História Loyalty and Trust - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Revenge
Personagens Personagens Originais, Victoria Grayson
Tags Drama, Romance
Visualizações 50
Palavras 1.049
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


A história está quase terminada, estou revisando alguns erros então vou tentar postar um capitulo por dia a partir de hoje ♥.

Capítulo 3 - Curiosity


Fanfic / Fanfiction Loyalty and Trust - Capítulo 3 - Curiosity

"Não fique tão nervoso", Victoria riu, fixando o laço de Patrick na galeria Harper-Lemarchal depois de terem chegado mais cedo para supervisionar a preparação.

"É só que, todo mundo está pensando que você está mostrando o meu trabalho aqui apenas, porque sou seu filho," Ele franziu a testa um pouco, "Ninguém pensa que eu mereço."

"Patrick, você é extremamente talentoso", disse ela com firmeza, olhando para ele, "Você nunca diga isso. Seu pai teria atingido o telhado, se ouvisse você duvidando de si mesmo", disse ela, endireitando seu colarinho.
Patrick sabia que Pascal não era seu pai biológico, mas Pascal o havia tratado como o seu próprio. Era algo que a fez amar ainda mais este homem. Ele não tinha porque assumir Patrick como o seu próprio filho, mas ele o fez, dando-lhe o seu próprio nome. Isso significava mais para ela do que ele jamais saberia.

"Obrigado, mãe", Patrick sorriu calorosamente para ela, "Por tudo."

"Estou tão orgulhosa de você," Ela segurou seu queixo, inclinando-se para beijar seu rosto suavemente, "Nós todos estamos. É hora de começar a acreditar em si mesmo, querido."

"Ah, aí estão vocês dois" Pascal sorriu entrando dando a volta para encontrá-los, "Conseguimos arrastar Margaux para longe da universidade este fim de semana, ela está lá fora com a Es".

"Então todo mundo está aqui?" Patrick sorriu olhando para ambos, visivelmente mais calmo pela presença de sua família.

"É claro que estamos meu filho", disse Pascal, puxando-o para um abraço, "Parabéns".

Victoria engoliu em seco, tentando não ser sufocada, enquanto observava seu filho e marido abraçados. Ela sabia que Pascal amava Patrick como se fosse o seu próprio filho, mas ainda esquentava vendo sua dedicação a ele. Se não fosse pelo homem que casou, ela poderia nunca ter chegado a ver o seu filho novamente.


Flashback…

"Você vai ficar em apuros, Victoria," Pascal sussurrou tentando não rir quando ela puxou-o passando por todos os dormitórios das meninas. Ela tinha tomado vinho pela primeira vez durante o seu jantar, e ele estava vendo um lado dela que ele nunca tinha visto antes. Eles tinham sido amigos por um par de meses, e ela estava começando a se abrir para ele, pouco a pouco. Ela estava se divertindo, então ele correu com ela pelo corredor, deixando-a liderar o caminho.

"Não, se não pegarem a gente", Victoria riu, puxando-o para seu dormitório e trancando a porta rapidamente. Ela virou-se, inclinando-se para trás para olhar para ele, brincando. Ele nunca tinha visto seus atos tão despreocupados, o medo em seus olhos tinha completamente desaparecido e foi substituído por... Algo completamente diferente. Ele sabia que ela estava bêbada, e ele nunca tentou nada com ela, por mais difícil que possa ser para resistir. Ela lhe contou sobre os namorados de Marion e a cerca de um incidente com um homem chamado Jimmy antes de vir pra cá. Ele sentiu uma intensa necessidade de protegê-la e ele seria condenado se estragasse todo o progresso que tinham feito.

"Eu deveria ir para casa, Victoria," Pascal sorriu, passando a mão em seus cabelos.

"Ainda não," Ela mordeu o lábio antes de se inclinar para pressionar seus lábios contra os dele, lentamente explorando o beijo. Ele poderia dizer por sua hesitação que ela nunca foi beijada. Ele ficou muito triste pensando que tudo tinha sido tirado dela, mas nunca havia experimentado algo tão simples como isto. Segurando seu rosto em suas mãos, ele devolveu o beijo, orientando seus lábios contra os dele enquanto ele lhe ensinava. Ele gemeu quando suas línguas se tocaram, sentindo-a se tornar mais ousada quando se apertou contra ele.

"Mmm," Ela soltou um gemido suave na sua boca, quando ele a pressionou contra a porta com seu corpo.
 Ele a beijou avidamente, sentindo as mãos correrem até a parte de trás de sua camisa enquanto ela explorava seu corpo. Ele ficou mais seguro que ela tenha se sentido confortável o suficiente para exercer sua curiosidade, mas ele sabia que se não parasse com isso, em breve poderia arruinar tudo.

"Victoria", Ele meio que gemeu, puxando seus lábios dos dela enquanto pressionava suas mãos acima de sua cabeça na porta, "Como eu te quero, mas isso não pode acontecer agora."

Ela o avaliou um pouco sem fôlego, "pelo menos você vai passar a noite? Eu não quero ficar sozinha."

Ele viu uma vulnerabilidade aparente em seus olhos, como se algumas antigas emoções reprimidas tivessem vindo à superfície após a excitação, "Vamos lá," Ele a levou até sua cama, a ajudando com seus sapatos antes de puxá-la em seu colo.

"O que é isso”?”Ele olhou para a cabeça apoiada no ombro dele, notando pela forma como ela mordeu o lábio que estava tentando não ficar chateada, “Victoria, fale comigo..."

Ela permaneceu em silêncio por um longo momento, "Eu não lhe disse a verdade."

"A verdade, sobre o quê?" Ele perguntou baixinho, vendo sua luta para juntar as palavras.

"Eu não... eu não vim pra ca apenas por causa da escola... Eu vim para ficar longe de Jimmy..." Ela disse, a emoção audível em sua voz.

"Ele estava perseguindo você?" Pascal franziu a testa com o pensamento, apertando seus braços ao redor dela de forma protetora, "Por que não o denunciou para a polícia?"

"Porque eu não podia arriscar ter que entregar o meu filho para ele" Ela engoliu em seco, olhando para ele com os olhos cheios de lágrimas.

"Victoria", Pascal sentiu seu coração acelerar, passando a mão pelo cabelo, "Você tem um filho?"

Ela assentiu com a cabeça antes de se sentar, afastando-se dele na cama, "Vê? Eu não sou tudo o que você pensou que eu era. Eu estou acostumando, e eu sei que enoja você. “Eu não preciso de sua simpatia, basta ir”.

Ele a avaliou, olhando para ela tentando colocar sua parede de volta como fez quando se conheceram, “Victoria, você não tem ideia de como você é especial, não é”? Essas coisas que aconteceram com você, elas não te definem. Nada que você me disser agora vai poder me afastar. Então... Volte aqui, e me conte tudo sobre o seu filho, ele disse suavemente, estendendo a mão para a dela. Ela levantou a cabeça, e ele viu lágrimas rolarem de seus olhos escuros enquanto dava a mão para ele, deixando-o puxá-la de volta em seus braços.
 


Notas Finais


Ele é um fofo, não? *--*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...