História Made In Cuba - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Norminah, Revelaçoes, Romance, Trolly, Vercy
Exibições 217
Palavras 2.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Survival
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Halloooooo amores, i'm Ana! Olha quem finalmente apareceu! Saudade de postar pra vocês sabia? Kk perdão por demorar, mas o importante é que tamos aí na atividade, né não?! Prestem atenção nesse capítulo também, que tem uns detalhes que dizem muito sobre o futuro da fic. Vamos às dedicatórias...dedico primeiramente à minha boo, May eu te amo! Dedico também pra Jessy, que tá fazendo aniversário hoje. HAPPY BIRTHDAY JESSY! Line sua totosa, Julinha, Laur, Calara, Jess lindona e é claro, Sah, que pede mais que todo mundo, esse capítulo vai pra vocês!

Capítulo 35 - O resgate


POV Lauren

Eu ainda estava meio tonta por termos encontrado o cativeiro em que os dois homens mantinham Sofi presa, afinal nós a encontramos rápido, pode se dizer que eu e Kendall tínhamos uma nova habilidade agora. Enquanto ela observava a pequena por uma das janelas eu fiquei pensando na melhor maneira de entrarmos sem sermos vistas e sair sem sequer um arranhão de lá. Nenhum dos planos daria certo. Eu havia pensado em entrar pela janela, mas seria muito arriscado. Também pensei em simplesmente bater na porta e esmurrar aqueles dois assim que abrissem, mas isso seria loucura...foi então que vi nossa melhor oportunidade. Chamei Kendall até um canto e pedi que ela me ajudasse a empurrar uma caçamba de lixo que havia ali. Atrás dela, alguém, provavelmente algum traficante que quisesse entrar no galpão sem ter que arrombar a porta, tinha feito um buraco na parede, e ele dava exatamente para onde os marginais estavam, só precisávamos ser cautelosas.

 

— Laur...o que você tá pretendendo fazer? Entrar lá e surrar os dois? Não sei se você já esqueceu, mas eles tem uma arma!

— Fica calma, Ken. A ideia inicial era essa, mas nós apenas vamos entrar com muito cuidado e nos esconder atrás daqueles barris.

— Tudo bem Mulher Maravilha, e depois?

— Depois você fica vigiando enquanto eu tento abrir a porta e pegar a Sofi. Assim que eu voltar com ela, nós saímos.

— Você só pode ter enlouquecido! Acho que anda assistindo muitas séries policiais Jauregui, isso não ficção, é realidade! Vamos sair daqui, voltar pra casa da Mila e mandar a polícia pra cá, isso é trabalho deles.

— Kendall, se você não quiser me ajudar, tudo bem! Só peço que nos espere com o carro, não podemos voltar sozinhas depois. Eu vou entrar!

— Jauregui...- Ela me segurou pelo ombro e me virou - Eu nunca deixaria você cometer essa loucura sozinha. Vamos!

 

Assenti dando um meio sorriso e logo entrei. Kendall me seguiu bem cautelosamente. Fomos engatinhando até os barris e ficamos agachadas. Olhei para a porta do quarto em que Sofi estava e notei que os babacas não tinham trancado. Que tipo de sequestradores burros eles eram? Me aproximei da porta e a empurrei lentamente. Fiz um sinal para Kendall vigiá-los enquanto eu não saia, e assim ela fez. Quando entrei no quarto, logo vi Sofia deitada na cama com o corpo virado para a parede, e no chão papéis de alguns doces que ela tinha acabado de comer.

 

— Sofi. - A chamei baixinho - Sofi olha pra mim. Sou eu, Lauren.

— Lern? - Ela perguntou com uma voz de quem havia acabado de chorar enquanto se virava - Não acredito que você veio me salvar! - Ela pulou em meu pescoço e começou a chorar, me fazendo ficar emocionada também - Não acredito que você me achou Lern, não acredito!

— Calma princesinha, não fala muito alto, não podem saber que eu tô aqui.

— Tá bom, me desculpa. Prometo ficar quieta agora.

— Ok. Vem comigo.

 

Foi tudo bem rápido e simples, como eu havia planejado. Saímos e avistamos Ken ainda agachada atrás dos barris. Fiz um sinal para que saíssemos, antes que fossemos notadas. Tudo estava ocorrendo bem, até o celular de Kendall começar a tocar.

 

— Eu não acredito! Essa porra não tava descarregada? - Falei quase pulando no pescoço dela.

— Hey! O que vocês...o que pensam que estão fazendo com a menina? - Um dos sequestradores falou enquanto se levantava e caminhava até onde estávamos.

— Corram! - Falei desesperada.

 

Corremos até o buraco na parede, mas o outro homem o bloqueou com seu corpo, nos fazendo parar bruscamente e correr em direção a porta principal. Eu segurava Sofia pelo braço como se minha vida dependesse daquilo, o que não era bem uma mentira. Eu tinha que salvá-la. Eu tinha que levá-la até minha sogra. Eu tinha que devolver a alegria à ela, e claro, eu precisava ver minha latina sorrindo como antes. Usei toda minha força para chutar a porta e arrombá-la, já que eles tinham trancado. Ouvi três estrondos atrás de mim e notei que eram tiros. Merda! Eles tinham pego a maldita arma.

 

 — Lauren pega a chave!

Kendall passou por mim, me entregou a chave e puxou Sofia junto dela. Não esperei nem mais um segundo, corri até o carro e o destravei. Sofi entrou e se sentou no banco traseiro, enquanto Kendall foi no carona. Liguei o carro e acelerei o máximo que consegui. Ao menos conseguiríamos despistá-los por uns minutos.

— Droga...- Kendall reclamava baixinho com seu braço esquerdo apertando seu braço direito - Meu pai vai me matar, ele acabou de trocar o estofado.

— Do que você tá...MEU DEUS KENDALL! - Freiei imediatamente - VOCÊ...VOCÊ LEVOU UM TIRO! NÓS PRECISAMOS TE LEVAR PRO HOSPITAL ANTES QUE VOCÊ PERCA MAIS SANGUE! E ANTES QUE... - Fui interrompida por outro tiro vindo de trás do carro...eles haviam nos alcançado - MERDA! MERDA! MERDA!

 

Voltei a ligar o carro, mas dessa vez tomei o rumo contrário do que eu tinha planejado. Mandei que Sofi ficasse deitada e que Kendall abaixasse a cabeça e usasse minha blusa xadrez para estancar o sangue que saia de seu braço. Não pude contar quantos sinais vermelhos eu passei e nem quantas ruas que eram contramão eu peguei, só sei que fui fazendo um percurso que nem mesmo Kendall que dirigia a mais tempo que eu estava entendendo.

 

Quando notei, já estávamos em uma parte mais afastada de Miami. Tentei manter Ken acordada, mas a dor fez com que ela desmaiasse do meu lado. Me virei para olhar Sofia e a mesma estava chorando muito, talvez com medo de que não conseguíssemos sair vivas de toda essa história. Minhas mãos suavam e tremiam, e através do retrovisor pude ver que ainda estávamos sendo seguidas.

 

— Sofi, me escuta! Eu vou tirar a gente dessa, ok? Eu vou tirar a gente dessa, e tudo não vai ter passado de um pesadelo.

— Eu...eu confio em você Lauren.

Aquelas palavras...

Flashback on

Camz chorava sem parar, e meu coração se apertava cada vez mais. Me doía tanto ver ela daquele jeito. Acariciava seu cabelo para tentar acalmá-la, mas parece que não estava adiantando muito.

— Amor...olha pra mim. - Segurei seu rosto com minhas mãos, biquei seus lábios e colei nossas testas - Eu te prometo, te prometo por tudo nesse mundo que a Sofi logo vai estar aqui com a gente de novo. Não vou deixar que nada de ruim aconteça com ela, nem que eu tenha que ir atrás de quem fez isso. Eu te prometo, meu sol!

— Eu confio em você, Lauren.

Flashback off

Eu precisava nos tirar daquela situação, agora mais do que nunca! Ignorei todas as placas de velocidade e todos os perigos que eu sabia que estava correndo na beira de um penhasco, dei uma volta completa no volante e fiz com que o carro girasse na pista até tomarmos a direção oposta a que estávamos indo. No mesmo instante em que decidi fazer isso, os dois capangas perderam o controle do carro e atravessaram a barreira que impedia que os carros caíssem no penhasco. Parei mais uma vez, mas dessa vez saí do carro e fui até a beira ver o que tinha sobrado do veículo. Olhei pra baixo e vi alguns destroços, e bem mais abaixo o carro que acabara de capotar pegando fogo. Me ajoelhei e me permiti chorar. Não chorar por acabar de presenciar um carro cair de um penhasco e carbonizar dois sequestradores, mas sim por estar aliviada em ter conseguido resgatar Sofia.

 

[...]

 

Dirigi até o hospital o mais rápido que consegui, não podia deixar Kendall perder mais sangue do que ela já tinha perdido. Sofi também estava aflita, ela não parava de me perguntar se Ken ia sobreviver, e felizmente minha resposta era sim a todo momento, já que ela havia levado um tiro no braço. Não que não seja perigoso, só não é como um tiro no coração. Chegamos ao South Miami Hospital, o melhor hospital de Miami. Kendall e sua família tinham uma vaga especial no estacionamento já que eram uma das famílias mais ricas daqui, os Kardashians esbanjavam dinheiro. Assim que saí do carro, comecei a gritar para que me ajudassem já que minha amiga ainda estava inconsciente. Logo 4 enfermeiros chegaram com uma maca e prontamente a colocaram e a levaram para a sala de cirurgia. Minha preocupação agora era ligar para Sinu e avisá-la que Sofi estava bem. Também precisaria ligar para o meu pai e pedir que ele viesse, juntamente da polícia e dos agentes do FBI para explicar o que havia acabado de acontecer. Pedi para um dos enfermeiros de confiança da família Kardashian, Bradon, fazer a ligação e avisar sobre Kendall, e que eu estaria aqui até que eles chegassem. Não estava com cabeça para ouvir a madame Kris ter um chilique e falar que eu era má influência para Kendall. Usei o telefone do hospital e disquei o número do meu pai, já que ele estava na casa das Cabello, eu iria matar dois coelhos numa cajadada só.

 

Ligação on

 

—  Alô? Papa?

—  Lauren? Filha, graças a Deus! Já tá quase amanhecendo! Cadê você? Você ainda não é maior de idade, ainda nos deve explicações!

—  Papa, eu preciso que o senhor fique calmo, e se puder vai pra um lugar sozinho.

—  Você está me assustando, Lauren Michelle.

—  Por favor papa, é importante!

—   Tudo bem... - A linha ficou em silêncio por  alguns segundos - Pronto! Agora se explique!

—  Tá! Papa...eu e Kendall fomos atrás dos caras que sequestraram a Sofi.

—  VOCÊS O QUE?

—  Papa não grita, por favor!

—   Eu não acredito que você arriscou sua vida Lauren...você tá muito encrencada!

—   Tá bom, tá bom, dá pra falarmos do meu castigo depois? Preciso que traga a Sinu aqui...nós a achamos papa, nós achamos a Sofi!

— Vocês a encontraram?  Meu Deus, Sinu vai morrer de felicidade!

—  Eu sei que sim, e a Camz também! Mas traga somente minha sogra, papa...quero fazer uma surpresa pra Camz.

— Pode deixar! Aonde vocês estão?

— Awn... - Hesitei um pouco na hora de falar - No South Miami Hospital.

— HOSPITAL? ACONTECEU ALGUMA COISA COM A SOFIA?

— Não papa, foi com a Kendall. Venha logo pra cá,  traga algum colega seu e peça pra que alguns policiais passem pelo penhasco na saída de Miami.

—  O  que vocês fizeram?

—  Só vem, papa. Te explico tudo aqui! 

Ligação off

Desliguei sem deixar meu pai responder e fui para a sala de espera junto de Sofi. Agora só nos restava esperar.

 

[...]

 

  —  O QUE VOCÊ FEZ COM A MINHA FILHA, SUA DESMIOLADA? - Kris Kardashian, a matriarca da família, gritava a todo vapor comigo - ELA ESTÁ EM UMA SALA CIRÚRGICA NESSE EXATO MOMENTO RETIRANDO UMA BALA DO BRAÇO POR SUA CAUSA!

  —  Mãe, vai com calma. Lauren não teve culpa, foi um acidente. - Kylie, umas das irmãs de Kendall que já estava na faculdade, tentou acalmar a mãe.

 —  COMO NÃO? ELA FOI PRA CASA DESSA GAROTA E AGORA TÁ SENDO OPERADA POR CAUSA DE UM TIRO! EU VOU PROCESSAR VOCÊ E SUA FAMÍLIA! EU VOU EXPOR VOCÊS!

—  Fica calma sogrinha, ela não teve culpa em nada mesmo. - Foi a vez de Cara tentar acalmar a fera - Segundo a história que a Laur contou, a Ken quis ajudar em tudo isso. Ela vai ficar bem, aqui é o melhor hospital, tem os melhores cirurgiões do país.  

—  Eu vou tentar me acalmar Cara, mas...se minha filha ficar com alguma sequela, a exposição vai ser grande!

 

Eu já estava a ponto de soltar alguns palavrões quando meu pai adentrou o hospital com minha sogra, Julian e um colega do departamento do FBI. No mesmo instante, Sinu saiu correndo aos prantos e pegou Sofia no colo e a apertou o mais forte que pôde. Eu sorri. Meu pai se aproximou com seu amigo e me levou para um canto, claro, ele queria saber de todos os detalhes. Conntei detalhe por detalhe à eles, sem esquecer de nada, desde o momento em que fomos até o galpão até poucos segundos atrás.

 

—  Você e sua amiga não deviam ter feito isso! - O amigo do meu pai falava isso a cada 5 minutos de conversa - Contudo, a polícia e o FBI tem um débito com vocês. Estávamos atrás daqueles dois há anos. São de uma espécie de '' máfia '', sem contar que são do tráfico também. Vocês duas teriam futuro na nossa equipe.

—  Tudo bem, Tom. Deixe minha filha fora de suas ladainhas sobre o nosso departamento. Vamos embora Lauren, sua mãe e sua namorada devem estar uma pilha de nervos. Até depois, Tom.

—   Até depois, Tom. - Falei educadamente dando uma piscadela.

—  Até logo menina, e pense no que eu falei...vocês duas tem futuro conosco.

 

Saí dali pensando nas palavras dele...será que ele realmente estava falando sério?

 

[...]

 

Seguimos rumo a minha casa e eu só conseguia pensar em como minha Camz ficaria ao ver Sofia sair do carro. Contei todos os quarteirões até chegarmos na casa dela. E lá estava minha namorada, sentada na varanda, cabisbaixa e com uma expressão de cortar o coração, mas que logo seria substituída  por uma felicidade imensa. Assim que meu pai parou o carro, Camila lançou um olhar curioso sobre nós, e um sorriso logo se formou em seu rosto, assim como lágrimas brotaram no momento exato em que Sofi abriu a porta do carro.

 

—  KAKIIIIII!

— SOFI! SOFIA! - Camz gritava enquanto corria para abraçar a irmã - MEU DEUS, MUITO OBRIGADA!

 

Sinu se juntou ao abraço e a família ficou completa...ou quase. A própria Sofia puxou Julian para junto delas e agradeceu por ele ter cuidado da minha sogra nesse tempo em que ela tinha sumido. Chorei muito ao ver tudo aquilo, foi a cena mais linda que eu já presenciei!

 

—  Sofi? - Minha irmã saiu da casa após toda a movimentação, e eu diria que o sorriso que ela deu foi quase maior que o de Camila - Sofi, você voltou!

—  Tay! - Sofia caminhou até minha irmã, parou à sua frente, sorriu e a beijou no rosto, deixando  minha irmã mais vermelha que um pimentão - Eu voltei Tay, eu voltei pra você!

 

Taylor imediatamente a abraçou.

 

—  Eu senti tanto a sua falta! Não me deixe nunca mais!

—  Não vou, eu prometo!

 

Embora meu instinto de irmã gritasse pra ficar com ciúmes, eu não consegui. Senti dois braços me abraçarem por trás, e um frio percorreu por minha espinha no momento em que Camz beijou meu pescoço. Cada toque dela me levava à loucura!

 

—  Você cumpriu com sua promessa. Você trouxe minha irmã de volta, Lo.

—   Eu te disse meu sol, eu te prometi não foi?

 

Começamos a nos beijar. Os lábios dela eram mais doces que morango, e isso me deixava nas nuvens. Dois anos haviam se passado mas eu ainda conseguia me apaixonar por ela todos os dias.

 

—  Chris! Chris, meu filho! Volte! - Meu pai gritava enquanto meu irmão entrava em seu carro.

—  O que houve papa?

—  Contei pra ele sobra a Kendall, ele foi atrás dela.

—  O que aconteceu com a Ken? - Minha namorada perguntou.

—   Vem amor, eu te explico.

 

[...]

 

—   E foi isso! 

—   Vocês duas arriscaram suas vidas pela Sofi? - Maais uma vez Camila começou a chorar.

—   Awn sim...amor, não chora. Hey! Tá tudo bem, ela tá aqui na sua casa agora, ela tá salva.

—   Eu sei Lo, mas é que só de pensar que você foi capaz disso por ela...por mim!

—   Sou capaz de muito mais pra te ver sorrir!

—    Eu te amo!

—    Eu também te amo, boo!

 

Novamente começamos a nos beijar, e a cada toque de seus lábios o meu corpo ia ficando mais quente. A deitei na cama e subi sob seu corpo quente. Tirei sua blusa e comecei a distribuir beijos por toda a extensão de sua barriga até chegar em seus seios cobertos por uma fina renda branca. Abri o fecho daquela peça e a retirei com delicadeza de seu corpo. Massageei um de seus seios enquanto que, com a outra mão, me apoiei na cama. Usei a boca e suguei seu mamilo livre com toda a vontade. Subi meu olhar para seu rosto, e percebi que ela me observava com um olhar doce.

 

—   Se você quiser eu paro. - Me afastei um pouco.

—   Nem pense em parar Lauren Michelle Jauregui Morgado! - Ela me puxou de volta - Hoje eu quero ser sua mais uma vez, e quero que seja minha também!


Notas Finais


Arribaaaaa! O que acharam? Deixem suas opiniões que isso importa muito pra gente! Tem twitter? Segue a gente lá: cuteallyolandah e 69comJauregui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...