História Mãe Aos 17 Anos ~ Livro 2 ~ - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mãe Aos 17!
Exibições 63
Palavras 751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 50 - 50


P.O.V Duda.

Me acordei, olhei pela janela e tudo tava escuro do lado de fora, me levantei, sai do quarto, não encontrei nem Vitória, nem Guilherme. Até escutar a voz de Luan numa das salas, entrei e vi Pedro deitado todo cheio de gazes e respirando pela aquela mangueirinha que Hazel Grace usa, também vi os dois sumidos.

Duda- aiin! Ele ta bem!

Luan- fala baixo, ele ta dormindo, e ta descansando.

Duda- ele ta vivo, Luan!

Abraçei ele e comecei a chorar, tava com uma felicidade tão grande dentro de mim.

Vivi- ele foi bem corajoso.

Duda- poderia ser eu ali no lugar dele! Eu que ia levar os tiros, mas ele se colocou na frente da bala por mim! Ele foi bem mais que corajoso!

Gui- por tu e pelo filho de vocês.

Duda- é.

Disse sorrindo e colocando a mão na barriga alisando a mesma.

Vivi- vocês já têm uma boa história pra contar a ele.

Duda- teremos mesmo...

Pedro- onde eu tô?

Ele falou muito fraco.

Duda- ai amor! Não se esforça, volta a dormir, relaxa.

Pedro- quem é você? Quem são vocês?

Nos entre olhamos.

Duda- chama um médico.

Falei pra Vitória, que logo saiu a procura de um médico.

Luan- somos seus amigos.

Pedro- eu não conheço vocês.

Duda- do que tu tas falando, Pedro?

Pedro- quem é Pedro? Quem são vocês? Ai...

Ele se mexeu e gemeu de dor.

Duda- sou eu, Eduarda, tua namorada.

Pedro- eu não... - ele tava tentando lembrar de alguma coisa. - é você! A menina que eu sonhei! Igual.

Duda- que sonho?

Pedro- estávamos em uma rua sendo assaltados e eu me joguei na frente da bala por você.

Duda- não foi um sonho, realmente aconteceu.

Médico- não faça nenhum esforço.

Ele começou a examinar Pedro e pediu que a gente saísse.

Duda- ai meu Deus!

Eu comecei a chorar e Guilherme me abraçou. Será que ele lembraria de mim? Bom, ele lembra, só que somente como um sonho, será que ele lembraria de tudo o que passamos? Do nosso filho que ta por vir?

Gui- calma, Duda, vai ficar tudo bem, ele vai ficar bem, ele é forte pra se deixar abalar por dois tiros.

Duda- ele levou dois tiros e perdeu a memória!! O que vai ser de mim se ele não lembrar de nada??

Gui- ele vai lembrar, ele te ama muito e até sem memoria lembraria disso.

Duda- se ele não se lembrar de mim eu juro que me mato aqui mesmo!

Luan- para de besteira! Eu já perdi uma pessoa importante é muuuito ruim, você nunca vai superar, mas uma hora você conhece outra pessoa, é a vida.

Vitória olharam pra ele com cara de cala a Avoca satanás!!

Duda- não ajudou!!

Luan- desculpa, falei a verdade que ninguém queria dizer. Ele pode morrer a qualquer momento ali! Tu precisa pensar que a amnésia dele é o menor dos problemas! Ele pode construir um futuro novo, ou lembrar aos poucos do que aconteceu! Se matar não é a melhor das opções, acredite, já passei por uma coisa muito pior do que ser esquecido por uma pessoa que amei, e ainda amo, essa pessoa morreu, pensei em me matar? Sim, mas não o fiz porque sabia que tinha muito a viver e que a morte de pessoas amadas seria uma coisa que eu teria que aprender a lidar! E outra tu não só se mataria, tu mataria o teu filho também.

Eu não tinha pensado nisso.

Gui- ela não vai se matar! Ela não é doida a esse pinto, ele vai se recuperar da melhor forma possível!!

Ele me levou até um lugar onde tinha agua e me deu pra beber.

Duda- eu tô com tanto medo.

Gui- fica tranquila...

Ele apertou os lábios segurando lágrimas. Puxei ele até a sala que eu atava e abraçei ele forte.

Duda- chora, vai fazer bem.

Ele começou a chorar ali abraçado comigo, acho que foi a primeira vez que vi ele chorar assim.

Se passaram uns 15 minutos até ele parar de chorar e sair do abraço.

Gui- vamos voltar.

Voltamos e eles já estavam de volta na sala que Pedro tava.

Duda- ele vai lembrar, doutor?

Perguntei ao médico super preocupada.

Médico- sim, 3 só temporário. Ele bateu a cabeça muito forte quando caiu.

Suspeitei aliviada e Guilherme passou o braço pelo meu ombro.

Gui- ta vendo? Eu disse!

Médico- vocês podem voltar para casa, para comer, descansar e voltem mais tarde, vocês merecem depois desse sufoco.

Vivi- verdade.

A mãe dele entrou desesperada no quarto junto com Ricardo, ela já atava chira do, mas qua do viu o filho com vida ficou um pouco aliviada e me abraçou chorando. Fomos pra casa e eu me deitei ora dormir de novo, acho que o único jeito de não enlouquecer com essa situação é dormindo.


Notas Finais


Ele não morreu!!!🙌🙌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...