História Mabill: Vamos brincar de nos amar. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Candy Chiu, Dipper Pines, Gideon Gleeful, Grenda, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Soos Ramirez, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Wendy Corduroy
Tags Gravity Falls
Exibições 80
Palavras 1.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ecchi, Escolar, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Fiz esse capitulo na pressa, deve ta meio bosta, mas espero que gostem. Desculpa se tiver algum erro ortografico

Capítulo 2 - Eles está aqui. Ele está vivo.


Fanfic / Fanfiction Mabill: Vamos brincar de nos amar. - Capítulo 2 - Eles está aqui. Ele está vivo.

Mabel on:

Eu não podia acreditar, mesmo naquela forma era possível de identifica-lo.

- N-não é possível...você.. você... não pode ser. O que você esta fazendo aqui ?! Não era pra você...- Ele usava um tapa olho preto no olho direito, tinha um símbolo em formato de um olho fechado com cinco ou seis cílios, seu olho esquerdo era todo amarelo com a pupila preta em forma de um traço na vertical, como as de um gato. Seu cabelo era loiro e um pouco grande, com uma franja meia caída para o lado direito e usava uma cartola preta. Ele usava camisa estranha e dois coletes, um era preto que ficava pra dentro, o outro era amarelo que ficava por cima do colete preto, mas esse ia até mais ou menos aos joelhos, usava luvas e uma calça preta e sapatos também pretos. (N\A: não descrever muito bem as roupas mas é a que esta na imagem do capitulo.)

Sem sombra de duvidas era  Bill.

- Nhe nhe nhe nhe “você.. você”, que irritante você, criatura de cinco sentidos. Sou eu mesmo, não tem porque fica repetindo a mesma palavra, parece um papagaio.- Disse ele saindo de trás dos arbustos e arvores, coçando a cabeça e ele falava em um tom debochado. Mas logo sorriu em um tom malvado, malicioso e com os olhos semicerrados (N\A: Sabe aqueles personagens de animes que dão esse tipo de sorriso ? pse, esse msm). E logo depois colocou uma das mãos no bolso da calça

-Bill...- Disse sem reação. Aaaaah como isso pode tá acontecendo ?! E logo comigo!! Só pode ser praga da oxigenada da Pacifica, mas ela não nada a ver com nada. Ahh to confusaaa.- Como você está vivo ? Você...devia estar m- fui interrompida.

-Morto?- Disse ele ainda com aquele sorriso no rosto.- Eu não sou tão fácil assim de matar, criancinha. Vocês apenas destruíram meu verdadeiro corpo e limitaram meus poderes- falou ele se aproximando de mim e colocando uma das mãos em meu queixo apertando-o, e logo o sorriso desapareceu, ficando serio e frio- o que irrita bastante.- Dessa vez ele me levantou mais alto com apenas um mão, me jogando com força de costas para uma árvore e logo eu caí sentada, estava imóvel por causa da dor em minhas costas.- Ah, me desculpe...-disse ele fazendo um olhar de triste mais ainda estava com aquele sorriso- ..mentira! Bem feito idiota!- E em seguida ele deu uma risada macabra e assustadora.

- Você louco. Como.. como você ficou assim, nessa forma ? Humano... ou sei la.- disse levantando com dificuldade e me limpando.

- Bem, isso não te interessa.- Ele olho pra cima com uma expressão de debochado.

- I-interressa sim, idiota, era pra você tá morto e não por ai em Gravity Falls.- Logo ele olhou pra mim com um ar de “ tô nem ai”.- AAH, pare de me olhar como se eu fosse idiota!! Sua criatura mono olho com essa roupa cafona e esse sua cartola sem graça!!- seu rosto ficou serio, me deixando com medo.

-Escute aqui recém nascida, quem você pensa que é para falar assim comigo?- ele tirou a mão que estava no bolso e fez um gesto com dois dedos, fazendo com que correntes azuis saíssem da árvore prendendo meus braços e pernas. As correntes se enroscavam em minhas pernas apertando-as com toda a força, o mesmo acontecia com meus braços. Soltei um grito de dor. E quando percebi Bill veio em minha direção flutuando e em seguida apertando meu rosto novamente- Não vou soltar você até que peça desculpas pelo modo de como falou comigo e não só por isso, e também porque você e sua família idiota me deixaram nessa forma vulnerável e irritante, e por terem lim- nessa hora o interrompi.

-Não irei fazer nada por você, quem tem que se desculpar é você, por machucar meus amigos e a cidade. E por deixa Gravity Falls um caos, e por me prender em uma bolha com uma musiquinha irritante. Se tem alguém que precisa se desculpar aqui é você, você fez Gravity Falls o maior inferno!!- disse para ele seria, mas com um pouco de medo. Ele me olhava sem ração e logo começou a rir flutuando no ar e se afastando de mim, ele ria igual a um louco colocando as mãos na barriga.

- Você- ele mal conseguia falar de tanto rir- Você é ilaria!! Eu pedir desculpas ? Me poupe. - Ele fala rindo e zoando da minha cara. – Você tem coragem p- ele parou de rir e parou de flutuar e ficou sentado no chão como se estivesse tonto. Percebi que as correntes tinham afrouxado um pouco, mas ainda doía. Eu queria sair dali o mas rápido possível. Comecei a gritar para vê se alguém notava. Bill me olhou como se eu fosse louca e logo ficou irritado.

-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH SOCORRO, ALGUEM. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH.

- AARG, para de gritar sua idiota, isso é irritante!!- mandou ele, mas eu não parava. Ele colocava as mãos no ouvido.- Ta já chega eu solto você, mas para de gritar, sua voz é irritante.

-E você vai me contar como ficou assim ?- Ele ficou me encarando, pensando..

-Se eu falar você ira parar de gritar ?

-Sim.

- Tudo bem. Mas antes uma pergunta.- assenti com a cabeça- Por que quer saber ? Minha vida não te interessa- Disse ele entediado    

-Curiosidade...- Respondi.- Agora me solta.

-Não vou soltar você agora. Primeiro você vai me ouvir.

- Mas- fui interrompida

- Nã-nã-não, xiuu, silencio que eu vou falar.

-Exibido.- falei baixinho. Ele me olhou feio, pois deve ter ouvido, mas apenas ignorou. Ele ficou sentado no ar se preparando para falar.

- Bem, quando o Ford me enganou junto com o seu tio avô e me fazendo entrar na mente do Stanley, e me “apagando”, não foi bem sucedido esse plano deles, não totalmente... eles apenas apagaram meu corpo que se transformou em pedra, como você já viu ali. É isso.

-O que ? É isso ? Eu não acredito, tem mais coisa quem eu sei, desembucha logo. –falei em um tom ameaçador, mas Bill apenas me olhou como se eu fosse idiota.- Sua explicação foi clara como lama.

- Eu contei o que foi necessário. O resto não interessa... –dessa vez ele falou deitando no ar, com as mãos na cabeça, olhando para cima.

-E seus poderes ? O que aconteceu com eles ?- Bill me olhou feio e ficou de pé no chão e me soltou. Fiquei encarando as marcas no meu corpo, as marcas que as correntes fizeram em mim... eram horríveis. Eu olhei para ele incrédula, mas ele apenas deu aquele seu sorriso irritante. Eu pensei em correr mas não deu certo, Bill me pegou pelo braço e... 


Notas Finais


Bem espero que tenham gostado, não se ficou boa.
Eu continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...