História Ludibrium, Escola de Magia (INTERATIVA) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Colégio Interno, Escola, Escola De Magia, Interativa, Luta, Magia, Sereias, Seres Mágicos
Exibições 75
Palavras 533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Segunda sinopse:
A escola Ludibrium é reconhecida por ser a melhor escola de magia do mundo todo. Fundada pelo rei dos elfos, possui o intuito de ajudar os jovens a entenderem o real potencial da magia. Com séculos de existência, a instituição sempre permaneceu em paz. Suas paredes possuem fortes encantamentos que impedem o mal de entrar e contaminar os estudantes. É a escola da ilusão e dos segredos, ninguém sabe ao certo se as lendas contadas são verdadeiras. Principalmente a que diz que o lugar esconde uma das pedras sagras. Essas foram feitas pelos Sábios mais poderosos de cada espécie. Aquele que tiver domínio de todas elas será capaz de realizar feitos enormes que ninguém nunca conseguiu.
No entanto, os anos de segurança são ameaçados quando o mal vem de dentro. Com uma guerra iminente, os alunos precisão aplicar seus conhecimentos e batalhar para defender seus amigos e seu novo lar.

Capítulo 1 - Prólogo


No escuro, preso em uma cela no fundo dos calabouços, estava Doppelganger, um ser abominável, vindo das trevas, capaz de assumir as formas daqueles que encontrar. Correntes fortes o prendiam, impedindo de se locomover. Fora capturado por uma Maga Negra e estava nessa posição a dias. Seus brações e pernas encontravam-se dormentes e doloridos. Não via a luz a um bom tempo, mas não se importava, odiava os raios de sol. Por isso, quando a porta do calabouço abriu e a luz bateu em seus olhos ele soltou um grito de dor, fechando-os automaticamente. 

Sem enxergar, Doppelganger apenas conseguia ouvir. Escutou passos longínquo fincando cada vez mais próximos. Logo em seguida um chacoalhar de chaves e um rangido da porta de sua cela abrindo. Abriu os olhos devagar, começando a acostumar com a pequena claridade, sem que prejudicasse sua visão. A sua frente estava a mulher que o capturou, ela sorria de uma forma marota, com cara de deboche. Ao seu lado estava uma garota que não deveria ter mais de quinze anos. A menina estava amarrada e amordaçada, chorava silenciosamente, sentindo o desespero de estar na frente de um ser horrível como Doppelganger. 

A maga pegou ela pelos cabelos e a arrastou até ficar bem perto do prisioneiro. A menina automaticamente virou o rosto, já ouviu falar da espécie que estava a sua frente, não podia encará-lo, isso seria seu fim. Mas sua escapatória não durou muito tempo, sentiu-se obrigada a olha-lo, provavelmente alguma magia de comando fora lançada e agora não conseguia nem sequer desviar o olhar. 

-Muito bem, você sabe o que fazer servo. – A maga referiu ao Doppelganger. Esse, encarou diretamente a menina assustada em sua frente. Seus olhos começaram a emitir um intenso brilho esverdeado. Estava lendo a mente dela, vendo sua personalidade e história. Não demorou muito e já sabia tudo o que é necessário. Assim que terminou, sua forma foi se modificando, ficando exatamente igual a da adolescente.

A Maga o soltou das correntes e mandou que ele a seguisse. Fechou a porta da prisão, sem se importar com a menina semi-morta que ficou para trás. Os dois andaram um longo caminho até chegar aos aposentos da mulher. Ela parou em frente à sua cama e puxou uma mala. Dentro dela havia duas pedras sagras. 

-Olhe bem servo – Falou mostrando as pedras para ele, que encarou com um olhar de tentação. A mulher então, notando as intenções do monstro, cortou sua face com a faca que carrega em sua cintura. Ele soltou um grunhido de dor, notando a fumaça preta saindo de seu rosto ao invés de sangue. – Eu sei bem o que você estava pensando. Atreva-se a botar as suas patas imundas em minhas pedras e nunca mais sentirá o prazer de viver. Estou te dando uma missão importante, escravo. Irá estudar em Ludibrium e achar a Pedra da Verdade, somente ela é capaz de quebrar as ilusões que a escola possui. Ache-a e traga para mim. Caso conseguir, você terá grandes recompensas. 

-Sim, mestra.- O monstro sorriu de uma forma assustadora. Estava à mercê da mulher, mas não se importava. Tinha uma missão interessante para fazer. Destruir adolescentes petulântes será um enorme prazer.

****

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Qualquer erro peço desculpas, sintam-se livres para me corrigir.

Para entender mais a história, ler as regras e a ficha é só acessar esse jornal: https://spiritfanfics.com/perfil/foxanil/jornal/escola-de-magia-7131023


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...