História Lutando contra o Destino - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Visualizações 72
Palavras 1.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capitulo!
desculpem os erros !

Capítulo 3 - Insegurança


  Julieta – Como você está linda minha filha! Falou emocionada enquanto Leticia terminava de se arrumar.

  Leticia – Verdade mamãe? Não pareço um pouco exagerada? Perguntou insegura.

  Julieta – Lógico que não! Está parecendo aquelas mulheres bonitas da televisão.

  Leticia – Não exagere mamãe ...

  Carolina – Lety! Apareceu na porta do quarto chamando.

  Leticia – Carol? O que faz aqui?

  Carolina – Eu e Humberto estamos aqui para te levar para o seu primeiro dia na empresa.

  Leticia – Você e o senhor Humberto?

  Carolina – Sim, ele está lá em baixo conversando com seu pai.

  Leticia – Mas é que ... eu tinha combinado com o meu pai, ele e minha mãe iriam me levar.

  Julieta – Não se preocupe filha, eu acho até melhor eles te levarem.

  Leticia – Mas nós não combinamos?

  Julieta – Sim, porém as coisas mudam. Vai com a dona Carolina e o senhor Humberto. Incentivou a filha.

  Leticia – E vocês?

  Julieta – Vamos ficar bem, e vou ficar ainda mais segura porque sei que você vai estar com a Dona Carolina a todo momento, não é mesmo? Perguntou olhando para Carolina.

  Carolina – Sem dúvida, vou estar com você a todo momento Lety. Sorriu

  Leticia – Se for assim, eu vou.

 

                             ...

 

  Terezinha – Estou pronta Marcia, podemos ir?

  Marcia – Sim.

  Terezinha – Tem notícias do Ariel?

  Marcia – Não tenho notícias dele desde a briga.

  Terezinha – Você acha que ele irá?

  Marcia – Do meu irmão pode se esperar de tudo, o que mais me preocupa é que ele possa fazer um escândalo.

  Terezinha – Isso não! Nada de escândalos.

  Marcia – Só podemos rezar para que isso não ocorra.

  Terezinha – Vamos logo, porque quando menos tempo eu ficar no mesmo ambiente com aquela mulher será melhor.

  Marcia – E cadê o Humberto?

  Terezinha – Ele saiu cedinho, aposto que ele fez questão de levar ela até a empresa.

  Marcia -  Terezinha, você não está acreditando na história que o Humberto nos contou né?

  Terezinha – Não me diga que você caiu nesse papo furado, Marcia será que você não percebe que aquela mulherzinha ta tentando dar um golpe na gente?

  Marcia – Mas, se não for bem assim, se realmente ela estiver gravida do Fernando?

  Terezinha – Minha querida, eu não quero discutir mais sobre esse assunto, vamos logo porque não quero chegar atrasada.

 

                         ...

 

 Leticia estava nervosa, mesmo com Humberto e Carolina ao seu lado, não ajudava a se tranquilizar, os olhares dos funcionários a deixavam cada vez mais nervosa.

  Carolina – Fica tranquila Lety, como presidente dessa empresa você deve passar confiança.

  Leticia – Eu sei Carolina, mas não é tão fácil assim. Disse preocupada, Humberto chamou a atenção delas, ele parou em frente ao um grupo de funcionários que dentre eles estavam o quartel, o qual Humberto deixou para apresentar por último.

  Humberto – Meninas, essa é a senhorita Leticia Padilha Solis.  

  – Olá senhorita, muito prazer. Disseram todas juntas.

  Humberto – Leticia, essas são Paula Maria, Marta, Sara, Lola e Irminha.

  Paula Maria – Ah e tem a Joana também, ela faz parte da Limpeza aqui desse andar.

  Humberto – Muito bem lembrado Paula Maria, bom, a Dona Carolina vocês já conhecem.

  Carolina – Oi meninas.

  Lola – Senhor Humberto, a senhorita Marcia está na presidência a sua espera.

  Humberto – Obrigado, a minha esposa já chegou?

  Paula Maria – Sim senhor, ela está na sala de reunião junto com o senhor Ariel.

  Humberto – Ótimo, diga a eles que daqui alguns minutos iniciaremos a reunião. Vamos meninas? Perguntou olhando para Leticia e Carolina. – Marcia nos espera. Sorriu.

  Leticia – Com licença. Se despediu do quartel e foi em direção a sala da presidência junto com Humberto e Carolina.

  Paula Maria – Que mulher mais linda!

  Sara – Verdade, vocês viram como ela estava vestida?

  Marta – O que será que ela veio fazer aqui na empresa?

  Sara – Não sei, mas deve ser algum segredo de altura.

  Paula Maria – Eu não sei vocês, mas ela me pareceu muito familiar.

  Irminha – Eu achei a mesma coisa Paula Maria.

  Lola – Será que ela vai assumir algum cargo aqui na empresa?

  Marta – Ou então deve ser alguma cliente.

 

                              ...

 

  Marcia – É um prazer Leticia em te conhecer. O Nando falava muito de você. Sorriu.

  Leticia – Ele falava muito de você também.

  Humberto – Eu vou deixar vocês, ainda tenho algumas coisas a resolver.

  Carolina – Eu vou também, com licença. Saíram os dois.

  Marcia – Bom, meus parabéns. Tentou puxar assunto.

  Leticia – Por? Perguntou sem entender.

  Marcia – O bebê. Apontou para a barriga de Leticia.

  Leticia – AH! Muito obrigada. Disse sem entusiasmo.

  Marcia – Eu sei que não temos muita intimidade assim, mas não fique triste não Leticia, tem que pensar no bem-estar do seu bebê, lembra que o bebê sempre sente tudo que a mãe sente?

  Leticia – Você tem razão. Mas é que não tem como não pensar no Fernando.

  Marcia -  Te entendo, porém, agora mais do que nunca você terá que ter mais força, porque no exato momento que você entrar naquela sala de reuniões tem duas pessoas totalmente contra sua presença aqui e o pior acham que essa criança nem existe.

  Leticia – É claro que ela existe!

  Marcia – E eu confio em você, assim como o Humberto e a Carol, e ...  Aconteceu algo? Perguntou ao notar Leticia um pouco pálida.

  Leticia – Enjoos matinais. Sorriu sem jeito.

  Marcia – Tem um banheiro ali.

  Leticia – Já passou. Tentou tranquilizar.

  Marcia – Você já foi ao médico?

  Leticia – Só quando eu descobri, por que?

  Marcia – Eu ... eu queria saber se poderia acompanhar o seu pré-natal? Perguntou sem jeito.

  Leticia se espantou – Desconfia de mim?

  Marcia – Não! Mas, você e o bebê são tudo que faz parte do Fernando, ele foi um grande irmão para mim, muito mais do que os meus irmãos biológicos e por isso me sinto em dívida com ele, além de, esse bebê aí é o meu sobrinho. Sorriu.

  Leticia – Não vejo problema, só tem uma coisinha, tenho que ver com o médico se pode tantas pessoas participarem. Brincou – O Humberto e Carolina também me pediram a mesma coisa, e também tem os meus pais. Sorriu.

  Marcia – Leticia, eu quero que saiba que pode contar comigo para o que precisar. Segurou firme as mãos de Leticia.

  Leticia – Obrigada. Escutaram uma batida na porta e Marcia foi abrir.

  Paula Maria – Com licença, o senhor Humberto esta chamando-as na sala de reuniões.

  Marcia – Diga que já estamos indo.

 

                            ...

 

 Omar levou o homem que encontrou até o hospital mais próximo, rapidamente ele foi atendido. Demorou um certo tempo para que algum médico aparecesse para lhe informar sobre a situação do cara que ele socorreu.

  Omar – Então doutor, como ele está?

  Médico – Digamos que ele escapou por um milagre.

  Omar – E o que ele teve tanto?

  Médico – Bom, ele teve três costelas fraturadas, além de alguns arranhões e machucados pelo corpo. O mais grave nesse momento é que ele sofreu uma grave pancada na cabeça.

  Omar – Tudo isso?! Perguntou espantado.

  Médico – Sim, por enquanto o problema maior é a pancada na cabeça, ainda não sabemos quais serão as sequelas e precisamos de alguns exames detalhados.

  Omar – Quando o senhor falar em sequelas, é tipo o que?

  Médico – Só posso responder quando ele acordar.

  Omar – Será que eu posso vê-lo?

  Médico – Daqui alguns minutos uma enfermeira vira para leva-lo até a sala do paciente.

  Omar ainda conseguiu ver o Homem que socorreu, - Quem é você Cara?!. Um dia se passou e ele continuou a acompanhar o “cara”, perguntou ao médico se era normal essa demora toda para ele acorda, em resposta o médico disse que sim, ele tinha dado alguns remédios para que o paciente dormisse, para ajudar um pouco na recuperação. Estava esperando como de costume a enfermeira o chamar para poder ver o homem, de acordo com ela, ele poderia corda a qualquer momento. Distraído em seus pensamentos, percebeu uma movimentação estranha, olhou e viu que acontecia no quarto do “cara”. Se levantou e correu para lá.

  Omar – O que aconteceu? Perguntou a uma enfermeira que saia.

  Enfermeira – O rapaz acordou assuntado e tenho que chamar o médico.

  Omar – Posso entrar? Perguntou inutilmente, pois a enfermeira já saíra apressadamente, entrou mesmo assim e viu outra enfermeira tentando acalmar o homem.

  Enfermeira – Calma senhor! Vai ficar tudo bem.

  - Quem é você? O que eu estou fazendo aqui?

  Enfermeira – Alguém chame o doutor, o paciente está muito assustado.

  Omar – A outra enfermeira já foi chama-lo. Oi eu sou o Omar. Tentou dizer algo, ao perceber que o homem estava um pouco mais tranquilo.

  - Quem é você?

  Omar – Eu te encontrei e te trouxe para cá. Então, qual é o seu nome?

  - Eu não sei, eu não me lembro.


Notas Finais


Obrigada por ler!
Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...