História Lua De Mel Ao Contrário - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekyeol
Visualizações 57
Palavras 2.424
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Lost


Fanfic / Fanfiction Lua De Mel Ao Contrário - Capítulo 1 - Lost

 

Lua de mel nem sempre é sinônimo de momentos românticos e fotos felizes. Histórias bizarras podem acontecer em qualquer lugar, principalmente durante aquele tão sonhado e planejado momento que geralmente acontece após o casamento.

Park Chanyeol e BaekHyun que o digam.....

Casaram-se de dia. Ao meio dia para ser exata, em pleno verão!! Busan ardendo literalmente em chamas.....

Um calor do caramba cozinhando os miolos da galera que assistia à cerimônia impaciente, se abanando enlouquecidamente. Após a pequena recepção, deixando para trás os convidados que se afogavam em refrigerante, o casal entrou no carro e foi direto para o aeroporto. Iam apressados se despedir dos pais de BaekHyun, que estavam de partida para o Japão à trabalho.

Dia do casamento é muito cansativo, né?

Pois bem.....Quando os dois pombinhos só para zoarem com a cara dos amigos pedia-lhes ardilosamente para adivinharem o que haviam feito logo depois da festa de casamento, eles sempre os olhavam com um sorriso sacana.

Se divertindo imensamente com os pensamentos impuros e indiscretos da assistência, o casalzinho entre gargalhadas escandalosas, respondia prontamente.

 

- Não fizemos nada disso que vocês estão pensando, seus pervertidos.....

- NÃÃÃÃOOOO?? - Indagavam, totalmente confusos.

- Se não deram uma bordoada daquelas na criança, fizeram o quê então? - Questionava curioso, um mais saidinho. - Por um acaso ficaram jogando cartas, porra?

- NÃO!! - A dupla retrucava, se entreolhando divertida. - Fizemos uma mudança.....

- Hummmmm?? Como assim?? - Perguntou outro, coçando o alto do cocuruto, sem entender necas de pitibiriba.

Sim minha gente, foi isso mesmo que vocês ouviram.

 

Chanyeol e sua pulguinha-dama após as despedidas, saíram do aeroporto voando e foram pegar um monte de tralha que ainda estava espalhada na casa de seus pais, à fim de as levar para o apartamento onde iriam morar.

Entre os milhares de presentes recebidos, estavam dezenas de caixas cheias de materiais de trabalho do grandão. Uma bagulhada danada, digna de fazer inveja à série televisiva "Acumuladores." Era tanto troço, que na hora de subir com aquilo tudo, acabou esquecendo uma das caixas na garagem do prédio.

No dia seguinte ao dar falta do objeto, desceu para buscá-lo e foi prontamente abordado pelo porteiro, que assim que o viu foi logo o interpelando com um ar meio ressabiado.

 

- Bom dia, meu jovem.....Você é o novo morador do quarto andar, né?

- É.....Sou sim!! - Chanyeol respondeu, meio escabreado com o interrogatório.

- E o senhor fez a sua mudança ontem, não foi?

- Humhum.....Eu trouxe algumas coisas, por quê?

- Sabe o que, é? - O senhorzinho baixou a voz, enquanto olhava desconfiado para os lados. - Ontem quem estava na portaria, era o JiSoo. Ele é crente fanático de uma dessas igrejas aí do "tá amarrado", sabe como é?

- Sei, sim..... - O grandão falou, já fazendo uma tremenda cara de "e daí, o que eu tenho com isso?"

- Então.....Hoje de manhã, ele veio me dizer que um pai de santo tinha acabado de se mudar aqui pro prédio. A criatura, até pensou em pedir demissão.

- Pai de Santo, eu?? Era só, o que me faltava!!

- Pois, é!! Ele foi fazer a ronda da meia-noite na garagem e deu de cara com essa caixa aqui óóóóóó..... - Apontou, para o objeto esquecido. - .....Aí como é muito curioso, abriu para ver o que tinha dentro e quase morreu do coração, quando deu de cara com uma caveira com os olhos brilhando e rindo para ele, junto com dua espadas sinistras. Daí já viu, né? Ele cismou que o senhor é um servo do mal chegado em um catimbozinho e que "baixa" o Exu Caveira.

- Jura?

- Pelos cabelos do meu suvaco!! Desde então está jejuando, cantando louvores e participando da campanha da libertação. Com um medo que se pela, de bater de frente com o senhor.

 

Incrédulo, Chanyeol teve que se virar nos trinta para explicar aos porteiros que trabalhava com efeitos especiais e que os "monstros" horripilantes que viram, eram todos feitos de espuma, assim como as espadas eram todas cenográficas.

Depois de ter prestado os devidos esclarecimentos e já no carro indo ao encontro de BaekHyun, o gigante tentava se manter calmo. Esse lance de casamento os deixara tão pregados que não rolou absolutamente nada na noite de núpcias. Tomaram um banho mais do que merecido e morgaram feito dois jumentos em sombra de igreja.

No dia seguinte na hora do café, ainda tentavam definir qual seria o destino da lua de mel de ambos. Aí recomeçou o estresse.....Montanha ou praia?

Após muita confusão, decidiram aproveitar o verão e viajar para algum lugar que tivesse uma praia paradisíaca. Destino escolhido, partiram para Taean Haean, onde teriam mais de trinta praias lindíssimas para explorarem, todas prezando pela privacidade alheia.

Assim que chegaram no hotel, enquanto BaekHyun foi para o quarto tomar um banho para se refrescar, Chanyeol dirigiu-se até a recepção à fim de obter informações precisas à respeito do recomendadíssimo passeio de escuna divulgado pelo estabelecimento. Ao ficar por dentro do preço, o grandão quase morreu, pois era caríssimo.

Ficou deprê e não sabia como ia dar a notícia para a pulguinha-dama. Cabisbaixo, ganhou a rua e quando deu por si, estava em uma pequena enseada cara a cara com uma traineira pequena, dessas de pescadores, onde sentado na murada da embarcação, estava um gordão virando uma garrafa de pinga no gargalo.

Perguntar não ofende e na caradura, Chanyeol perguntou ao homem se ele não poderia levá-los para dar um passeio pelas ilhas em troca de um dindim. O gordão prontamente topou e o gigante voltou todo feliz ao hotel para buscar BaekHyun, que já devia estar xingando a sua sétima geração, pois detestava ficar muito tempo sozinho sem a presença do seu neném.

Assim que entrou no quarto, a girafa ambulante explicou para o seu amado que "esse lance de dividir um passeio de escuna com um monte de turistas não estava com nada." Que como estavam em lua de mel, o melhor seria uma coisa mais intimista, só os dois e tals.

Doido para curtir o passeio, o menor não se ligou na desculpa esfarrapada e acabou caindo direitinho no conto do vigário aplicado estrategicamente pelo marido mutreteiro. Sem esperar segunda ordem, pegou viseira, óculos escuros, canga, protetor solar, um pacote de biscoito e algumas garrafinhas de água. Jogou as merdas todas dentro de uma bolsa à tiracolo e deram linha na pipa.

Ao chegarem diante do "barco" imundo e mal cheiroso, encontraram o "capitão" completamente bêbado, dormindo no chão todo esparramado. Enquanto Chanyeol o sacudia para acordá-lo, BaekHyun tapando o nariz com os dedos e olhando o marido com cara de poucos amigos, só fez resmungar em contragosto diante da situação inusitada.

 

- Hummmmmm.....

 

Depois de alguns minutos lutando bravamente contra a tontura que certamente devia fazer parte de todos os momentos de sua vida, o homem finalmente se levantou e aos trancos e barrancos ligou o motor daquela banheira flutuante. Em pouco tempo já estavam em alto mar, iniciando a aventura da lua de mel de Park Chanyeol & Park Byun BaekHyun.

De repente parecendo retornar do mundo dos mortos-vivos, o pé-de-cana sabe-se lá como ligou os fatos e indagou se o casalzinho estava na tão famosa "honeymoon." Diante da afirmativa de ambos, deu um sorriso desdentado de "hoje vai ter sacanagem" tão explícito, que acabou deixando-os completamente ruborizados.

Andaram de barco um tempão até que avistaram uma ilhazinha lááááá na linha do horizonte. Aí diante da empolgação alheia e querendo dar uma de guia turístico, o homem disse que poderia deixá-los lá, que era comum os turistas fazerem tal parada e depois era só marcar uma hora para ir buscá-los.

Chanyeololhou para BaekHyun.....

O baixinho estava meio bolado com a ideia do bebum, mas ao ver o local rodeado de vários barcos e lanchas, além de várias pessoas circulando para lá e pra cá na extensa faixa de areia branca, capitulou e acabou aceitando.

Marcaram o horário da volta para às cinco horas da tarde. Trato feito, pularam na água e nadaram até a praia. Percorreram a ilha de cabo à rabo apreciando bem de perto as suas belezas naturais e depois de um certo tempo começaram a perceber que pouco à pouco, as pessoas iam entrando nos barcos e partiam. Quando se deram conta, não tinha mais ninguém com eles na praia. Estavam sozinhos.

Chanyeol até que gostou, pois sempre teve vontade de realizar com alguém que amasse de verdade, a clássica fantasia sexual estilo "lagoa azul." Estavam ficando numa boa, até que a fome começou a se fazer presente.

 

- Amor, vamos para o restaurante? Estou com uma fome do caralho!! - BaekHyun falava esfregando o bucho, de onde partiam os sons que mais pareciam ser os urros de um dinossauro enclausurado em uma masmorra.

- Vamos.....Também estou varado!!

 

De mãos dadas começaram a andar pela areia em busca do restaurante, afinal de contas aquela era uma ilha que recebia muitos turistas e como toda ilha desse tipo que se preza, tinha que ter um bom restaurante, né?

Pois é, mas não tinha.

Com o coração aos saltos, deram mais de duas voltas ao redor da ilha procurando o estabelecimento e nada.

Perdidos.....Estavam literalmente perdidos, naquela imensidão!!

Não havia porra nenhuma, nem mesmo a sombra de uma alma viva naquele lugar além dos dois. Nada.....Absolutamente nada!!

O sol também querendo fazer gracinhas, começou à se fazer presente e uniu seus esforços com a fome, que os maltratava. Chanyeol preocupado, olhou para o relógio para ver as horas e quase infartou.....Uma e meia da tarde!! O que fariam para passar o tempo até às cinco?

Resolveram dar uns mergulhos nas águas cristalinas, mas o sol à pino começou a queimar tanto, que foram obrigados a procurar um lugar para se abrigarem e acreditem, não encontraram uma sombra sequer. A única que encontraram era a de um pobre coqueiro existente no local, mas quando tentaram se esconder debaixo de sua folhagem, tiveram que travar uma batalha sinistra com uns formigões afrodescendentes, que ao detectarem a presença de carne fresca no pedaço, saíram correndo desesperados do meio do mato e começaram a morder o casal.

A merda começou a feder de fato, quando o pacote de biscoito que BaekHyun levara providencialmente na bolsa, acabou. Desgraça pouca era bobagem, né não?

A fome era negra (sabem como é.....lua de mel) e devido aos exercícos de caminhar e nadar, estavam famintos e sedentos, pois a água também havia acabado. O sol castigava tanto os seus quengos, que por instantes chegaram a cogitar a ideia de entrarem no mato para se abrigarem do calor excessivo.

Para a infelicidade do azarado casal, não estavam participando de um seriado de televisão gravado no Havaí. Estavam na velha e boa Coréia e a tal da ilha "tropical", era na verdade um tremendo matagal intransponível. Nem Indiana Jones conseguiria atravessá-la, que dirá os dois.

As horas iam passando e Chanyeol como era o alfa da relação, foi ficando cada vez mais preocupado, pois lembrou-se que o gordão que prometera ir buscá-los às cinco horas em ponto, infelizmente gostava de exagerar na água que passarinho não bebe. Não falou nada à respeito do vício do homem para o marido, pois sabia que ele iria entrar em pânico mais do que já estava.

Inconsolável, chegou a conclusão óbvia de que não devia ter pago o pescador adiantado. Naquela altura do campeonato, a criatura já devia ter tomado umas três garrafas da "mardita" e estaria possivelmente em coma ou morto no chão do barco.

Desesperados de fome, resolveram procurar algo para comer, até que encontraram várias ostras grudadas em umas pedras, que ficavam submersas na orla da praia. Com um pedaço de pedra afiada em mãos, Chanyeol ia quebrando as conchas e mandando ver na iguaria exótica. BaekHyun morreu de nojo e disse que não ia comer aquilo nem morto.

 

- Nem vem Chanyeol, não vou comer essa merda.....

- Mas amor, é gostoso!! - O grandão falava lambendo os beiços, pois segundo um sábio ditado popular: " gato com fome lambe sabão."

- Gostoso, porra nenhuma!!

- Prova.....

- Já falei, que não!! Eu, heinnnnnn.....Imagina se eu vou comer esse troço, que se parece com catarro!! Deus, me livre!!

 

Chanyeol não deu bola para a frescuragem do marido e continuou se empanturrando.Só parou quando se tocou que aquilo poderia lhe dar uma diarréia, que com certeza o viraria do avesso.

As horas continuaram passando e o calor do sol felizmente foi abrandando. Deu cinco horas e nada. O gordão não aparecia e o medo começou a tomar conta do casal. Naquele momento, Chanyeol começou a pensar em como iriam fazer para passarem a noite naquele local deserto. Sem fogo para se aquecerem, sem lanterna, sem água, sem uma faca para se defenderem e o que era pior, sem roupas adequadas. Ele mesmo estava de sunga.

Meldels.....

A maré podia subir e pegá-los de surpresa, a maioria das plantas era coberta de espinhos pontiagudos, as rochas afiadíssimas e a ilha certamente devia ter animais, que gostavam de sair à noite em busca de alimentos. Naquele momento de desespero, só conseguia se lembrar de um documentário do Discovey Channel, que havia assistido a pouco tempo: "As temíveis víboras das ilhas."

Na hora seu cu trancou, mas para não apavorar BaekHyun que estava todo choroso, tentava disfarçar o medo dando uma de galã de filme da sessão da tarde, quando na realidade era somente um tremendo de um pela-saco esquecido em uma ilha completamente desabitada. Estava mais para ser o Robson Crusoé de Seul.

Maldizia a hora em que por querer fazer economia, tivera a brilhante ideia de confiar suas vidas nas mãos de um pinguço e agora estavam ali, pagando por todos os seus pecados. Já passava das sete horas da noite, quando avistaram as luzes do barquinho do cachaceiro filha da puta no horizonte. Se sentiram tão aliviados, que quase choraram de alegria. Ficaram tão eufóricos que já nem se lembravam mais da coceira infernal em seus corpos, causada pelas picadas dos milhares de mosquitos que chegaram de mala e cuia com o cair da noite.

Ao adentarem o barco quase de joelhos, só não fizeram como o Papa e beijaram o chão da embarcação, pois o mesmo se encontrava sujo e fedendo horrores a peixe. Ao avistarem ao longe as luzes do hotel, quase choraram de alegria, pois foi certamente o momento mais feliz da lua de mel de ambos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...