consigo me desviar de todos aqui.’’ Sussurrou no ouvido do outro, apertando, entre seus dedos, a cintura dele.

              ♠♠♠

 

Kyungsoo gemeu extasiado pelo prazer. Olhos fechados, boca aberta e inchada, as mãos agarravam os fios do moreno que lhe atingia de forma certeira em um lugarzinho especial dentro de si. Era tudo intenso; desde os beijos sedentos, as mãos inquietas, as investidas firmes... Tudo cooperava para um orgasmo maravilhoso que logo chegaria para o casal de amantes.

Jongin era um dongsaeng experiente, sabia que seu hyung gostava daquele jeito, sabia oferecer um tipo de prazer irrecusável. A diferença de idade era mínima, e pelo Kim ser o chefe, Kyungsoo não ligava de se submeter por completo. Na verdade ele amava a forma como o alheio se tornava outro na cama.

Nessas horas ‘’H’’, o mais velho não ligava por ser o amante, o perigo de ser pego era excitante. E nenhum outro caso, fosse homem ou mulher, havia lhe rendido tanto prazer quanto este. Claro que se sentia errado e às vezes pesava muito o que faziam com o namorado de seu amante, mas quando estavam se pegando no estacionamento da empresa, em motéis de luxo ou no apartamento de Kyungsoo, tudo valia a pena.

Era errado, certamente. Mas valia!

Sem espaço para delicadeza o corpo submisso, que antes tava sentado sobre o membro teso do Kim, foi atirado contra o colchão. E sem sair de dentro, Jongin preencheu tudo numa nova investida, repetindo o ato varias e varias vezes. Era puro desejo. Trocavam beijos para lá de lascivo e Kyungsoo se tocava em busca de seu ápice, com sua mão livre puxava os fios sedosos. E não tardou para que gemessem um contra a boca do outro, chegando ao orgasmo desejado. Primeiro Kyungsoo gozou contra seu abdômen e do alheio, depois Jongin veio dentro do preservativo.

Sorriram cúmplices, caindo cada cá em um canto da cama, cansados. Trocaram um ultimo beijo, consumidos pelo ato errôneo, mas satisfeitos. E talvez, mais tarde antes de adormecer a culpa os tomasse individualmente.

 


Notas Finais


Tudo bom? Não? Ah, também não estou depois desse capítulo. Expus o caso do Jongin , porq já deixei claro na sinopse, então... Devo deixar claro: Jongin tem amante, mas ele e Sehun são o foco da fanfic, até porq ela é Sekai, embora eu vá fazer menção de Kaisoo ainda... hmmmmm, sou muito shipper Sekai ♥ Fico com pena do Sehun, mas verdades sempre vem atona, e hmmm, é isso, tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...