História Lucky One - imagine Xiumin Primeira Temporada. - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Sehun, Xiumin
Tags Drama, Exo, Romance, Romance Escolar, Xiumin
Exibições 335
Palavras 2.521
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Segunda temporada já disponível!!!
Nesse mesmo perfil, confiram nas minhas histórias!
Beijão!

Capítulo 31 - Capítulo Único ( Capítulo final ).


Fanfic / Fanfiction Lucky One - imagine Xiumin Primeira Temporada. - Capítulo 31 - Capítulo Único ( Capítulo final ).

* UM DIA ANTES DA PARTIDA DO XIUMIN PARA A CORÉIA*

--------------- Visão da personagem principal ---------------

Hoje faz uma semana que eu e o Xiumin terminamos, pra ser sincera eu nem o vi direito depois do nosso "último dia". Na escola por exemplo, como somos de salas diferentes, não tenho o visto, até mesmo no intervalo. Até mesmo do festival da escola ele não quis mais participar, mas o que me deixou surpresa foi que o Sehun também não quis participar.

Estou com um mau pressentimento de que não irei mais vê-lo, o pior de tudo é que meus pensamentos sempre estão certos, mas primeiro eu devo confirmar. 

Estou na escola, já estou no intervalo, e novamente não vejo o Xiumin. Estou sozinha e vou andar um pouco, até que em um canto, Sehun está lá, pronto é minha chance, resolvo ir nele e tentar saber de algo. Chego perto dele, ele parece não gostar muito quando me aproximo. Meio envergonhada eu digo;

-- Oi Sehun.

-- Oi (__).

-- Não tenho visto você por aqui ultimamente...

-- Você sente algo por mim?

-- Oi?

-- Me responda.

Ele segura forte em meus braços como se eu fosse fugir.

-- Sehun, você esta me machucando.

-- Responda.

-- Por que isso tão de repente?

-- Porque eu quero saber.

-- Não. 

Ele escuta isso e sai, mas quando ele ainda está perto de mim, eu pergunto:

-- E o Xiumin?

-- Vai embora amanhã.

Não consigo nem responder o que ele diz, fico paralisada com aquela notícia, eu já imaginava que ele iria embora, mas não tão rápido assim. Eu menti para o Sehun, apesar de tudo tenho que ser sincera em dizer que ele mexe comigo, mas naquele momento pensei que seria melhor em não dizer nada. O que vai ser de meu coração agora?

Meus olhos se enchem de lágrimas, me sinto um lixo, não consigo nem interpretar meus sentimentos por alguém e ainda o cara que eu tive a verdadeira experiência do que é amar, estará partindo amanhã, mas desta vez, ele realmente vai embora para o outro lado do mundo e eu continuarei aqui.

------------------- Visão do Sehun -------------------

Enquanto saio de perto dela, meus olhos se enchem de lágrimas, aquilo dói de mais.

Eu quero, ou melhor eu tenho que esquecer ela, vou seguir uma trilha na minha vida que realmente possa dar certo ao invés de ficar correndo atrás de algo que sei que não é para mim, mas, eu estaria mentindo se dissesse que ainda não a amo.

O sinal bate e eu volto para minha sala, vou o mais rápido possível para que ela não possa me encontrar, mas pelo jeito que ela ficou tão abalada com a notícia, ela com certeza não vai mais falar nada, fiquei sabendo que os dois terminaram, eu pensei que ela pudesse sentir algo por mim também, já que ela brigou com o Xiumin por causa de mim, mas fiquei engado, o que mais me dói é que hoje possa ser a última vez em que conversamos, seria isso o certo para meu coração?

As horas parecem minutos de tão rápido que se passa e quando percebo, já é hora de ir embora e aquela pequena conversa de hoje mais cedo ainda não saiu da minha mente, estou indeciso com o que decido com minha vida.

Quando estou pegando minha bicicleta, a Natália vem em minha direção, ela diz;

-- Oi.

-- Oi.

-- Por que você não tem conversado comigo? Eu fiz algo?

-- Não... minha vida anda muito confusa e corrida, me desculpe.

-- Tudo bem.

Tenho a impressão de que a (__) estaria vindo conversar comigo, mas mudou de ideia quando viu que eu estava conversando com a Natália, aquilo me incomodou um pouco, na verdade, me incomodou muito, o que será que ela iria me dizer? Mas eu também não poderia dizer para a Natália sair dali, pelo o que eu venho pensando em fazer, aquela pode ser uma das últimas vezes em que ela possa estar conversando comigo. Ela diz várias coisas, mas eu não consigo prestar atenção, porque eu só consigo pensar na (__), quando meus sentidos voltam para a Natália ela diz;

-- Entendeu?

-- A..oi? Desculpa eu não entendi direito.

Dou um pequeno sorriso para ver se ela releva isso, e ela acaba relevando.

-- Eu queria saber se você pode sair hoje à noite...?

--  Desculpe mas hoje eu já tenho um compromisso muito importante.

-- Nossa... tudo bem então, nos vemos depois.

Ela sorri e se vira, mas por impulso quando ela se vira, eu puxo seu braço direto, a puxo para perto de mim e lhe dou um beijo, ela não sabia mas aquele beijo era de despedida.

----------------------- Visão do Xiumin -------------------

Hoje o dia está cinza para mim, espero que quando eu chegar na Coréia eu consiga esquecer tudo isso, apesar de saber que eu não vou conseguir. Eu quero tê-la, mas não posso, esse destino está acabando comigo, essa vida está acabando comigo.

Sento no sofá da minha sala, ligo a TV, mas nem consigo sequer prestar atenção, pois fico lembrando de nossos momentos, chego até mesmo a rir, pois muitos foram engraçados, como das várias vezes que eu tive que sair escondido de seu quarto para que seus pais não me encontrassem, foram momentos tão bons...

Também lembro de nossos momentos íntimos, foram tão intensos, tão marcantes e agora o melhor seria esquecer, mas como vou esquecer?

Começo a chorar ali mesmo, eu nem mesmo tenho oportunidade de dizer adeus, até porque para  mim voltar a esse Brasil, vai demorar, pra ser sincero nem sei se vou poder voltar, até porque quando eu chegar na Coréia, vou assinar um monte de papelada e ser responsável pela a empresa, é claro que vou ter que estudar muitas coisas antes de pegar o cargo de presidente, mas isso vai ser fácil e rápido.

Apenas fecho os meus olhos e começa a passar um filme sobre minha vida, desde o início, até hoje. 

Certa vez eu li em um lugar que, algumas pessoas foram feitas para se amar, mas não para estarem juntas. E isso com certeza, está dizendo sobre minha vida amorosa.

Desligo a TV, subo as escadas e vou para meu quarto. Eu amo cantar, compor, tocar, e sempre que estou triste, escrevo músicas. Pego meu violão e começo cantar uma música feita por mim, já que sou fluente em inglês, resolvi me expressar melhor em inglês.

Começo a tocar os primeiros acordes e começo a cantar.

"

Well let me tell you a story

About a girl and a boy

He fell in love with his best friend

When she's around, he feels nothing but joy

But she was already broken, and it made her blind

But she could never believe

That love would ever treat her right..."

Continuo tocando meus acordes, mas não consigo cantar direito, estou com muita vontade de chorar e as lágrimas começaram a sair de meus olhos. Começo a cantar novamente:

"

But did you know that I loved you, or were you not aware?

You're the smile on my face

And I ain't going nowhere

I'm here to make you happy, I'm here to see you smile

I've been wanting to tell you this for a long while".

Acho que estou cantando um pouco alto, mas quem liga? Chego em minha parte preferida da música, o refrão, que mexe muito comigo:

"

Who's gonna make you fall in love?

I know you got your wall wrapped

All the way around your heart

Don't have to be scared at all, oh, my love

But you can't fly unless you let your

You can't fly unless you let yourself fall"

Enquanto estou cantando, percebo que alguém entra em meu quarto, penso que é minha mãe, ela sempre gosta de me escutar cantar, mas, quando estou novamente no refrão, quem esta em meu quarto é ela.

Fico espantado e cheio de perguntas, como ela veio parar aqui?

Essa música foi feita para ela, então, mesmo com ela sentada do meu lado em minha cama, não para de cantar, pelo contrário, eu olho bem no fundo de seus olhos e continuo cantando, e ela com um lindo sorriso, aquele momento poderia ser infinito para mim.

Paro de tocar o violão e apenas canto olhando para ela, uma pequena parte da música:

"

I will catch you if you fall

I will catch you if you fall

I will catch you if you fall

But if you spread your wings

You can fly away with me

But you can't fly unless you let your

You can't fly unless you let yourself fall"

Seus olhos se enchem de lágrimas, assim como os meus, começo a cantar novamente o refrão novamente, juntamente com meu violão e parecia que existia apenas a mim e ela nesse mundo. Já não estou tocando o violão de uma forma "forte", então apenas começo a dedilhar e canto a última parte da música.

Assim que acabo de cantar, nós dois ficamos paralisados, um olhando para o rosto do outro, mas então ela resolve dizer:

-- Essa música é linda.

-- Foi eu quem a compôs.

-- Deu pra perceber mesmo.

Ela sorri.

-- Foi para você.

Ela olha para mim com um olhar de quem não sabe o que dizer com palavras o que esta sentindo, então ela chega mais perto e passa sua mão sobre meu rosto com carinho e diz:

-- Obrigada.

Lágrimas começam a escorrer sobre seu lindo rosto.

Começo a enxugar suas lágrimas com meus dedos, coloco meu violão na atrás de mim na minha cama, chego mais perto dela, e a beijo.

Nunca beijamos dessa forma, foi um beijo apaixonado, mas um sentia a angústia do outro, sabendo que aquele poderia ser o nosso último beijo. Não quero que ele acabe, na verdade, quero que esse beijo dure uma eternidade. Mas como nem tudo que queremos acontece, chega um momento em que paramos de nos beijar e posso ver que em seus olhos, as lágrimas ainda se escorrem pelo seu rosto, o engraçado é que em meu rosto, mesmo que eu também não havia percebido, lágrimas também estavam se escorrendo.

Antes mesmo que ela falasse algo para mim, seu celular toca, ela atende e apenas diz:

-- Estou indo.

Ela desliga o telefone, segura em uma de minhas mãos, olha para mim, e diz:

-- Eu preciso ir.

-- Por que tão cedo?

-- Minha mãe pensa que estou passando mal e estou na casa de uma amiga.

Sorrio, pois penso nas histórias que ela inventa para estar perto de mim.

-- Entendo.

Ela vai em direção a porta do meu quarto, mas em vez de sair, ela fica ali, parada.

Fico esperando para ver o que acontece, rapidamente ela vira para mim, corre nos poucos metros que nos separam, e nos abraçamos. Ela chora, eu também, mas naquele momento digo o que vem em meu coração:

-- Cuide-se.

Ela olha para mim e diz:

-- Página 125.

O que ela me diz, para muitos pode não ter nenhum sentido, mas para nós, isso significou o nosso início.

Ela sai de meus braços e meu coração se espedaça com isso, ela se vira e sem nenhum receio, sai de meu quarto.

---------------------------- Visão do Sehun ------------------------

Estou chegando a casa de Xiumin, já levei muitas coisas minhas para lá. Hoje eu vou pousar lá para que amanhã possamos viajar, quando estou chegando na casa dele, vejo ela saindo do portão, ela está na calçada de sua casa. Ela está chorando muito, na verdade, nunca a vi chorando tanto. 

Eu não sabia o que fazer, fico paralisado e não sei se vou ou não conversar com ela, já que ainda estou a uma distância boa da casa do Xiumin.

Mas quando ela olha para a sua direita, se depara comigo, a metros de distância dela.

Ela enxuga suas lágrimas, com certeza ela deve ter se despedido de Xiumin, mas enquanto a mim? 

Para que eu não vá para o outro lado do mundo com arrependimentos, começo a correr em sua direção, e ela não faz nada, apenas fica parada. Quando chego em frente à ela, fico paralisado novamente. Mas com muito esforço digo:

-- Queria muito uma oportunidade de te ver para...me despedir.

-- Você realmente vai?

-- Sim.

Ela começa a olhar para baixo, mas logo olha para mim, coloca uma de suas mãos em meu pescoço e começa a se aproximar. Me aproximo dela lentamente e quando penso que vamos nos beijar, ela vira seu rosto e me abraça. Um abraço tão apertado que me faz sentir sua angústia. Sinto sua respiração ofegante, saio de seu abraço, seguro em seu rosto, e lentamente, lhe dou um beijo na testa, lágrimas se escorrem em meu rosto e quando termino meu beijo, digo:

-- Adeus, (__).

Ela dá um leve sorriso enxugando suas lágrimas e diz:

-- Adeus, Sehun.

Ela sai andando e logo vira a esquina, enxugo minhas lágrimas, fecho os olhos, tento reprimir o sentimento que há em mim e entro na casa de Xiumin.

** HORAS DEPOIS.

Estou indo para a sacada da casa do Xiumin, são 3:40 da madrugada, e o incrível é que ele está lá. Ele olha para trás, percebe que estou ali e diz:

-- O que faz aqui?

-- Olhar as estrelas, e você?

-- O mesmo.

Me aproximo dele e digo:

-- Será uma nova vida?

-- O que?

-- Amanhã, começara uma nova vida?

Ela dá um longo suspiro e diz:

-- Quem sabe.

-----------------------------------------------------------

** NO DIA SEGUINTE

---------- Visão da personagem principal -------------

Assim que acordo para ir à escola, percebo que já não há mais como me comunicar com ele, já que seu voo é as 6:15 e quando ele chegar lá, terei contato?

Fico pensando nisso, e vou me arrumar, quando volto e vou arrumar meus materiais, não sei como, mas ele conseguiu colocar uma carta em minha mochila, com certeza pediu para alguém colocar lá. É um envelope branco, com uma escrita grande em coreano, está escrito meu nome (sei disso porque ele me ensinou a escrever meu nome em coreano), abro o envelope e começo a ler a carta:

" Amor,

Nesse mês teríamos 100 dias juntos, eu gostaria de comemorar esses 100 dias com você, na verdade, queria comemorar 100,1000, infinitos dias com você.

Mas infelizmente, não serei capaz de fazer isso. 

Saiba que mesmo que não pareça, eu te amei, eu te amo e sempre vou te amar, nunca vou esquecer de nossos momentos juntos, nossas brigas, alegrias, risadas e até mesmo fotos, mas, isso tem que ficar apenas nas nossas memórias, porque mesmo se continuarmos mantendo contato, seria correto alimentar um amor que viverá impedido por oceanos?

Viva sua vida intensamente, ame intensamente, mas sempre deixe um lugar, mesmo que pequeno, em seu coração para mim, porque em meu coração você já tem seu espaço. Se cuide, viva bem e bastante, seja feliz.

                                                    Kim Minseok."

------------------------------------------------------------------------------------

Continua na próxima temporada.

Leiam as notas finais.

 


Notas Finais


TRAILER DA SEGUNDA TEMPORADA JÁ ESTA NO YOUTUBE: https://www.youtube.com/watch?v=1oxAiPLQV0A
Fanfic Lucky One - Imagine Xiumin_Primeira Temp_[Trailer], do canal HelloCris.
-------------------------------
SEGUNDA TEMPORADA JÁ DISPONÍVEL, NESSE MESMO PERFIL, CONFIRAM NAS MINHAS HISTÓRIAS!!

Música "feita" pelo Xiumin: Justin Bieber - Fall
Instagram: @Katalenics


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...