História Magcon - Secret Love - Capítulo 55


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Brandon Rowland, Brent Rivera, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Chris Miles, Christian Collins, Christian Delgrosso, Connor Franta, Crawford Collins, Daniel Skye, Dillon Rupp, Dylan Dauzat, Hayes Grier, Hunter Rowland, Jack and Jack, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Jacob Sartorius, Jacob Whitesides, JC Caylen, Kian Lawley, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Nick Tangorra, Personagens Originais, Ricky Dillon, Sam Pottorff, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff, Trevor Moran, Willie Jones
Tags Cameron Dallas, Magcon, Nash Grier
Visualizações 341
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 55 - Welcome to Brazil


Fanfic / Fanfiction Magcon - Secret Love - Capítulo 55 - Welcome to Brazil

@HayesGrier: Chegamos Brasil!! @Karolz

@Karolz: É tão bom voltar aqui depois de tanto tempo ♡

@AnaMendes: Quero aprender a sambar

@CameronDallas: Me apresenta umas brasileiras aí 

________________________________

Legenda:
*O que estiver em português vai estar com a letra assim. O inglês vai estar com a letra assim*

~KAROL ON~

"Vôo com destino ao Rio de Janeiro, Brasil, última chamada"

Estávamos no aeroporto, toda a Magcon, terminamos de despedir e entramos na sala de espera:

-Pronto? - eu perguntei pro Hayes

-Acho que sim - ele sorriu e segurou minha mão

Entramos no avião, achamos nossa poltrona e nos sentamos:

-Eu tenho medo de avião - eu apertei a mão dele e fechei meus olhos

Ele riu e me abraçou:

-Vai ficar tudo bem - passou a mão no meu cabelo

O avião decolou e eu só conseguia abraçar mais forte o Hayes:

-Já estamos no ar - ele falou olhando pra janela

-Só me deixa mais assustada - eu peguei meus fones

-Conseguiu falar com seus pais? - ele encostou a cabeça na poltrona e fechou os olhos

-Eles vão nos buscar no aeroporto quando chegarmos - eu deitei no ombro dele

-Ok - ele me deu um beijo na testa - é melhor dormimos, quando acordarmos já vamos estar quase chegando, boa noite - ele passou o braço dele envolta de mim

-Boa noite - eu dei um beijo nele - te amo!

-Também te amo - ele sorriu

Eu quase nem consegui dormir direito, eu estava com muito medo. No meio da noite consegui fazer uma vídeo chamada com minha mãe, levantei e fui pra mais pro fundo do avião, não queria acordar o Hayes:

-Oi mãe - eu sorri assim que vi ela

-Minha filha, eu tô com tanta saudade de você - eu vi que ela ameaçava começar a chorar

-A gente já tá quase chegando - olhei pro relógio, ainda demorariamos mas eu não queria ver minha mãe chorando

-E onde está seu noivo?

-Ele tá dormindo ali na frente, não quis encomodar ele - virei a tela da câmera e mostrei, mas não apareceu o rosto dele

-Eu até hoje não vi esse menino

-Você vai gostar dele

-E como que eu vou fazer? Eu não falo inglês!

-O papai fala, ele te ajuda

-Espero, ele tá mais ansioso que eu - ela riu - e o bebê?

-Tá bem - eu passei a mão na barriga

-Três meses?

-Dois e meio

-E vocês pretendem casar quando?

-Daqui dois meses, a gente já organizou quase tudo... Só falta meu vestido

-Filha, eu estou morrendo de saudades - ela deixou uma lágrima escorrer

-Eu também - eu comecei a chorar junto

Hayes levantou e foi lá trás:

-Tá falando com quem? - ele me abraçou

-Minha mãe - eu mostrei pra ele

-Oi Luísa, tudo bem? - ele disse e eu traduzi pra ela

Tive que ficar traduzindo algumas coisas, e depois eles despediram:

-Você escolhe bem - minha mãe riu

-Gostou dele? - eu arqueei uma sobrancelha

-Ele é maravilhoso e parece ser super educado


-Isso ele é - eu ri

Conversamos mais um pouco e depois despedimos. Me sentei do lado do Hayes na poltrona:

-Ela gostou de você - apertei a bochecha dele

-Isso já é um bom sinal - ele riu

Faltava duas horas para chegarmos, já tínhamos tomado o café da manhã então eu decidi dormir, já que eu quase não dormi a noite. Deitei no colo do Hayes e só acordei na hora do pouso:

-Amor, você precisa levantar - Hayes mexeu no meu cabelo - o avião vai pousar

Me sentei na poltrona, coloquei meu cinto e apertei a mão do Hayes enquanto ele ria do meu desespero:

-Eu tô com medo e você fica rindo de mim - eu bati no braço dele

-Não precisa ficar com medo - ele tentava se defender

Eu virei os olhos e escondi o rosto no ombro dele na hora que o avião chegou no chão.

Descemos do avião e fomos pegar nossas malas:

-Eu nunca estive tão feliz de estar com meus pés no chão - eu disse enquanto íamos em direção a esteira das malas

Chegamos lá e ficamos esperando as malas:

-Aqui é muito quente - Hayes tirou o casaco dele

-Bem-vindo ao Brasil, meu bem - fiz uma pose de diva

-Obrigada - ele fez a pose também

-O povo deve achar que a gente é doido - eu falei baixo

-Somos felizes - ele riu

As malas chegaram e a gente saiu da área dos viajantes, saímos andando pelo aeroporto até ver meu pai. Eu saí correndo e pulei no colo dele:

-Karol - ele me deu vários beijos na bochecha - como você mudou

-E você continua o mesmo - eu ri

-É aquele? - meu pai olhou pro Hayes

Eu concordei e ele foi lá:

-Bom dia, senhor Grier - meu pai apertou a mão dele 

-Bom dia, senhor Finnegan - Hayes retribuiu o aperto de mão

-Bem... Você que é o meu genro então? - ele cruzou os braços

-Sou sim - Hayes estava nervoso

Meu pai abriu a boca pra falar alguma coisa, mas desistiu:

-Quem eu tô querendo enganar? - ele riu - Me dá um abraço!

Meu pai puxou ele e o abraçou:

-Bem-vindo a família - meu pai quase gritou

-Ufa - Hayes virou pra mim e sorriu

Meu pai pegou as malas e colocou no carro com a ajuda do Hayes:

-A mamãe tá em casa? - perguntei entrando no carro

-Está - meu pai sorriu - tá preparando o almoço

Chegamos em casa e minha mãe vir correndo me abraçar:

-Karol, como você mudou - ela me analisou - você tá pálida demais... Tá passando mal ou é falta de praia?

-Eu tô precisando ir pra praia - eu ri

-Boa tarde senhora, Finnegan - Hayes entrou em casa com as malas

Minha mãe me olhou com aquele olhar de tipo: que menino maravilhoso!

-Boa tarde, Hayes - minha mãe abraçou ele

Eu e meu pai ficamos traduzindo toda a conversa:

-Vamos colocar nossas malas no meu quarto - eu peguei as malas e puxei Hayes

-Vocês vão dormir juntos? - meu pai cruzou os braços

-Amor, ela já tem 18 anos! Ela não é mais virgem - minha mãe disse e eu dei graças a Deus pelo Hayes não estar entendendo nada

Deixei eles discutindo e subi com o Hayes. Cheguei no meu quarto, do mesmo jeito que eu havia deixado: as paredes brancas com alguns desenhos de pontos turísticos, minha cama de casal no meio do quarto, minha penteadeira e meu armário.

Guardamos as coisas e descemos pra almoçar. Quando chegamos lá em baixo a família toda estava lá, meus avós, tios, tias, primos, primas...

Fiquei umas meia hora cumprimentando todos eles e tive que ficar mostrando a aliança pra cada um, responder trezentas vezes pra minhas primas como eu consegui arranjar um homão daqueles (palavras delas), ficar falando sobre meu bebê e tive que explicar pra minha vó que não existe mais isso de sexo só depois do casamento.

Hayes enturmou com meus primos, alguns deles já falam inglês, o que ajudou muito. E alguns deles tentaram colocar medo nele, mas no final levavam tudo na brincadeira:

-Tia, eu não sei o sexo do bebê - eu já tinha respondido aquela questão milhões de vezes

-Você é muito nova pra ter um bebê, ainda é uma criança - ela colocou a mão na testa

-Eu sei - baixei a cabeça - mas aconteceu!

-Você nunca ouviu falar de camisinha? - ela irritou

-Olha só, você não vem tentar dar lição de moral em mim não. Eu faço o que eu quero, se eu estou grávida o problema é meu, não seu. Agora cuida da sua filha aí que você pensa que é santa
, mas já deu pro bairro inteiro e mais um pouco - eu gritei com ela, nessa hora Hayes chegou

-O que está acontecendo? - ele perguntou

-Minha tia achando que é minha mãe pra mandar em alguma coisa - virei os olhos

-Olha isso! Duas crianças achando que podem casar, nem trabalham ainda. Vai perder a vida toda por causa do bebê - minha tia falou pra minha vó que estava do lado

Eu ignorei e fui pra perto dos meus primos que estavam na piscina. Tirei minha roupa, ficando só de biquíni e pulei na piscina. Hayes tirou a camisa e também pulou.

Minhas primas, sem disfarçar, olharam descaradamente pro Hayes (lerdo do jeito que ele é nem percebeu):

-Tira uma foto que dura mais - falei pra elas

-Você é muito sortuda - uma delas falou

-Para de cobiçar o homem das outras, é pecado - eu ri

-Sexo antes do casamento também - outra entrou na brincadeira


Mostrei o dedo do meio pra ela e mergulhei, fui até o Hayes:

-Sua família é muito legal - ele me abraçou

-É porque você só teve um dia de convivência - eu ri

Ele riu também e me beijou, no meio do beijo ele apertou minha bunda:

-Virou puteiro? - um primo meu gritou

Eu ri e ignorei ele, voltei a beijar o Hayes:

-Minha mãe já tá querendo saber a data do casamento - eu saí da piscina 


-A gente entrega os convites depois do almoço - Hayes se enxugou com a toalha e eu também

Vamos ficar uma semana no Brasil. Mas se eu pudesse eu ficava minha vida toda nesse país maravilhoso! 


Notas Finais


Amanhã tem o capitulo da festa do meu bebê que vai fazer 19 aninhos! Não tô bem!!!!!! Eu não tô chorando, só caiu um cisco no meu olho 😭😭

NÃO ESQUEÇAM DE DEIXAR SEUS COMENTÁRIOS 💕💕💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...