História Mãe Aos 17 Anos ~ Livro 2 ~ - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mãe Aos 17!
Exibições 56
Palavras 641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 49 - 49


Fanfic / Fanfiction Mãe Aos 17 Anos ~ Livro 2 ~ - Capítulo 49 - 49

P.O.V. Duda.

Eu e Pedro estamos numa barraca comendo pastel, fazia tempo que não comia um! Chega me deu uma sensação de nascer de novo.

Duda- é melhor a gente ir, ta tarde já.

Pedro- verdade.

Ele pagou a mulher e fomos voltando pra casa, quando um cara chegou na nossa frente e apontou uma arma pra nós, eu gelei na hora.

Assaltante- bora passa tudo se não quiser levar um tiro!!!! Passa logo!!

Pedro entregou o celular e o dinheiro, só que eu não tinha nada pra dar, deixei meu celular em casa.

Duda- eu não tenho nada, eu juro! Se quiser pode me revistar!

Assaltante- ta querendo morrer é?? Passa logo!!

Ele colocou a arma perto da minha caneca, eu já tava chorando desesperada.

Duda- eu juro que não tenho!

Pedro- eu já dei tudo que tenho, ela não trouxe nada, deixa a gente ir!

O cara ia atirar em mim, mas Pedro me empurrou e o tiro pegou no braço dele, eu gritei. Pedro olhou pra mim e disse "eu te amo" antes de levar o outro tiro e cair no chão.

Duda- SOCORRO!!!!

Eu corri até uma viatura que tinha acabado de entrar na rua, os policiais correram e alcançaram o homem, eu tava no chão segurando a mão de Pedro que ainda fava consciente. Eu tava chorando incontrolavelmente.

Duda- não fecha os olhos, fica acordado! Eu tô aqui!

Um dos policiais veio até a gente e chamou a ambulância que logo chegou.

Policial- você não pode ir com ele lá.

Duda- não!! Eu tenho que ir, ele não pode morrer!!

Eu tentei entrar, mas ele me segurou. Eu comecei a gritar que amava ele mais que tudo nessa vida e qua do a ambulância saiu em disparada pro hospital entrei em desespero, eu não sei o que vai ser de mim se ele morrer! NÃO ELE NÃO VAI MORRER! NÃO VAI!!

Duda- Guilherme...

Corri o mais rápido possível até a casa deles e entrei como doida no apartamento.

Vivi- o que foi, Eduarda?? Por que tu tas melada de sangue??

Duda- Pedro...

Eu não co segui falar mais nada.

Vivi- o que aconteceu com ele??

Ela já tava desesperada e começou a chorar.

Duda- ele ta morrendo...

Ela começou a entrar em desespero também e entrou no quarto puxando Guilherme o mais rápido possível. Entramos no carro e eu contei o que aconteceu. Quando entramos no hospital eu não vi ele. Me sentei no chão mesmo e fiquei lá chorando, até Vitória conseguir me levar pra uma cadeira. A gente se abraçou e ficamos lá chorando. Gui tava confortando nós duas, dava pra perceber que por dentro ele tava mais desesperado que nós duas juntas, que tava chorando também, mas se manteve calmo pro bem da gente, pra não nos preocupar mais ainda.

Eu vi o cabelo dele, reconheço da maior distância, corri e Agarrei a não dele, ele já tava desacordado sem a camisa sendo levado pra cirurgia, eu fui agarrada pelo braço e tirada de perto dele.

Enfermeira- você não pode ver ele agora, se tudo ocorrer bem poderá vê-lo mais tarde.

Duda- não!! Eu tenho que ver ele agora!!!! Eu preciso!!

Ela me levou até uma sala e deu instruções à uma médica.

Médica- vou lhe dar um pouco de descanso, deite aqui por favor.

Eu me deitei e ela injetou um calmante em mim que logo me deu sono e me fez dormir.

[•••]

Me acordei com alguma coisa gelada na minha barriga, vi que a mesma médica tava faze do uma ultrasom em mim.

Médica- ah, você acordou, sua amiga me contou que você foi vítima de um assalto, que correu muito. Achei melhor ver se está tudo bem com o bebê.

Duda- está tudo bem com ele?

Médica- está sim, está tudo bem, os batimentos estão OK, tudo nos melhores dos estados.

Duda- ele já saiu da cirurgia?

Médica- não, está sendo uma cirurgia muito dificultosa, quer voltar a dormir? Depois do que passou descanso não é despensado.

Duda- por favor.

Ela injetou novamente o medicamento em mim e eu dormi.

CONTINUA!!!


Notas Finais


😱😱😱😭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...