História Lucy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Revelaçoes, Romance
Visualizações 9
Palavras 1.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hello!
bem gostaria de me desculpar pela demora em lançar o capitulo, essas duas ultimas semanas foram bem estressantes pra mim e eu estava com muitas coisas para fazer, como uma simulação da ONU que durou dois dias seguidos, provas e feira de ciências, mas agora que essas coisas ja passaram eu vou voltar a escrever normalmente, obrigada pela compreensão e boa leitura!

Capítulo 3 - Three


Tudo parecia simplesmente perfeito para o casal, que agora já estavam em sua residencia, quer dizer, isso era o que Gabriel pensava, ha se ele pudesse ler a mente de Lydia....

Um tempo antes do nascimento de Lucy, Lydia passara algumas noites deitada na cama pensando coisas como, será que será uma boa mãe? Será que seu filho irá gostar de si? Será que ela e Gabriel poderão ser realmente uma família feliz? Essas eram as questões que geralmente atormentavam a mente de Lydia

Três meses haviam se passado após o nascimento de Lucy e durante esse tempo Gabriel pode perceber um pequeno comportamento estranho em Lydia, geralmente era uma garota alegre, sorridente e não dispensava um prato de comida seja o que seja, porem ultimamente ele percebera que isso havia mudado, o sorriso e a a alegria da garota já não eram mais perceptíveis em sua face, era raro às vezes em que ela sentia vontade de comer e às vezes conseguia ver a tristeza em seu olhar. Talvez um dos piores dias tenha sido quando ele chegou em casa após o trabalho e a encontrou sentada no chão, ao lado do berço de Lucy, adormecida e com o rosto molhado por lagrimas, ela não sabia, mas isso ia o matando ao poucos, e o que mais o preocupava e entristecia era o fato de toda vez que ele  a perguntava se estava bem ou o porque de sua tristeza, ela respondia que estava bem e que não estava triste, mas Gabriel não era cego.

Ia medida que os dias Ian se passando, Lydia sentia-se mais atormentada com com os acontecimentos recentes, sentia-se mal pelos seus pais, e muitas noites pensara ser a pior filha do mundo, e na enorme decepção que ela trouxe para os seus pais, sentia-se uma mãe e noiva horrível, sim noiva, já que quando Lucy completou dois meses, Gabriel resolveu pedi-la e casamento, o que inclusive a preocupava muito, Gabriel praticamente fazia tudo em casa, trabalhava, a ajudava a cuidar de Lucy e ainda tinha tempo para cuidar dela e quase nenhum tempo para si, ela se sentia como um peso nas costas de Gabriel, e em sua concepção, casamento era um passo realmente impontante para um casal, não que ela não quisesse se casar com ele, muito pelo contrario, mas pensava que seria uma esposa horrível incapaz de ajudar o seu marido em tarefas mais simples. 

 

Quando Lucy completou 4 meses, Gabriel percebeu que o estado de Lydia havia piorado muito mais, então mesmo que contra vontade dela, ele a levou em um médico, e após algumas sessões Gabriel finalmente soube o que se passava com Lydia, ela havia adquirido DPP-Depressão Pós-Parto, o médico lhe falou que isso pode ter acontecido devido alguns acontecimentos na vida de Lydia durante a gravidez, como a briga com seus pais, e pelo fato que eles dois estavam passando algumas pequenas dificuldades financeiras, que mesmo sendo pequenas ainda geravam uma pequena parcela de culpa na parte de Lydia, pois a mesma não podia trabalhar ainda para ajudar a pagar as contas, e talvez por conta disso se sentisse um peso para ele.

Gabriel realmente não queria acreditar naquilo que ouvira, mas quem gostaria?

Assim que chegou em casa a encontrou deitada na cama juntamente a Lucy, ele se sentou na beirada da cama e observou as duas dormindo, achava incrível como Lucy se parecia tanto com Lydia, possuía o mesmo cabelo preto e olhos azuis, que na opinião de Gabriel era os mais inesquecíveis e belos que ele já vira. Ele se deitara ao lado de Lydia e a envolveu em uma abraço e assim os 3 permaneceram até a noite.

Após aquele dia, Gabriel teve uma pequena discursãocom Lydia sobre a sua saúde, tanto física quanto mental, e chegaram a uma conclusão que seria melhor para todos, claro que no inicio foi difícil para ela aceitar o fato de depressão, mas pelo bem dela, de Gabriel e de Lucy, ela começaria a frequentar um psicologo durante 3 vezes na semana, seria um pouco difícil para Gabriel, pois ele iria pagar um psicologo para ela e isso poderia sair um pouco caro para o seu bolso, mas queria dar o melhor que podia para Lydia, e ele faria o que fosse necessário para que ela voltasse a ter quele belo sorriso que tanto o encantava de volta no rosto.

Como Gabriel trabalhava durante a manhã e tarde, e Lydia iria começar a frequentar o psicologo, Lucy ficaria sozinha em casa, por isso Gabriel perguntara para sua vizinha, Luana uma mulher que já continha idade e muito gentil, se ela poderia cuidar da pequena Lucy por eles durante esses 3 dias, também lhe explicou toda a situação que se encontrava, e com muito bom grado ela aceitara, talvez agora tudo começasse a dar certo, ou não...

27 DE MAIO 1995

Tudo parecia bem naquele dia, Lydia estava tomando alguns remédios e indo ao psicologo constantemente, Gabriel estava trabalhando e Lucy estava em casa juntamente a Lydia. Mas nem tudo permaneceu assim a partir do momento que Lydia fora arrumar o quarto e encontrou uma pequena caixa empoeirada debaixo da cama, colocou-a em cima da cama e abriu, na caixa haviam muitos papeis e ao começar a ler Lydia se assustara e começara a sentiruma sensação muito pior do que sentia antes de começar o tratamento, na caixa continha as contas que Gabriel estava pagando, de casa, do seu tratamento, dos remédios, e das coisas que eles precisavam para cuidar de Lucy, naquele momento ela se sentiu mais inútil ainda, por não conseguir ajudar em nada, e ela reconhecia o tanto que Gabriel se esforçava para mantela feliz, e tinha consciência que ele apenas escondeu tudo isso pois sabia que ela se sentiria mal novamente em não poder ajudar, o que na verdade, sem que percebesse apenas piorou, pois ela pensara, que tipo se esposa seria ela, se o seu marido mal poderia compartilhar essas coisas importantes como essas consigo? Só queria ser como qualquer outro casal que passa por dificuldades mas podem contar um com o outro, por que tudo tinha que ser tão difícil para eles? 

Após terminar de olhar papel por papel, ela guardou tudo novamente na caixa, e foi até o banheiro onde ficava os seus remédios, conhecia aquela sensação muito bem, ela apenas queria aliviar todo esse sentimento acumulado em seu peito, precisava ser forte, por ela e por Lucy e Gabriel, não queria que ele se preocupasse mais ainda consigo, e com esse pensamento acabou tomando mais remédios do que deveria...

Gabriel estava prestes a chegar em casa, feliz por ter conseguido um aumento, sabia que isso deixaria Lydia feliz, pois também sabia que ela se preocupava muito em sobrecarrega-lo em relação ao trabalho, abriu a porta do pequeno apartamento, e chamou o nome de Lydia varias vezes, e das varias vezes não foi correspondido, achando que talvez ela poderia estar dormindo, foi ate quarto, mas tudo o que encontrou foi a luz ligada e a porta do banheiro aberta, e o pior de tudo, Lydia jogada no chão e um pote de remédios abertos, aquilo para ele foi como estar no inferno, se jogou no chão rapidamente verificando se ela ainda respirava, e para a sua sorte estava, já chorando ele ligou para uma ambulância, ele a amava como nunca amou ninguém e não aceitaria que ela partisse agora, mas nem sempre tudo é como queremos...

28 DE MAIO, 1995
00:00
Lydia partiu antes da ambulância chegar, um dos piores momentos na vida de Gabiel, que passou o resto da noite chorando sozinho na escuridão do quarto, tinha vontade de gritar, de chorar, gostaria de poder voltar no tempo e impedir que ela partisse, porém mesmo que ele sentisse muito a sua falta e a amasse verdadeiramente isso não poderia traze-la de volta.

Lydia havia partido e levou consigo todo o amor que Gabriel tinha e uma parte de seu coração. Mas e agora? o que Gabriel faria? talvez isso tenha sido demais para ele...como poderia seguir em frente se sua mente provavelmente iria lembra-lo disso o tempo todo e ainda com Lucy em casa, que era como uma pequena copia de Lydia?  Ele sabia que não conseguiria tirar o sentimento de culpa tão cedo, muito menos com Lucy ao seu lado. Estava prestes a fazer uma coisa que prometeu a si que nunca faria, talvez ele tenha esquecido que nem sempre conseguimos manter nossas promessas, inclusive quando Lydia partiu eles quebraram uma promessa que fizeram juntos, a felicidade

  And now we're left with broken promises my heart can't take no more and now we're left with broken promises my mind has had enough 
Tradução 
E agora nós fomos deixados com promessas quebradas
Meu coração não pode mais aguentar
A agora nós fomos deixados com promessas quebradas
Minha mente já teve o bastante


Notas Finais


Eu ainda estou meio insegura com esse capítulo... Mas espero que tenham gostado, e não esqueçam de comentar o que vcs acharam...
Também gostaria de perguntar se a história está indo rápido, eu não planejo deixá-la muito extensa, mas também não quero que as coisas aconteçam em um ritmo muito rápido ou muito devagar. Mas enfim, agora que a nossa história realmente começa!
Obrigada por ler!❤️ ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...