História Loving you hurts - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Homossexualidade, Romance, Tragedia
Exibições 6
Palavras 797
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - "gay"


3 – “Gay”

Lucas pov.

*sexta-feira*

                                        Durante toda essa semana, eu me aproximei mais de Rafael. Descobri que ele se interesse por filmes, esportes, que é alérgico a mosquitos e outras coisas. Gosto de estar com ele.

                                     Estava conversando com Laura na primeira aula, já que Fernanda havia faltado.

                                     - Acho que a bia e o Luis estão se pegando. – eu disse, olhando pra ela.

                                     - você shippa? – ela me perguntou, e percebi que Rafael estava prestando atenção na nossa conversa.

                                   - Sim – respondi.

                                      - Para com isso menino, ta parecendo até hetero! – ela disse, não muito alto, mas Rafael escutou.

                                      Ele se voltou pra mim.

                                     - você não é..? -  ele me perguntou.

                                    - Não... – respondi, com medo de sua reação.

                                     - Ah... ok – ele voltou a escrever em seu caderno.

                                     - você... ta de boa com isso?

                                     - Claro, por que não estaria? – ele retrucou, e eu assenti, percebendo que ele não tinha nenhum tipo de preconceito. Admito, fiquei feliz.

Rafael pov.

                   Fiquei feliz quando soube que Lucas não era hétero. Por que eu fiquei feliz?? Ahhhhh, sempre que eu falo com Lucas eu fico felizinho, e eu nem sei por que! Quero poder definir o que estou sentindo.

                                         Tenho medo de contar o que estou sentindo pra alguém e ser considerado só um “gay” que todos zoam.

                                                                                                            .  .  .

                                        A aula passou voando, e a ultima aula era de educação física.

                                          Eu e Lucas geralmente estamos sozinhos no vestiário, já que somos sempre os últimos da fila. Hoje, ele não trouxe roupa pra esportes.

                                         Fui me trocar em sua frente mesmo. Tirei a camisa, e percebi que ele me observava. Estava com uma imensa vontade de ir até ele e beijá-lo, agarrá-lo com força durante horas, mas não o fiz, por vergonha. Me troquei logo, e então fomos em direção a quadra.

                                       Jogamos basquete, o melhor esporte que poderia existir. Eu aprendi a jogar desde criança, com meu pai. Espero conseguir uma espécie de carreira com isso.

                                                                                                                 .  .  .

                                       Meu pai foi me buscar na escola, como ele sempre fazia. Enquanto estávamos almoçando em casa, disse:

                                     - Hoje, na aula, estudamos sobre gênero e Homossexualidade. – tentei, de alguma forma, contar pra ele o que eu estava sentindo, que nem eu sabia direito o que era.

                                        - Sério? Achava que as escolas não admitiam debates sobre esse assunto. – ele comentou, parecendo surpreso.

                                       - Eu também achava, mas é uma coisa comum, nos mostraram que temos que respeitar.

                                      - Tem algo que você quer me falar, filho? – meu pai perguntou.

                                       - é que eu... não sei se sou hétero... – disse, meio sem graça.

                                       Meu pai voltou seu olhar pra mim.

                                        - Rafael, eu percebi que você está meio inquieto desde o inicio da semana sempre que você fala comigo. Eu não me importo se você é gay, ou seja lá o que você for, isso não vai mudar o fato de que você é meu filho, e que eu te amo. – ele olhava fixamente pra mim, esperando que eu dissesse algo.

                                     - tudo bem – disse sorrindo, feliz por ouvir o que meu pai tinha dito.

                                   Depois de ouvir isso, acho que não me importo mais de ser o “gay”.

                                                                                                                     .  .  .

Lucas pov.

 *domingo*

                                    Esse fim de semana ta um saco. Chamei Fernanda pra ficar aqui em casa hoje de tarde, mas Rafael não sai da minha cabeça, e eu não tenho coragem de mandar mensagem! Talvez seja meu orgulho capricorniano, mas não quero que ele pense que eu to afim dele. Ele parece ser muito hétero. AFF.

                                      De repente, meu celular toca: é Rafael.

                                      Logo atendo, nervoso.

                                      - Oi.

                                      - oi! – ele responde – hm, vai ter essa festa hoje a noite, no salão de festa perto da escola sabe?

                                      - sim..? – disse, querendo saber onde ele queria chegar.

                                      - e, bem, eu não quero ir e ficar excluído lá, então, quer ir comigo?

                                       - Claro. – respondi rapidamente – que horas?

                                        - é as 20:00, eu posso passar na sua casa, e nós vamos pra lá a pé, pode ser?

                                        - Sim! – respondi, animado.

                                        - ok! Tchau.

                                         - Tchau – respondi, desligando o celular.

                                         Deitei na cama, sorrindo, esbanjando minha felicidade.

                                         - Fe, eu to crushando muito esse garoto... – disse.

                                         - Hmmm, espera – disse ela, pensando – Lucael!! Ai que orgulho, Shippo mais que Lauria! – disse, vindo me abraçar.

                                          - Ué, elas não tinham brigado? – perguntei, me referindo ao casal Lauria = Laura + Maria.

                                          - Sim, mas agora elas tão de boa. – ela respondeu.

                                            Olhei no meu relógio, e já era 5:00.

                                           - Ok moça, mas preciso me arrumar. – falei, dando deixa pra ele ir embora.

                                           - tá, já vou indo – disse ela, pegando sua bolsa – beijinhos!.

                                           - Tchau more! – disse, enquanto ela saia pela porta.

                                            Comecei a me arrumar logo, já ansioso...

                                                                                                           .  .  .

                                    

                                  

                       


Notas Finais


Rafael está vindo pro lado colorido da força!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...