História Lucky Fangirl - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~snownwoo

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Hunhan, Kaisoo, Meghyun, Topesz
Visualizações 9
Palavras 4.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fluffy, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gaby: e aí? queria dizer uma coisa: vo ver blacn7 e to mto felix porra <3 eh isso o capítulo ta lindo, espero que gostem <3

Capítulo 4 - Amizade, mensagens e o Vivi.


Luhan andava pelo dormitório vazio - e bem bagunçado, diga-se de passagem -, como um zumbi, não era a primeira vez que acordava antes de todos os outros e com certeza não seria a última.

Foi até a cozinha e colocou a água para esquentar e tirou o leite da geladeira, Vivi se esfregou em sua perna lentamente lhe dando um bom dia preguiçoso, considerando que o cachorro deitou aos seus pés segundos depois.

Luhan sempre achou esquisito como Vivi quase nunca ficava com Sehun, Beethoven sempre estava com Chanyeol, aliás, Beethoven estava dormindo com ele neste exato momento.

Luhan também achava estranho como Sehun pôde nomear um cachorro macho de Vivi.

Sendo que o cão combinava muito mais com Lulu, na opinião do chinês.

Mas nada mais poderia ser feito agora.

-Bom dia. –Jongdae apareceu na cozinha ainda não muito acordado, considerando que pisou no rabo de Vivi fazendo o cachorro gritar e sair correndo do cômodo.

-Bom dia Jongdae, estou esquentando a água pro seu chá. –Luhan comentou olhando para a chaleira silenciosa.

-Obrigado Luhan. –o garoto colocou a mão no ombro de Luhan e se dirigiu para a sala de estar.

Luhan deu um pequeno sorriso de canto, gostava de pensar que era útil para os membros.

Junmyeon acordou pouco depois e o ajudou a colocar as coisas para o café na mesa e então finalmente todos os membros começaram a acordar, um por um. Sendo lentamente atraídos pelo cheiro de café que se espalhava pelo apartamento.

-Beethoven vem comer! –Chanyeol estava sentado no chão praticamente debruçado no saco de rações, enquanto chamava o cachorro que sabe-se lá onde estava. –Eu desisto desse cachorro, deve estar dormindo por aí. –resmungou antes de se jogar na poltrona.

-Ele vai vir comer quando estiver com fome, porque felizmente ele não é como o dono, que come a cada quinze minutos. –Junmyeon comentou tomando um gole de café, que ainda saía fumaça, mas nada que o garoto se importasse.

-Falando nisso, porque o Chanyeol estava te chamando de palhaço ontem Baek? –Tao perguntou colocando um pedaço enorme de pão na boca.

-Porque o Baek comeu um bolo red velvet sabe? Aquele vermelho e tal, e a boca dele ficou manchada de vermelho e a Katherine comentou que a mesma coisa acontecia com a amiga dela e disse que ela chamava a amiga dela de palhaça por causa disso, então comecei a chamá-lo assim também. –Chanyeol explicou fazendo o Byun revirar os olhos.

-Imagino como foi a cena. –Kyungsoo riu, fazendo com que Baekhyun tivesse vontade de matar Chanyeol, e ele sabia que era a primeira porém não a última vez que teria vontade de fazê-lo.

 

 

 

Logo a cabeça de Megan ficou cheia de pensamentos sobre como Baekhyun tinha ficado fofo como “palhacinho” e de como ela teve que se conter para não limpar os cantos da boca dele ao vê-los sujos de bolo e transformar tudo em uma cena de dorama. Na realidade, Megan sempre se imaginou vivendo em um, como a garota do "Exo Next Door" ou insira aqui qualquer dorama onde há idols atuando. E, visivelmente, ela morria de inveja daquelas meninas atuando lado a lado com seus ídolos.

-Kate. -fez a amiga, que andava mais para frente de si, parar e olhá-la. - Você acha possível que as cenas de dorama possam acontecer na vida real?

-Aqueles doramas que nós assistimos juntas rodeadas por lenços de papel e vários chocolates? - debochou. -Em partes, Meg. Pode acontecer, mas não igualzinho e perfeito igual aos doramas.

-Seria bom se a vida acontecesse igual àqueles doramas ou animes shoujo.

-Realmente. -a mais baixa respondeu dando risadinhas e abraçou a amiga de lado, que envolveu o braço direito em seus ombros. - Mas pensa como seria ruim chorar pelo senpai todo dia e não ser notada.

-Por isso eu já passo todos os dias, Katherine.

As duas começaram a rir enquanto seguiam caminho pra casa. Algumas vezes Megan ou Katherine escorregavam e caíam em bolinhos fofos de neve, o que só fazia com que rissem mais ainda. Ao chegarem à esquina do apartamento da menor, a neve começou a cair com mais intensidade e as duas correram para chegarem vivas e sem pegar um resfriado.

-Corre mulher! Olha essa nevasca! -Megan gritava aos ouvidos de Katherine que estava prestes a tacar sua mochila na cara da amiga.

-Calma, embuste! Ta cheio de neve nesse treco, a chave não entra!

-Dá licença, vai.  -empurrou a amiga, que plantou um bico nos lábios e pegou a chave de sua mão, abrindo a porta rapidamente.

-Você é bem eficiente mesmo, agora sai da frente. -Katherine entrou no prédio mais rápido do que mãe em dia de promoção no mercado e tomou a chave da mão da amiga, correndo em direção ao elevador e deixando a mesma com cara de quem ouve uma piada, mas não entende. Ainda fez questão de mostrar a língua antes da porta do elevador se fechar por completo.

-Aquela... Anã de cachecol!

Foi até o elevador e quase quebrou o botão de tanto pressioná-lo e quando as portas finalmente abriram, entrou e apertou o botão do 14° andar tão rápido que nenhuma pessoa conseguiria entrar nem mesmo se corresse o mais rápido possível. O elevador chegou ao andar e Megan correu na direção da amiga, nem se importando com as pessoas em que esbarrou no percurso. Parou no começo do corredor ao ver Katherine bem enrolada tentando abrir a porta do apartamento com pressa e começou a rir com as mãos nos joelhos, um tanto ofegante. Megan respirou fundo algumas vezes e correu em direção à amiga, que conseguiu abrir a porta bem no momento em que ela jogou seu peso por cima de si, o que fez com que ambas caíssem no chão para dentro do apartamento.

-Sai, sai, sai, sai!!! - Katherine gritou enquanto se debatia no chão, sem conseguir se mover. -Você é muito pesada, Meg!

-Ah é?! Mas é agora que eu não saio mesmo! -respondeu segurando em volta do corpo da amiga.

-Meg, ta me sufocando! Meg, eu vou morrer!

-Santo Deus, Kate! Que drama, eu nem sou tão gorda assim. -saiu de cima da amiga e se sentou no chão, vendo-a fazer o mesmo enquanto ofegava. -Sua baixinha sem coração! -fez uma careta seguida por um bico.

-Você não é gorda, Megan. Mas tem muita bunda e coxa pra uma garota da sua idade!

-Não tenta consertar as coisas agora, sua pomba. Vai logo tomar banho, eu vou depois.

-Mas você trouxe roupa? Sua casa ta muito longe pra você ir buscar agora, e com essa neve toda...

-Claro que eu trouxe. -respondeu se levantando e estendeu a mão para ajudar a amiga a fazer o mesmo. -Eu nunca saio de casa em dia de neve sem trazer uma roupa junto.

-Ok, senhora precaução. Então, depois que eu tomar banho, você pode ir. -disse enquanto andava até o quarto e pegava suas roupas quentes. -Você pode fazer aquele chocolate quente pra gente?

-Você comprou marshmallow? Tem achocolatado? O leite não ta vencido?

-Não, Megan! Eu tomo leite vencido com água da privada. É claro que tem né, embuste. Meus pais me mandaram dinheiro essa semana e eu fiz as compras ontem. -entrou no banheiro e já abriu o chuveiro antes mesmo de tirar as roupas, por conta do frio, não sem antes revirar os olhos.

-Uau, que responsável, e grossa. Lá em casa nem leite pro Mingau tem.

-Coitadinho! Mas os donos dele não dão?

-Quer saber? Os donos dele não estão nem aí pro bichinho. Tanto que eu dei o nome de Mingau pra ele e eles não se importaram nem um pouco.  -deixou sua bolsa em cima do sofá e foi até a cozinha, separando as coisas pra fazer os chocolates quentes. -Inclusive, melhor homenagem que eu já fiz na vida.

-Melhor abuso, isso sim! Onde já se viu? O Minghao é meu ultimate e não seu! - entrou embaixo do chuveiro de uma vez, soltando um suspiro baixo por sentir algo tão quentinho caindo em suas costas. -Você podia muito bem ter colocado o apelido de Wonwoo nele ou o nome do seu couple favorito, sei lá.

-Nem vem que você ficou toda animada quando eu disse que ia fazer uma homenagem pra ele.

-Ah, mas...

-Ah mas, nada. Eu que sei o nome que eu ponho no meu gato.

-Tá bom, né. Seu gato. -disse por fim, terminando de tomar seu banho e vestindo as roupas quentes que havia deixado em cima do vaso sanitário.

Megan estava encostada na geladeira esperando o leite ferver para poder tirar a nata, coisa que ambas odeiam. Katherine saiu do banheiro e deixou toda aquela fumaça sair do banheiro e poder respirar novamente.

-Eu só sei que quando tiver um gato o nome dele vai ser Mingau mesmo que nome do seu seja Mingau, e só pra te provocar o outro vai ser Wonu, sua folgada. –Kate andou até o lado de fora do apartamento para poder pendurar sua toalha, e percebeu uma coisa: a temperatura dentro de casa não estava muito diferente da temperatura fora de casa, ou seja, a porra de uma imitação de polo norte.

-Eu acho que esse marsh-

-Megan eu não tô acreditando que você ainda não ligou o aquecedor, Jesus tá muito frio aqui. –a garota comentou ligando o aparelho ativando os botões que ficavam ali bem do ladinho do sofá.

-Me perdoa se eu estou ocupada fazendo esses lixos desses chocolates quentes. –a morena colocou as mãos na cintura se fazendo de ofendida e indignada. –E você não coloca o Wonwoo na conversa não hein.

-Você que começou.

-Se eu sair dessa cozinha eu vou enfiar essa nata toda na sua goela. –Megan ergueu a peneira com nata na direção da amiga, que fez uma cara de nojo bem engraçada.

Katherine mostrou a língua para a mais velha, que por um fio não foi dar uma puxada no cabelo da amiga, e o fio nesse caso, era vermelho.

(In) felizmente Megan, por algum motivo estranho, se lembrou de Baekhyun. E imaginou que o garoto deveria agir da mesma forma que Kate com os outros membros.

Então nesse caso, Megan seria Chanyeol?

Não era novidade para ninguém essa duplinha implicando um com o outro, né.

Megan parou para pensar no que havia dito antes, sobre doramas. E concluiu que gostaria de viver em um dorama, se Baek estivesse nele também. Não ligaria se fosse ignorada por ele, ou que ele nunca soubesse de sua existência –já que há um mês essa era sua realidade. -, até mesmo se ele morresse. Ela gostaria de estar ao seu lado ou apenas próximo disso.

-Megan! O leite! –Megan se sentiu ser empurrada por Kate que correu afobada em direção à caneca de leite que tinha fervido tanto a ponto de sair do recipiente.

-Ai, foi mal.

-Em que planeta você estava? Fala sério...

-Em um fora do sistema solar... –Megan sussurrou dando um sorriso de canto e se sentindo um pouco corada ao falar aquilo.

Como podia se sentir tão apegada a alguém que só havia visto duas vezes?

No final, Megan sempre gostara de sonhar demais.

 

 

-Foi muito fofo, na verdade. –Chanyeol comentou esticando as pernas no chão vendo uma pequena bola de pelos marrom vir se deitar em cima. –Oi seu folgado, fiquei te chamando uma eternidade. –ele sentiu um cheiro diferente na pelagem do cachorro, um cheiro doce, e o levantou para poder investigar.

Ele já sabia de quem era esse cheiro.

-Sehun e Luhan, se o Beethoven voltar com cheiro de perfume Victoria’s Secret por causa do Vivi de novo eu vou tosar esse cachorro.

-Ah mas não vai mesmo. –Sehun estufou o peito batendo a caneca de café na mesa que, por pura sorte, estava vazia.

-Me testa. –Chanyeol cerrou os olhos na direção do amigo.

-Eu queria entender o que eu tenho a ver com o cachorro do Sehun. –Luhan estava com uma carinha de confuso e torcia o nariz tentando entender por que ele deveria ser culpado de algo.

-Todo mundo sabe que, se o cachorro é filho do Sehun você também tem parentesco. –Chanyeol disse se levantando e pegando um biscoito da mesa e deixando Beethoven praticamente dentro do pote de ração. –Café da manhã é a refeição mais importante do dia, come aí.

-Eu? Cala essa boca Park Chanyeol. –Luhan fez uma careta enquanto recolhia as canecas e pratos com a ajuda de Jongdae, que continuava sonolento.

-Falar meu nome completo não vai mudar nada Luhan. –o maior lhe lançou um sorriso cínico antes de entrar no corredor e Luhan perdê-lo de vista.

-Você sabe que ele está certo, não sabe? –Jongdae comentou esfregando seus olhos com muita preguiça depois de colocar os pratos em cima da pia e se virar para Luhan.

-O que? Qual é a de vocês hoje? Sai daqui Jongdae, e manda o Sehun vir aqui porque ele que seca a louça hoje.

-Tá bom... –Jongdae deu um sorrisinho de canto antes de sair da cozinha que fez Luhan ter vontade de xingá-lo em mandarim, que seria ainda mais difícil para ele descobrir.

Começou a lavar a louça devagar, ainda esperando por Sehun que tinha de tirar as louças do escorredor para que as novas fossem colocadas lá.

“Por que nós não compramos uma lava louças automática?”, Luhan pensou.

-Tá falando sozinho? –Luhan se assustou ao se virar e dar de cara com Sehun encostado no batente da porta, o observando em silêncio.

“Eu falei isso em voz alta?!”

-Tá me vigiando? Esquisitão.

-Não. Tava esperando você acabar pra eu poder fazer a minha parte. –Sehun deu de ombros.

-Sua parte tá te esperando aí no escorredor Oh Sehun. –Luhan aumentou o tom de voz, já estava irritado com o fato da existência de Sehun na cota de hoje.

-Mas e o que você tá lavando agora? –ele perguntou, com uma cara de desentendido que dava dó.

-Eu vou lavar sua cabeça pra ver se são os seus neurônios que estão sujos por falta de uso porque pelo amor Sehun, se preocupa com esses daí e com esses aqui depois. Na verdade vou esperar você acabar esses pra começar as de hoje. –Luhan se sentou no chão, encostado a parede.

Vivi se sentou no colo de Luhan, girando alguns segundos antes de finalmente se deitar, Luhan começou a acariciar o pequeno cãozinho lentamente, sentindo-o dormir sobre si.

Se lembrou do que havia pensado hoje de manhã, sobre o nome do cachorro, decidiu que seria uma boa comentar.

-Se eu tivesse MESMO alguma coisa a ver com a sua vida com o Vivi começaria pelo fato de que o nome dele não seria Vivi.

-Qual seria? –Sehun ficou curioso com o comentário de Luhan.

-Lulu.

-Tá brincando, né? –Sehun parou de enxugar uma das garrafas de Chanyeol e a deixou em cima do balcão.

-Porque eu estaria? –Luhan estava ofendido e só não levantou porque Vivi estava em seu colo.

-Vai colocar seu nome no cachorro? Tá se homenageando é?

-Não, idiota. Eu acho que fica muito melhor nele, só isso. –Luhan deu de ombros muito convencido.

-Aham. –Sehun ironizou e por pouco Luhan não o deu um belo chute na canela com a perna que estava livre.

 

 

 

Baekhyun ria tímido depois de mandar uma mensagem a Katherine, a noite já havia chego e mais fria do que nunca, e ele não tinha acreditado que tinha finalmente mandado mensagem a garota depois do acontecimento da noite passada.

Ela nem Megan – era esse o nome dela?- tinham culpa de ele ter ficado parecendo um palhaço por causa do glacê do bolo, ou até tivessem. Mas ele nunca teria coragem de responsabiliza-las por isso.

-EU JURO QUE SE VOCÊ FIZER UMA MERDA DESSAS DE NOVO EU VOU TE SOCAR YIFAN!

Infelizmente Chanyeol e Wu Yifan estavam jogando videogame no quarto ao lado, fazendo Baekhyun desejar ter uma arma.

-CALA A BOCA VOCÊ JOGOU A PORRA DE UMA GRANADA EM MIM, VOCÊ QUERIA O QUE?

Baekhyun ouviu um baque na parede, um estava empurrando o outro, pra variar.

Além de estúpidos, tinham que ser escandalosos e agressivos pra completar.

-SE VOCÊ ME EMPURRAR DE NOVO EU VOU TE ESMURRAR PRA FORA DO MEU QUARTO SEU ORELHUDO DESG-

Baekhyun se levantou da cama e andou a passos decididos e furiosos até o quarto ao lado, abriu a porta com um chute que desejava dar na cara dos dois, e os encarou com os olhos cheios de fogo enquanto cerrava as mãos.

A imagem dos dois fazendo cara feia um para o outro o lembrava de duas crianças de sete anos, Yifan estava com o dedo apontado para a porta e a outra mão agarrando a camisa de Chanyeol, Chanyeol estava fazendo uma cara de bravo bem ruim, na opinião de Baekhyun. E erguia o joystick como se fosse usá-lo para matar Yifan.

-E eu vou esmurrar vocês dois pra fora do dormitório pela janela se não calarem a porra da boca e aquietarem o facho!

Os dois arregalaram os olhos praticamente juntos e se entreolharam entes de começarem a rir.

-E eu vou chamar o Luhan e o Junmyeon pra me ajudarem.

Os dois engraçadinhos ali só faltaram ficar azuis de medo, covardes.

-A gente não ficou enchendo seu saco quando você tava rindo que nem um babaca lá no seu quarto. –Yifan comentou erguendo a sobrancelha convencido.

-Mas eu não estava BERRANDO QUE NEM VOCÊS DOIS! Até parece que estão lá na guerra pra estarem gritando desse jeito, Jesus. –o Byun ergueu o braço apontando para a tela da tevê que ainda exibia a tela de MORTO e as conquistas dos dois.

-Mas por que caralhos você tava rindo Baek? –Chanyeol acordou pra ser fofoqueiro hoje viu, Baek suspirou com o pensamento.

Baekhyun o olhou como se ele fosse algum tipo de corpo estranho e pensou muito antes de responder.

-Mandei uma mensagem pra alguém.

-Hummmm. –Yifan começou. –Para quem Baekkie?

-Kate, ninguém especial. –o menor deu de ombros fazendo um leve bico.

-Se ela fica sabendo que você está falando desse jeito dela, ela vai ficar super chateada Baek... –Chanyeol disse lentamente pegando seu celular no bolso de sua calça de moletom e ameaçando mandar uma mensagem à garota. –Ainda bem que eu tenho o número dela né...

-Chanyeol não ouse.

-Eu ouso. –ele encarou Baekhyun que já tinha pulado na cama em cima dos outros dois, desesperado.

Ele não se considerava muito íntimo da garota, já que haviam saído apenas duas vezes, mas não queria magoá-la.

-LARGA ESSE LIXO DESSE CELULAR PARK CHANYEOL. –Baekhyun tentava a todo custo tomar o celular da mão do outro, quando Chanyeol se levantou de saiu correndo pelo dormitório o Byun teve certeza de que deveria ter chamado Luhan e Junmyeon quando teve a chance.

-Ela nunca mais vai comer bolo com você, seu horrível. –Chanyeol provocou, e o pior é que ele não estava blefando, ele estava digitando pra valer.

-PARAAA! –Baekhyun pulou nas costas do outro agarrando seu braço o impedindo de continuar a escrever besteiras para a garota.

Conseguiu finalmente pegar o celular de Chanyeol com a tela desbloqueada e correu a toda velocidade para o banheiro, se trancando lá dentro.

Deixando um idiota-Chanyeol do lado de fora esmurrando a porta atrás de seu celular perdido.

E não é que ele tinha mandado mensagens pra ela mesmo?

Chanyeol: Kate o Baek

Chanyeol: ele

Chanyeol: ele queris

Chanyeol: ele disse

Chanyeol: que vc è

Chanyeol é tão burro que não conseguiu nem escrever direito, pensou Baek.

Baek mandou em seguida:

Chanyeol: que vc é uma fofa e ele te adora <3

-Pronto, ufa. –Baek suspirou aliviado colocando a mão no peito.

O celular vibrou alguns segundos depois.

Kate: que?

Kate: me adora? Como assim?

Baekhyun riu da situação e decidiu apagar a conversa e devolver o celular para o insuportável do outro lado da porta.

 

 

-Kate o... Baekhyun te mandou mensagem. –Megan entregou o celular para a amiga ainda um pouco chocada.

-Quem? Baekhyun? Ele nunca me mandou mensagem, que estranho... –Kate largou o pacote de salgadinhos e pegou o celular fazendo uma careta de confusão.

“Ele nunca mandou mensagem e agora Chanyeol diz que o Baekhyun disse que a adora e que ela é fofa?”, pensou Megan.

-Foi o Chanyeol, na verdade. –Megan comentou com a voz um pouco baixa, ainda pensando naquilo.

-É, ele ta me mandando umas mensagens nada a ver aqui. –Kate colocou um pouco mais de salgadinho na boca enquanto lia.

“Eu acho que não estava falando tão sério assim quando disse que um dos meninos poderia gostar dela como acontece nos doramas, eu... Estou sendo egoísta?”

-Megan... Você tá com uma cara... Tá tudo bem? –Kate colocou a mão sobre a coxa da amiga.

-Aham. –Megan fungou, estava com vontade de chorar e nem sequer tinha percebido. –Acho que vou ir dormir já.

-Mas ainda são oito e meia! –Kate exclamou, e com razão. Em um dia normal Megan NUNCA iria dormir oito horas da noite, mas esse não estava sendo um dia normal.

-Tô cansada. –Megan disse com a voz firme, a amiga se sentiu sendo afastada por Megan, decidiu que seria melhor deixá-la em paz, já que ela não queria lhe contar o que havia acontecido.

Kate: a Megan ficou estranha do nada...

Chanyeol: ué, mas pq?

Kate: eu não sei, se não já tinha resolvido

Chanyeol: *emoji revirando os olhos*

Kate: vc não ta me ajudando

Chanyeol: é pra ajudar? ata

Chanyeol: pergunta pra ela pq ela tá mal

Kate: mas ela disse que quer dormir

Chanyeol: então pq vc ta desesperada?

Kate: pq ela não é assim

Chanyeol: deixa ela coitada, ela não pode nem ter uma mudança de humor, uma tpm?

Chanyeol: vc se preocupa demais

Kate: e vc não ajuda em nada, boa noite Chanyeol.

Chanyeol: boa noite então.

Kate guardou o celular no criado-mudo que ficava ao lado da cama e se levantou, desligou a tevê e foi ao banheiro escovar os dentes.

Enquanto os escovava ficou imaginando qual seria o possível motivo que poderia ter deixado a amiga daquele jeito.

Megan se sentia mal por não conseguir contar à sua melhor amiga o que estava acontecendo, mas ela simplesmente não conseguia. Achava que Kate pudesse rir dela.

Kate voltou para a cama e se deitou, aos poucos foi sentindo o cansaço também, era mais do feitio dela do que de Megan ir dormir mais cedo, de qualquer jeito.

Desligou a luz do abajur e sentiu Megan se mexer devagar ao seu lado, suspirou e desejou que o tempo curasse tudo, como as pessoas costumam dizer.

Kate não gostava de ver a amiga infeliz, odiava na verdade.

E esperava do fundo de seu coração que aquelas onze horas de sono que as duas teriam pudessem deixá-la mais alegre.

 

 

E se sentiu um pouco mal quando acordou na manhã do dia seguinte sozinha no apartamento com um bilhete em cima da mesa que dizia: “Esqueci meu livro em casa! A gente se vê na faculdade, beijos <3”.

Kate tinha um turno na cafeteria da faculdade hoje, com Megan. Se perguntava como seria e se Megan apareceria por lá.

Do lado de fora do prédio à neve estava mais fraca, mas ainda caía, constante.

Kate andou três quarteirões a mais naquele dia só para poder comprar um copo de chá para tomar na faculdade, hoje é dia de prova, haja chá pra isso.

Subiu no ônibus e abriu seu livro, tentando não pensar em Megan, e falhando.

Por que o livro tinha que estar bem na parte em que as duas protagonistas brigam? E porque Kate teve a sensação de que era exatamente aquilo que estava acontecendo com ela?

As duas, Amélia e Rose, haviam brigado porque Rose gostava de Paul (um cara que todas gostavam, ugh que cliché), e ele havia chamado Amélia para sair.

Pensando bem, Rose é quem tinha brigado com Amélia, a outra não tinha culpa se o garoto que a amiga gostava não tinha interesse.

Katherine estava tão imersa na leitura que até perdeu seu ponto e foi parar do outro lado da avenida, tendo que voltar o caminho todo correndo já que ainda queria passar na cafeteria para perguntar para Jenki que horas ela poderia estar ali e se ele já havia visto Megan hoje.

Tomou o último gole de seu chá e entrou na cafeteria ajeitando a mochila no ombro, procurou Jenki por aqui e por ali e nem sinal dele.

-Melanie, você viu o Ming por aí? –perguntou a colega de trabalho de Jenki, Melanie. A garota era um pouco emo e gótica, mas era bem simpática.

-Hmm, vi sim. Ele foi lá pra fora com a sua amiga faz uns quinze minutos.

Quinze minutos foi o tempo que Kate havia levado para subir a avenida, se tivesse chego naquela hora talvez tivesse tido a chance de chamar Megan para conversar e perguntar o que estava acontecendo.

O problema é que agora ela tinha que subir para a aula e ver seminários, e fazer provas e se focar na aula, não teria tempo de ir falar com Megan.

Se tivesse chego quinze minutos antes...

-Obrigada Melanie. –agradeceu a garota e jogou o copo de chá no lixo.

Com um último longo suspiro saiu da cafeteria e começou a subir as escadas para a sala de aulas.

 


Notas Finais


Gaby: Aeho, postei na data certa! Espero que tenham gostado, e eu amo escrever as narrações dos meninos, beijo. Comentem pra eu saber se ta bom o suficiente <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...