História Made to Destroy - Capítulo 9


Escrita por: ~

Exibições 167
Palavras 1.063
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Científica, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu não sei o que dizer aqui :'v Só tenho um aviso sobre o Errory-kun: ELE NÃO TEM HAPHEFOBIA NESTA FIC, ENTÃO PORRA COM OS Q ESTÃO CONTRA ISSO (sqn askldjaldjsa)
O capítulo tá pequeno, eu sei, mas teria mais se eu não tivesse perdido uma parte BEEEM grande do cap :'). Isso foi muito doloroso, por causa disso pois eu esqueci o q tinha escrito :'3 (memória de peixe é mt boa :D -q). Espero que tenha ficado tão bom como a parte que eu tinha perdido xD.

Então aproveitem e tenham uma boa leitura ^-^

Capítulo 9 - Acontecimentos


A voz do destruidor que ecoava na cabeça de Ink rapidamente foi substituída pelo nome do mesmo ressonando pela mente do primeiro. O seu nome parecia atrair Ink de alguma maneira, porém o próprio não entendia como e porquê.

Ink continuava a debater-se contra os fios azuis do destruidor, porém sem sucesso algum. O destruidor, Error, assistia divertido as tentativas falhadas de Ink ao tentar escapar dos seus fios, cujo também parecia nervoso com a situação.

Ink, enquanto se debatia, reparou que Error encarava a sua alma colorida, parecendo pensativo sobre alguma coisa, porém rapidamente levantando a cabeça para fitar Ink, tendo ainda o mesmo sorriso maníaco de antes. 

  - Heh, eu me pergunto como se tornou um criador. Afinal, você é um completo idiota, contando que nem se consegue defender. - Error falava com um tom de deboche - Imagina tentar defender as suas criações de algum evento terrível. Patético. Que idiota iria deixar você ter controle sob universos se nem a si mesmo consegue salvar? 

O que Error falara para ele, surpreendentemente, o fazia sentir raiva e tristeza ao mesmo tempo. Raiva ele entendia o porquê de sentir isso, ser caracterizado de coisas que o próprio não era seria compreensível, porém tristeza. O porquê do menor sentir aquilo era, no mínimo, estranho.

Depois de bastantes tentativas, Ink parou de se debater, sabendo que seria impossível escapar dos fios azuis de Error, cujo ainda tomava atenção de modo divertido aos esforços inúteis de Ink. Lentamente, Ink abaixou a cabeça, vencido. Ele tinha perdido a sua determinação para continuar a lutar. 

Risos. Era o que ouvia da parte do destruidor, estando o mesmo com a alma de Ink entre as suas mãos com o seu sorriso que assustaria até o mais corajoso do subsolo.

- Eu até que acabaria com você neste exato segundo, mas assim a nossa brincadeira deixaria de ter graça. - Comentou ele após de parar de rir, falando com o mesmo tom calmo que primeiramente tinha.

Ink, quando compreendeu o que Error falara, levantou o seu crânio com medo espalhado pelo seu rosto. O que esse destruidor queria dizer com "brincadeira"?!

- O que quiseste dizer com isso?! - Falou Ink com medo na voz, sendo o mesmo notado por Error, cujo se estava divertindo ainda mais com a situação. O menor sabia exatamente o que o destruidor mencionava com aquela sentença, tendo o seu nervosismo a dificultar a tentativa de manter a calma, baixando a sua cabeça para se tentar a acalmar, o que não estava a correr como o esperado.

Error se aproximou de Ink lentamente, estando o segundo com receio o que poderia acontecer a seguir. Quando se acercou o suficiente de Ink, pegou-lhe no queixo com um dos dedos livres, obrigando Ink a encarar a face de Error.

- Completamente patético. Pensei que serias um osso duro de roer, mas acho que as minhas expectativas foram altas demais, heh. - Depois de se pronunciar, se teletransportou para longe de Ink, cortando os fios que amarravam o mesmo logo de seguida, fazendo Ink se espatifar no chão, sentindo a sua alma retornar para si. - Próxima vez, não terei piedade.

Com a sua caída repentina, ficou sem se movimentar por, pelo menos, um minuto, sem qualquer reação, até se dar conta do que tinha acontecido, se levantando rapidamente, porém tombando novamente devido à urgência com que o fez.

Quando Ink conseguiu se levantar, olhou para todos os lados esperando se encontrar com o destruidor na sua frente, mas nada. Ele se tinha ido embora, sem nenhum rasto de magia deixado para trás. Ink sentia-se nervoso e assustado com o que tinha acontecido naquele momento, especialmente pelas intenções do destruidor. 

Ink, enquanto vasculhava todos os cantos com os seus olhos, avistou o seu pincel. Rapidamente foi até ele e pegou o mesmo, fazendo um portal direto para ao seu quarto com toda a sua velocidade. O que se tinha passado ali teria de ser investigado por ele e Dream, e teriam de assegurar a proteção de todos os universos que tinham sido  criados por ele, não se esquecendo de Reboot, também teria de avisa-lo, já que era um criador.

Ink foi até à estante do seu quarto e vasculhou por aquilo que precisava no momento. Passado alguns segundos de procura, encontrou o livro que explicaria aquilo que tinha de saber. Ele abriu o livro e, logo se deparou com páginas brancas, contendo também algumas rasgadas. 

Estranho, pensou ele. Toriel o teria avisado se o livro estivesse em tais condições. Ela não faria tal brincadeira com Ink, certo?

Aos poucos e poucos, o menor fechou a obra que tinha nas suas mãos, estando com raiva a percorrer a sua alma naquele momento. "Se Toriel teve a coragem de lhe fazer tal coisa, ela v-... Não, Ink. Aconteceu alguma coisa, e com certeza não teria sido ela a realizar isso", continuou ele a pensar para si mesmo, com o punho esquerdo cerrado.

Ink, sem a mínima paciência, jogou o livro para o outro lado do quarto. Aquele acontecimento poderá ter sido causado por Error, porém como é que o faria se esteve com ele naquele momento? Reboot falara de um outro destruidor, mas era só uma suposição! Bem, ele poderia estar correto de alguma forma, não se podia dizer que a especulação de Reboot estava incorreta, portanto, não poderia descartar a hipótese de haver outro destruidor.

Ele poderia ir até Reapertale e conversar com Toriel sobre o que tinha acontecido entre ele e Error e o livro que lhe oferecera um dia atrás, no entanto, Ink não queria importuna-la durante a noite. Porém, ao mesmo tempo, o mesmo queria comunicar o problema que ocorrera.

"Será melhor eu falar com ela neste exato momento", pensou ele já se preparando para criar um diferente portal para, desta vez, Reapertale. O sono que o consumia minutos atrás desaparecera desde que tinha sido aprisionado nos fios azuis do destruidor, e, agora, não tinha a mínima vontade de se arriscar a adormecer com 2 prováveis destruidores à solta. Teria de achar uma possível maneira de acabar com aquela situação, tendo no plano, mesmo que seja contra às suas normas, engaiolar o destruidor - ou os destruidores - no Anti-Void .

Porém, uma pequena sensação circulava a sua pequena alma, como se lhe dissesse que aquilo não seria o correto a fazer. O que significaria? 


Notas Finais


Espero que gostem ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...