História Loves and Lie - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Baeklu, Baekyeol, Chansoo, Exo, Kaihun, Kaisoo, Lemon, Loves And Lie, Sekai, Sekai Otp
Visualizações 206
Palavras 1.820
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ADORUMMMMM, NÃO TEM LEMON, MAS TEM SEKAI E É ISSO ♥


BOA LEITURA!

Capítulo 30 - Pazes


9 ‘’Bom dia Sehun! Acordou com as galinhas hoje?’’ Luhan indagou parando em frente à mesa do seu secretario.

‘’Bom dia Luhan hyung.’’ O mais novo respondeu sem fitar o chinês de volta.

‘’O que eu tenho pra fazer hoje?’’

‘’Nada. Não, quer dizer, só tem isso aqui pra revisar...’’ entregou uma pasta que estava ele mesmo fazendo uma revisão básica.

‘’Ah! Almoça comigo hoje?’’

‘’Prefiro ir pra casa, Luhan.’’

‘’Qual é, vamos?’’

Sehun negou com a cabeça.

‘’Vai querer que eu faça mais alguma coisa?’’

‘’Não. Quando for almoçar pode ficar em casa, acho que por hoje não há mais nada a se fazer aqui.’’

O loiro assentiu, precisava mesmo de um descanso. Com os acontecimentos da noite anterior, não dormiu tanto como gostaria. Embora tenha sido bem melhor do que os outros dias em que seu Jongin mal falava com ele, dormir ao seu lado e abraçados fizera toda diferença para que pelo menos não ficasse acordando todo instante de madrugada.

              ♠♠♠

 

Tudo que Jongin queria é ir pra casa e descansar um pouco mais. Sua cabeça doía e ele mal conseguia se concentrar nos passos que ele próprio tinha de ensinar. Sua turma era novata e não entenderia caso dispensasse eles mais cedo por isso teria de cumprir seu horário aquela manhã; tanto com a turma, quanto as aulas individuais de Jongdae, Krystal e Sam.

Deu graças quando pode dar tchau a primeira parte e logo esperou que os outros três chegassem. Estava treinando-os para uma apresentação que viria logo no mês seguinte. Gostava dos três alunos, eram dedicados e fáceis de conversa e brincar, porém naquele dia, tudo que queria era ir pra casa. Desprovido de paciência, assim que eles entraram já foi logo dando inicio.

Reclamava constantemente com eles naquele dia. Os próprios achando estranha a reação do moreno que sempre era educado e simpático. Jongdae até tentou suas brincadeiras, mas acabou levando um fora que aquietou.

O tempo se foi antes mesmo que percebessem. Jongin já tava arrumando sua bolsa quando sentiu Jongdae lhe abraçar por trás e aperta sua barriga com a dele colada em suas costas. Bufou irritado. Os outros dois já deviam ter ido embora, era sempre ele que ficava para conversarem.

‘’De mau humor, hyung?’’

O moreno apartou o contato colocando a mochila nas costas.

‘’Só preciso descansar.’’

‘’Pensei que iríamos pra minha casa hoje.’’ O mais novo disse manhoso.

‘’Não to com cabeça pra ficar assistindo! Ainda mais com gente mimada.’’

‘’Nossa, que grosso. Agora que a série tava ficando boa.’’

‘’Amanhã a gente conversa. Tchau.’’

              ♠♠♠

Sehun já estava em casa há quase meia hora quando o moreno, seu namorado, chegou. Já tinha aprontado almoço e acabado de tomar banho iria colocar algumas roupas pra lavar antes de almoçar. Recebeu um breve selinho de Jongin, antes de ele avisar que tomaria banho para comerem juntos, aproveitando que tava ambos em casa.

O mais novo levou uns quarenta minutos até ter as poucas roupas do cesto de roupas limpas cheirosas e estendidas na área de serviço. Jongin ainda o ajudou a estender, assim quando ele terminou precisou apenas trocar a roupa, já que mais cedo quando chegou tomou um belo e relaxante banho. Almoçaram praticamente em silencio, Jongin lavou os pratos que comeram e após isso foram para o quarto do casal, dormi um pouquinho.

Era perceptível que os dois sonolentos encontravam-se relutantes e escolhiam palavras, e não se pode dizer qual deles está mais irritado com esse clima estranho e ridículo.

Despidos de suas roupas e apenas com a peça intima sobre a pele deitaram, cobrindo-se do peitoral pra baixo com um coberto individual. Sehun foi o que primeiro adormeceu com o olhar calmo de Jongin sobre si, bastou fechar os olhos para cair no mundo dos sonhos. E ver toda aquela serenidade fez com que logo o mais velho também se perdesse e acabou por adormece pouco depois.

 

Sehun que adormeceu por primeiro despertou antes de Jongin.

O menor que acordou de bruços, igual seu Jonginnie, virou-se de lado e passou a fitar a beleza do alheio. A respiração leve junto ao subir e descer das costas, seus lábios cheinhos formando um bico fofo, o cabelo bagunçado cobrindo sua testa e a forma como ele abraçava o travesseiro... Era essa visão a preferida de Sehun. Adornado de afeto por ele, levou sua mão a fazer um carinho muito de leve em sua pele nua. O coberto cobria, agora, de sua cintura pra baixo, deixando todo o resto à mostra e disposição do loiro que sorriu bobo. Algo como algodão lembraria fácil a textura daquela tez amorenada!

Não entendia como conseguia sentir tamanha paixão e admiração por uma única pessoa; capaz de tremer com um mínimo toque e ser levado aos céus com o prazer de ver seus variáveis sorrisos. A muito que Jongin tornou-se tudo que tinha. Talvez isso explicasse o fato de que mesmo com tantas brigas e magoas ainda continuava o amando como louco.

Desprovido do paterno e materno há muitos anos: sua mãe tivera depressão pós-parto e cometeu suicídio quando não tinha nem um mês direito; seu pai morreu em um acidente quando completou quatorze anos. Cresceu ouvindo seu Appa dizer que sua amada mãe se foi, mas que ela o amava muito. Esteve doente e por isso se foi, não era sua culpa e nada do que dissessem a ele futuramente seria verdade. Ele acreditava no seu papai, tinham uma boa relação, eram como amigos. O inicio de sua adolescência foi dificil, os amigos de escola sempre o zoava por não ter mãe e quando descobriam o por quê lhe culpavam. Seu batia o pé dizendo que não era verdade, mas Sehun passou a não acreditar em seu pai. Quando ele morreu e teve de ir morar com sua tia e avó por parte de mãe e a realidade mudou, e muito, - não pode ficar com a sua família paterna, pois todos moravam em outro país. Elas acusava-o todos os dias, xingavam e diziam coisas horríveis que só serviram para o rapaz acreditar que tinha matado sua mãe. A tormenta durando por volta de um ano. E isso só mudou ao conhecer Jongin.

A amizade do moreno significou muito para que tivesse um fim de adolescência mais tranqüilo, com menos culpa. Ele mostrou amor e amizade que apenas seu pai tinha feito provar na vida. E logo, veio algo maior. A paixão juvenil que surgiu entre os dois rendeu alguns beijos e amassos, contudo não tiveram nada mais sério que isso. Jongin era alguém viril e de muitas amizades, cursava uma faculdade e Sehun pagava apenas um curso que o garantiu um emprego até hoje na empresa do pai de Luhan, e isso acarretou uma separação dos dois amigos. Foram uns três anos de uma boa amizade colorida de colegial. E só voltaram a se encontrar alguns meses depois, voltaram a sair e conversar estabeleceu um namoro, e embora Sehun não tivesse mais tanto ódio no lar da tia, Jongin o carregou para morar consigo. O moreno fez questão de uma cerimônia simples, apenas para assinarem papeis que oficializaram a união dos dois, com poucos amigos e alguns familiares – mais dele do que de Sehun. Desde então, ele é seu tudo. Sua família era muito ‘’tradicional’’, embora soubessem que o pai do rapaz jamais iria querer isso.

E estão juntos até hoje.

Viu a pálpebra do outro tremer indicando que seu sono estava indo embora e ele tava prestes a despertar, recolheu sua mão. Os olhinhos abriram devagar se acostumando a claridade.

Jongin sorriu aberto ao acorda e ver seu Sehunnie o encarando.

‘’Boa tarde anjinho...’’ murmurou ainda sorrindo.

‘’Boa noite já, Jonginnie.’’ Lá fora, mesmo com o tempo fechado, percebia-se que o dia já tinha ido embora.

‘’Hmm... Não dormia assim há dias! Ainda bem que cancelei as aulas agora de tarde.’’

Ele esticou-se para selar os lábios de Sehun, que tocou seu rosto e o puxou para um contato maior. Foi um beijo calmo, mas mesmo assim cheio de ternura e vontade.

‘’Como está se sentindo?’’

‘’Com frio.’’ Sehun resmungou.

Jongin arrancou o cobertor do outro e o puxou para debaixo do seu próprio, aconchegando-o contra seu peitoral. Jogou o outro coberto por cima do seu e abraçou-lhe, na intenção de aquecer o loiro.

‘’E agora?’’ Sehun riu e beijou o pescoço de seu hyung. ‘’Quer sair pra jantar hoje?’’

‘’O tempo ‘ta fechado. Prefiro ficar em casa!’’

‘’É. Eu também.’’ Assumiu preguiçoso.

Os dedos longos do mais novo alisavam a barriga de pele quentinha, fazendo desenhos invisíveis, e recebia um carinho em suas costas de volta. Ficou assim por alguns minutinhos antes de Sehun se pronunciar:

‘’Hyung?’’ chamou baixinho.

‘’Diga?’’

‘’Eu tive com saudades sua... De forma intima, sabe?’’

‘’Claro que sei! Também sinto falta de te aquecer. É quase um mês já Sehun, sem relação nenhuma... Só eu estando com raiva mesmo pra não subir pelas paredes de tanto tesão acumulado pelo tempo de abstinência.’’ Jongin gargalhou levando Sehun junto.

‘’Eu fico preocupado.’’ Jongin riu.

‘’Em meu pau não levantar mais?’’

Apesar de rir e socar o peitoral do moreno sem força, Sehun estava falando sério naquele instante.

‘’Jonginnie, é sério... Sinto receio quando a gente briga; fico preocupado de que as coisas fiquem sérias demais e nosso amor esfrie; e medo hyung. Medo que você tenha ou encontre outra pessoa para se satisfazer ou até dar amor...’’

‘’Você não precisa sentir nada disso. Sou satisfeito com meu anjinho e estou farto de te dizer isso.’’

‘’Mesmo assim, Jonginnie... Eu só tenho você agora e se de repente isto me for tirado?’’

‘’Nada, nem ninguém substituirão o amor que sinto por você, Oh Sehun. Já conversamos tanto sobre isso... Foi só mais uma briga. Minha raiva já passou. Sempre superamos tudo Hunnie...’’

‘’Mas...’’

‘’A gente não vai brigar de novo, Sehunnie.’’

O moreno mordeu a mandíbula do loiro ao seu alcance, o fazendo grunhi manhoso.

‘’Jongin...’’

‘’Quer que eu ti prove minha saudade?’’ virou o outro contra o colchão, enfiando uma perna no meio da de Sehun, colando seu baixo ventre contra uma das coxas dele e movendo para cima e baixo lentamente.

Mesmo que pouco perceptível, já havia algo ali, uma pequena ereção se formando. O calor ganhando vida de forma rápida no corpo do maior que sorriu ao ver o olhar de surpresa do loiro.

‘’Você precisa retocar o loiro, ou sei lá... Jogar logo um preto de uma vez...’’

 Alisou a cintura com a mão esquerda e com a outra fez um breve carinhos nos cabelos macios. E Sehun também tocou em seu rosto, o fitando de baixo, principalmente a boca carnuda tão próxima da sua, lambeu os lábios costumeiros. E iniciaram um beijo lascivo; as línguas se tocaram com lentidão fora da boca, o moreno mordiscou provocativo recebendo um arfa e em seguida tendo seu inferior sugado, pra novamente iniciarem um osculo com veracidade.  

 


Notas Finais


Tô com pressa aqui, ok kkkkkk faltou imaginação pra escrever e ontem não tive tempo, e é isso. BEIJOCAS bye, Digam o que acharam?!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...