História Madness - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Jenna-Louise Coleman, Originais
Personagens Jenna-Louise Coleman, Michael Clifford
Tags Drama, Jenna Coleman, Madness, Michael Clifford, Romance
Visualizações 33
Palavras 582
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E ai galeris, tudo bom com vocês? Espero que sim! Então, eu já escrevi muitas fics antes, mas já faz tempos e foram muito aleatórias. Acho que não é muito diferente dessa, mas o enredo que tenho na minha cabeça é interessante e espero que vocês achem isso também. O nosso personagem principal, Alexander Burnfield (Michael Clifford) vai ser meio que inspirado no Charlie Pace (personagem da série Lost) e a Destiny Snow (Jenna Coleman) tem alguns traços da Clara Oswald, que é personagem da própria atriz em Doctor Who. Enfim, espero que gostem e boa leitura!!

Capítulo 1 - The Drugs


P.O.V ALEX

Coloquei meus fones de ouvido e adentrei o trem com certa pressa. Por alguns dias, eu realmente achei que poderia superar meu vício, mas eu estava errado. Aquilo só me deixava ansioso por mais. Eu precisa me drogar.

Comecei a batucar meus dedos em minhas próprias pernas  assim que resolvi me sentar. Eu precisava encontrar Henry, o cara que me fornecia as malditas drogas. Eu estava parecendo um louco, a minha sorte era que haviam apenas quatro pessoas além de mim naquele trem. Comecei a mexer minhas pernas descontroladamente, era como se eu não possuise controle algum sobre meu corpo. Eu estava suando, pelo menos estava com um calor insano e sentia meu rosto praticamente queimar. Olhei para o lado e uma garota baixinha e morena desviou o olhar quase que de imediato, aquilo só fez com que minha ansiedade aumentasse. Coloquei o capuz de meu moletom e abaixei um pouco minha cabeça, deixando-me levar pela música que ecoava em meus ouvidos, consegui me distrair por alguns segundos, até finalmente chegar ao meu destino. Levantei e caminhei apressadamente até a saída e a mesma garota morena esbarrou em mim, aquilo até parecia proposital. Esbocei um leve sorriso para que a mesma seguisse seu caminho, mas isso não aconteceu.

- Desculpe. Eu tô meio apressada. – Justificou e apenas assenti ainda com um leve sorriso no rosto, suplicando para que fosse o suficiente, mas não foi simples assim. – Você está bem? Está pálido, suando...

- Eu estou bem. Obrigado. –Interrompi simplesmente e apertei meus passos, sem ao menos olhar para trás, eu não precisava me explicar para ninguém, não agora.

[...]

Depos de caminhar um pouco, bati na porta do novo endereço que Henry tinha me indicado, aquela casa parecia ter no minímo a idade da minha bisavó (se ela ainda estivesse viva), após bater algumas vezes na porta, a figura que já era familiar, estava bem a minha frente e parecia cada vez mais péssimo.  

- Eu vim... – Percebi minha voz falhar e resolvi tentar de novo. – Eu vim por aquela parada.

- Parada? Você quer dizer... A droga? – Ele sorriu preguiçosamente e assenti, ele riu. –Você tem vocação pra isso, garoto.

Pra que? Ser um drogado?

- Muita gente não dá conta do recado, mas você... Nasceu para ficar doidão. – Disse, como se estivesse lendo minha mente.

Enquanto a voz de Henry se distanciava, fiquei parado no meio da sala de estar, observando aquele local que mais parecia um verdadeiro lixão. As paredes estavam descascadas, o teto parecia que ia desabar a qualquer momento e havia cerveja, cigarro e muita maconha espalhadas pelo sofá e até mesmo pelo chão. O cheiro daquele lugar também não era muito agradavél.

- Aqui está. Pegue o quanto quiser, só espero que tenha dinheiro o suficiente. – O Velho Henry jogou a caixa já aberta em cima do sofá e fiquei por alguns segundos encarando-a.

- Eu vou levar tudo. – Falei, decidido, quebrando o silêncio. Peguei o dinheiro da minha mochila e joguei em cima do sofá. Afinal, quanto mais eu levasse, mais evitaria voltar à esse lugar. Não que não gostasse de Henry, ele apenas sempre teve um péssimo gosto quando o assunto era morar bem.

O grisalho sorriu pra mim e assim que acabei de colocar todas as drogas na minha mochila, ele me deu o troco e sai daquela velharia após responder algumas perguntas, como: Sua mãe já sabe sobre as drogas? É, não sabe e eu prefiro que continue sem saber. 


Notas Finais


Henry: http://cimg.tvgcdn.net/i/2013/10/17/6969e9cb-3433-4381-9591-4b206d3a926c/4183fafb890264cb587ede3f373121ce/131017victor-garber1.jpg
E aí? Críticas, sugestões, elogios, etc; são muito bem-vindos(as)
Esse é só o primeiro capítulo, por isso é mais curtinho, se vocês gostarem, trago o próximo bem mais longo
Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...