História Loves and Lie - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Sehun
Tags Baekyeol, Chansoo, Exo, Kaihun, Kaisoo, Lemon, Loves And Lie, Sekai
Exibições 94
Palavras 1.696
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente linda, amores da minha vida

LEIAM AS NOTAS FINAIS, U,U

BOA LEITURA!

Capítulo 32 - Pesadelo


11 Jongin tava muito irritado, contudo seu coração doía por igual e sua cabeça lateja a todo instante. Esperava a hora de Sehun chegar, para poderem conversa novamente. Já estava tarde comparado ao horário que ele chegava diariamente, além de preocupado sentia ciúmes por causa das últimas palavras dele. Foi longe demais com aquela discussão a ponto de se agredirem e isso machucava a si próprio. Bater em seu anjinho fazia mal a si. Mas aquela foi pura raiva, e sabia o quanto Sehun devia está ferido e angustiado.

Derramou algumas lágrimas, arrependido. Não que mudasse as coisas que fez ou falou, mas ambos estavam errados e podiam se resolver novamente, caso Jongin largasse o orgulho.

               ♠♠♠

 

 Sehun sorriu triste virando mais um copo de vodka que desceu ardendo em sua garganta. Não queria falar aquele tipo de coisa muitos ter que ouvir Jongin e suas palavras duras, ou que ele tivesse o agredido e o próprio Sehun revidado. Não havia mais um dia em que não sentisse que seu amor se esvazia a cada briga, não por seu lado ainda amava e confiava no parceiro, mas nada parecia ser como antes.

Pediu outra dose.

Saiu da empresa direto para aquele bar e já eram 8h e 30m quando fitou o relógio de pulso e recebeu uma mensagem de seu namorado, o que não esperava admitia.

Vai voltar pra casa amanhã? Está solteiro agora? Precisamos conversar Sehun. Venha, por favor...

Suspirou triste e com o álcool falando mais alto na veia deixou que seus dedos digitassem algo que se arrependeria profundamente mais tarde.

Não estou afim gatinho. Deixe-me em paz, talvez você esteja me atrapalhando...

Meia hora depois recebeu outra mensagem:

Então é assim? Ótimo! Voce se diverte com quem você quiser e eu vou dar meu jeito, Jong parece uma ótima pessoa de cama.

Mais uma após essa:

Espero que o chifre não te doa fisicamente, Sehun.  

               ♠♠♠

 

 Já era tarde da noite quando o loiro chegou em casa bêbado e ainda com noção das coisas que acontecia e de como chegou. Apenas buscou abrir a porta e entrar fazendo barulho demais para alguém que devia tentar ser discreto e não acordar a fera. Mas Jongin ficou acordado a noite toda, o que Sehun não sabia. Claro.

‘’Três horas da manhã Sehun?’’ O moreno ficou de pé batendo palmas.

‘’Jongdae já foi?’’

‘’Já! Achou que ele ficaria aqui a noite inteira? Sou mais discreto que você, anjinho, não deixaria meu amante ficar aqui.’’ Empurrou o outro contra o sofá deitando em cima dele.

‘’Não comeu o suficiente não?’’ Jongin negou e recebeu uma tapa na cara, sorriu sádico. ‘’E a puta ainda sou eu?’’

‘’É você que gosta de um pau dentro de você...’’ arrancou a camisa social do outro.

Sehun relutou, mas o efeito das bebidas fortes não o deixava muito eficaz e toda sua força se desfez ao ter o membro domado entre as mãos firmes do moreno. Seu pescoço foi mordido com força, gemeu alto e em seguida recebeu algumas chupadas ali também. Contorcia-se abaixo de Jongin, sendo tocado em vários cantos ao mesmo tempo. Ele o beijou e com maldade mordeu o inferior do outro até sentir o gosto férreo em sua boca, e não ficou barato quando seu corpo foi virado no sofá e sem aviso nenhum ele o penetrou a seco. Gritou exasperado, o desespero da dor e prazer fez seus olhos lacrimejarem a ponto de derramar lagrimas. Aquela posição gerou um breve desconforto no inicio, mas logo ambas as respirações ficaram aceleradas. Teve seu corpo virado novamente e sua cintura segurada e puxada até que sentasse sobre o membro duro do moreno. Grunhiu. E teve novamente os lábios inchados sugados, chupados e mordidos; uma total bagunça de língua e saliva. Atingiram o orgasmo junto, sem muita caricia ou cuidado.

Não houve amor, apenas sexo. Uma forma idiota de magoarem-se ainda mais. Ódio e repulsa eram palpáveis quando cada um seguiu para um banheiro diferente da casa e por lá mesmo choraram e se banharam separadamente.

Jongin demorou a ir para o quarto e quando entrou o mais novo já dormia descoberto e vestido apenas por uma calça moletom.

Sorriu amargo. E deixou que as lagrimas voltassem.Por que faziam aquilo? Por qual motivo insistia em ferir alguém que amava tanto? E ainda assim doía em seu coração?

 

O moreno não foi trabalhar naquela manhã. Acordou e ficou deitado à cabeça doía e o aperto no peito ainda tava presente ali.

‘’Sehun...’’ cutucou as costas do loiro deitado de bruços. ‘’Ei, acorde.’’

Sehun despertou com a voz alheia tilintando em seus ouvidos. Suspirou fundo, preparado para outra briga. Sabia que depois de ontem o fim deles estava muito mais que próximos e isso assustava seu pequeno coraçãozinho.

‘’Eu fiz tudo errado novamente. Fui grosso e te acusei sem o escutar. Falei coisas pra te ferir com raiva de você e não pensei nas coisas que deve passar na sua cabeça todas as vezes que faço isso. Mesmo que pareça fodidamente insuportável para você, eu também me sinto machucado com o que ocorreu ontem. Sei que é cedo, e que talvez não queira ouvir nada disso... Olha, sobre o que falei ontem, era tudo mentira caso você tenha acreditado.’’

‘’Qual parte?’’ a voz de Sehun estava embargada, aquilo doía como todas as outras vezes que tentavam conversa.

De repente toda relação deles se resumiam a brigas e pedidos de desculpa. 

‘’Sobre o Jongdae. Ele não esteve aqui. Eu nem sequer falei com ele... Eu jamais faria isso com você. Posso errar de todas as formas que tenho errado, mas isso não. Sinto muito pelas palavras, e por te tocar daquela forma... Eu te entendo se não quiser me perdoa agora e fique a vontade para me xingar, eu mereço! E sei bem disso! Só não quero deixar pra depois essa conversa e te machucar ainda mais... Seu Jonginnie retira TUDO que disse, não me importa... Não importa se você quiser ficar em seu trabalho eu que errei feio por não te escutar... Sehunnie, eu... Por favor, só me perdoe, se não hoje, mas me perdoe...’’

O moreno não sabia se tinha plena coerência nas coisas que tentava dizer em meio ao embalo de choro. A culpa era tão grande ao fitar a dor presente no rosto de alguém como Sehun.

‘’Isso está se tornando repetitivo demais...’’

‘’Eu entendo, mas não quero que pense que eu te traio com ele. Nunca faria isso com você. NUNCA. Eu o amo demais para isso e deixei que a raiva me levasse pra ignorância. Eu também sinto medo agora...’’

‘’Jongin, para...’’ o loiro engoliu seco e ficou de pé caminhando até sua sala e sendo seguido. ‘’E-Eu... Estava bêbado quando recebi sua mensagem. Ainda sóbrio, mas já um tanto alterado. E acreditei no que você disse... Sobre você e o... Cassete! Me sinto muito pior agora. Talvez eu tivesse que te perdoar, mas eu... Eu achei que fosse verdade, também tava com raiva e acabei que...’’ Sehun ficou de pé, uma ânsia subiu lhe até a boca e em poucos minutos seu banheiro fedia pelo vomito no sanitário. 

Ele escovou os dentes enquanto Jongin o preparava um café junto ao um analgésico. Sabia que o machucou fisicamente na noite passada durante o sexo e que a cabeça dele devia ‘ta doendo. Sentou em uma das cadeiras e bebericou o café.

‘’Jongin, eu vou ser direto, mas antes... Nos dois temos culpa de tudo que aconteceu: eu por não te obedecer e ter trazido ele até aqui e você por deixar de acreditar em mim. Ontem quando eu tava no bar e recebi sua mensagem eu não tava sozinho, mas havia um carinha lá e... Ele ficou conversando comigo por horas e acabou que... A gente ficou, Jongin.’’

‘’O que?’’ indagou o outro se levantando com um cara de muita, muita surpresa e decepção.

‘’Não chegamos a transar, foi apenas um ficar de beijo. Eu me sentia horrível por achar que o...’’

Jongin socou a mesa pra não avançar no loiro que chorava.

‘’E eu acreditando que você e aquela boneca não tinham nada... E-Eu, passei a noite preocupada e chorando pela merda que fiz com você. Pela dor que te causei e pelo escândalo da conversa, enquanto...’’

 

‘’Não foi com o Luhan que eu fiquei...’’

E tudo que se ouviu ecoando pela casa foi os cacos de vidros batendo contra o chão...

 

 

 

 Sehun gritou alto sentando na cama, o coração acelerado.  Seu peito subia e descia e de seu rosto escorriam lagrimas sem parar.

Jongin acordou assustado. Demorando a entender que o loiro estava chorando, sentou-se e segurou o rosto do menor.

‘’O que aconteceu? O que foi?’’ indagou preocupado.

‘’Tive um pesadelo... Eu acordei e tivemos um dia ruim e brigamos a ponto de se agredir e eu te traia... E-Eu nunca senti tanto medo Jonginnie...’’ sentiu seu corpo ser abraçado.

‘’Foi apenas um pesadelo. Estamos bem. Fizemos as pazes, você só deve ter ficado com o emocional abalado. Não chore...’’ acalentou o menor até que a respiração dele normalizasse.

‘’Brigamos por causa do Luhan no sonho também. Eu o trazia pra cá, porque ele precisava tomar banho e... Você chegava e tirava conclusões erradas. Brigamos feio e você me bateu e eu revidei. Xingamos-nos também antes de você mandar eu escolher você ou meu emprego... Sai pra beber e fiquei com um garoto que não lembro... O resto do sonho também foi horrível, mais brigas e acabou que eu contei pra você e...’’

Sehun soluçou.

‘’Eii, já foi apenas um pesadelo. Fica calmo. Vou buscar água pra você.’’ Selou a testa dele e foi atrás da água.

Trouxe junto a um calmante, eram quatro horas da madrugada. Dormiram tanto durante a tarde. Tiveram uma ótima reconciliação: fizeram amor, assistiram filmes e jantaram juntinhos. No mínimo ele devia ter ficado muito pensativo a respeito da briga e da desconfiança e por isso sonhara aquilo tudo.

‘’Se sente melhor?’’

‘’Sim... Obrigado e desculpa por te acorda.’’

‘’Ta tudo bem, meu anjo. Vou ficar acordado até quando você quiser dormi novamente, hm? Eu te amo nada nem ninguém vai tirar isso de você tampouco de mim.’’ 


Notas Finais


KKKKKKKKKKKKKK e então? Já deu pra sacar, ne?! SIM FOI TUDO UM SONHO RUIM, PESADELO, SEKAI SEPARADO NÃO! #FORA TEMER
Isso mesmo, capítulo passado não passou de um pesadelo. Eles acordaram no mesmo dia do capítulo 9 q foi bem cut, lembram? É só voltar e ver. E toda briga deste e do do 10 foi um pesadelo. OU SEJA, nosso SEKAI TA BEM E JONGINNIE O AMA DEMAIS E NÃO FOI GROSSO DAQUELA FORMA HORRÍVEL

Comentem se entenderam e o que acharam, okay? Mas, como sou má, tretas virão, 2 bj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...