História Loving a Psychopath - Imagine IM (Changkyun) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Psicopata
Exibições 202
Palavras 1.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLHA OS PEGA MINHA GENTE -QQ

Já foi um mini spoiler... PQ EU TO MUITO FELIZ COM A QUANTIDADE DE FAVORITOS NESSA FANFIC ! SÉRIÃO <3 VALEU POR TUDO !

Boa leita <3

Capítulo 10 - Chapter Ten


- Vamos ter que mudar o plano. – Disse coçando a nuca caminhando de um lado para o outro,preocupado. – Se você for sozinha irá ter problemas e eu acabarei por te perder.

S-Sozinha ? Me... Perder ?

- O quer dizer ? – Perguntou receosa.

- Kihyun , trabalha para o seu pai e o seu pai o mandou para cá, para ele ficar de olho em você. – Se sentou ainda inquieto.

- Não se refira a esse homem como meu pai... – O corrigiu e ele sorriu de canto.

- Continuando... A próxima vítima do seu pai é ou será você, se não tomar cuidado. Ele soube de alguma forma que eu lhe contei a história.- Suspirou.

- Kihyun... – Disse entre os dentes. – AISH, EU SOU TÃO IDIOTA ! – gritou.

- Ele te fez assim... Ele te usou todo esse tempo. Na verdade, ele nunca te amou, nem a você nem a sua mãe. – Sussurrou perto do ouvido da mais nova. – Você o odeia,certo ? Não quer que ele viva. – Ela apenas assentiu, seus olhos estavam carregados de raiva. – Se não fosse por ele, sua mãe estaria viva. Poderia ter vivido sua vida tranquilamente. – A respiração da garota estava descompassada e seus punhos haviam se cerrado. - Não precisaria ter vivido como uma princesa,poderia ter saído daquela mansão para brincar com as outras crianças,mas você ficava trancada para o lado de dentro da grade... Não era ? – Sussurrou por fim.

Todas essas palavras e afirmações começaram a se encaixar na cabeça de ______ e agora tudo fazia sentido. O motivo de Kihyun ser a única criança a entrar no dormitório, o porquê do choro de sua mãe , o motivo de seu desaparecimento e seu tratamento de princesa.

- EU O ODEIO ! – Gritou e Changkyun riu baixo. – Por que ri ? – O encarou.

- Siga-me. – Segurou o pulso da mais nova e puxou algum armamento da mesa próxima a porta, a levando para os fundos da casa. – Temos apenas mais um dia. Consegue ver aqueles alvos ? – Apontou para as madeiras que lembravam uma silhueta humana,mas já perfurada por tiros. A garota limpou as lágrimas com as costas das mãos e assentiu. -  Imagine que aquele no meio é o seu pa... – Ela o encarou repreendendo e ele logo se tocou. – É o ex-prefeito, mas para chegar nele terá de passar pelos seus seguranças e por... Kihyun.

 Ela bufou alto ao ouvir tal nome. Está se sentindo traída

- Achou que ele estaria ao seu lado ? – Riu. – O que terá de fazer é simples. Todos eles são homens e como sabe, nenhum deles resiste aos encantos de uma jovem garota e com um belo corpo. – Se referiu a ela. – Mas não deixe se levar. Não é por que te tratam bem,que sentem dó ou algo do tipo por você. – Ela apertou os olhos com raiva. – Veja... – Mirou ao centro de um dos alvos e o acertou em cheio. – É capaz ?

- Por que não seria ? – O encarou e o mesmo sorriu levando uma mecha do cabelo da mais baixa para trás da orelha.

- É isso que terá que fazer. – Lhe entregou a arma e se afastou um pouco. – Não se esqueça... Todos eles odeiam você. – Sentou em uma cadeira ali perto.

A garota suspirou fechando , um pouco, os olhos e trazendo a memória tudo o que havia escutado mais cedo. Assim que abriu pôde mirar ao centro do primeiro alvo e atingi-lo.

- Daebak ! * - Ouviu Changkyun.

Mudou a direção de seu braço e atingiu o próximo alvo, acertando dessa vez em sua cabeça. Changkyun vibrava atrás da garota. Faltava apenas dois alvos.

- Kihyun... – Disse baixo e pronta para atirar,mas acabou por se lembrar dos bons momentos que passou com o mesmo. Todas as risadas, os choros, as diversões. Tudo isso martelava em sua cabeça causando uma tremenda confusão. Não sabendo qual dos dois lados seguir, largou o revolver ao chão e caiu sobre seus joelhos levando as mãos a cabeça.

Ele jurou te proteger, não trairia sua confiança. Foi uma promessa !

Todos eles te odeiam ____ !

Kihyun não é como eles

“ - Eu prometo nunca te deixar sozinha novamente.”

“Nos vemos em dois dias.”

Kihyun era empregado de seu pai.

Tudo o que lhe disse foi falso.

“- Eu te amo _____.”

” - Eu também te amo Changkyun...”

- _______ ? – Changkyun a chamou. – Está bem ? – A garota já em lagrimas novamente se pôs em pé novamente com a arma em seu poder.

- Sim. – Respondeu se erguendo e mirou na cabeça da silhueta que representava Kihyun e atirou. – Acho melhor continuarmos isso mais tarde, para falar a verdade não estou me sentindo tão bem assim. – Disse por fim e soltou a arma entrando novamente na casa.

Entrou na casa e se dirigiu ao Box para que pudesse relaxar durante o banho, permitiu-se molhar o cabelo e a cada vez que fechava os olhos lembranças os invadiam. Imagens de sua mãe chorando aos pés da cama, enquanto _____ a observava pela fresta da porta que se encontrava aberta ;  Seu pai a proibindo de sair para qualquer outro lugar que não fosse a escola e a luta que foi para que pudesse fazer um faculdade, tendo de fugir de casa para isso. Achou que agora teria paz, mas viu que sua única paz era Changkyun , mesmo com todos os seus problemas.

Quando saiu do banheiro encontrou-se com Changkyun sentado a cama , enquanto fitava os próprios pés. ______ passou pelo rapaz em silêncio e se sentou na outra ponta da cama de casal.

- Eu tenho orgulho de você, _____. – Ele disse.

- Por que ? – Disse já segurando um livro que trouxe consigo.

- A cada dia você me surpreende. Você é incrível  ! – Levou seu olhar até a garota. – Mesmo com todos os meus surtos, tudo o que eu já te disse e eu sei que muitas te feriram , você não desistiu de mim. Não me tratou como se eu fosse um monstro ao seus olhos, pelo ao contrario. – Se aproximou dela. – Me tratou como um ser humano que precisava  conhecer o amor verdadeiro de alguém. – Iniciou um beijo com desejo e paixão, colocando a garota sobre seu colo. – Eu realmente te amo muito.

- Você sabe que... – Pausou o beijo se fazendo de pensativa. – Uma pessoa, que sente prazer em matar outras sendo inocentes ou não é considerado um psicopata não é ? – Ele assentiu e roubou um selar de seus lábios. – Mas se o seu coração está destinado a um alguém ele é considerado sociopata , certo ?

- O que está querendo dizer ? – A encarou ainda sobre si.

- Acho que alguém aqui está mudado. – Sorriu para ele mordendo logo após o canto de seus lábios.

-  E alguém aqui precisa ser punida por descobrir tantas coisas assim e por vim me provocando a tanto tempo.  – A jogou na cama. – Só fará algo com as minhas ordens , ok babygirl ?

- Ok, daddy. – Sorriu o provocando.

- Ya... Não sorria assim. Isso também me provoca. – Atacou seus lábios novamente enquanto sua mãos passeavam por dentro da blusa da mais nova, que dirigiu suas mãos até as costas de Changkyun. – Não me toque. Eu não permiti... – Segurou os pulsos da garota acima de sua cabeça com uma de suas mãos enquanto a outra tirava sem nenhuma dificuldade a blusa da mesma, deixando seus seios a mostra.

A soltou por um instante retirando seu sutiã e procurando por algo pelo quarto , logo localizou um cinto, que usou para prender as mãos da mesma. O que lhe deu uma liberdade maior, não se preocuparia com suas mãos.  Abocanhou os seios da mais nova que grunhiu com tal ação e o mesmo levou o dedo indicador até a sua boca indicando que fizesse silêncio.  Enquanto abocanhava e marcava um , massageava o outro com sua mão livre.

Deixou marcas de chupões avermelhados e roxos por toda aquela região, a garota se retorcia tentando não fazer barulho algum, pois a cada som que saia um tapa era depositado em sua coxa , descoberta pelo short curto.  Um caminho foi traçado até a barra de seu short, Changkyun bufou ao se lembrar que ainda teria de se livrar daquela peça.

- Já aviso, só irá gozar quando eu permitir. – Desabotoou seu shorts. – Estamos entendidos ?

- Oppa... – Pediu manhosa.

- Hoje eu não sou seu oppa. – Se aproximou da orelha da mesma que fechou os olhos ao ouvir sua voz. – Sou seu daddy. – Mordeu seu lóbulo. – A cada ação errada, será punida com mais força. A única coisa que eu quero é que gema meu nome alto, para que todos possam saber a quem você pertence. – A mesma assentiu, então ele continuou o estava a fazer.

Retirou sua camiseta em um passe de mágica e afastou as pernas da garota de posicionando entre elas. Começou a alternar entre chupões e beijos por suas coxas até chegar em sua intimidade, já sedenta apenas por seus toques. Sorriu e encarou a garota. Toca em sua intimidade – ainda coberta.- de leve e podia ouvir as tentativas que a garota tinha ao tentar acalmar sua respiração.  Livrou-se de sua bermuda e logo após da calcinha de ______ , a adentrando com sua língua, a mesma gemeu alto. Começou movimentos circulares e a mesma indicou que iria se desfazer, mas ele a olhou com reprovação.

- Isto é uma tortura. – Disse entre arfadas.

- Está é sua punição, babygirl. – Se afastou e retirou a única peça de roupa ainda existente em seu corpo. – Implore por mim, peça para me fazer só minha.

Encostou sua glande a entrada da garota, mas não a introduziu o que gerou descontentamento a mais nova.

- Por favor, faça só sua. Eu quero ser só sua ! – Disse e Changkyun sorriu a adentrando devagar. – Por favor, mais rápido !

- Eu não lhe deixei escolhas, eu faço o que acho melhor. – Sorriu de canto e beijou a garota ainda assim dentro dela. – Você sempre só minha.


Notas Finais


*Daebak = Incrivel.

Espero que tenham gostado, de coração ~*

Agora são 01:03 e eu ainda tenho que estudar para a prova de amanhã... Acontece hahahaha.

Comentem o que acharam e UM BEIJÃO <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...