História Mãe, eu não tenho medo de assombração, tenho medo de humano. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drabble, Homofobia, Ladyakira, Mãe, Original, Tenho Medo De Humano
Exibições 31
Palavras 395
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Famí­lia, Violência
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie.
Esse drabble surgiu quando eu estava escrevendo o capt da minha fic. ^^
Eu gostei do resultado, espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Mãe, eu não tenho medo de assombração, eu tenho medo de humano.    

 

 

 

Lembro-me perfeitamente da senhora me dizendo com sua voz doce, enquanto passava as mãos em meus cabelos tentando me acalmar, que eu não devia ter medo de bicho papão, pois, ele não existia, muito menos apareceria debaixo da minha cama. Eu sempre acreditei na senhora, por isso nunca temi que o bicho papão pudesse pegar o meu pé.

Mas, mãe existe algo pior que qualquer bicho papão, e se chama: bicho homem. Dele eu tenho medo, então eu corro, escondo-me, porém, eles sempre me acham e me machucam com chutes, socos, e principalmente com palavras. E mãe, palavras doem mais que quaisquer agressões físicas, porque elas tocam na essência de quem eu sou.  E essas palavras que, até tentei por anos ignorar, foram me furando, penetrando cada vez mais em mim. E isso me adoeceu.

Eu adoeci de dentro para fora, mãe.
E está doendo muito, eu queria tanto que a senhora estivesse aqui para dizer que eu não devo ter medo, e que vai ficar tudo bem. Porque eu não estou conseguindo ter forças para lutar contra tudo isso, contra todos. Eu sinto que eu sou um grão de areia nesse mar de opressores.

Eu só queria um lugar onde eu pudesse ser eu mesmo sem ser julgado pela minha opção sexual, pela minha forma de vestir, pelo meu jeito de agir.

 Mãe, eu sei que a senhora disse que eu não devia desistir mesmo estando sozinho no mundo, e que um dia eu conseguiria realizar todos os meus sonhos.

Mas, mãe, meus sonhos foram queimados, massacrados e jogados ao relento como o meu corpo que nesta madrugada fria, ainda se encontra estirado nesse chão sujo, fedido, de um beco, onde meu sangue se mistura com resto de bebida e lixos de um restaurante barato.  Que mesmo aberto não saiu uma pessoa se quer para me ajudar, fingiram não me ver.

Ainda que a rua estivesse movimentada no momento da agressão, ninguém parou para me salvar, eles só me olharam como se eu fosse um lixo.

Mãe, eu sinto que a minha vida está se esvaindo cada vez mais de mim, e eu estou feliz, porque além de não ter mais que sofrer com agressões e insultos, eu posso finalmente me encontrar com a senhora em lugar muito melhor que este mundo.

 

 


Notas Finais


o que vocês acharam?




Pessoal, me desculpa a demora na att de Meu Alfa, eu ando muito estressada essas semanas, é prova, trabalho, pessoas que me magoram, tudo junto, então para escrever foi dificil. Porém, eu voltei a fazer o capt aos poucos. ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...