História Madness Behind The Beauty - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 147
Palavras 2.924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Sweet Innocence


Fanfic / Fanfiction Madness Behind The Beauty - Capítulo 3 - Sweet Innocence

" Eu não sei o que eu quero
Se eu sou completamente honesto

(...)

Você não sabe como dar amor a ninguém
Você não sabe como fingir

(...)
Mas as crianças não querem voltar para casa novamente "

(The Kids Don´t Wanna Come Home - Declan McKenna)

Deixei minha cabeça relaxar no assento acolchoado da banheira , eu me sinto completamente destruída tanto  corpo , mente e alma. A água quente da banheira me ninava, me dando vontade de adormecer naquela banheira. Soltei meu cabelo do coque e me submergi para molha-lo.

A agradável sensação de não ter nenhuma responsabilidade por alguns minutos era maravilhosa, pena que passageira . A espuma da banheira estava com uma tonalidade azulada  graças a bomba de sal de banho de mirtilo . Sinto que eu deveria contar mais sobre mim pra vocês mas vocês não tem ideia de como é extremamente chato e narcisista falar sobre mim mesma em terceira pessoa.

---------------------------------------------------------------

*** 28 de novembro de 2002 - São Paulo ***

Eu abri os olhos , uma luz branca brilhante e ofuscante estava sobre mim  me fazendo piscar com dificuldade, eu ouvia murmúrios ao meu redor. Sentia algo preso ao meu nariz, soprava ar gelado dentro do meu nariz, podia sentir esse mesmo ar gelado procurando meu pulmão enquanto descia pela minha traqueia. 

Eu mal sabia onde estava , mal me lembrava do que tinha acontecido , mal sentia meu corpo . Em poucos segundos vieram os flash de memória . Árvores correndo. As nuvens chorando. O para-brisas quebrado. Os gritos da mamãe. Sangue por todo lado .

— Bom dia Isabelle — Uma voz doce e desconhecida me cumprimentou, era uma das vozes do murmúrios.

— Onde estou ? — É lógico que eu tinha que fazer aquela clássica pergunta.

— No hospital , você e seus pais sofreram um acidente — Ela me informou, ela deveria saber dosar informações pra um criança de 4 anos — Eu sou a doutora Andrade — Se apresentou 

— E onde os meus pais estão ? — Oh , doce inocência 

— Eles estão descansando, querida — Não era de fato mentira , mas escondia bastante da verdade. Não foi a doutora Andrade que havida dito,  era uma voz familiar, uma voz que só ia pra casa se fosse algo muito especial ou algo muito terrível e eu tinha visto a dona da voz há não muito tempo.

Tia Julie.

Ela se aproximou da cama onde eu estava e ajeitou uma mecha do meu cabelo que não estava mais preso em marias chiquinhas, seu rosto estava esboçando um imenso sorriso, mas seu rosto pintava outra imagem, estava vermelho e inchado , com grandes olheiras roxas e bolsas abaixo dos olhos, seus cabelos loiros curtos  normalmente bem ajeitados , podiam ser comparados com um ninho de passarinho.

— Você vai ficar bem, Belle  — Prometeu citando o apelido criado pela mesma deixando lágrimas escorrerem, eu apenas assenti me dando o luxo de fechar os olhos por alguns segundos e acabar por adormecer novamente.

------------------------------------------------

*** Dias atuais ***

— Eu amo feriados  - Murmurei rolando na minha cama king size para poder observar o despertador marcado em 12:52 . Me espreguicei preguiçosamente soltando um longo suspiro. Eu poderia dormir mais se quisesse, mas parece que toda vez que tenho uma oportunidade de dormir até 20:00 da noite , meu corpo ignorava. E eu precisava ir a casa dos meus tios 

É Ação de Graças , fazer oque ?

Me levantei sem pressa alguma e fui ao banheiro apenas pra escovar os dentes.  Sai do meu quarto indo em direção a cozinha . Tinha um bilhete na geladeira

 Eu e a Emma fomos tomar café fora 

Alimenta o Marlon e a Luna

Chegamos 13:30 

Se você não estiver pronta, até esse horário 

A sua ceia de ação de graças vai ser comida congelada ou inventar algo bem criativo com legumes quase vencidos.

                                                  - Evan 

É ótimo  saber que os dois estão cagando pra mim em plena ação de graças. Joguei o pedaço de papel no lixo, puis comida aos dois cachorros  e abri a geladeira.  Realmente temos que fazer compras pra casa, havia alguns vegetais, dois sucos de caixinha, comida congelada e as duas tortas que preparamos a muito custo ontem, de maça e noz pecã.

Fechei a geladeira frustrada, agarrei uma maça verde  na fruteira e mordi. O jeito era esperar até a ceia. Voltei pra meu quarto me jogando na cama e pegando meu celular .

Ligação Perdida  Hai, a rainha da minha vida — 12:35

Eu realmente não posso deixar meu celular desbloqueado perto da Hailee, apertei em retornar ligação e coloquei no viva voz indo em direção ao closet.

 Feliz dia de ação de graças —  Ela berrou ao telefone e revirei os olhos soltando uma risada

 Feliz dia de ação de graças, Hailee  Respondi procurando minha saia xadrez na infinita bagunça que é meu closet. 

 Que desanimação —  Ela reclamou fingindo estar magoada  Eu ligo toda animada e você me responde com toda essa frieza — Debochou frustrada 

—  FELIZ AÇÃO DE GRAÇAS, CARIBE —  Gritei pegando uma roupa de baixo limpa

—  Assim está melhor , mas não me chama de Caribe, meus pais não tiveram a menor dó ao me dar o nome do meio de uma ilha —  Resmungou me fazendo rir — Te amo, mãe —  Ela gritou  e jurei ouvir um murmurio de xingamento ao fundo.

—  O meu nome inteiro não cabe em uma abertura de série, para de reclamar —  Mandei jogando meu tênis pro meio do quarto 

—  Está destruindo a casa por acaso ? Evan ainda não aprendeu a não te deixar sozinha —  Debochou 

—  Vai fazer algo construtivo, Hailee —  Mandei pegando o moletom  do homem aranha que Tom havia me dado, talvez ele seja um pouco narcista, eu sei —  Eu estou me arrumando pra ceia de ação de graças —  Expliquei pegando o celular e levando em direção ao banheiro, colocando o aparelho na pedra de mármore. 

—  Minha mãe está tentando assar um peru, e é por isso que meu tio está preparando outro na garagem —  Ela debochou me fazendo rir, pude ouvir  o som de um tapa estalado e sabia que tinha sido a  tia Cheri.

—  Fala que eu mandei um oi —  Mandei prendendo o cabelo em um coque

—  A Belle mandou um oi —  Ela gritou e ouvi um murmurio longo ao fundo —  Ela mandou eu desligar o celular e ir fazer o molho de cranberry , e um oi —  Informou

— Vai com tudo cozinheira, cuidado pra não queimar nada  —  Disse rindo 

—  Tchau Olivia —  Ela disse meu nome do meio me fazendo revirar os olhos

—  Tchau Caribe —  Despedi e logo apareceu " Ligação Encerrada " na tela

Coloquei no Spotify, pondo na minha playlist pra banho , intitulada " Sha-Sha-Shower " , não me julguem , foi Shawn que colocou esse nome. 

Eu não posso deixar meu celular desbloqueado perto dos meus amigos 

Enquanto me despia, o som de Rockabye- Clean Bandit ft. Sean Paul & Anne Marie começou a ecoar pelo banheiro, fui até o chuveiro dançando ao ritmo da música. Abri o chuveiro cantando o refrão, deixei a água quente escorrer pelo meu corpo , um sensação muito pacífica e revigorante . 

Não podia demorar, então tomei um banho rápido e sem aproveitar a deliciosa sensação de relaxamento que a água proporcionava . Enquanto me enrolava na toalha,  Blow Your Mind ( Mwah) - Dua Lipa  começou a tocar , de um modo quase que cômico, vesti minha lingerie rapidamente e peguei uma escova de cabelo improvisando meu microfone. 

Cantei a música animadamente e aos berros com direito a passos maravilhosamente improvisados. Quando a música acabou eu estava de joelhos na minha cama segurando minha escova\ microfone pra cima . 

É eu me animo com as músicas

Voltei ao banheiro , e vesti minha saia e o moletom , penteie meu cabelo , que havia ganhado alguns nós a mais pela minha dança ,  voltei ao quarto mais uma vez e coloquei o tênis.  Não estou com a menor paciência pra fazer uma maquiagem decente , então vamos ao meu melhor amigo , óculos de sol que cobrem metade da minha cara e um hidratante labial com cor pra eu não parecer mais branca do que já sou .

Peguei apenas um relógio e uma pulseira de acessórios , pra mim óculos são parte de mim , não acessórios. Joguei meu carregador, um espelho pequeno , o hidratante labial e o meu clássico álcool em gel na minha bolsa e fui em direção a sala .

Sim , álcool em gel . Porque ? Perguntem a Chloe Moretz 

Ok,  não serei tão malvada, durante as gravações de Vizinhos 2 , em um cena nada agradável de ter sido gravada , a Chloe sem querer vomitou nas minhas mãos . 

E bem .... eu fiquei traumatizada. 

Fui até a geladeira e peguei as tortas pondo em cima do balção 

Joguei chaves , meus documentos e os do Evan, por que ele vai fazer 30 anos e  eu sou a mais responsável, também na bolsa e sentei no sofá esperando o casal. 

—  Eu espero que você esteja pronta , não vamos esperar  vo.. —   A sentença de Emma morreu ao me ver no sofá —  Que sem graça —  Ela resmungou 

— Me ofende que vocês duvidem da minha capacidade de me arrumar — Afirmei abaixando o óculos da minha cabeça pros olhos 

— Não se sentiria ofendida se fosse  você a nos esperar — Evan afirmou me fazendo revirar os olhos 

------------------------------------------------

— Evan, Isabelle, Emma ! — Tia Julie saudou com um grande sorriso, e um abraço mais apertado ainda.

— Mãe — Evan a apertou ainda mais no abraço, sufocando eu e Emma ainda mais nesse processo carinhoso

— Socorro Jesus Cristo — Murmurei sem ar e Tia Julie nos soltou.

— São os culpados dessa reação — Ela acusou

— Por que nos somos culpados ? — Questionei me fazendo de desentendida deixando minha bolsa no pendurador.

— Porque ambos não vieram visitar durante o fim de gravações — Michelle informou saindo da cozinha com um avental um pouco sujo e seus cabelos lisos, castanhos e longos presos em um coque desajeitado e com resquícios de farinha — Agradeço por lembraram que a irmã mais nova de vocês existe - Ela reclamou com um sorriso irônico.

— Exagerada  — Evan afirmou a abraçando

 — Nunca te esqueceríamos, é a caçula, nosso brinquedo de encher o saco e empregada pessoal — Afirmei bagunçando ainda mais seu coque se fosse possível.

— Muitos pretendentes ? — Ela ergueu as sobrancelhas em questionamento claramente fazendo da pergunta um deboche.

— Calada Michelle — Ordenei empurrando ela que riu da minha reação, um clássico ritual de reencontro de irmãos Peters.

— As estrelas da família chegam e ninguém nota minha existência, eu nem tento mais — Andrew reclamou da porta, que continuava aberta por sinal.

— É minha característica ser dramática, não sua — Acusei o abraçando, ele me sacudiu pelos ombros me fazendo revirar os olhos.

— Eu ainda não entendo como a Emma pode namorar um cara como o Evan, é bizarro — Andrew debochou cumprimentando a loira com um abraço.

— Eu tenho um péssimo gosto — Emma o respondeu rindo.

— O maior otário da família — Andrew anunciou encarando Evan, sabia bem oque viria a seguir.

— Jamais roubaria esse título de você — Evan retrucou, os dois se encararam por alguns poucos segundos antes de se lançarem um no outro pra um abraço fraternal.

— Senti saudades, babaca —  Andrew admitiu se soltando da massa.

— Eu também, estúpido —  Evan o respondeu, sempre um clássico ato de amorosidade do irmãos Peters. 

— Eles crescem e se esquecem do pai que sempre cuidou deles — Tio Phil anunciou saindo da sala de estar e vindo em nossa direção, corri pra abraça-lo.

— Tio Phil — Proclamei 

— Isabelle —  Ele riu retribuindo o ato e me respondendo no mesmo tom.

— Com licença, Isabelle —  Evan e Andrew me arrancaram do abraço, me jogando no canto com a indignação estampada na minha expressão.

— Isso é toda vez , não sei como ainda não se acostumou — Michelle comentou e revirei os olhos deixando o assunto de lado

— A ceia já está pronta ? O Evan me deixou sem comida em casa — Perguntei indo em direção a cozinha e deixando meu óculos sobre a mesa no hall de entrada antes que meus tios começassem a reclamar de como os " Hollywodianos " tinham frescuras como usar óculos de sol dentro de casa.

— O peru está quase pronto,  trouxeram as tortas ? — Tia Julie questionou me seguindo com medo que estragasse sua ceia de Ação de Graças. 

— Estão no carro e como sempre fui eu quem lembrei — Disse enfiando o dedo no molho de cranberry e levando até a boca, o experimentando, recebendo um tapa na mão da  minha tia — Isso doí — Reclamei acariciando o lugar que assumiu uma coloração avermelhada.

— Você sabe muito bem que isso azeda o molho — Ela repreendeu tirando o molho de cima da ilha da cozinha e levando pra longe de mim antes que eu tentasse outro atentado contra ele.

— Eu estou com fome, acho que morreria de fome se dependesse do Evan pra cozinhar — Disse sentindo o cheiro convidativo e delicioso de batata-doce caramelizada misturada ao purê de inhame.

— Agradeço a consideração, Olivia — Evan protestou do corredor insistindo em usar meu nome do meio.

— De nada, Thomas — Retruquei raspando uma panela de purê de inhame.

— Emma, poderia ajudar a Isa a arrumar a mesa ? — Tia Julie pediu , até parece que ela era tão doce e adorável quando eu morava com ela . Me levantei obrigada indo até o armário e pegando os pratos

— Otária — Andrew zombou de mim e eu sorri pra ele agradecendo por me livrar da tarefa

— Andrew me xingou — Protestei sua expressão felizarda murchou. 

— Parabéns, acaba de assumir a tarefa da Isa — Tia Julie mandou me fazendo passar os pratos pra ele.

— Mas mãe ... — Ele tentou protestar me encarando com um profanado ódio.

— Nada de mais — Ordenou se virando e fazendo outros preparativos 

— Se lascou, estúpido — Evan zombou com um sorriso aberto e satisfeito antes de Tio Phil cortar sua onda.

—  Evan vai ajudar também pra aprenderem a se portar como gente — Tio Phil debochou batendo nas costas dos mais velho que revirou os olhos soltando um longo suspiro indo atrás dos talheres

--------------------------------------------------------------------

— É hora dos agradecimentos — Tia Julie anunciou acendendo a vela do meio da mesa, unimos nossas mãos em sinal de união — Eu começo —  Anunciou tomando a mão de Tio Phil e Andrew — Agradeço pelas benças que o Senhor tem me dado e sou grata por ter uma família linda,  filhos maravilhosos, uma sobrinha maravilhosa,  marido maravilhoso, uma nora maravilhosa e uma vida de que nunca pude reclamar —  Ela disse, em seguida vinha Andrew, Michelle, Tio Phil, Emma e Evan e finalmente era minha vez

Afinal pelo oque eu era grata ? 

Ação de graças era uma data complicada pra nossa família, meu pais tinham..... falecido próximo a data. Mas especificamente depois de 6 dias.  

— Agradeço pelas benças do Senhor, sou grata por meus primo\irmãos, por meus tios que sempre cuidadosos, grata por meus amigos que sempre estiveram por mim, pela minha cunhada que já é família e por meus pais, que Deus os tenha —  Agradeci sentindo um flash de memória me atingir

--------------------------------------------------------

*** 24 de novembro de 2002 - St.Louis, Missouri ***

— Tchau Jorge — Tia Julie abraçou meu pai enquanto eu aguardava ao lado táxi, queria poder dito pra ela não ter deixa-lo ir e abraça-lo até não poder mais, mais isso não aconteceu,  ela se agachou na minha frente dando um leve afago em minha bochecha — Tchau Belle  — Me abraçou suavemente. 

— Tchau tia —  Despedi com um sorriso banguela, mas pequena garotinha, era só um até logo.

-— Tchau Isa —  Andrew e Evan vieram me abraçar, nessa época, Evan tinha onze anos, Andrew nove anos e eu era uma nanica de quatro anos.

— Foi um feriado maravilhoso, espero que ano que vem seja a mesma coisa —  Tio Phil desejou dando um abraço de despedida em minha mãe. Mas não foi a mesma coisa no próximo e nem no outro,  e no outro, e em nenhum que se passaria depois daquele dia.

— Que assim seja — Meu pai proclamou rindo animado com ideia, era bom de mais pra ser verdade 

— Tenham uma boa viagem - Tia Julie desejou abraçando Tio Phil, enquanto entravamos no táxi.

— Tchau — Minha mãe acenou, nossos olhares se cruzaram por segundos e eu capitei a mensagem subliminar no olhar ameaçador dela, eu também devia sorrir mais do nunca.

— Tchau — Assumi um sorriso que não era meu, e acenei como uma daquelas modelos em comerciais de tevê ou em concursos de miss. 

— Sorria mais — Sua unhas cravaram em minha pele,a dor aguçante passou por ele e me concentrei em não chorar, se não, seria pior, então obedeci seu comando sentindo minha bochechas doerem e sentir suas unhas se afrouxando do meu braço mas não o suficiente pra eu parar de sentir a dor.

— Amamos vocês — Meu pai gritou enquanto o táxi ia se afastando da casa em St.Louis no Missouri — Você se divertiu, Isabelle ? —  Ele questionou me tirando das mãos da minha mãe, ele sempre era o herói.

— Sim — Afirmei, não era mentira, talvez tivesse sido uma das memórias mais doces da minha família. 

— Então deveríamos visitar aqui mais vezes — Minha mãe presumiu tentando uma aproximação minha, suspirei fundo me encolhendo pro lado do meu pai.

— Claro — Concordei apertando a barra do meu vestido cor de rosa me focando em parecer feliz.

--------------------------------------------------------

** Dias atuais ***

A lembrança passou pela minha cabeça por alguns segundos, quase vacilei e deixei os talheres caírem, mas me recompus e dei um pequeno sorriso a minha família e carismaticamente disse:

— Vamos comer — Incentivei pegando o purê de inhame.

 


Notas Finais


— Nesse capitulo vocês conheceram um pouco da relação da Belle com a família "adotiva" dela, por assim dizer.
— A mãe da Belle não era tão amável
— E como a Belle ouvir música e tem tendencia em deixar seus amigos escolherem sua playlist e o nome de contato deles.
— Deixarei as aparências dos cachorros e da roupa da Belle abaixo:

Marlon: https://67.media.tumblr.com/0ca8c3b6339cc4be681361f479a9359b/tumblr_mhqroihHhP1rb92cyo1_500.jpg

Luna: http://www.adimaxpet.com.br/system/news/images/000/000/055/display/cachorro-raca-pug.jpg?1406574928

Roupa da Belle: https://uploads.spiritfanfics.com/fanfics/capitulos/201611/madness-behind-the-beauty-7136470-251120162338.png

ESPERO QUE TENHAM GOSTADO, XOXO LIENDOS.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...