História Loving Can Heal - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katy Perry, Rihanna
Personagens Katy Perry, Rihanna
Tags Jaty, Katy Perry, Katyanna, Lésbico, Rihanna, Rihkaty
Exibições 105
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei mwqtjwetg. Bom esse cap não ta do tamanho normal, mas pelo simples motivo de querer deixar o final um pouco tenso. Então não demorarei a atualizar ok?

Queria agradecer a @RyviKaty pelas belas palavras ♥ Obrigada de verdade amor.

Não me matem ao ler o capítulo ok?
Amo vocês

Mwah ♥

Capítulo 30 - Don't let me go


Fanfic / Fanfiction Loving Can Heal - Capítulo 30 - Don't let me go

 

Após dar o meu show, claro, aquela pregação foi um show, me sentei novamente ao lado de Rihanna. Ela ostentava um sorriso sincero e eu o retribuí da melhor forma possível. Minha mãe estava hílare e eu junto a ti o mais contente possível, olhei para trás e vi Angela encostada na parede ao seu lado Stella sentada ao chão, ela levantou o polegar realizando um gesto positivo e sorriu. Pelo menos ela havia esquecido o episódio do cabelo.

Estava no momento da pregação de meu pai, que tinha como base o tema abordado por mim, eu estava focada no que meu pai dizia, mas uma voz me tirou a atenção, era Freya que queria tirar a atenção de minha namorada.

— Rihanna. - Reclamei.

— Esta tudo bem amor, ela só quer conversar comigo.

— Ela quer conversar com você na cama sem roupa. - Estava nítido a minha desaprovação.-Se você for atrás dela nunca mais me procure.

— Eu só quero conversar com ela Katy, já sei que nós não temos nada mais e eu, não quero atrapalhar o que vocês demoraram para construir. - Ela ostentava a sinceridade, mas mesmo sendo verdade eu não conseguia acreditar em uma palavra se quer.

— Rihanna - Disse mais numa vez.

— Você sabe bem que eu sou sua Katheryn, e não há ninguém que possa mudar isso. — Minha namorada me beijou pra deixar claro o que sentíamos uma pela outra, e com um estalar e dedos desapareceu de minha vista com aquela mulher. Minha mãe me olhava de cima a baixo, como se quisesse dizer " Eu não faria isso." Me deixei levar, aguardei exatamente quinze minutos e Rihanna voltou sozinha, sem a companhia de sua ex. Ela voltou sorridente, e não exitei em perguntar o que haviam conversado. — Nada de mais.

— Se não é nada de mais então me conta.

— Pra que Katy, depois te conto.

— Rihanna. - Disse já sem paciência.

— Oi.

— Tudo bom?

— Tudo ótimo e você?

— Também, o que faz? — Ela ria de minha ironia.

— Tentando prestar atenção no culto, mas uma mulher muito linda não me deixa, querendo saber o que aconteceu enquanto conversava com Freya. E você?

— Procurando uma nova namorada.

— Katy.

— Sim, no que posso te ajudar?

— Ela disse que não vai tentar nos separar mais, que isso é passado pra ela. Ela está em outra.

— Bom pra ela.

— Vai ficar brava agora? Eu já lhe contei.

— Mas não contou na hora que eu pedi.

— Dramática

Tempos depois, meu pai anunciou o final do culto com a bênção apostólica. Minha mãe se levantou com a minha ajuda e a de Ângela que a todo momento me fitava querendo dizer algo. Stella corria pela igreja quase vazia de um lado para o outro enquanto meu pai conversava com o mesmo músico do início do culto. Desde então não vi mais a Freya o que era uma boa manifestação. 
Com o pouco tempo que tínhamos livre Rihanna e eu fomos até o veículo que assim que eu já estava dando partida perguntei.

— Por que não me contou a verdade?

— Que verdade? — Indagou arrumando seu cabelo.

— A que você beijou a Freya. — Fui objetiva.

Ela riu.

— De onde tirou isso?

— Desse batom vermelho um pouco manchado no canto do seu lábio, o mesmo que ela estava usando quando veio falar contigo.

— Eu? — Ela se manteve inerte até então, pegou seu celular da bolsa e verificou se realmente a marca estava ali. — Katy?

— Eu vi desde o momento que você voltou após ter conversado com ela. — Semicerrei meu olhar encarando as órbitas esverdeadas que mantinham uma expressão amedrontada.

— Ela tentou me beijar.

— E por que não me disse isso? — Eu estava mais calma que o normal.

— Pra não zangar você, você ficaria histérica se soubesse naquele momento, e não era a hora pra causar, ainda mais na igreja.

— Você acha mesmo que eu faria uma barraco na igreja? Eu tenho senso Rihanna, respeito e educação. — Rihanna manteve o silêncio e apenas liguei o carro e dei partida. A cada passar de segundo minha namorada espiava do canto de seus olhos o meu corpo, eu me mantinha centrada no caminho de volta para minha casa e não estava nem um pouco preocupada com a conversa que teria com Robyn.

Ao estacionar o carro na garagem, Shannon já veio ao meu encontro, com uma feição de poucos amigos. Ela quem abriu a porta para que eu saísse: — Katy tem uma mulher desaforada te esperando no sofá, ela tocou a campainha e quando eu abri ela já chegou me empurrando dizendo que não sairia até você chegar. E ainda me ameaçou se eu não a deixasse entrar.

Empurrei minha amiga para o lado e entrei a passos largos para dentro de minha casa, vi uma mulher com os cabelos soltos jogados pelo encosto do sofá. Ela realmente achava que estava na casa dela, a folga era nítida. Caminhei com uma extrema lentidão e toquei em seu ombro, repentinamente virou seu rosto se revelando. Era Freya com um rosto sarcástico, se levantou com uma enorme calmaria e caminhou até mim. Rihanna e Shannon entraram e se manterão em silêncio atrás de mim.

— Eu quero conversar com você. — Dirigiu a palavra a mim. — Mas somente só você.

Encarei Shannon e minha namorada por míseros segundos, ambas assentiram e subiram as escadas em direção ao meu quarto. 
Caminhei até a cozinha acompanhada da ex-namorada de Rihanna e me apoiei na bancada esperando que ela começasse seu discurso. 

— Pode começar, não tenho o dia todo. — Fui fria.

— Primeiro, eu não estaria aqui prestando essa papel de tola se eu não amasse a Rihanna. — Rolei os olhos. — O que eu tenho para lhe falar é rápido, afaste-se dela, deixe a viver em paz junto comigo. Você sabe bem quem realmente ela ama.

Bufei e a encarei descaradamente.

— Garota você não tem o senso do ridículo? Você vem na minha casa, ameaça minha amiga e ainda me pede uma coisa dessas. Você é louca ou fez curso superior?

— Eu estou falando a verdade Katy, você sabe que ela ainda me ama. Por que será que ela esta agindo assim, nunca te conta nada que acontece? É porque não está dando para esconder os sentimentos dela por mim. Sou eu quem ela ama, o que você tem a oferecer? Dinheiro? Fama? Isso é o menos importante.

Então ela sabia do modo de agir de Rihanna? Não iria me precipitar mas, ou ela estava envolvida com essas atitudes de minha namorada ou, estava saindo com ela.

— Você vai virar de costas e sair da minha casa agora. — Ordenei com pouca paciência.

— Eu só saio daqui com a mulher da minha vida.

Esfreguei meus olhos tentando manter a calma mas era inevitável, segurei-a pelos braços e com toda força que tinha tentei a colocar para fora de minha casa. Ela começou a se espernear e gritar. Rihanna veio ao meu encontro a agarrando fortemente a mantendo longe de mim, avancei para perto de si e depositei um soco no canto de seus lábios, que de imediato o fez sangrar.

— Katy! — Minha namorada repreendeu-me.

— Se eu não posso ter ela. — Soltou-se dos braços de sua ex. — Ninguém poderá ter.

Velozmente Freya abriu uma gaveta que estava ao seu lado, justamente aquela que portava divergentes facas de diversos tamanho. Rihanna observava tudo e eu, parada estava, parada fiquei. Ela retirou a maior e a mais afiada, e em um piscar de olhos a faca já estava manchada e já havia feito o seu trabalho, enquanto minha namorada tentava se apoiar na bancada para não cair. O grito de desespero que dei foi capaz de ser escuto a quilômetros dali. Freya correu o mais rápido possível para fora de minha casa, e eu corri o mais rápido possível para ajudar Robyn, que por sua vez se encontrava no chão estancando o sangue de sua barriga.

— Shannon. — Gritei para que minha amiga pudesse me ajudar, nos ajudar. — Rih por favor, aguenta firme ta. — Meu rosto estava lavado de lágrimas, o único som que podia ser escuto com clareza era o meu soluço constante.

— Eu. — Tentou continuar a frase, mas a dor era mais forte.

— Nem ouse em continuar essa frase, você não vai me deixar agora, não vai.- Bati em seu ombro. — Não vai, não vai, não vai, não vai, não vai.

E só pude sentir, Rihanna soltar de minhas mãos e fechar os olhos.


Notas Finais


Não me matem 0ewi9tgwetgw
Já falei que amo a Freya? ewktewtwe
O que acharam sobre a atitude louca da Freya?
Aguardo vocês no próximo

Mwah ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...