História Lucky Girl - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Amor, Drama, Exo, Morte, Romance, Tragedia
Exibições 37
Palavras 1.640
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura s2

Capítulo 46 - Capítulo 45


Fanfic / Fanfiction Lucky Girl - Capítulo 46 - Capítulo 45

Bella*

Coréia do Sul, Seoul

Dezoito de Maio

Sábado, 9:00 p.m

— O que são todas essas coisas?! — Praticamente gritei.

— Bella, se acalme. — Krystal disse.

— Tem até vídeos! — Gritei. — O que são essas coisas?!

— Se lembra quando fizemos nossa vingança contra Mei? — Lu Han perguntou e eu assenti. — Todas essas coisas estavam dentro do quarto de Mei, presas na parede.

— Como assim? Por que ela teria essas coisas? — Perguntei irritada.

— Achamos que Mei está fazendo algo contra você. — Flora disse.

— Ela o quê? — Levantei correndo do sofá e sai da casa de Lu Han, meu rosto estava vermelho, fumaça saia das minhas orelhas, e a cada passo que eu dava deixava um rastro de fogo. Atravessei a rua, quando eu ia tocar a campainha da casa de Mei uma mão me puxou.

— Não vai adiantar comprar briga com Mei, mesmo que você vá tirar satisfações com ela, ela irá continuar! — Chanyeol disse segurando o meu braço.

— O que vocês querem que faça? — Cruzei os braços.

— Deixe ela atacar ... — Flora começou.

— Que ai nós atacamos! — Lu Han completou.

— O quê ... — Coloquei minhas mãos na minha cabeça e bufei. — Está bem. — Revirei os olhos. — Mas o que vocês planejam fazer com ela quando ela atacar?

— Não temos a mínima ideia. — Lu Han respondeu.

— Ahh! Que droga! — Disse coçando meus olhos.

— A única coisa que podemos fazer é esperar ... — Flora sussurrou.

[...]

Coréia do Sul, Seoul

Dezenove de Maio

Domingo, 5:12 p.m

— Sehun, não! — Gritei.

— Por quê?

— Essa garota é horrível! — Falei apontando para a tela do celular.

— Eu sou bem mais bonito que ela! — Yixing disse.

— Você acha que eu estou ligando para o rosto? Ela é gostosa para caralho!

— Mulheres não são objetos, seu imbecil! — Bati no seu braço.

— Bella, você foi atacada por ninjas? — Yixing perguntou cruzando os braços.

— Yixing, você já tomou o seu remédio hoje? — Sehun perguntou confuso para o chinês.

— É sério! — Yixing falou. — Eu reparei nisso desde a hora que você chegou! — Apontou para o meu pescoço coberto pelo cabelo.

— Você está ficando louco, Yixing. — Envolvi meu pescoço com minhas mãos.

— Eu não sou louco, e nem cego. — Tentou tirar minhas mãos.

— Yixing me solta! — Praticamente gritei.

— Não! Eu quero mostrar que é verdade! — Praticamente gritou.

— Vocês me deixaram curioso, eu também quero ver! — Sehun falou tentando tirar minhas mãos.

— Ei, isso não é justo ...

— Meu Deus do céu ... — Sehun disse.

— Esses ninjas eram brutos ... — Yixing sussurrou.

— Não foi nenhum ninja, Yixing, foi o meu namorado. — Revirei os olhos saindo da cozinha.

— Não! — Yixing gritou. — Sua pureza!

— Toda a sua inocência! — Sehun disse fazendo drama.

— O que estão fazendo?

— Ele levou tudo embora. — Se ajoelharam em minha volta.

— Sehun que gritaria é essa?! — Sua mãe gritou do quarto.

— Omma, Bella perdeu a ... — Antes dele

completar sua frase cobri sua boca.

— Nada! — Gritei. — Não se preocupe senhora Oh, não vamos mais ficar gritando!

— Se continuarem gritando eu quero lembrar à vocês que eu tenho a permissão de seus responsáveis para bater nessas bundas gordas de vocês! — Gritou e Sehun colocou a mão do bumbum. — Principalmente você, Oh Sehun!

[...]

Coréia do Sul, Seoul

Dezenovd de Maio

Domingo, 6:40 p.m

— Eu estava com saudade das nossos domingos juntos. — Yixing disse sorrindo.

— Deus, tem lámen até no meu cérebro. — Sehun disse colocando a mão na barriga estufada.

— Bella. — Yixing me chamou.

— Sim?

— Kyungsoo não sente ciúmes de você com a gente?

— Eu conversei com ele uma vez sobre isso ... — Cocei meu queixo. — Kyungsoo confia muito em mim, isso é maravilhoso. — Sorri. — Eu acho que eu não conseguiria ter um namorado ciumento ...

— Eu quero um namorado assim. — Yixing disse.

— Você é gay agora, retardado mental? — Sehun perguntou para o chinês.

— Não. — Riu.

— Você está ficando com a Flora, não está? — Perguntei.

— Como sabe?

— Eu sei de tudo. — Cruzei os braços e fiz uma pose. — Ok, eu peguei o celular dela e li as suas mensagens.

— Você está ficando com ela e nem me disse! — Sehun empurrou Yixing. — Seu traidor!

— Ela pediu para eu não contar para ninguém, disse que não queria ninguém intrometendo na vida amorosa dela.

— Mesmo assim, somos seus melhores amigos, melhores amigos contam as coisas para os melhores amigos, não ficam escondendo as coisas. — Sehun disse.

— Me desculpe. — Yixing disse. — Eu não escondo mais nada de vocês.

— Sehun, você é um monstro sem alma. — Abracei Yixing.

— O que eu fiz?

— Deixou Yixing triste!

— Pare de drama Yixing. — Empurrou o mais velho.

— Pelo menos eu ganhei um abraço. — Se gabou.

— Eu ganho quantos abraços eu quiser da Bella. — Deu língua.

— Quantos anos vocês tem? Doze? — Perguntei cruzando os braços e rir.

Ficamos rindo e nos divertindo até tarde, eu estava tentando esquecer de Mei naquele momento. Deus aquela garota havia chegado na minha vida apenas para causar transtorno! Eu nunca fiz nada de mal para ela. "Mas Bella, ela gostava de Kyungsoo", trair hoje em dia significa gostar então?

— Ei. — Chamei os dois.

— Oi. — Recuperaram o ar.

— Vocês sabiam que Mei estava com milhares de fotos e vídeos meus? — Rir sarcástica e eles se olharam. — Que olhares são esses? — Olhei séria para os dois. — Vocês sabiam disso?!

— Nos desculpe ... — Falaram juntos.

— Não queríamos que você ficasse assim ... — Sehun sussurrou.

— Assim? — Perguntei levemente irritada. — Deveriam ter me falado! — Bufei. — Por que todos tem a mania de esconder as coisas de mim?!

[...]

Coréia do Sul, Seoul

Vinte de Maio

Segunda feira, 7:02 p.m

Era uma segunda de sol, os passarinhos cantavam alegremente, mas aquilo não alegrando o meu dia de jeito nenhum.

Eu teria que olhar para a cara de Mei. Na noite de sábado eu me irritei com ela, domingo fui até a case de Sehun para me divertir com ele e Yixing, ver se esquecia a Mei por um momento, porém só me irritei mais, tanto com ela quanto com eles.

Eu estou me irritando demais esses dias, estou parecendo o Baekhyun!

— Se continuar a olhar assim para as pessoas vai acabar matando alguém. — Chanyeol sentou no meu lado.

— Estou irritada. — Apenas disse isso.

TPM?

— Não, estou irritada com Mei, Sehun e Yixing. — Cruzei os braços. — Ah! Que ódio! — Chutei a certeira da frente.

— Falando no diabo ... — Chanyeol falou olhando para a porta.

Mei não estava mais loira, seus cabelos estavam castanhos claros, iam até a cintura e nas pontas haviam poucos cachos. Não estava usando mais as lentes azuis, agora estava usando lentes verdes claro.

— É sério isso?! — Chanyeol perguntou rindo.

— O quê? — Perguntei confusa.

— Ela está idêntica à você! — Cruzou os braços e negou com a cabeça. — Eu não acredito nisso.

— Claro que não ... — Revirei os olhos.

— Não? Olhe só bem para ela, Bella, seu cabelo é castanho claro e seus olhos são verdes, além disso você também tem sardas, olhe bem para ela, ela está usando aquelas sardas falsas!

— Sobre o que estão falando? — Lu Han apareceu e sentou na frete de Chanyeol.

— Olhe para Mei, está idêntica à Bella. — Chanyeol repondeu e o chinês olhou.

— Ela não tem jeito mesmo. — Riu sarcástico.

— Chega de falar sobre ela! — Falei. — Eu não aguento mais essa garota, não vejo a hora de chegar Junho e eu nunca mais ver essa garota!

[...]

Coréia do Sul, Seoul

Vinte de Maio

Segunda feira, 12:12 p.m

— Você está irritada, por quê? — Kyungsoo perguntou sentando no meu lado no pátio vazio. — Nem almoçou.

— Não estou com fome. — Disse olhando para o além. — Estou irritada porque eu sou muito chata, então fico irritada por tudo.

— Parem com essas desculpas de criança de cinco anos e me diga a verdade.

— Sehun e Yixing sabiam sobre Mei e não me contaram nada. — Respondi. — Satisfeito?

— Mei não vai fazer nada com você. — Kyungsoo disse. — Não vou deixar ela fazer nada com você, eu juro.

— Eu não tenho medo do que ela possa fazer comigo ... — Olhei para Kyungsoo. — Eu tenho medo do que ela pode fazer com nós ... — Sussurrei. — Por que tudo isso está acontecendo comigo?!

— Tudo passa. — Kyungsoo disse. — Isso vai passar, você vai ver só. — Segurou minhas mãos.

— Espero que sim. — Respirei fundo. — Você viu?

— O quê?

— Segundo Chanyeol e todos cismaram que Mei está tentando me copiar?

— Como assim?

— Ela mudou a cor do cabelo e agora está usando lentes verdes, até colocou sardas falsas.

— Mas a sua personalidade ela não pode copiar. — Disse.

— Você tem razão. — Sorri de lado.

Meu telefone começou a vibrar no banco de madeira, peguei o mesmo e com um pouco de dificuldade, por conta do sol, li o nome.

— Oi Stella.

— B-Bella ... — Gaguejou, sua voz estava fraca e trêmula.

— O que aconteceu?! — Perguntei levantando do banco.

— A-A Nina, Bella ... — Disse entre os soluços. — N-Nina foi assaltada e levou uma facada ... 


Notas Finais


Eu não gosto de finais felizes

.
.
.
.
.

5


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...