História Loves and Lie - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Sehun
Tags Baekyeol, Chansoo, Exo, Kaihun, Kaisoo, Lemon, Loves And Lie, Sekai
Exibições 239
Palavras 1.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não vou negar, esta horrível... Narrado pelo Kai, okay? ok

Já estou escrevendo o próximo, esse foi mais um passa tempo, mesmo assim, vejo vcs lá embaixo

Boa leitura!

Capítulo 7 - Desmoronando


7 *Jongin*  Eu hoje amanheci decidido a consertar meus erros.

Essas duas últimas semanas foram cruciais para eu cair em si, e sacar o quanto tenho errado, além de errar comigo mesmo, pisei na bola com o Sehun e não vou me permite machucar uma pessoa tão maravilhosa como ele. Não mais do que já o ferir e sei que será um dia dificil, mas tenho ensaiado tudo em mina mente. Só que primeiro preciso conversa com Kyungsoo e dizer a verdade, que quem eu amo é o Sehun e no meu coração só tem espaço pra ele, e o quanto ele é fundamental em minha vida, por isso preciso escolher.

 Não nego tudo que tive com ele foi bom. Era excitante e eu gostava. Foram nove meses em um caso as escuras com ele, meio que rolava uma tensão sexual entre nos dois desde que ele passou a ser meu secretario e acabamos nos envolvendo. Depois se tornou um vicio, Kyungsoo é incrível na cama e amava foder com ele, tornou-se uma relação insaciável. E com isso veio às mentiras para sair com ele, o levava pra jantar, assistir, levava-o nas festas da empresa; fodemos em motéis e na casa dele, e ás vezes até no banheiro da empresa. Do Kyungsoo era um bom amante. Silencioso, discreto e me satisfazia, tirava todo meu estresse, mas isso até duas semanas atrás.

 Sehun adoecer foi uma tapa na cara. Notei o quanto desgastava meu amor, como fui frio mentindo tão descaradamente, e em como ele não merecia isso. A culpa nunca foi tão forte. Eu o amava. Nunca admiti as palavras rudes, quando Kyungsoo insinuava que havia deixado de amar ele na mesma intensidade, pois quem ama não trai, e que eu estava me apaixonando por ele, pelo amante. E eu ria, com medo de ser verdade. Mas nunca foi.

 Kyungsoo, também penso nele, de um modo fraterno agora, ele também sairia ferido dessa situação. Ele gostava de mim antes de começamos a ter nosso lance, e se afastou de uma vida própria para dedicar-se em ser meu secretario e amante, perdendo muito tempo e muitas oportunidades. Tolo, talvez, mas ele aceitava numa boa ser o outro, a segunda opção. Já o vi chorando por mim antes, e me comovia, como podia fazer isso com duas pessoas tão boas? Eu sou um babaca.

 E por isso, que a uns três dias mandei uma mensagem explicando a forma que me sentia em relação a nosso caso, e que estava colocando um fim naquele erro. Desejei felicidades e disse a ele que ele sabia o quanto eu mesmo seria.

Aqui estamos nos dois, tendo uma conversa decente, um pouco estranha, mas como duas pessoas que cometeram erros graves devem assumir suas responsabilidades. Ele estava irritado, quase me xingando, mas ainda mantinha a voz baixa e passiva.

‘’Você sempre manteve as duas relações’’

‘’Kyung, entenda, eu não posso continuar com essas mentiras. Eu tenho tudo que eu preciso com ele, e não faz sentido eu machucar alguém que eu amo apenas pela luxuria de ter outro. Eu me decidi, a gente continua trabalhando junto, mas qualquer coisa que tivemos acaba aqui’’ eu disse com um tom calmo, encarando ele que encarava o chão, ele bufou. Pela quinta vez naquela manhã.

‘’Tudo bem. Se for assim, conserte sua relação então. Mas saiba que odeio sua decisão, foram nove meses Kai... E... E... Enfim. Deixa pra lá’’ deu-se por vencido, e caminhou até a cadeira dele que às vezes ficava ao meu lado. Suspirei, a conversa havia sido longa, mas finalmente senti que tudo ia dar certo.

 Engano meu.

 

               ♠♠♠

 

 Meu coração doeu ao ler aquela mensagem. Droga, eu havia esquecido o celular em casa, de repente vi que todo meu plano tinha dado errado. Comecei a tremer sentindo que tudo ia desmoronara, que Sehun estava machucado enquanto falava sua agressividade na voz, eu causei aquilo nele, sua reação foi brusca, quando Kyungsoo inventou de falar algo, sobressaltei com o susto, mais foi ainda pior quando atirou o note do hyung.

 Eu tentei lhe falar, as palavras clichês que qualquer pessoa diria, mas ele não deixou. Ele jogou toda a verdade em minha cara, e eu não podia negar. Suas palavras eram duras, ele estava ferido, a magoa tão presente, doía em mim e queria o abraçar.             

‘’ ...Espero que vocês estejam satisfeito, que tenha valido a pena suja os lençóis de algum motel barato enquanto eu estava na nossa maldita casa, preocupado com você, chorando feito um idiota que sempre fui, por você Jongin...’’

 Doeu como o inferno ouvir aquilo, eu podia explicar, mas era concreta cada palavra sua. Eu lhe causei dor e decepção. E ele sempre me desculpava os atrasos, as mentiras... Tudo.

Eu tentei lhe tocar, recebendo socos. Tudo se tornou uma bagunça. Ele me batia e dizia tudo que devia ‘ta entalado, e eu não culpava sua raiva tinha razão, cheguei a assumir, e ele explodiu, tudo em minha mesa foi parar no chão, até seu retrato, Kyungsoo assustado levantou e foi ai que Sehun o agrediu, chutes, tapas... Dois funcionários apartaram a briga.

 Sehun chorava e eu também, porque doía como ser queimado deve doer.   

 Eu tentei explicar, o tocar, eu disse a verdade. Eu o amava, queria conversa, resolveríamos isso, esse furacão que causei... Mas ele se foi, depois de me dizer que eu estava morto pra ele, o segui, mas não o alcancei, seu carro disparou em alta velocidade. Respirei fundo, voltando pra empresa para pegar meu carro no estacionamento, eu lhe alcançaria em casa, ou na casa do Baekhyun, engano o meu.

Presenciei a pior cena da minha vida, vi meu chão desabar e senti todo o ar fugir de meu corpo enquanto ia reduzindo a velocidade do meu próprio carro; vi uma multidão; um caminhão e um carro esmagado e dentro... Dentro estava ele, a pessoa qual eu mais amava e mais machuquei.

 No meio de gritos horrorizados, vidros e sujo de sangue, estava Sehun.

Gritei em pleno pulmão, e então quando sai de meu carro nem minhas próprias pernas sustentaram a dor alucinante que senti. Eu tremia, e meus olhos paralisaram na cena enquanto as lagrimas manavam de dentro de mim como um rio pessoal em meu rosto, o ar também sumiu. O coração latejando em minha caixa torácica...

Oh Sehun, a razão mais bela pra se viver estava morta.

  


Notas Finais


Prometo que o próximo não tara assim, e não voltarei a fazer com eles narrando. Hmmm, muito obrigado por ler e comentar, e digam o que acharam, ficou: 1 meio bosta, 2 muito bosta, 3 podia melhorar, ou 4 sem sentindo e 5 'ta legalzinho ? kkkk sejam sinceros, e não, não li, então deve tar u ''o'' oq to falando? tchau, beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...