História Mafiatale - Control - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Grillby, Mettaton, Papyrus, Sans, Undyne, W. D. Gaster
Tags Frans, Mafiatale, Mistério, Nyeh, Sarisk
Exibições 28
Palavras 1.045
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Pronto, obrigada pelos 6 favoritos (esse numero é da ultima vez que vi)


Boa leitura e desculpem-me pelos erros

Capítulo 2 - Teste


Chara sorrio com o que acabara de ler. Levantou-se do assento e jogou-se de joelhos rindo alto com que esperava desde o dia que começou a trabalhar, sua alegria era inestimável.

*- HAHAHAHAH, Eu sabia que esse dia ia chegar seus filhos da puta!!!! – Esse comemorava de forma constrangedora deixando os irmãos com vergonha alheia.

*-Chara—O mais velho bufa – Seja culto pelo menos aqui no Grillby’s, não estamos em casa.

Esse levantou-se retornando ao lugar originário sem dizer uma palavra, apenas com um sorriso vitorioso nos lábios para causar deboche ao irmão, aparentando o sucesso de sua intenção. A mais nova que lia os papei que obtinham o destinatário da missão e em que máfia trabalhariam, muitos dados teriam que ser analisado e era algo que não demoraria para acontecer mas a curiosidade da menina retirava-a desse mundo indo para seu próprio onde havia várias duvidas.

*- Frisk, pode atender os clientes por favor, eu tenho que preparar os pedidos dos outros. – Grillby sorrio com lenidade

*-Esse não precisam ser atendidos Asriel.

Os seres encapuzados mostrando apenas os sorrisos impregnados em seus rostos pálidos deixando o mais velho entre os irmãos incomodado fazendo-o apressar os passos  para a cozinha, aparentando que Chara  gostou de como o irmão reagiu.

Sem cerimonia, os clientes adentraram mais o estabelecimento indo para uma parte vip para os clientes de “alto escalão”. Frisk foi até eles e Chara acompanhou essa com a mão onde escondera sua arma, assim querendo garantir a proteção da irmã mais nova que tanto amava.

*-Olá bem vindo ao Grillby’s – A de cabelos achocolatados sorria gentilmente entregando os cardápios—Já querem fazer os pedidos?

Chara encara os clientes de forma denodo, sabendo que qualquer movimento eles  cairiam, e não desejava isso a sua irmã que teve uma vida conturbada . Ela sorria docemente para os senhores que retiravam os sobretudo apresentando os seus ternos elegantes e de marca, os chapeis usando em suas cabeças.

*-Não, obrigado.

*-Eu gostaria de ketchup.

*-Ketchup? Um tanto peculiar, vou ver o que eu faço.

*-Obrigado – O menor entre os clientes segurou a mão da jovem dando-lhe um beijo nas costas dessa. O sangue de Chara ferveu  com que esse gesto e se pudesse iria esgana-lo até a morte, mas como ele não ligava para as regras do estabelecimento e nem para qualquer regra da sociedade, então retirou sua arma e sem cautela apontou para o menor fazendo os outros reagirem. O maior levanta-se junto com o outro e o menor solta a garota colocando as mãos nos bolsos da calça. O maior segurava a menina dando-lhe uma gravata sem machucar tanto, algo mais para ameaça contra o irmão, e além disso ele segurava uma pistola contra a sua cabeça.

*-Solte a arma – O mais alto continuava com uma voz serena e calma—Vamos amigo, ou você não liga para ela? – Chara não mostrou expressão pelo que fizeram com sua irmã, simplesmente largou a arma deixando-a fazer um som auto quando vez contato com o solo – Isso mesmo, agora chute-a até mim

Ele obedece chutando a arma para o pé da irmã e essa entendeu o que ele quis fazer. O mais alto sorri ao ver a baixa resistência que ele tinha, mas se esqueceu da própria vítima sendo ela a própria irmã do “especialista”.

A garota segurou o braço de quem segurava-a e com jeito consegui sua liberdade, abaixando-se e pegando a arma e em um movimento rápido foi ao encontro do irmão e entregou-lhe a seu precioso bem. O mais alto mostrou tamanha admiração pelo o que eles fizeram uma jogada ágil.

Os irmãos se prestigiaram pela sincronia perfeita de suas ações, eles poderiam continuar naquele ritmo que a derrota de seus adversários. O mais alto continua encantado com seu pensamento rápido de como livrar a irmã e ainda fazer um mínimo sinal que apenas ela reconheceu.

*-Gaster—Grillby adentra o lugar sem cerimonia—Esses são os irmãos Dreermurr, há mais um na cozinha, foi eles quem você contatou para a sua missão.

Gaster então  mostrou-se feliz em contratar aqueles que mostraram serem bons nesse ramo

*-Eu adoraria conhece-lo, por enquanto eu conversarei com esses.

*-Certo – Grillby saiu de lá para chamar o mais velho entre os irmãos. Gaster senta-se novamente e pedindo para os outros dois que estavam no lugar pegarem mais 2 cadeiras para os irmãos se sentem, mas Chara já havia feito isso pra ambos.

*-O que vocês querem que a gente faça? Eu sei que matar é liberado – Esse sorri ao lembrar disso, já que todas as vezes que eles receberam algum trabalho não era permitido o derramamento de sangue, fazendo-o ficar com tédio.

*-Agora não podemos ser tão discretos com esse assunto, ninguém agora está agindo com misericórdia e mesmo sendo uma das maiores máfias vários de nossos membros são empregados e não agentes.

*-Entendo, eles começaram isso faz dois meses – A mais nova traça o olhar até o chão coberto pelo carpete escuro. – Que foi quando-

*-Frisk não precisa comentar sobre isso.

*- Então vocês sofreram também uma decadência? – O mais baixo resolveu envolver-se na conversa.

*-Bro, todos nós sofremos... – O outro olha para esse com o olhar inocente que tinha desde que chegou aqui.

*-Perdoe-me por não nos apresentarmos, eu sou Gaster e esses são meus filhos Sans, o mais velho e Papyrus sendo o mais novo

*-Sup...

*-Nós agradecemos por terem aceitado o trabalho—O mais novo sorri ai da de forma inocente igual suas ações e fala

*-Nós que agradecemos pela preferencia—A menina de cabelos achocolatado retribui com um sorriso discreto e adocicado .

*-Digo o mesmo... Porque no meu vocabulário ainda não existe a palavra obri... obrigue... essa ai.. – Frisk da risada do comentário do irmão que sempre teve esse jeito e sabia que nunca iria mudar.

*-E eu sou Frisk e esse é meu irmão-

*-Chara..

*-Prazer em conhece-los garotos – Continuava com o sorriso de sempre, Chara já estava se enjoando de ver aquilo repetidamente.

*-Olá, desculpe a demora eu—Ele analisa todas as pessoas da mesa e fixa em gaster—MR. GAASTER!! NÃO ACREDITO QUE VEIO AQUI!!

*-Pera um pouco, vocês se conhece desde que era?

*-Histórica complicada... –Esse puxa uma cadeira para mais perto e senta-se nela—Então o que precisamos fazer?

*Vocês precisam...

 


Notas Finais


Sim eu vou ser fdp mesmo, vou deixar vocês aí no suspense da alma!!

Obrigada por lerem meus amores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...