História Má Petit ladybug - Capítulo 80


Escrita por: ~

Exibições 170
Palavras 4.160
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Colegial, Comédia, Ecchi, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee! Esse é o especial gatuno... MAAAS NAO ME ODEIEM! Eu vou fazer o especial gatinho! Com certeza! Tá? Favoritem e compartilhem! POR FAVOOOR! E GENTE... SERIAUM... SÓ PQ NA HORA EU NÃO TO SHIPPANDO O ADRIAN/CHAT NOIR COM LADYBUG/MARINETTE não quer dizer que no futuro não vai teeeeeeer ouviram? Espero que sim

Capítulo 80 - Especial 200 (211)favoritos


Fanfic / Fanfiction Má Petit ladybug - Capítulo 80 - Especial 200 (211)favoritos

(Marinette ON)

Eu estava debruçada em minha janela, fazia alguns meses que aqueles três demônios tinham ido... O clima estava chato e muito menos divertido. O Palácio parecia um pouco mais parado sem todos eles gritando que nem uns retardados, algumas explosões de chamas quando um não conseguia acertar os treinamentos ou um zuando... Enfim era muito divertido. Mas um certo gatuno me ajuda bastante. Ele e muito chato! Mas tem seu lado divertido... Claro... do jeito dele...

Senti algo passar entre minhas pernas. Olho... Nada... Volto a olhar a janela. Algo toca minha cabeça. Olho pra cima e vejo Hiro...

- Oi Hiro...- Hiro estala os dedos e conta até três em inglês, aparecendo uma rosa avermelhada.

- Oi princesa! Seguinte... Si lembre que em um mês irá se casar com Kuro... Se o Lexo não voltar claro.

- Hmm... Entendo...- A Rosa estava em minhas mãos. Me encostei novamente naquela grande janela que tinha vista do segundo andar para o jardim. Aquele jardins de rosas eram maravilhosos e perigosos. Olhei para a Rosa em minhas mãos e a coloquei na janela. Hiro tinha sumido, não era mais la tão incrível quanto os primeiros dias em que estive aqui... Me lembro muito pouco da minha vida anterior. Mas sei lá... O que tinha de tão importante?... coloquei a mão em meu brinco e pensei:

- Tantos problemas... poucos resultados...

(Marinette OFF)

- Jibun jishin ni hanashi? (Falando sozinha?)- Falou Kuro, encostado na parede, com um pé apoiado na parede, braços cruzados, cabeça jogada levemente para trás, olhos fechados com fones e seu cabelo bagunçado pelo rosto... Era fofo. Mas estava com a mesma cara de desinteressado e cansado de tudo.

- Talvez Kuro...- Maei se levantou sem olha-lo e seguiu pra fora daquela sala que parecia uma biblioteca. Ele abriu um olho,  ainda estava com uma es pressão neutra.

De repente alguem prende Kuro em uma corrente cinza com áurea azul no pescoço. Ele apenas abre os olhos e fala:

- Dakara anata wa watashi o kyōsei shimasu ka?(Vai mesmo me forçar não é mesmo?)

-Exatamente- Falou o Rei com um semblante sério. Rei tinha o plano e Hiro estava junto a isso. Aquela rosa tinha uma magia que quando foi tocada por Marinette a magia passou para seu pulso, e, logo logo formaria um bracelete.

                ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆

Marinette tinha voltado para seu quarto e lá estava Tikky dormindo. Marinette viu o prato onde tinha os cookies que Tikky certamente havia comido. Suspirou e se sentou na cama. Fitou o chão e no canto do olho esquerdo algo brilhante chamará sua atenção. Era uma pulseira grossa feito de um metal Branco muito brilhante, pequenas estrelas cor Verde azulada brilhante com um símbolo de olhos de felino vermelho.

Ela tentou tirá-la mas estava presa. Quando levantou correntes saia RAM de dentro da pulseira atravessando portas sumindo de vista de Mari. Pouco tempo depois ouviu chiados. Era as garras de Kuro que lutava pra ir na direção oposta de onde as correntes queriam levá-lo.

A magia foi mais forte. Kuro foi arrastado e sem querer tromba com Mari e cai e cima da mesma. Ela fica corada e geme corando. Kuro olha aonde estava apoiado e sai de cima rapidamente.

- Nanda ittaí! (Que merda)- Fala baixo. Tentando sair do quarto mas a corrente o prende pelo pescoço.- Kuso jinsei (vida de merda)- A corrente estava presa em uma coleira feita de magia negra, ligava a pulseira que Mari usava. Kuro a olhou atravessado e depois suspirou fechando os olhos cansado e se jogou no chão virando um gato. Mari o tirou do chão, as correntes novamente desapareceram, ela o colocou em sua cama e perguntou:

- O que está acontecendo?- Ela olhou para Kuro que parecia um pouco irritado. Kuro a olhou e depois jogou sua cabeça no colchão.

- Chichi wa watashi ga kekkon suru koto o nozonde imasu (meu pai quer que eu me case)- Mari encarou Kuro e depois fez um carinho em sua cabeça fazendo o mesmo ronronar. Kuro abriu os olhos e se afastou. Mari pigarreou e depois soltou uma gargalhada. Kuro olhou sério e constrangido:

- Olha só! Pensei que zumbis como você não tivessem sentimentos.

- Anata no kuchi o shatto (cale a sua boca)- Kuro olhava muito constrangido e aumentando a voz. Marinette ria com a expressão do gatuno. Ele virou um gato,  subiu e se jogou em cima de Mari, fazendo- a deitar no colchão. Ela arregalou os olhos, o gatuno tampou a boca da mesma e falou exaltado:

- Odayakana Fakku! (calma caralho!)- Ele se voltou ao seu estado humano e olhou aonde estava, arregalou novamente os olhos e saiu de cima, se transformando novamente em gato, correndo a um canto do quarto,  ficando olhando para o encontro das duas paredes.
   
                   ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆

Mari estava deitada, quando resolve olhar para a direção do gatuno. Ele ainda estava ali, sem se mover... nenhuma reação.

- Deve estar confuso, né?- Kuro falou seco e desinteressado:

- Nandemo (tanto faz)- Marinette se levantou e foi a mini dispensa em seu quarto. De lá, tirou um miojo e cozinhou...

Kuro ainda olhava para o mesmo lugar, imóvel. Quando começou a sentir um cheiro que nunca tinha sentido antes. Começou a salivar, abriu os olhos lentamente e olhou para a cama de Mari, estava vazia... Começou a olhar para todos os cantos até que achou-a em uma parte mais alta do quarto. Seguiu e ela não estava mais la. Viu uma vasilha com o miojo, pegou o hashi* e falou:

- Yoi shokuji (Boa refeição!)- Começou a comer, Marinette o abraçou por trás e falou:

- Sabia que iria vir se eu fizesse isso!- Kuro corou, sentiu ela se esfregando, respirou fundo e falou:

- Karera no tabemono ga yoidesu... (A comida é boa...)- Mari o abraçou mais forte, passou seu nariz por seu pescoço até seu ouvido, falou rouca:

- Que bom que você gostou! Mas... Eu adoraria...- Kuro a olhou de canto e perguntou:

- Nani? (O quê?)- Mari lambeu-o e ele sentiu um arrepio, ela disse com uma voz sexy:

- Eu quero que você me coma... Não podemos fugir do destino... E... Se já estamos noivos... Acho que podemos fazer isso.- Kuro arfou, a coleira se formava em seu pescoço, Mari tirou sua jaqueta, começando a massagear seus ombros, ele se afastou, correndo de um lado pro outro no quatro, queria se transformar mas algo impedia, chegou uma parede e se virou.

OLHA, TA MEIO NHAM... HOT

Mari mantinha suas mãos nos peitos do gatuno, começou a prenssa-lo, suas partes íntimas se encontrando, mesmo sem a vontade de Kuro, a coleira impedia de usar qualquer poder que fosse enquanto estivesse muito perto dela.

Ela  o puxou pela coleira e lambeu seu pescoço. Ele suspirou meio assustado. Ela, que estava de olhos fechados, abriu o olho esquerdo, com uma cara safada. O gatuno que usava uma camiseta preta, logo foi tirada pela azulada. Ele arranhava a parede, acho que não queria fazer aquilo. Ele inverteu as posições, agora, a prenssando contra a parede.

- Mari netto wa, watashi wa anata ni watashi no chēn o shiyō shitakunaideshou! Watashitoisshoni purē shinaide kudasai... (Marinette, eu não gostaria de ter que usar minhas correntes em você! Por favor não brinque comigo...)- Kuro a prendia nos ombros, ela sorriu e começou a passar levemente suas unhas pelo peitoral do gatuno chegando a calça, colocando sua mão sobre o membro, começou a fazer leves carícias, o gatuno a prenssou mais a parede, juntando os corpos, a esmagando. Ele começou a morder seu pescoço, ela gemia de dor. Chegou um ponto que começou a sangrar, ele deu um sorriso, olhou nos olhos da azulada e riu debochado:

- não devia tentar um demônio como eu! Você sabia que teria consequências.- Ele lambia o sangue que escorria, chegando até a clavícula, deixando chupões. Ela começou a mexer seu quadril, tentando exaltar o gato

OLHA CABOU O MINI ULTRA SUPER CURTINHO, HOT.

Kuro sentia a azulada pressionando-se, decidiu que: se quiser brincar de gato e rato, ele seria o gato e ela o rato, ele deixava bem claro isso. Se afastou, não gostava daquilo, na real não gostava de nada que o fator Príncipe o trazera. Mari o olhava, via novamente aquele gato intediado e sem reação novamente, mas, naquela hora, ele parecia um pouco mais solto.

O gatuno colocou novamente as roupas, virou um gato e se sentou nas almofadas, olhando diretamente pra parede.

                   ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆

Mari tinha que andar toda hora com Kuro, o mesmo, agora sempre teria que ficasse ao lado dela, mesmo se ele não quisesse. Foi um dia longo, cheio de demônios fora das leis da rainha, tendo que ser punidos por tais crimes. Aquilo não era certo, mas também não estava errado.

Rose chamou Mari para uma conversa. Kuro que ainda se mantinha preso, na forma de gato, estava ainda preso as correntes azuis esbranquiçadas. Rose tirou com um estalar de dedos, fazendo o Kuro, sair correndo tão rápido quanto um Flash. Morte sorriu, e levou-a para um passeio pela área mais nobre de seu Reino. Morte a olhou e falou:

- Precisamos do seu vestido de noiva... A propósito, desculpa pelo meu filho, Kuro nunca ligou pra nada a não ser seu 3ds e seus mangás e animes.

- Vossa... Rose, vamos fazer o seguinte... Eu poderia fazer pelo menos ele me tolerar? Eu não to afim de casar... Sei lá...

                    ☆ ☆ ☆ ☆ ☆

Mari voltou para o Palácio e  voltou para o quarto, percebeu que a pulseira havia voltado, Kuro estava jogando Zelda no seu cantinho do quarto. Mari estava no banheiro preparando uma breve surpresinha para o gatuno.

Do lado de fora, Hiro assistia o que quer que acontecesse naquele momento, estava flutuando enquanto comia pipoca e tomava refri.

Mari saiu do banheiro e Kuro a olhou, a expressão neutra de sempre, agora estava curiosa e exaltada. Hiro cuspiu a coca, e penso:

- Agora dá!- E bateu palmas no sentido malicioso. Mari se sentou em cima de  Kuro e colocou as mãos em seu peito. Lambeu sua bochecha, Kuro gemeu, logo tirou as mãos da garota de seus peitos, estava suando frio com aquilo.

- Por que você gosta tanto de me tentar?- Kuro fala com um pingo de súplica, não gostava de pensar nisso... Marinette se levantou e o puxou, os dois ficaram de pé e ela riu. Hiro que olhava pela janela ficou desapontado.

Mari empurrou Kuro pra trás, estava tão confuso quanto alguém na prova de matemática sem estudar. Mari ficou de costas, a música logo começou... Ele gostava muito daquela música.

- Qual é Mari! Não!- Falou o gatuno. Ela sabia o que acontecia com ele quando ouvia alguma coisa que gostasse: ele só ia...

Mr. Boogie, if I want to I can have you
Baby listen, ah, ah, ah, ah, mr. Boogie

Sr. Dançarino, se eu quiser, eu posso te ter
Amor, escute, ah, ah, ah, ah. Sr. Dançarino

Mari, que estava de costas, o olhou de canto, com uma cara safadinha, deceu até o chão, juntou as pernas e subiu. Kuro já batia sua calda contra o chão, fechava os punhos e mordia o lábio... "por que tinha que manipular tão bem?"

Ajjilhan top pyojeongeun malhago itji hanbeondo bon jeok eopguna ee meotjin geol
Bbalgan geu fedora arae neomu handsome ni momjiteun twister da bushyeo beoryeo
Eokaewiro nun gaseumeuro nun gin darilo nun nuni ga
Ireoda jeongmal keunil nael geoni

Você conversa com uma expressão de tonto: "Eu não tenho te visto por aí, garota descolada!"
Esse chapéu vermelho tem o fundo maravilhoso. Seus movimentos são como um tornado, leva tudo embora
Acima dos ombros, olhos no peito, olhos nas pernas longas, olhos nos meus olhos
Você vai fazer disso um problema?

Ela dava leves arrancões, mexia os braços e ia na direção do gatuno, desapareceu e beijou os pescoço do gatuno, ele ia ataca-la mas ela desapareceu. Ela apareceu, atrás...

Mr. Boogie, ni geu chumi ni geu momi
Mr. Boogie, bureul kyeotji yeogi jeogi, hot ddeugeowo neo
Mr. Boogie, if I want to I can have you

Sr. Dançarino, sua dança, seu corpo
Sr. Dançarino, você acendeu as luzes, tudo a sua volta esquentou
Sr. Dançarino, se eu quiser, posso te ter

Mari estala os dedos e fica tudo escuro, se encontrou com o peito do gatuno, ela começou a empurra-lo:

- Qual é Kuro... Você podia só ir...- Kuro suspirou, revirou os olhos e sorriu, puxou-a e começaram a dar passos e se moverem na batida.

Allyeojiji aneun neon saerowoon cheonsa ee dongnega shwipjin ana jashin itni neo
Mudae wiye neoneun deowuk bitna sijakdweneun magic ni sesangiya
Eokaewiro nun gaseumeuro nun gin darilo nun nuni ga
Nawa nuni majuchil ddaeggaji

Você é um desconhecido novo anjo. Essa vizinhança não é fácil, você está confiante?
No palco você brilha mais intensamente com o início da magia, é seu mundo
Acima dos ombros, olhos no peito, olhos nas pernas longas, olhos nos meus olhos
Até seus olhos me correspondem

- Watashi wa tenshidata mon cher (A tá que sou um anjo Mon Cher).- Kuro segurava as mãos da azulada, em um piscar de olhos sua mão já estava em suas costas, puxando a bruscamente, começou a girar. Ela prendeu uma perna na perna do gatuno, ele levou um pé pra trás, desingatou a perna da azulada e a jogou pra cima, ela desapareceu novamente.

Mr. Boogie, ni geu chumi ni geu momi
Mr. Boogie, bureul kyeotji yeogi jeogi, hot ddeugeowo neo

Sr. Dançarino, sua dança, seu corpo
Sr. Dançarino, você acendeu as luzes, tudo a sua volta esquentou

Mari chega por trás o puxando, ela pensa que ia fazê-lo cair, mas pelo contrário, ele colocou as mão no chão, seus olhos começaram a brilhar, e se impulsionou, caindo por trás da azulada, ela rapidamente olhou pra trás, nada, ele havia se transformado, mas não no típico gatinho de sempre, ele estava como um lobo. Fez a azulada cair, como um presa.
Destransformou, sorriu vencedor.

Baro jigeum ee neukimiya, meotjyeo geulae neo baro jigeum ee neukimiya
Baro jigeum ee jigeum ee jigeum ee neukimiya you

Esse é o sentimento certo. Você é descolado, sim você. Esse é o sentimento certo
Esse é o certo, certo sentimento de você

A azulada não se deu por vencida, continuou no ritmo da música, desapareceu, o gatuno dava breves piruetas no ritmo da música as veses se agachado e levantando para mais um salto, mexendo os pés da esquerda para direita e vice-versa. Ela apareceu abraçando o abdômen do gatuno, ele arregalou os olhos, chiou, mas logo conseguiu ficar de frente a ela.

Mr. Boogie, ni geu chumi geu momi hot ddeugeo ddeu ddeugeowo neo
Mr. Boogie, bureul kyeotji ggeulsu eobseo
Mr. Boogie, ni geu chumi ni geu momi
Mr. Boogie, bureul kyeotji yeogi jeogi, hot ddeugeowo neo

Sr. Dançarino, sua dança, seu corpo. Tudo a sua volta esquentou
Sr. Dançarino, você acendeu as luzes e agora não consegue apagar
Sr. Dançarino, sua dança, seu corpo
Sr. Dançarino, você acendeu as luzes, tudo a sua volta esquentou.

Os dois saíram daquela escuridão infinita, voltando ao quarto, ela o agarrou pela Jaqueta e o beijou. Ele arregalou os olhos, começou a arranhar a azulada. Decidiu tacar o foda-se e se rendeu ao beijo.

Mr. Boogie, if I want to I can have you
Mr. Boogie, if I want to I can have you

Sr. Dançarino, se eu quiser, eu posso te ter
Sr. Dançarino, se eu quiser, eu posso te ter

Hiro estava boquiaberto, nunca tinha visto Kuro fazendo uma coisa dessas, a unica coisa que o gatuno fazer a era ver animes hentai mas... Tipo... Era um frouxo. Kuro separou o beijo, corou um pouco e olhou pra baixo, se afastou da azulada, tentou sair do quarto mas a corrente aparecerá novamente, pigarreou, resmungou:

- Mim querer estar no meu quarto.- Mari não disse nada, apenas fez um gesto para segui-la. Não tinha escolha, a seguiu.

Ela foi ver a rainha, ela tirou as correntes e Kuro novamente não perdeu tempo, foi que nem um guepardo para seu quarto.

                ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆

Elas estavam no jardim, Mari contou tudo que havia acontecido e Rose sorria com os acontecimentos, estava dando certo. Quando fizesse o sexo com Kuro, a magia que há dentro dela iria despertar.

Morte a levou para comprar o seu vestido de noiva. Era tipo uma kleinsfield naquela dimensão. O vestido era um Branco meio transparente, a saia era curta, e tinha uma grande cauda dividida em quatro. Em cima era de alça, e tinha
tipo uma coleira com setim branco. E tinha fitilhos pretos amarrados pelo vestido. Foro esse. Marinette respirou fundo e pensou: "como a vida é estranha"

Deixou o vestido e o véu com morte e foi direto o quarto, la estava novamente Kuro, estava como gato, entre almofadas, estava de cabeça pra baixo, babando. Mari riu e percebeu novamente a pulseira. Suspirou, pegou um pacote de doritos e refrigerante e chamou sua amiga Iara (n/a: qualquer nome que seja parecido na vida real é mera coincidência) Ela era uma dama de companhia que sempre ficava com Mari. Começaram a assistir Doctor Who, a série que Iara mais gostava, Mari sempre assistia junto.

Kuro acordou, Iara ja havia ido embora. Mari estava em sua cama jogando Pokémon Black and White. Kuro, começou a olhar para Mari. E os flashes daquele beijo passaram. Decidiu voltar a dormir, era muito bom aquela lembrança. De repente sentiu duas mãos, e sentiu tecidos macios.

Abriu discretamente um olho e, sim, estava na cama da azulada, mas ela não estava na cama, estava no closet. Kuro a viu cruzar o quarto, só de toalha, sua cara estava quente, afundou sua cara nos lençóis e destransformou, então durmiu.

Acordou com um leve peso no peito, Mari estava ali, revirou os olhou e bufou, a colocou no travesseiro e foi direto para as almofadinhas.

                 ☆ ☆ ☆ ☆

Duas semanas se passaram e Kuro estava cada vez mais próximo a Mari. Ele havia parado de tira-la de cima dele, pelo contrário, adorava quando ela o abraçava. Adorava as comidas que ela fazia. Principalmente os cookies e o yekssoba.

A beijava pouco, mas a frequência foi aaumentando conforme o tempo. Era até normal depois de um tempo. Faltava apenas duas semanas para o casamento e nada de Lexo voltar. Mari nem se lembrava direito de sua vida passada, apenas de Tikky e o gato Preto de olhos verdes... Mas nada apenas um borrão. Tikky sempre ficava com ela para todos os lugares... Mas naquele momento estava com Chat, Lincer, Hashidori e Alya que agora era Volpina.

Kuro não estava totalmente desinteressado no casamento, estava quase tudo pronto, só faltava arrumar o salão e o buffet. O gatuno estava jogado em seu quarto assistindo the high school of the dead, quando ouviu Mari em seu treinamento. Ela estava cada vez melhor na foice, estava quase no nível de morte e, seu poder de hipnose estava começando a transparecer. Kuro desceu até lá e quase foi acertado pela foice. Mari chacoalhou a cabeça, parando com a hipnose. A azulada o abraçou e deu um leve selinho. Sua cauda balançou e Mari riu.

- O que trás você aqui? Pensei que estivesse com seus preciosos animes.- Ela estalou os dedos e abriu uma janela, onde aparecia a tela do PC de Kuro- Hmm... High school of the dead... Ótimo anime...- Kuro a beijou no rosto, e se transformou num gatinho, deixando a barriguinha a mostra, ela revirou os olhos e fez carinho. Ele ronronou...

Depois daquele pequeno encontrão, Mari andava pelos corredores, que agora, conhecia como a Palma da mão. Esbarrou com Hiro, que beijou sua mão.

- Bonsoir princesse! Como vai indo?

- Você sabe que bem! Você parece estar em todo lugar! Quando o Kuro tava...

- Eu sei! Eu interrompi! E ainda rio por causa disso.- Ele falou com um timbre brincalhão.

- Ok... Te vejo qualquer hora...- Mari ia andar, mas tropeçou, por causa de Hiro que colocara sua perna no meio do caminho, ele a segurou e falou:

- Até minha próxima trolagem.- Ela revirou os olhos e continuou andando, indo para seu quarto.

              ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆

Era o dia, Mari estava dormindo quando sua melhor amiga entra gritando:

- ANDA CARAMBEIRA! VOCÊ PRECISA CASAR!

- Eu... preciso dormir- resmunga Mari, já colocando a cabeça debaixo do travesseiro.

- AAAAA! Quer que eu chame o Hiro?

- NAAAAAUM- Fala Mari levantando a cabeça dos travesseiros, toda descabelada.- Da última vez ele tacou ovo estragado e tive que queimar meus lençóis.- Iara riu e trouxe o vestido, ela era tipo uma fada, adorava ser gentil e era realmente muito generosa. (N/a: namorada do Skyller  ;b)

Mari se levantou, tomou um banho de duas horas, as fadas ajudantes fizeram uma maquiagem e aceitaram o vestido estava realmente linda, Rose chegou, estava com um vestido vermelho com a abertura no lado, um cock e apenas um gloss. Ela deu um gritinho e falou:

- Ah! Está linda! Como Kuro tem sorte!- Mari deu um riso sem graça, e foi direto ao espelho. Estava parecendo uma verdadeira princesa.

Sua maquiagem era um batom vermelho, um pouco de blush rosinha, lápis Preto com uma sombra cinza esbranquiçada, brincos de gatinho feitos de diamante e Ouro. E um cock impecável, junto a sua franja de lado. Seus olhos estavam mais arroxiados.
Estava usando um salto com fitilhos pretos que prendia em sua canela.

              ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆ ☆

Kuro estava com um terno e uma camisa azul, pela primeira vez estava num trage social a muito tempo.

Marinette estava em uma salinha daquele Palácio. Ela entrou, aquele salão estava todo decorado em Ouro, mármore, Branco, vermelho e azul. Estava perfeito, Kuro a olhou e sentiu o coração pela boca. Estava desconfortavel e feliz, parecia que ela nunca chegava ao maldito altar. Kuro queria se jogar da janela, e fugi, por que tava cabuloso...

Ela chegou ao altar e ficaram de frente a frente, o rei começou:

- Kuro, você pretende respeitar, ajudar, apoiar e amar?

- Sim- Falou, já suando frio- Ele repetiu a pergunta para Mari que também afirmou.

Foi tido o procedimento e até que, finalmente terminou e ele fala:

- Eu vos declaro marido e mulher... E a partir de hoje vocês são os representantes do Reino.- Kuro e Mari entrelaçaram os dedos e é quando foram se beijar...

                     ☆ ☆ ☆ ☆

- NÃO! EU NÃO ACEITO QUE MY LADY SE CASE COM OUTRA PESSOA!- Falou Lexo chutando a porta, com suas chamas espalhadas por todos os lados.

- Você não tem o direito de entrar aqui seu cafajeste!- Falou o rei.- Guarda atrás dele!- Lexo riu e driblava todos.

De repente, Rin aparece, queimando todos os guardas e falou:

- Que lindo casamento! Por que não me convidaram?- Falou sarcastico. Kuro pensou: "cara, eu sabia que ia dar merda...", trincou os dentes, e seus olhos emanaram a cor vermelha. De seus pulsos, as correntes que  foram direto para Lexo e Rin, e os prenderam.

-  Oso sugimasu! Anata no kunren no shonichi ni hanashi o suru hōhō! Soshite, sore wa kusodeshita! Anata ga koko ni kite, sore o subete shūryō suru koto ga dekiru to omoimasu ka? Fakku! Jigoku ni modorimasu! (Demoraram demais! Como falei no primeiro dia de treinamento de vocês! E já era porra! Vocês acham que podem chegar aqui e acabar com tudo? Foda-se! Voltem para o inferno!)- Kuro não conseguiu mais aguentar, Rin tinha o poder do satã, não dava. As correntes se quebraram, Kuro olhou pra Marinette que acentiu, ela desceu do altar... E ficou de frente a frente com os dois:

- Lexo... Rin...

Vocês estão certos... Isso seria encerrado hoje... E rainha, era o trato!

- NÃO! VOCÊ TEM QUE SE CASAR KURO...

- Eu disse que essse casamento é uma farça! Rainha,você prometeu que iria me reviver!- Rainha riu sarcástica:

- VOCÊ NÃO VAI A LUGAR NENHUM!- Marinette semicerrou os olhos e falou,ficaram totalmente brancos... Levantou levemente a mão e prendeu rainha, a rainha gritou de dor... A expressão de Marinette era neutra, tinha muito poder interior... Rainha falou com muita dificuldade:

- iam redit, iam...- Um portal se abriu, pra onde tudo tinha saído do controle... Marinette viveria novamente... Mari olhou para o Kuro que sorriu sereno. Ela olhou e disse:

- Nos vemos... quando eu morrer novamente

- Sim... E terá certeza, que eu irei ainda me casar com vc...

Todos passaram pelo portal... Graças a Deus tudo estava mo normal... Mari estava muito tonta, assim que passou pelo portal cambaleou e Chat a segurou... Falou calmo e feliz:

- Nos vemos na faculdade...


Notas Finais


Gente... Por favor, entre nos meus prêmios Nick e na categoria "ANIMAÇÃO INTERNACIONAL FAVORITA" votem no miraculoooous por favor! Tem que ganhar! E deixe nos comentários se vc votou, e se vc já votou bota de novo! Por Gesuis! Só tem menos de duas horas! RAPIDOOOO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...