História Lucky Shoot - Historia Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Cubone
Tags Cubone, Interativa, Pokémon
Visualizações 24
Palavras 1.877
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Fantasia, Festa, Luta, Magia, Mecha, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Acabei me deixando levar e a historia ficou gigante, tive que dividir em dois. Espero que não se importem :3

Capítulo 2 - A vida de um zoroark parte 1


Lucca: Então, Luck. Está pronto para isso?

Luck: Para ir para uma historia de uma pessoa? Ou para você ter o controle total sobre o universo de outra pessoa?

Lucca: Cara, para. Você sabe que eu não vou fazer besteira, eu gosto do cara.

Luck: Eu diria “tanta” besteira.

Lucca: Por favor, só cala a boca enquanto eu termino de arrumar a máquina.

*Passasse alguns minutos*

Luck: Afinal de contas, o que eu vou ter que fazer lá?

Lucca: Cubone, me diga os princípios básicos para uma historia.

Luck: Estabelecer os personagens da historia, mostrar que esta tudo em equilíbrio, criar um problema e os personagens arrumam esse problema.

Lucca: Faça todos esses princípios que a historia acaba

*Lucca termina a máquina e Luck fica relutante em relação a esta ideia*

Lucca: Agora vamos tentar de novo, estamos prontos.

Patrick: Estamos capitão.

Lucca: Eu não ouvi direito.

Patrick: Estamos capit-

Luck: VAMOS LOGO COM ISSO.

Lucca: Ok, 3...2...1...VAI.

*Luck começa a desintegrar e se reintegra no outro universo*

----Luck vira o narrador----

Legal, mundo novo com problemas novos. De qualquer forma, todo mundo tá olhando estranho para mim, melhor eu achar um local para pensar um pouco na minha situação.

Vou em direção a um beco e sento no chão frio de concreto e começo a pensar em minhas prioridades.

Luck: Preciso achar os personagens dessa historia para poder estabelecer os principais, passar um tempo olhando por aí até achar um conflito, depois resolver esse problema e volto para casa. Ok, agora eu tenho que procurar...

Eu percebo que não tinha perguntado para o Lucca aonde eu ia, então... Preciso descobrir onde eu estou.

Luck: Ok, nada de pânico. O Lucca tem dois caras que nunca param de falar com ele e umas outras duzentas historias que ele lê, então pela logica eu tenho ele faria primeiro deles, melhor procurar sinais que eu estou ou na vida de um zoroark ou Dewott x Buizel.

Eu começo a andar pela cidade, procurando por evidencias e tentando me lembrar da historia até que algo chega a minha cabeça.

Luck: Pêra, nas duas historias, eles nunca mandam endereços concretos, só que Kogure falou em uma das historias que uma amiga dele ficava na Rua Articuno, número 8... Era 800 ou 830? Bem, melhor testar.

---Lucca virá o novo narrador---

Oi, gente :3

Bem, voltando. Luck fica andando em círculos procurando qualquer um que soubesse aonde ficava a rua Articuno até que ele pergunta para uma Jolteon bem simpática que voltava das compras.

Luck: Desculpe-me, senhorita. Mas poderia me dizer se você sabe onde fica a Rua Articuno?

Jolteon: Ah, claro. Eu moro lá, se você quiser eu posso te mostrar onde fica.

Luck: Muito obrigado.

Jolteon: Mas eu vou ter que te pedir um favor.

Luck: Qual?

 Jolteon: Poderia me ajudar a levar as compras? Esta pesado e eu acho que exagerei.

Luck: Claro.

Luck pega a maior parte das compras (que para ele que fez treinamento para levar uns 20 corpos nas costas, era como se estivesse levando papel) e eles andam em direção a Rua Articuno enquanto conversam.

Luck: Desculpe-me, mas ainda não perguntei o seu nome.

Laiyu: Laiyu e o seu?

Luck: Luck, é um prazer em te conhecer.

Laiyu: O mesmo.

Luck: Então... Você mora lá? Qual é o número?

Laiyu: O meu número é o 830.

Luck percebe que ele provavelmente não estava na vida de um zoroark, pois não conseguia se lembrar de algum personagem com o nome de Laiyu. Mas, ela era tão legal que ele foi incapaz de parar de ajudar. Ao chegarem ela aperta a campainha e um Lucario atende a porta.

Zhanou: Amor, quase achei que eu teria de te buscar.

Laiyu: Que nada, só demorei mais que o normal para comprar as coisas. Acho que exagerei nas compras, o lado bom é que eu acabei tendo ajuda desse Cubone.

Luck: Olá é um prazer em te conhecer, senhor...

Zhanou: Zhanou e o seu nome é Luck, certo?

Luck: Como sabia?

Laiyu dá um tapa na cara de Zhanou e Luck fica um pouco sem reação.

Zhanou: Pq vc fez isso?

Zhanou pergunta enquanto massageia a bochecha.

Laiyu: A Diana me pediu para fazer isso caso você ficasse xeretando a aura de alguém.

É um click acontece na cabeça de Luck e ele se lembra de todos os personagens da historia de Kogure. E percebe quem esta na sua frente e isso o faz tropeça para trás, mas mantem o equilíbrio fazendo os dois pararem de falar e olhar para ele.

Luck: Ah, me desculpem por interromper a conversa

Laiyu: Que nada, você parece estar morrendo de fome. Quer comer o almoço com a gente?

Zhanou: Isso é claro se você não se importar.

Luck pensa um pouco e percebe que até que aconteça algum problema, ele não vai ter razão de se apressar tanto e ele pensa um pouco.

Luck: Ok, por que não?

Luck entra na casa de Laiyu e percebe como a casa era bem arrumada, ele fica olhando por um tempo até perceber que todos são adolescentes (incluído ele que tem 18 anos), então provavelmente os país que mantinham a casa em ordem.

Logos eles vão para a sala de jantar que era uma mesa para no máximo umas 8 pessoas. Eles se sentam e conversam:

Laiyu: Bom eu vou fazer o almoço.

Luck: Tem certeza? Não quer que eu faça? Afinal, aposto que os dois adorariam conversar.

Zhanou fica surpreso e tem uma ideia.

Zhanou: Ei, que tal fazermos um Master Chef?

Luck e Laiyu: Como assim?

Zhanou: E se todos nos formos cozinhar e depois comemos a comida do outro e damos uma nota. Vence quem tiver mais votos.

Laiyu: Mas você mal sabe cozinhar.

Zhanou aceita isso como um desafio.

Zhanou: Ok, eu vou primeiro.

Zhanou pega uma toca de chefe, um avental e vai para a cozinha enquanto Luck e Laiyu ficam na mesa conversando.

Laiyu: Você não é daqui, é?

Luck: Não, como você sabia?

Laiyu: Depois das guerras e combates sessarem e a policia ficar mais influente. Poucas pessoas têm morrido por causas não naturais, então cubones tem sido raros.

Luck: Eu venho de um lugar bem longe daqui, vim por causa de um chefe estupido (eu ouvi isso, hein!) que queria me fazer procurar por uma pessoa.

Laiyu: É daqui? Se for, provavelmente eu o conheço.

Luck: O nome dele é Kogure.

Ela fica em silêncio e Zhanou olha o que estava acontecendo pela porta da cozinha e com a cara toda suja de massa.

Zhanou: Por que você está procurando ele?

Luck: O meu chefe queria que eu falasse que algo de onde eu venho está vindo atacar e preciso avisar ele.

Ambos chegaram à conclusão logica que era Nara que ele estava falando. Porém eles estão bem enganados...

Zhanou: Eu o conheço, se quiser posso te mostrar aonde ele mora.

Luck: Muito obrigado.

Alguns minutos depois Zhanou aparece com um spaghetti.

Zhanou: Bon appetit.

Luck sendo como eu, ele come como uma draga e termina o em poucos minutos (Sério, eu sou assim mesmo :3 ), antes mesmo de Laiyu chegar à metade do seu.

Luck: Cara, esse tava bom.

Zhanou: Vale-

Luck bota sua nota de 7. E tanto Zhanou quanto Laiyu ficam chocados.

Luck: Estava bom, porém você não inovou no prato. Ele é apenas como qualquer outro spaghetti que eu já comi e não dá um ar de especial.

Zhanou tenta argumentar porem se lembra de que o objetivo de um Master Chef é sempre a honestidade. Após isso, Laiyu termina o seu e dá a nota de 8,5 (aposto que foi pelo namoro, mas quem sou eu para julgar) e depois é a vez de Laiyu. Dessa vez, Luck não conversou com Zhanou por razões (num sei quais) e Laiyu termina o seu Mini-Bolo com o desenho de uma Pokébola (o meu universo não existe humanos, vai saber sobre o dele).

Luck novamente entra no modo draga e come tudo super-rápido, enquanto Zhanou toma seu tempo para apreciar a comida. Luck dá um 9 e Zhanou também. Logo é a vez de Luck que usa toda sua capacidade de chef e faz um Udon (amante de anime é pouco).

Zhanou: Cara, isso tá muito bom.

Laiyu: Delicioso.

Luck: Muito obrigado

Laiyu que é honesta da um 10, porém Zhanou com o seu jeito de zoador dá um 8 assim fazendo acabar em um empate (ele achou nota 10, mas né :b ).

Zhanou: Então, quer ir agora pra lá agora?

Luck: Ah, claro.

Zhanou: Já volto, amor.

Os dois dão um beijo rápido e Luck se lembra de... (mals, nada de spoilers da minha própria historia).

Laiyu: Se cuidem.

Os dois começam a andar, Luck por alguma razão não se sente a vontade com Zhanou, por que será? Logo, Luck ouve um som familiar vindo de um beco e vai investigar.

Zhanou: Luck, onde você está indo.

Luck: Só to olhando uma coisa.

Logo, depois uma parede de fogo fecha a entrada/saída do beco e um pokémon misterioso cai de cima de uma das casas. Luck percebe que é uma Salazzle e logo ele pergunta.

Luck: Quem é você?

Salazzle: O problema.

Luck usa Bone Rush para criar um osso (ele se esqueceu do dele aqui :b ) e tenta atacar “O problema”, mas ela desvia com facilidade. O que deixa Luck bem surpreso, pois ele normalmente luta contra pokémons usando Extreme Speed (eu dei um debuff nele para ficar viável nesse universo).

Luck: Droga, Lucca!

;3

Os dois ficam lutando mais um pouco até que Kogure passa pela parede de fogo com a ajuda de Zhanou que usou uma Aura Sphere para abrir caminho (se você esta se perguntando por eles não simplesmente passaram correndo pela parede, ela estava à temperatura de 450 °C) e Luck fica bem surpreso, “o problema” aproveita a oportunidade para usar um Poison Jab nas costas de Luck que estava distraído.

Luck: Ahhhhhhhh.

Kogure: Luck!!!

O golpe foi certeiro e Luck cai no chão gritando com a dor insuportável em suas costas (cara, foi super efetivo. Ai). Luck acaba desmaiando, Kogure que estava atacando “o problema” acaba tendo que parar para ajudar Luck e “o problema” foge enquanto a parede de fogo (tá mais pra lava, mas ok) desaparece, mostrando que Diana e Zhanou estavam esperando do outro lado. Todos no desespero levam Luck para a casa de Kogure que tinha alguns Cure em sua casa.

Passam-se algumas horas e Luck acorda ainda com dor nas costas (bem melhor que antes). Ele olha um pouco em volta e vê Diana, Kogure e Zhanou sentados esperando.

Luck: *tosse forte* O que aconteceu? Alguém morreu?

Ele fala enquanto esta com uma cara de quem passou muito mal (e passou sim).

Kogure: Talvez você tivesse se Zhanou não tivesse nos pedido ajuda.

Diana: Tudo bem, descansa um pouco.

Ela fala enquanto Luck se senta.

Luck: Valeu, Zhanou.

O mesmo apenas da um sorriso e diz:

Zhanou: Mals, gente. Mas tenho que voltar, já tá tarde e Laiyu deve estar ficando desesperada.

Diana: Ok, boa noite.

Kogure: Boa noite.

Luck: A noite é uma criança, cara. Aproveita.

Zhanou: hahaha. Tchau.

Zhanou sai e deixa Luck a cuidados de Kogure e Diana.


Notas Finais


Demorou e ainda não terminei. Espero que tenham gostado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...