História Lying to myself - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho)
Tags Swan Queen, Swanqueen
Visualizações 187
Palavras 1.273
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Fluffy, Magia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capítulo extra! Mais uma vez obrigada pelo carinho. Críticas e/ou sugestões e prompts, meu tumblr: @cariocartsq

Capítulo 9 - Oops!


Emma entrou em casa alguns minutos depois com duas sacolas e as deixou no chão. Ela parou na porta que dava da sala de jantar para a cozinha, braços cruzados e um sorriso idiota estampado no rosto, comtemplando a cena em sua frente.

As roupas de Roland estavam completamente amassadas e sujas de farinha, assim como o bagunçado cabelo de Henry; Ruby tentando distrair Regina o suficiente para que ela pudesse mexer na carne sem ser notada, e Regina, com o cabelo preso em um pequeno rabo de cavalo e um avental branco tentava em vão, enquanto segurava uma colher de pau, colocar alguma ordem naquela cozinha.

“Olha Regina, a Emma chegou!” – Ruby exclamou entre risos – “Talvez ela possa nos ajudar com... Lily, não!”

O aviso de Ruby veio segundos tarde demais, com um só movimento, uma grande vasilha de vidro já estava estilhaçada no chão.

“Eita!” – A pequena exclamou, as mãos cobrindo a boca.

“Ok, ok...” – Emma finalmente resolveu interferir – “se vocês continuarem nessa bagunça, não vai ter comida!” Emma disse enquanto pegava Lily no colo para afastar a menina dos cacos de vidro.

“Henry, para de brincar e vai pegar uma pá para recolher isso! Ruby, se você não estiver fazendo nada por aqui, leve a Lily para se limpar e trocar de roupa, essa criança está coberta de massa de tomate!”

Regina parecia chocada, e Ruby apenas obedeceu, tomando a menina dos braços de Emma e levando-a embora.

“Mas vejam só, quem decidiu se tornar responsável em uma cozinha!” – Regina exclamou, fingindo surpresa, e repentinamente invadindo o espaço pessoal de Emma.

“É, tem coisas na vida que nos obrigam a crescer, Gina... Sem você aqui, eu tive que virar a adulta na cozinha!” – Emma corou.

Regina deu um sorriso tímido e baixou a cabeça; o momento entre as duas foi interrompido por Henry.

“Mas ter um adulto na cozinha não significa que a gente tenha comida gostosa o tempo todo...”

“Ei criança, dá pra você parar de falar mal da minha comida? Hein?”

“É Henry, sua mãe não é tão ruim na cozinha...!” – Regina defendeu-a.

“Ah é?” – Henry cruzou os braços desafiadoramente assim como Regina sempre fazia – “E o que você tem a dizer sobre aquelas benditas almôndegas recheadas que a ma faz, hã?”

Regina mordeu os lábios enquanto Emma esperava ansiosamente por uma resposta.

“É, aquilo é bem complicado de comer...”

“REGINA! Você me disse que gostava delas!” – Emma arregalou os olhos, metade surpresa, metade ofendida.

“Desculpa...?” – Regina tentou enquanto Henry morria de rir.

O quer que Emma fosse comentar, foi interrompido pelo som da campainha.

“Ruby, você vai atender?”

“Eu ainda tô aqui em cima!”

“Deixa que eu vou” – Regina tomou a frente e caminhou para a sala, enxugando as mãos em seu avental.

Após uns dois minutos de espera Emma ouviu uma voz gritar em protesto.

“AH NÃO!”

“Princesinha, o que está acontecendo?”  - Emma chegou no hall de entrada a pondo de ver Lily ainda na escada, com uma expressão triste e braços cruzados encarando Regina, que conversava com uma pessoa que Emma não podia ver.

“Ele tá aqui, e ele vai querer levar a mama como ele sempre faz!” – Lily deduziu antes de quebrar uma das maiores regras impostas pelas suas mães e correr os degraus faltantes da escada.

Ela parou atrás de Regina e a abraçou pelas pernas.

“Ela vai ficar, você não vai levar ela!”

“Lilian Hope, isso não foi educado nem respeitoso de sua parte, desculpe-se com o Robin! Agora!” – Emma disse, aproximando-se do grupo.

“Mas ele...”

“Não é assim que falamos com adultos, Lilian! Peça desculpas!”

“Me desculpa” – ela disse, porém não por querer – “eu não quis desrespeitar.”

“Está desculpada” – Robin deu de ombros – “agora...” – o homem começou, colocando as mãos nos bolsos.

“Você está aqui pra levar ela embora...” – Lily acusou, uma expressão sombria tomando conta de seu rosto.

“Fica tranquila Lily, eu não acho que ele...” – Emma tentou.

“Bem, na verdade...”

“V-você veio mesmo pra levar a ‘Gina? P-pra ir embora?”

Emma se odiava por estar gaguejando, mas ela se viu nervosa de repente; ela não queria que Regina fosse embora, não tão cedo. Elas estavam se dando bem, melhor do que ela poderia ter esperado, e pra ser honesta, ela estava adorando.

“Só se ela quiser...”

“Robin, ela está preparando o almoço! Você pode ficar com a gente, comer...”

“É, Robin, Se quiser ficar para comer você é bem vindo, mas eu não estou indo embora” – Emma e Lily sorriram – “não agora, pelo menos” – o par de sorrisos desmanchou-se na mesma hora.

“Tanto faz, eu imaginei isso mesmo. Eu vim aqui mais pra dizer que eu não consegui vaga no hotel, vou ficar naquela pensãozinha mixuruca da Granny mesmo. E vim também trazer uma mochila pro meu filho...”

“Tem certeza que não quer ficar pro almoço? A lasanha da Regina é divina!” – Emma disse sorridente, seu humor aumentou em 100% ao saber que Regina iria ficar.

“Eu sei disso, eu vivo com ela.” – Robin respondeu, seco, e Emma encarou o chão.

“Não fale assim com ela!” – Regina cruzou os braços e ficou com uma expressão idêntica a da filha.

“Regina...” – Emma se intrometeu.

Robin estava com um sorriso vencedor.

“Tá. Eu tô indo, estarei na pensão. Você vai precisar de mim?”

“E pra quê eu precisaria de você?” – Regina respondeu, mas se arrependeu assim que as palavras deixaram sua boca.

“Robin...”

“Você não precisa dizer mais nada, Regina. Deixa um beijo pro Rolo. Te vejo amanhã?”

“Claro...”

Robin deu um passo pra frente e roubou um beijo dos lábios de Regina. Lily fez ‘eca’ baixinho e Emma desviou o olhar.

Assim que Robin saiu e a morena fechou a porta, Emma dispensou Lily.

“Por que você não vai lá na cozinha e vê se eles estão trabalhando direitinho, huh? Coloca alguma ordem lá, minha pequena chef!”

“Sim senhora!” – Lily bateu continência de um jeito super desajeitado e caminhou até a cozinha orgulhosa de sua missão.

“Regina-“ – Emma começou assim que  a menina não podia mais ser vista.

“Por favor, Emma, não...”

“É só uma pergunta” – Emma insistiu, pegando o braço de Regina de leve antes que a morena pudesse partir.

“O quê?” – Regina perguntou, na realidade morrendo de medo de soltar mais alguma coisa indevida.

“O que foi isso, com o Robin eu quero dizer?”

“Pra ser sincera, eu não sei, eu só...”

“Você anda o tratando de uma forma tão rude! O que está acontecendo?”

“Você quer saber?” – Regina se alterou um pouco, porém Emma pareceu mais interessada e curiosa do que surpresa – “Eu estou cheia disso. Ela está sempre me tratando como se fosse meu herói, como se eu precisasse dele para tudo e qualquer coisa! Eu já vivi sem um homem antes, e posso muito bem fazer de novo! Eu não preciso dele, nem pra dirigir pra mim, nem pra me dizer o que vestir...”

“Ele te controla?”

“ELE TENTA! Ele é muito possessivo e controlador, mas às vezes eu acho que eu ficaria melhor sem ele, sabe? Eu viveria melhor sem ele, sorriria mais... Por deus, eu até consigo gozar melhor sem precisar dele!”

Emma abaixou a cabeça, mordendo os lábios para não rir, apesar de suas bochechas estarem coradas.

“Eu deveria...”

“Acho melhor nós...”

As duas falaram ao mesmo tempo, e Regina aproveitou par liderar o caminho até a cozinha.

 

 

“O que diabos aconteceu lá?  Vocês duas estão completamente vermelhas!” – Ruby sorriu quando as duas entraram no cômodo.

“Nada.”

“Não houve nada.”

Elas responderam juntas mais uma vez; Ruby e Henry riram, como se tivessem percebido alguma coisa.

Esse almoço tinha tudo pra ser o melhor, ou o mais vergonhoso de suas vidas...

 

 

 


Notas Finais


No próximo capítulo: Mais proximidade entre Emma e Regina, só adianto que 'faíscas' irão surgir... E finalmente alguém percebe o que está acontecendo com Regina! Será que essa pessoa vai ajudar ou embaraçar mais a vida da coitada?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...