História Lua Nova; Segunda Temporada. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Pain, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Daraita, Gaaino, Mikoshi, Naruhina, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 131
Palavras 2.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olha eu de novo!!!! Eu fiz esse capitulo hoje e espero que gostem. Coloquei uma surpresinha no final, e no proximo ainda tera mais. Espero o carinho de vocês e boa leitura.
XoXo!!

Capítulo 2 - Two; Irmãs Senju.


Fanfic / Fanfiction Lua Nova; Segunda Temporada. - Capítulo 2 - Two; Irmãs Senju.

— Lua Nova; Segunda Temporada.

— Duas Semanas Depois Do sequestro;

— Casa alugada das irmãs Senju. 10hrs22m.

— Sakura;

 

Sento-me ereta sobre o sofá enquanto assisto um desenho qualquer na TV. Dara meche em algumas coisas na cozinha enquanto prepara nosso almoço e pra ser exata; estou faminta. Noto quando Saiko remexe sobre a manta azul em que esta deitado e logo suas íris verdes escuras se movem e me encontram. Sorrio e me levanto indo até ele e o pegando nos braços de forma delicada e cuidadosa. Estou de nove meses e a qualquer momento estarei com meus bebes em meus braços.

 

— Ei amor da titia. — Beijo a testinha dele sentindo o perfuminho de bebe que ele tem.  — Você está bem grandinho para ter duas semanas. — O vejo abrir a boca banguela e dar um sorriso típico da mãe. Sento-me no sofá novamente e aninho o pequeno homenzinho em meus braços. Vejo que Amaya e Akemi continuam dormindo tranquilamente sobre a manta azul em que se encontra esticada sobre o sofá cama.

 

— Desculpa a demora com o nosso almoço, porém fiz o que você gosta. Ovo cozido com tomate picado. — Lambo meus lábios vendo o enorme prato a minha frente. Dara ri baixinho colocando o prato ao meu lado e pegando seu garotinho nos braços. — Oi filhão. — Ela beija a bochecha rechonchuda e rosada do filho e sorri para o mesmo quando ele toca seu rosto com a mãozinha. — Suas irmãs são preguiçosas como o papai. — Eu rio pegando meu prato e colocando uma colherada de ovo na boca.

 

— Isso está delicioso. — Digo de boca cheia.

 

— Eca Sakura, eu não preciso ver a sua comida mastigada. — Nos duas rimos. — Como se sente? — Me questiona. Coloco a colher no prato novamente e suspiro.

 

— Faz duas semanas.

 

 — Sim, faz. — Sorri triste e eu também faço o mesmo.

 

— Como será que eles estão? — Toco minha barriga e fecho os olhos respirando fundo. Meu peito dói sempre que penso em Sasuke. De como ele está, o que estão fazendo com ele, se ele esta bem ou ferido. Eu choro todas as noites enquanto penso no que fizemos e passamos juntos. Eu sinto falta dele, do modo como ele cuidava e me protegia, de como ele me amava todas as noites e no momento em que mais preciso dele, ele esta nas mãos de um vampiro podre e que quando eu estiver pronta o suficiente para salvar o meu noivo de Pain, eu vou mata-lo sem pensar duas vezes.

 

— Eles estão bem, eu sei. — Abro os olhos e olho para minha irmã que amamenta Saiko.

 

— Eu também sei. — Suspira. — Logo poderemos salva-los, mas enquanto você não der a luz as minhas sobrinhas não poderemos ir. E sei que até lá eles ficaram bem. — Sorrio de canto balançando a cabeça.

 

— Eu quero poder matar aquele filho da puta o mais rápido possível. — Fecho minhas mãos em punho e Dara ri.

 

— Você fara logo, prometo. — Seu olhar se torna assustador quando ela fala. No fundo ela quer fazer isso tanto quanto eu, mais sei que ela deixara isso comigo e darei orgulho a minha irmã enquanto eu estiver com a cabeça de Pain em minhas mãos. Balanço a cabeça ouvindo em seguida o chorinho baixo de Akemi.

 

— Hora do leitinho. — Rimos novamente.

 

“Sua irmã é podre.” — Minha loba ri e eu gargalho ainda mais sobre esse comentário. Realmente, Dara é podre mais é a mulher mais inteligente e esperta que conheço.

 

[...]

 

Depois do almoço ajudei minha irmã na cozinha e ajudei a mesma com o banho dos meus sobrinhos e aproveitei para fazer o mesmo.

 

— O que faremos quando estiver na hora? — Dara para de arrumar os ursos que decoram o enorme berço e me encara.

 

— Faremos o que for necessário para matar Pain e salvar Sasuke e Itachi. — Ela caminha até mim e se senta ao meu lado na cama. — Temos que tomar o dobro de cuidado, sei que aquele vampiro não é idiota. — Concordo com a mesma. 

 

— O que me deixa irritada é o fato de que aqueles que juraram proteger os dois saíram ser fazer nada. Simplesmente voltaram com o rabo entre as pernas e se esconderam nos braços das mulherzinhas covardes como eles. — Fecho minhas mãos com força sentindo uma ardência onde minha unha perfura.

 

— Lamentável. — Dara é irônica. — Vou tomar banho, qualquer coisa me grita. — Ela beija minha testa e vai para o banheiro me deixando. Resolvo sair um pouco do quarto e ir até a cozinha pra beber um pouco de água. Tomo um longo gole de água gelada e sinto meus pelos se arrepiarem.

 

“Tem alguém aqui.” — Saky rosna em minha cabeça. Movo meus calcanhares para ter a visão de um homem de capuz em minha frente. Ele sorri para mim.

 

— Quem é você?  — Quando ele tira o capuz eu fico completamente assustada e ao mesmo tempo chocada. — Sai? — O moreno de pele extremamente pálida sorri largamente e me lança uma piscadela.

 

— Que alegria eu sinto por saber que você me reconheceu testuda. — Enrugo a testa e cruzo os braços. — Okay! Eu estou aqui pra ajuda-la. — Ele diz ao mesmo tempo em que um grito alto e irritado ecoa por toda a casa. Não demora cinco segundos para Dara aparecer enrolada em uma toalha vermelha arrastando Lee pelo chão pela própria camisa verde que ele sempre usa.

 

— O que esse filhote de demônio faz aqui? — Ela o empurra até os pés de Sai. — O que esses dois demônios fazem aqui? — Ela cruza os braços acima do peito e bufa enquanto bate o pé. — Vou ter que torturar os dois para abrirem a porra da boca? — Eu rio baixinho do quanto Lee e Sai conseguem ficar mais pálidos do que já são.

 

— Estamos aqui pra ajudar vocês. — Sai diz tranquilamente, mesmo que eu possa ouvir seu coração bater acelerado de onde me encontro.

 

— Não precisamos da ajuda de vocês, agora vão embora. — Ela aponta para a porta da sala furiosa.

 

— Espera Dara, vamos saber o que eles realmente querem. — Peço-a. Minha irmã me olha de sobrancelha erguida e bufa em seguida saindo da cozinha.

 

— Sua irmã é linda. — Diz Lee apaixonadamente.

 

— O marido dela é ainda mais lindo. — Debocho o vendo engolir em seco. — Agora comecem a se explicar, Dara é capaz de mata-los a qualquer momento. — Saio da cozinha sendo seguida pelos dois. — A proposito, como conseguiram entrar aqui? — Lee sorri mostrando os alinhados dentes brancos.

 

— Usei toda a minha força para abrir a porta sem fazer barulho. — Se gaba.

 

— Usou um grampo de cabelo. — Sai diz rolando os olhos e rio baixinho da indignação de Lee ao ter seu segredo super foda descoberto. — Enfim, estamos aqui pra ajudar tanto sua irmã quanto você. — Sai joga em nossa direção um papel e assim que o leio quase dou um troço de tanto rir.

 

— Que porra exatamente é essa? Viraram caça vampiros? — Balanço a cabeça ainda rindo.

 

— O assunto é serio. — Lee se pronuncia. — Vamos ajuda-las a pegar Pain e mata-lo.

 

— Vocês não vão tocar em um fio de cabelo daquele vampiro. A Sakura vai mata-lo e quem tentar impedi-la morrera pelas minhas mãos. — Dara aparece na sala já vestida, calça jeans preta com alguns rasgados e uma camiseta da serie Game Of Thrones.

 

— Okay, não vamos mata-lo. Mas queremos a cabeça dele no final. — Diz Sai.

 

— Por mim tudo bem. — Dou de ombros. — Enfim, como pretendem ajudar? — Vejo que um olha pro outro e sorriem.

 

— Há exatamente uma semana descobrimos onde Pain esta e por coincidência, os alfas de vocês estão com ele e cinquenta outros vampiros estão fazendo ronda em torno do local. Devo dizer que os caras que fugiram tiveram sorte de saírem de lá vivos. — Tanto eu quanto Dara gargalhamos.

 

— Sorte? Eles não deviam nem ter saído. — Falo seca. — Amigo de verdade não abandona outro amigo, ainda mais dizendo ser família. Itachi e Sasuke estão nas mãos de Pain há duas semanas e eu não soube de nada a respeito deles estarem tentando ajudar. Nada, além de nada. — Olho para a minha barriga. — Quando meus bebes nascerem eu irei atrás de Pain juntamente a minha irmã. Nos duas traremos Sasuke e Itachi de volta pra casa, nos duas faremos o que quatro homens não conseguem fazer juntos. — Sai sorri malicioso.

 

— Estamos aqui pra ajuda-las, podemos não ser nem vampiros e nem lobos, mais somos mais corajosos do que os que diziam ser. — Dara se joga no sofá ao meu lado e segura a minha mão.

 

— Podemos mudar isso. — Seu sorriso se alarga.

 

— Como assim? — Lee pergunta de testa franzida.

 

— Podemos transforma-los em lobos. — Arregalo os olhos em direção a minha irmã.

 

— Você só pode estar brincando. — Sai diz incrédulo. — Diz que está? — Dara nega.

 

— Você tem certeza? — Pergunto, Dara balança a cabeça positivamente.

 

— Isso dará tempo o suficiente para que você esteja bem para podermos enfim colocar nosso plano em pratica.

 

— Eu não posso...

 

— Eu os transformarei Sakura. Afinal, meu marido é o líder e como sua líder eu farei com que esses dois demônios sejam lobos como nós. — Ela se levanta. — E então, vão querer ou não? — Ambos se entreolham e acenam que sim.  — Ótimo.

 

— Fara isso aqui? — Refiro-me a nossa casa. Ela nega.

 

— Vou precisar que você cuide dos meus pequenos até eu voltar. — Beija minha testa. — Se cuida. — Ela olha para os dois a nossa frente. — Chegou a hora de mostrarem que vocês podem ser melhores do que simples humanos normais. — Eu sorrio orgulhosa, Dara se tornou uma grande mulher e agora esta mostrando que pode ser também uma grande líder.

 

— Dara;

 

Depois de me despedir da minha irmã e dos meus bebes, saio da casa sendo acompanhada pelos dois demônios vulgo, Sai e Rock Lee. Respiro fundo enquanto mordo meu lábio inferior pensando na possibilidade do que eu estou prestes a fazer dar errado. Não é exatamente o que eu espero que aconteça. É algo necessário, faz duas semanas que os dois estão nas mãos de Pain e faz duas semanas que espero que Itachi conheça seus filhos.

 

Não é culpa dele o que aconteceu, como também não é culpa de Sasuke. Ambos foram pegos e mesmo que demore um pouco mais, eu e Sakura os tiraremos de lá e no final, Pain terá o que merece.

 

— Você tem certeza que pode nos transformar? — Sai fica ao meu lado. Suas mãos estão em seus bolsos. Ele balança a cabeleira negra enquanto morde os lábios, ele esta nervoso, posso sentir.

 

“Será sorte a nossa se esses dois se tornarem galinhas ao invés de lobos?” — Minha loba que até então estava em silencio, resolve dizer algo que também acho que pode acontecer.

 

Eu rio.

 

— Sim, eu posso. — Não é 100% de certeza, afinal, eu nunca transformei ninguém, porém, a esperança é a ultima que morre.

 

— Vai doer? — Lee pergunta.

 

“Vai doer como se estivessem arrancando suas bolas, babaca” — Dessa vez eu gargalho deixando os dois morenos pálidos de testas franzidas.

 

— Desculpem. Minha loba às vezes faz comentários desnecessários.

 

“Que você gosta com certeza”. — Nix ri e eu rolo os olhos.

 

— Meu lobo vai conversar comigo também? — Lee balança as mãos freneticamente.

 

— Claro que vai. — Ele ri alegremente. Fazendo Sai bufar e rolar as íris escuras.

 

— Eu só lamento pelo seu lobo. — Diz o moreno me fazendo rir mais um pouco, realmente ter esses dois será deveras divertido.

 

“Tenho que concordar com esse papel ambulante, se eu fosse o lobo desse cara, tentaria de todas as formas me suicidar.” — Tento ao máximo não rir desse comentário e foi em vão. Eu ri tanto que minha barriga doeu.

 

[...]

 

— Senti saudades disso. — Refiro-me a natureza a minha frente. Respiro fundo varias vezes sentindo o cheiro de mato e agradecendo por isso. A cidade me irrita mais do que necessário.

 

— Você vai me morder que nem vampira? — Faço uma careta desgostosa.

 

— Eu NUNCA — É a hora velha amiga de mostrar a ele quem nos somos. Ouço a risada de Nix e dou um salto sentindo uma leve ardência em meu corpo enquanto me transformo.  — Serei uma vampira. — Termino a frase em forma de loba. Uma das técnicas que consegui aprimorar foi à maneira de me comunicar enquanto eu estiver como loba.

 

— Santo deus. — Sai da um passo para traz e sorrio mostrando meus dentes brancos e afiados. Balanço meu corpo fazendo meus pelos brancos se chacoalharem junto ao vento.

 

— Eu sou linda, eu sei. — Falo vendo que Lee continua me encarando amedrontado e Sai continua ilegível. — Agora quem quer ser o primeiro? — Ambos tremem e eu e minha loba rimos.

 

— Ele — Um aponta para o outro, ronrono e balanço a cabeça negando.

 

— Faremos um jogo. Vocês vão correr o mais rápido que puderem e o quem eu achar primeiro será o escolhido. — Uivo vendo ambos correrem para o mesmo lado.

 

“Imbecis” — Nix uiva novamente e logo estamos correndo atrás dos dois “machos”.

 

[...]

 

Sento-me na grama enquanto vejo Lee e Sai, ainda desacordados. Faz exatamente quinze minutos que os mordi e pelo berro de ambos, esperava o exercito aqui perto de mim. Deito meu corpo e fecho os olhos enquanto minha mente vagueia nos momentos ao lado de Itachi. Estou com tanta saudade que chega a doer. Sinto falta de tudo nele, desde os fios longos pretos de sua cabeça até os pés.

 

Isso é uma merda.

 

Itachi é o homem mais forte que conheço e mesmo que ele esteja preso agora, sei que ele esta bem, por mim e nossos filhos e como sua mulher, eu o tirarei de lá.

 

— O que você fez com esses dois? — Dou um salto virando meus calcanhares e vendo a loira de braços cruzados e um sorriso malicioso nos lábios.

 

— O que você faz aqui, Temari? — Meu tom de voz é frio, ela sabe o porquê mais não move um músculo se quer pra correr.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...