História Lucky you - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esquadrão Suicida
Tags Alerquina, Coringa, Drama, Romance
Exibições 96
Palavras 1.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo pessoal!!!
Gostaria de pedir perdão por ficar um tempinho sem postar, fiquei atolada de trabalho pra entregar.
Espero que gostem desse capítulo.

Capítulo 16 - Só você


Fanfic / Fanfiction Lucky you - Capítulo 16 - Só você

       POV JOKER

     Acordei com risadas vindas do andar debaixo. Risadas doces e divertidas, que eu conhecia muito bem. Harley. O que era estranho, geralmente eu sou o primeiro a acordar, e ainda eram quatro da manhã. Me espreguiço, e vou até o banheiro me trocar.
    Visto uma camiseta branca é uma calça moletom preta. Termino de fazer minhas higienes e desço em direção às risadas.
    Assim que chego a cozinha vejo Harley limpando o balcão da cozinha, que estava sujo de leite. Uma situação compreensiva e inocente, se não fosse por um capanga meu está a ajudando. 
    Percebo que os dois estavam se divertindo tanto que não reparam em mim, o que me deixa com mais raiva. 
     — Cuidado para não escorregar, loirinha — escuto o capanga falar. Que intimidade é essa? Ele tá afim de morrer? 
     Nesse meio tempo, Harley escorrega nos pingos de leite no chão, e quase cai, mas é impedida por conta do capanga, que a agarra. 
     — Obrigada, Lukezinho — ela agradece, ainda apoiada nele, dando uma risadinha. Os dois estavam muito próximos um do outro. Resolvo me intrometer. 
     — Parece que os dois estão se divertindo muito sem mim — digo entrando de uma vez na cozinha com passos lentos e ameaçadores. 
     Os dois olham para mim e se afastam um do outro. Eu estava com uma carranca, que me deixava com um aspecto assustador. 
     — Pudim. O que está fazendo acordado a essa hora? — Harley pergunta tímida.
     — Eu que pergunto. O que você está fazendo acordada, de madrugada, na cozinha, e ainda por cima com ele? — questiono com os olhos cerrados. 
     — Chefe, não é nada do que o senhor está pensando ... Nós só estávamos ... — o interrompo, fincando uma faca que estava em cima da mesa em seu ombro. 
     — Cala a boca se não quiser morrer! — o ameaço, voltando a atenção para Harley, esperando uma boa explicação. 
     — Pudim, não estávamos fazendo nada de mais, nós só ...— não a deixo terminar. 
    Agarro ela pelo braço e a levo para o quarto. Eu estava com raiva deles. Não gostei nada da situação dos dois. 
    Chego no quarto, tranco a porta e a jogo na cama. Harley me olha assustada. Chego perto dela e agarro seu pescoço, apertando um pouco mais do que eu queria. Eu estava com raiva e as vozes na minha cabeça não colaboravam. "Ela estava te traindo" elas diziam.
     — Pu...Pudim, me deixe ex...Explicar — ela implora ficando sem ar. Fico mais alguns segundos apertando, até que decido larga-la. 
     — Você é uma vaga bunda mesmo. Me confesso pra você, me declaro pra você, e você na primeira oportunidade me trai com outro — falo ofegante. 
     Harley me olha com lágrimas nos olhos e tenta se aproximar de mim. Porém eu a empurro de volta para cama e saio do quarto.
     Vou até o escritório e abro uma garrafa de vodka. Bebo até tentar esquecer aquela desgraçada. Eu estava com raiva, triste, confuso e me sentia traído.
      Me deito no chão e faço uma coisa que nunca pensei em fazer. Eu começo a chorar por ela, a implorar por ela. Tento abafar o máximo possível das minhas lamentações, pois não queria que ninguém pensasse que o temível rei de Gotham estaria chorando.
    
       POV HARLEY 
 
   Eu estava deitada na cama chorando horrores. Joker entendeu tudo errado, eu não estava traindo ele. 
      ~ mais ou menos uma hora atrás ~ 
     
     Levantei com fome e sede, pois não havia jantado. Vou até o banheiro devagarzinho, para não acordar pudim, coloco uma camisa grande de joker e desço para comer alguma coisa. 
      Vou até a cozinha e abro a porta da geladeira. Pego biscoitos que Hilda fez no dia anterior e pego também a garrafa de leite. 
     — O que está fazendo aqui, oxigenada? — Luke me assusta, me fazendo derramar o leite pela bancada e pelo chão.
     — Que susto, Luke! Olha o que você fez, me ajude a limpar — sussurro com raiva.
    Luke tenta pegar a garrafa de leite que agora estava no chão, e sem querer pega pelo lado errado, fazendo derramar o leite em seu sapato e no chão. 
    Nesse momento, tenho um ataque de risos. Luke revira os olhos e taca um pano que estava em cima da pia em mim. 
     — Ei! — falo continuando a rir.
     — eu limpo, mas você vai ter que me ajudar, afinal, não era eu quem estava enchendo a pança de madrugada — ele fala sorrindo. Luke era um bom amigo. Nunca pensei nele de uma outra forma, apenas como amigo. 
     Pego o pano limpando a bancada. Quando estava quase terminando, escuto Luke falar alguma coisa, porém não dou ouvidos, e acabo escorregando em uma poça de leite, sendo agarrada pelos braços de Luke.
     Continuo apoiada nele, eu ainda estava meio atordoada com o escorregão. Ele me segurava firme, nos fazendo estar colados. Ambos de tínhamos levado um susto quando escorreguei.
     — Parece que os dois estão se divertindo muito sem mim — escuto a voz de pudim.
     — Pudim. O que está fazendo acordado a essa hora? — falo meio tímida com toda a situação. Eu não queria que pudinzinho pensasse algo errado daquilo.
      — Eu que pergunto. O que você está fazendo acordada, de madrugada, na cozinha, e ainda por cima com ele? — Ele pergunta claramente irritado. 
     Droga! O que eu temia aconteceu. Eu ainda estava absorvendo toda aquela situação,  quando de repente vejo joker cravar uma faca no ombro de Luke. Fico chocada. Ele se vira pra mim ainda com raiva. 
    — Pudim, não estávamos fazendo nada de mais, nós só ...— tento explicar, porém não consigo. Ele me agarra e me arrasta para o quarto. 
     Ele tranca a porta e me taca com força na cama, me assustando ainda mais. De repente ele começa a me sufocar. 
Eu conseguia ver claramente a raiva em seu olhar, o medo também. Não entendo o motivo dele estar com medo.
     — Pu...Pudim, me deixe ex...Explicar — tento o meu máximo para conseguir falar. 
    Ele me solta e eu fico ofegante.
     — Você é uma vaga bunda mesmo. Me confesso pra você, me declaro pra você, e você na primeira oportunidade me trai com outro —  escuto aquilo com lágrimas nos meu olhos. Era muito difícil escutar isso da pessoa que eu mais amo.
    Tento me aproximar dele, mas o mesmo me empurra para a cama e sai do quarto bufando.
  
       ~ agora ~ 
 

  Sou acordada de meus pensamentos por piada, que sobe na cama e apoia sua cabeça em minhas coxas. Acaricio seu pelo macio e encaro seus lindos olhos azuis acizentados.
     — O que eu devo fazer, meu amor? Estou tão culpada. Eu amo o pudinzinho. Nunca o trairia. O que eu faço? — falo mais pra mim mesmo do que propriamente para piada. 
     Uma ideia surgiu na minha cabeça. Tenho que conversar com ele, e tentar me explicar.
    Saio do quarto e vou até seu escritório. Bato uma vez, nada. Bato a segunda, nada de novo.
    — Pudim, por favor, abra a porta. Temos que conversar. Não é o que você está pensando. Por favor me deixa entrar — imploro praticamente.
     Nada aconteceu. Continuou um silêncio vindo do escritório. Suspiro e tento pela última vez.
    — Por favor, J. Por favor — falo sendo consumida novamente pelo choro. 
    De repente, a porta é aberta. E lá estava ele. O homem da minha vida. Ele estava com um aspecto cansado e sofrido.
    — Seja breve, estou cansado da sua presença por hoje — ele fala frio. Porém percebo que foi meio forçado, como se ele estivesse se torturando pra falar isso. Suspiro reunindo forças.
    — Não aconteceu nada demais. Luke só estava me ajudando a limpar a bancada. Eu tinha escorregado e ele me segurou, foi só isso. Nunca te trairia. Eu amo você — falo sendo o mais direta possível. 
    — Então me explique o porque de você estar na cozinha as quatro da manhã com um empregado — ele fala ainda desconfiando.
    — Eu não havia jantado, então eu estava com fome. Eu desci para comer alguma coisa e Luke me assustou, me fazendo derrubar o leite pela bancada — eu explico .
    — E porque vocês estavam rindo? — ele pergunta um pouco mais calmo. 
    — Luke tinha deixado o resto do leite cair no pé dele. Eu achei engraçado e ri — falei a verdade.
   Joker fica me encarando, tentando ver algum sinal de que eu estava mentindo.
    — Olha, amor. Luke é apenas um amigo, e também um capanga seu. Ele seria um tremendo idiota se ele ousasse se meter comigo. E além do mais, eu amo você, e mais ninguém. Só você — ponho minhas mãos em seu rosto, o que faz com que ele se acalme instantaneamente.
    Ele me puxa para um beijo. Um beijo calmo e apaixonado. Um beijo que dava pra sentir o pedido de desculpas que cada um tinha para dizer para o outro.
    — Eu tenho medo, Harley. Tenho medo de perder você — ele fala, me fazendo derramar lágrimas de alegria.
    — Eu também — falo e nos beijamos novamente. 
    Subimos para o quarto e nos deitamos novamente. Pela fresta da cortina dava pra ver que já havia amanhecido, porém ficamos mais um tempo deitados e aproveitando o momento para nos desculparmos e ficarmos juntos. 
    
     
   
     
 


Notas Finais


Obg por lerem gente!!! Desculpem qualquer erro.
Bjs ❤️😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...