História Lua de sangue-Interativa - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Carla Tsukinami, Personagens Originais, Shin Tsukinami, Yui Komori
Tags Carla Tsukinami, Dark Fate, Demência, Diabolik Lovers, Eu Quero, Hentai, Lobos, More Blood, Morte, Personagens Originais, Romance, Shin Tsukinami, Spoilers
Exibições 19
Palavras 1.988
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Violência, Visual Novel
Avisos: Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OIIIIIIIIIIIIII.
Tudo bem?
Só leiam pois botei tudo nas notas finais.
Shuu- Preguiçosa.
Angel- Falou o Santo.
Krista- Dois Santos né?
Thay- TODO MUNDO VIROU SANTO AGORA?
???- Porra.
Angel- QUEM É TU?
???- Lê a porra do cap e já vai saber.

Capítulo 8 - Algo a ser dito...


Fanfic / Fanfiction Lua de sangue-Interativa - Capítulo 8 - Algo a ser dito...

??? On

 

- Obrigado Shin, realmente, muito obrigado!

Agradeci ao seu olhar, seus olhos me encaravam como se eu fosse um cachorro que não queria se calar.

- Calada! - Interviu o ruivo - Já deve saber oque irá lhe acontecer?

- E oque seria?

- Conseguiu ser mais idiota do que eu pensei. - Afirmou para si mesmo - Já esqueceu oque eu sou?

- Um fundador, e dai?

- E você não é como pretende ser aceita sendo que é uma lopina fraca, até as outras são mais fortes e treinadas que você, deve ser pelo fato de achar que tudo é dado e negado, isso não irá acontecer aqui entende?

Ele se aproximou rapidamente de mim como se fosse me abraçar ou me beijar, mas algo que eu nem pensei que iria acontecer me houve.

Ele segurou á força meu pescoço entre suas mãos como se quisesse me matar, mas ao invés disso me puxou e mordeu meu pescoço de maneira bruta e violenta.

- MAS QUE MERDA!

- Cale a boca, se você se mexer, pode ter certeza que irá doer mais ainda, e quanto a minha parte, irá piorar ainda!

- Ah, ei, dá pra me soltar? - Tentei me soltar me balançando entre o mesmo.

- Já lhe avisei oque iria acontecer se tentar se mexer. - Afirmou sobre o ato.

- Que sangue horrível, é desprezível!

- Tu me mordes e ainda diz que meu sangue é ruim? Isso nem faz sentido. - Isso até eu podia notar.

- Quieta, vá para a mansão, já deve saber o caminho, não quero ter que lhe ser sua babá particular! – Zombou de mim com deboche visível em sua voz.

- Não, muito obrigado. – Neguei e agradeci com o mesmo tom de voz que o dele

Quebra de tempo

A mansão era grande, talvez fosse o dobro de minha casa.

- Ei, quem é você? – Perguntou uma voz feminina vinda de longe.

Olhei para a porta e vi uma garota morena me olhando alegre.

- OIIIIIIII, sou Beatriz, prazer! – Apresentei-me sorrindo.

- Sou Natasha, é um prazer também.  – Apresentou-se correndo e minha direção e me puxando pelas mãos.

- Aonde vamos? – Indaguei com dúvida.

- Quero lhe apresentar umas gurias que estão nessa casa!

 

Meredy On

- Hey M-Neko-Chan, quer sair um pouco?

Ah, qual o problema desse guri que dormiu comigo praticamente. (DORMIU DE SONO, OKEY?)

- Pra onde?

- Há um lago próximo daqui, achei que iria gostar da ideia de sair um pouco daqui, estou certo?

Eu podia até gostar de água, mas eu não aprendi a nadar, e eu não iria saber como lhe disser esse fato constrangedor.

Eu não pude mais ficar quieta e quando dei por mim havia sussurrado um sim trôpego.

- Então vamos logo! - Ordenou puxando-me pelo braço.

Não encontrei com ninguém da mansão enquanto saímos daquela mansão, algo que eu queria que acontecesse- alguém aparecer e impedir que saíssemos- não chegou nem perto de acontecer, realmente, eu não consigo ter sorte quando necessito que ela me apareça.

Ao sairmos da mansão, pude notar um estranho brilho azulado refletido pela lua, vinha do tal lago.

Ele estava com o brilho da lua em seu começo próximo á nós, sua cor azulava criava um degrade profundo de seu começo ao seu fim.

- É bem bonito esse lago! - Realmente eu achava isso, apesar de ter medo te cair e ninguém me ajudar.

- E que tal se juntar a ele? - Perguntou, e a maneira que perguntava me era atormentadora.

Em poucos segundos, tudo que eu queria que não me acontecesse - e temia- aconteceu.

Kou me puxou para seus braços enquanto me debatia e me jogou no lago.

Ele parecia rasinho olhando de cima, mas eu estava errada, ao ser jogado na água, meu coração martelou rapidamente ao notar e profundidade do lago.

Debati-me o máximo que pude ao sentir a água entrar rapidamente em minha garganta me engasgando.

E em meus últimos atos enquanto eu perdia minha consciência em uma velocidade alucinante, pude ver a imagem de uma mulher de longos cabelos roxos escuros a qual ele terminava em pontas claras a cada mecha lisa, com a franja lateral a minha direita e uma longa franja crescida a esquerda, seus olhos verdes primavera me hipnotizavam e pareciam me odiar me seguiam enquanto afogava, e em seu corpo “modelo de passarela" um longo vestido preto rasgado em seu peito, demonstrado um cadavérico e esguiou buraco em seu peito a qual o mesmo demonstrava que saia gotas de sangue, mas antes de olhar de volta para seu rosto, fogo roxo a queimava brutamente.

Mas uma última palavra se revelou de sua boca avermelhada - Menae - Ela soou o nome de uma mulher.

Em minha mente eu só podia sentir que estava alucinando, mas a imagem e a voz dessa mulher adulta me eram muito reais.

Não conseguia ver mais nada em baixo da água, mas pude sentir um calor em meus lábios, eu estava feliz de ter algo para me esquentar pelo menos, mas não sabia o porquê de eu me sentir quente embaixo d'água.

Forcei a umidade a sair de minha garganta e consegui tira-la, mas isso deixou minha garganta fria e dolorida, como se uma lixa tivesse passado pela mesma.

Eu senti algo duro e molhado em minhas costas, foi ai que percebi que fui retirada do lago e posta na superfície.

Não conseguia pensar direito, pois ainda cuspia e engolia repetidamente a água em meus pulmões.

A água ainda escorria pelos meus cabelos e ouvidos me causando arrepios.

Minha visão ainda estava turva e embaçada pela água, mas conseguia ver o corpo de um loiro a minha frente.

 

Krista On

 

Sonho On

 

- Tia, por favor, não! - Supliquei a vendo puxar a faca da cozinha.

- Desista pirralha malcriada, você já causou muitos problemas, matou minha irmã quando nasceu, tirou o marido de minha amiga e agora pretende tirar o meu? - Indagou com a voz anasalada e rebelde levantando a faca de carne em sua mão.

- Eu nunca pedi pra isso acontecer, se afaste de mim, AFASTE-SE! - Gritei correndo para meu quarto que antes era o quarto de minha falecida mãe.

- Não ouse fugir bastarda malcriada! - Gritou correndo atrás de mim.

Na escadaria havia as janelas ao seu lado, pois a escada da cor bege amadeirada era prensada na parede, e numa tentativa falha-o de correr de dois em dois degraus e cai rolando e quebrando uma das amplas janelas com detalhes prateados circulares, a única coisa que eu não queria que acontecesse e aconteceu, foi meu corpo cair dois andares da escadaria. Cacos de vidros eram prensados contra meu corpo magro e fraco na terra enquanto outros caiam em meu tronco e meu couro cabeludo, fazendo cortes no mesmo.

A dor era imaginável para eu aguentar em pé, mas era melhor eu tentar do que morrer pela mão dessa maldita mulher que me zombou a cada ataque que possuía.

Minha tia estava certa em apenas uma coisa, que eu era uma bastarda, minha mãe ficou com o marido dela a qual o mesmo possuía uma amante, a amiga de minha tia, e minha mãe morreu quando eu nasci, e com isso acabei vivendo com meu pai, mas ele era idiota o suficiente para não largar a maldita amante, ela tinha o mínimo de respeito o suficiente para me respeitar, pois ELA era a amante que não conseguiu engravida, mas sempre que minha tia vinha nos visitar nos feriados, ela enchia a cabeça da amiga enquanto tinha os ataques dizendo que eu iria roubar meu pai, ela não pensava isso de mim, mas seu outro lado dizia o contrário sobre mim, e isso acabou enchendo a cabeça de sua amiga e fazendo a mesma perder todo o respeito que tinha de mim, ela me torturava as noites quando meu pai saia, e um dia, a minha tia descobriu ao ver os objetos de tortura no porão, ela me levou embora sem avisar meu pai ou a sua amiga, se consigo me lembrar, seu nome era Lilany, um nome quase igual ao da minha mãe que era Liliny.

Numa foto eu vi que minha mãe sempre foi uma mulher bonita, cabelos brancos, longos, ondulados e brilhantes a luz, seus olhos tinham o raro tom roxo azulado a qual eu puxei, seu corpo era escultural e belo, e minha vó quando viva sempre me dizia que quando minha mãe era adolescente, ela era a minha cara.

Minha tia nunca teve algum aspecto parecido com o meu, seus cabelos eram pretos e curtos com uma franja que chegava a sua cintura, mas que hoje deveria estar em seus ombros e seus olhos eram o estranho tom laranja azulada.

E a Lilany era loira com olhos azuis avermelhados, era alta e magra o tipo de corpo que cada mulher quer ter, mas eu ainda acho que minha mãe tinha um corpo mais belo que o dela.

Ouvi o barulho de passos descendo às presas a escadaria, provavelmente minha tia começava a descer a escada.

Forcei-me a me levantar e corri o máximo que podia para poder me afastar dela.

Aquela montanha foi naquele lugar que minha mãe foi antes de me ter e será aqui que eu quero morrer.

Sonho Off

 

- Ei, EIIII! – Gritou uma voz me acordando.

- Ah, ah oque aconteceu? – Perguntei em dúvida.

- Você não sabe? – Perguntou uma voz musical e afinada.

Olhei para quem perguntou, e quem havia perguntado era a Sasha.

- Eu não me lembro disso direito. - Respondi rapidamente.

Syary Levantou a sobrancelha e sua boca possuía um estranho formato, um lado estava pra cima debochado e o outro para baixo com dúvida.

No momento que Sasha parecia querer falar algo, uma garota morena entrou ao lado de uma loira.

A morena tinha cabelo longo, preto profundo amarrado em duas caudas longas. Seu olho esquerdo em minha visão era vermelho matizado, enquanto seu olho direito parecia possuir um estranho brilho dourado em minha visão. Ela parecia um pouco baixa, tipo 1,60, sua franja cobria seu olho esquerdo na minha visão, seus cabelos chegavam a suas costas com várias mechas picotadas entre sua coluna e seu peito, era magra e com aparência inocente.

Já a outra tinha uma aparência ao contrário da sua, seus cabelos eram loiros e compridos até suas coxas, ondulados e brilhantes, olhos azuis marinhos tapados pela sombra da franja lateral, corpo baixo e curvo, e busto médio.

- Oi gente! – Disse a morena.

- Quem é essa, Natasha? – Indagou Kumiko sentada na cama.

Quem respondeu foi a morena.

- Não sei, nem perguntei ainda.

- Como tu vai chamar alguém e nem perguntar o nome? – Perguntou Ayume com uma careta.

- Não sei!

Dei um tapa na minha cabeça, e Kumiko e Ayume fizeram o mesmo enquanto Syary cruzava os braços em decepção enquanto Sasha se segurava para não rir assim como Natasha e a loira.

- Sou Beatriz, é um prazer! - Apresentou-se respirando e voltando ao normal.

Antes que possamos apresentarmos, Shin entrou no quarto.

- Todas menos Konami e Krista! - Chamou e saiu sem explicar o motivo de chama-las.

- Lá vem merda! - Comentou Mitsuki colocando uma de suas mechas esverdeadas atrás da janela.

- Concordo. - Afirmou a Ayume

Sasha já ia á frente e Syary trocou olhares com Kumiko e as duas assim se foram.

- Boa sorte! - Disse uma ruiva a qual e nem havia sentido a presença.

Todas já haviam saído do quarto, só havia ficado eu e ruiva que pelo que Shin disse ela devia ser chamada Konami.

- É Krista não é?

- Sim, Konami?

- Pode ser só Kona.

- Pode ser só Ki!

- É um prazer!

- Digo-lhe o mesmo.

- Oque será que vai acontecer?

- Também gostaria de saber.

 

Continua...


Notas Finais


EHHHHHHHHHHHH, tá acabando os problemas.
To feliz, pois meu pai e minha mãe me deram lápis da Mercur.
(pobre se alegra facilmente)
Bem, já que estou feliz, to postando esse cap- e irei postar outros- antes de viajar.
Kissus e espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...