História Luz dos Teus Olhos !!! - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~thanoronha25

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Whale (Dr. Victor Frankenstein), Emma Swan, Henry Mills, Lilith "Lily" Page, Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Swan Queen
Visualizações 134
Palavras 2.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Luta, Magia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oieeeee ! Sei que faz muitooooo tempo que não atualizo LTO, mas é que ainda não sabia quem iria escrever e tô correndo contra o tempo. Comecei a fazer um estágio, aí juntou tudo. No entanto, aqui está mais um capítulo fresquinho pra vcs !! Espero que gostem! <3 Bom... boa leitura e nos vemos nos comentários. Mwah ! ~Thay

Ps.: O capítulo tá sem capa pq eu tô com bastante pressa e preferi postar o cap o mais rápido possível. Mas o próximo com certeza terá !

Capítulo 9 - A Troca


NARRAÇÃO REGINA ON 

 

Chego em casa e o dia já tinha anoitecido, abro a porta de casa e ao adentrar na sala de estar, me deparo com Zelena em pé, andando de um lado para o outro no objetivo de fazer Robin parar de chorar. Pelo visto aquele quadro já estava daquela forma há um bom tempo. Os brinquedinhos de minha sobrinha estavam espalhados pelo sofá e pelo tapete, assim como a mamadeira praticamente cheia que estava em cima da mesa.  

Zelena: Robin... por favor, me diz o que você quer, filha... - minha irmã nem sequer tinha notado minha chegada – A mamãe não sabe mais o que fazer pra você parar de chorar... 

Involuntariamente, lembro que passei pela mesma coisa com Henry a uns 10 anos atrás. Lembro que fiquei desesperada, assim como Zelena estava naquele momento. Fazia de tudo e nada dava jeito no choro do meu pequeno.  

Regina: Tenta colocá-la de pé e apoiá-la em seu ombro... - falo calmamente ao deixar a bolsa e a pasta com alguns projetos sobre o outro sofá. 

Zelena: Regina! Você me assustou... - fala levando a mão livre até o peito – Eu não sei o que fazer pra ela parar de chorar... eu ... eu já fiz de tudo. Nada adianta! 

Me aproximo e acaricio a cabecinha de Robin. Era bom ter aquele pedaço do Robin por perto mesmo depois dele ter partido. Bem ou mal, ele tinha sido uma parte importante da minha vida.  

Zelena: Sis, será que ela tá doente ? Tem alguma coisa errada... - Zelena fala tudo rapidamente e totalmente desesperada - devemos levá-la ao médico, vai ver é uma dessas doenças malucas desse mundo esquisito. 

Não consigo conter o riso. Coloco uma mecha de cabelo pra trás da orelha.  

Regina: Eii mamãe, não tem nada de errado comigo, não. - faço voz de criança enquanto mexo na mãozinha da bebê - Só sou uma mocinha muito manhosa. 

Zelena: Aii eu não sei. Ela só não para de chorar... faz ela parar por favor. - percebo o quanto minha irmã estava cansada. Eu também estava esgotada, o dia tinha sido bem cansativo e estressante o suficiente. No entanto, não poderia deixar minha irmã na mão. Sabia exatamente o que ela estava sentindo e posso afirmar que é de deixar qualquer um desesperado. 

Regina: Okay... então passe essa princesa pro colo da tia. - pego-a no colo -  É, princesa... você gosta do colo da tia ?! Eu gosto... - finjo conversar com Robin – Sis, sobe, toma um banho e deita pra dormir. Você tá cheia de olheiras... 

Zelena: Mas Regina, e se ela estiver passando mal, se for algo mais grave. Eu não posso deixá-la... - não deixo ela concluir, pois interrompo-a. 

Regina: Eii... isso daqui é normal. Deve ser apenas gases. - tento tranquilizá-la, mas ela realmente estava nervosa – Zel, você não vai estar abandonando, eu vou tomar conta dela, pode deixar. Se preocupe em descansar, pq amanhã, essa pequena vai estar com a energia toda de novo. - sorrio enquanto balanço Robin no colo. Ela ainda estava chorando, mas era um chorinho baixo. 

Zelena: Você tem certeza ?! - ela faz uma expressão de dúvida. 

Regina: Tenho sim. Pode ficar tranquila. Vou dar algumas gotinhas do remedinho que dava ao Henry para gases. É tiro e queda! - falo passando confiança - Daqui a pouquinho ela não vai sentir mais nada. 

Zelena: Obrigada... bom, eu só vou aceitar porque estou realmente muito cansada. Ser mãe cansa bastante! - ela ri e eu a acompanho.  

Regina: Eu sei disso... e o trabalho só aumenta com o passar do tempo.  

Lembro que Zelena tinha comentado, mais cedo,  que queria conversar comigo. Agradeço aos céus por ela não ter lembrado disso até agora. Bem ou mal, sei exatamente o que minha irmã iria falar. Ou pelo menos penso que sei. Na verdade, não estava com a menor vontade e paciência ara ouvir alguns sermões, ou melhor, a verdade. Tenho quase 100% de certeza que Zelena irá contar que está a fim da Emma, e sinceramente, isso não me agrada nem um pouquinho.  

Regina: Agora, já para o banho! - falo cara de brava e sorrio logo em seguida.  

Zelena: Boa noite, my little bean! - ela beija a cabecinha de Robin que suspira com o carinho. - Sis, boa noite e obrigada mais uma vez. - ela deposita um beijo estalado em meu rosto.  

Regina: Boa noite... verdinha! - brinco – E pare de chamar minha sobrinha de "feijãozinho", que coisa mais estranha, Zelena.  

Minha irmã sorri e vira para subir as escadas, mas antes de chegar ao topo, ela para e vira seu corpo para trás.  

Zelena: Ah! Regina! - olho para cima – Aquela nossa conversa fica pra amanhã, okay ? Não pense que eu esqueci. - Como assim ?! Ela tinha o poder de ler pensamentos agora ??? Bom, não posso deixar transparecer meu nervosismo, então a melhor opção seria atuar.  

Regina; Nem sonharia com uma coisas dessas. Tô tão ansiosa pra essa conversa... - falo em tom de deboche e reviro os olhos. 

Zelena: Ótimo! - ao terminar de falar, ela continua subindo, até desaparecer ao virar o corredor.  

 

Continuo ninando Robin por um tempo, depois de dar algumas gotinhas do tal remedinho pra cólica de bebê.  Aos poucos o chorinho vai diminuindo e minha sobrinha vai se entregando ao soninho dos justos. Nesse meio tempo, arrisco até a contar uma história, ou melhor, a nossa história, do mesmo jeito que costumava a fazer com Henry quando pequeno. Assim que ela adormece, pego minha bolsa e minha pasta com a mão livre e subo em direção ao seu quartinho. A deito no bercinho e a cubro com a mantinha verde. Bom... tinha que ser verde, era essa cor pelo quarto inteiro! Não consigo conter um sorriso. Acaricio seus cabelinhos de leve e saio do quarto em seguida, pegando uma das babás eletrônicas e encostando a porta do quarto. 

Sigo em direção ao meu quarto, Emma já estava deitada. Deixo meu material de trabalho em cima de uma das poltronas que tinha em um dos cantos do quarto e desligo a televisão. Pelo visto ela estava "assistindo" a alguma série que, provavelmente, já tinha assistido anteriormente. Ela vivia fazendo isso. Um sorriso desponta em meus lábios novamente ao ver aquela cena. Era inevitável, Emma era uma das poucas pessoas que eram capazes de despertar o melhor em mim. 

Sento na beirada do divã que tinha ao pé da cama e retiro meus saltos. Amo andar com sapatos de salto alto, pois além que me deixarem mais alta, os saltos dão ao usuário um ar de independência, autoconfiança, e de soberania. Bom... convenhamos que esse último eu já tenho com total certeza, afinal, eu sou uma rainha. Mexo os dedos dos pés na intenção de massageá-los, pois apesar dos saltos significarem uma magia sensacional, toda magia vem com um preço. E nesse caso, o preço é a dor nos pés.  

Levanto e caminho em direção do banheiro, levo apenas a babá eletrônica pra caso Robin acorde e comece a chorar. Deixo o aparelho sobre a pia e encosto a porta. Abro a torneira da banheira e enquanto a mesma enche, tiro minha roupa. Tinha chegado a hora mais sagrada do dia. O único momento em que minha mente para de trabalhar. Verifico a temperatura da água e está perfeita, fecho a banheira e entro na mesma. Que sensação maravilhosa... encosto minha cabeça na borda e fecho os olhos na intenção de relaxar por um momento. Depois de um tempo relaxando, pego meu típico sabonete líquido e despejo um pouco em minha mão. Com movimentos calmos e leves, começo a massagear meus ombros, sentindo a espuma se formando por entre meus dedos. Estendo os movimentos até meu maxilar e depois desço passando a mão ensaboada sobre meu colo e, consequentemente sobre meus seios. Massageio- os por um tempinho e absorvo aquela sensação maravilhosa proporcionada pelos meus toques, durante todo o processo, mantenho meus olhos fechados. Essa é uma ótima forma de aproveitar mais o relaxamento.  

Após um bom tempo relaxando, sem fazer nada além da minha higiene pessoal, saio da banheira e puxo uma toalha que estava pendurada no gancho do banheiro, me enrolando na mesma logo em seguida, mas sem querer, acabo derrubando um pote de creme no chão . "Droga! Esqueci de pegar minha roupa!" Coloco a roupa que tinha tirado no cesto de roupas sujas, escovo meus dentes e penteio meu cabelo. Assim que eu abro a porta do banheiro e me viro pronta pra sair...  

NARRAÇÃO REGINA OFF 

NARRAÇÃO EMMA ON 

Acordo assustada devido um barulho, parece que alguma coisa tinha caído. Depois do que aconteceu comigo, o infeliz episódio com o Killian Jones, tenho tido um sono bem leve. Sento na cama e fico atenta pra ver se o barulho iria se repetir, percebo que a televisão tinha sido desligada. Será que Regina tinha chegado ? Chamo pelo seu nome, mas não obtenho nenhuma resposta. Então, resolvo levantar e lavar o rosto pra despertar um pouco, já vi que se eu tentar dormir de novo, não irei conseguir.  

Levanto e caminho com cuidado até a suíte. Vou descalça mesmo, não tinha necessidade de perder tempo procurando o chinelo. Desde o incidente que aconteceu e que eu perdi minha visão, passei a ter o costume de andar sempre com uma das mãos erguidas na frente do meu corpo. Era uma técnica de defesa pra caso algum objeto estivesse na minha frente. Dou mas alguns passos e quando estou quase chegando à porta do banheiro, sinto minha mão se chocar contra algo, ou melhor alguém. Regina. Só podia ser ela.  

Regina: AI MEU DEUS!! QUE SUSTOO! - ela fala perceptivelmente assustada. 

Emma: Regina ?! Óh, Deus... me desculpa... - falo meio sobressaltada também. Sua pele estava molhada, deve ter acabado de sair do banho. Minha mão se encontrava na borda superior da toalha felpuda, e meus dedos estavam sobre a pele de seu colo.  - Ahn... - não consigo pensar em nada pra dizer. 

Regina: Emma, não precisa se preocupar... ahn... está tudo bem. - ela fala com dificuldade. 

Emma: Eu... eu... - "o que está acontecendo comigo? Pense em alguma coisa pra falar e rápido!" 

 

NARRAÇÃO EMMA OFF 

NARRAÇÃO REGINA ON 

 

Bom, nem preciso dizer que uma corrente elétrica percorreu meu corpo assim que Emma me tocou. Eu não consigo desviar o olhar de seus lábios. E aquela mão ?! Senhor!! Minha respiração estava totalmente descompassada, meu peito subia e descia rapidamente, demonstrando o quanto eu estava ofegante. É como se o tempo estivesse parado, e como se tivéssemos entrado dentro de uma bolha, uma bolha só nossa.  

 

Regina: Você...? - resolvo sair da inércia 

Emma: Eu... bem.. Eu não sei – ela fala totalmente perdida, assim como eu. 

Regina: Ahn... eu estava indo pegar uma roupa, acabei esquecendo de levar para o banho – ela ainda está apoiando a mão em meu peito. 

Emma: Creio que está bem melhor assim... - ela fala baixo e rápido, mas eu consigo escutar perfeitamente. No entanto, me recuso a acreditar de que eu tenha escutado aquilo.  

Regina: Oie?! O que disse ? - "Diz, Emma... diz...", fico torcendo internamente. 

Emma: O que eu disse ?? - ela fala corada, como se tivesse sido pega no flagra. 

Regina: Sim... o que você disse ? - repito a pergunta. 

Emma: Disse que é melhor você ir colocar uma roupa – ela fala tirando a mão do meu corpo antes que eu pudesse colocar minha mão sobre a sua. Ao realizar esse ato, parece que um fogo interno foi apagado. Era como se tivesse jogado um balde d'água em uma fogueira em chamas.  

Regina: Ahh sim, claro – falo um pouco desapontada.  

 Resolvo não insistir no assunto e me retiro indo em direção ao closet. Passo meu hidratante corporal e visto meu pijama. É uma camisola na cor lilás e com renda na altura do busto e na barra inferior. O tecido era confortável e ia até a metade das minhas coxas. Ao voltar para o quarto, Emma já estava deitada novamente e mirava o teto. Levanto o lençol e deito ao seu lado.  

Regina: Um beijo pelo o que está pensando! - faço a famosa brincadeira e ela sorri. 

Emma: Estava pensando em você. - ela diz na lata. "Como assim estava pensando em mim ?!" 

Regina: Em mim ?! - acabo rindo baixinho e me viro para ela. - Quer dizer que eu sou tão importante assim ? A ponto de habitar seus pensamentos ? 

Emma: Ainda tem dúvidas disso ? - ela arqueia uma sobrancelha e eu fico mais uma vez sem entender ao que ela se referia. - Agora, Vossa Majestade, pode tratar de me pagar pelo pensamento. 

 

NARRAÇÃO REGINA OFF


Notas Finais


E aí, o que acharam ? conversem comigo, please.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...