História Magia - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Drama, Magia, Psicológico
Exibições 5
Palavras 1.638
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 25 - Pelo menos eu desejo.


Leo...... está na hora de acorda desse desespero. Não adianta ficar se perguntado qual é o motivo de sua existência se você ao menos sabe o que você é. Como Leo é teimoso, ele ainda continua a se pergunta qual é o sentido de sua vida. Que pena que eu não posso contar para ele, essas coisas só podem ser descobertas sozinhas, afinal é o sentido da vida dessa pessoa.

- Hum............ Onde estou?- De repente um sussurro é escutado nos ouvidos de Leo.

- No " abstrato"- A voz diz

- Há. É a parte abstrata do meu pensamento.- Leo chega a essa conclusão- Que pena eu estou no meu pensamento, e não na minha vida. O Abstrato pergunta.

- O que é vida?-

- Vida?- Leo começa a abrir a sua mente. Agora ele está em dois caminhos, na placa do caminha direito está escrito " sua escolha, o mesmo está escrito  na placa do esquerdo. Agora eu tenho uma pergunta para você..

                                                                                                     O QUE É VIDA?

Leo pega o caminho esquerdo e começa a ver a lua.

- Vida....... Vida é o que eu estou fazendo agora.-

Não Leo. Isso já é viver. O que quero saber é. O que é vida. Tudo agora parece um grafite. Faz sentido, o mundo é com um desenho, ele teve que começar como uma base, Deus, uma base que logo não é mais visível por conta das cores que coloriram o desenho, os seus efeitos escondem a verdade que está por traz do desenho.

- Hum.... vida..- Leo pergunta para se mesmo, de repente Leo abre ainda mais a sua mente para colocar as cores no desenho dele.

- Talvez vida seja a atividade dos seres vivos.- Tudo fica em silêncio.

- Não?- Leo se questiona.

-  Então vida pode ser.......O viver do ser vivo.- Leo se questiona mais ainda.

- Não.- Leo começa a voar nos seus pensamentos, não existe nem mesmo o chão para a base do desenho de Leo, como é que ele vai ser livre de seu sofrimento desse jeito?

- Talvez viver seja...................................... O começo da morte?- De certo modo isso faz sentido Por isso agora Leo tem o seu desenho um pouco mais detalhado. Mais ainda tem outra pergunta. 

                                                                             POR QUE ELE ESTÁ SOFRENDO?

- Por que eu estou sofrendo?- 

- Por que meus amigos morreram? Por que todos estão tristes?-

                                                                                      OU TALVEZ SEJA PELO MOTIVO DE EU QUERER ESCREVER ISSO.

- Eu não sei.....-

                                                           ISSO NÃO É UMA BOA RESPOSTA. TODA PERGUNTA TEM...............

- Tem o que??!!!!!!!!!! Tem o que????!!!!!!- 

                                                                           VOCÊ DEVE DESCOBRIR ISSO SOZINHO.

- NÃO VOLTE!!!!!! PRECISO DE VOCÊ ABSTRATO!!!!

                                                                               SE EU FOSSE TE DAR A ÚLTIMA PALAVRA, EU NÃO SERIA ALGO ABSTRATO NÃO É?

                                                                                POIS AFINAL SOU QUE SEPARO A REALIDADE DOS SERES HUMANOS E VIVOS.

- NÃOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!-

Leo agora está de novo na seção psiquiátrica e a psicologa estava sentada do lado dele.

- Olá, de novo.- A psicologa o comprimenta.

- Oi.- Leo a comprimenta.

- OLÁ IDIOTA!!- Pink estava em pé do lado direito da psiquiatra.

- Olá.- Leo fala com ela.

- Então vamos começar?-  A psiquiatra pergunta.

- Vamos.- Leo responde.

- Então Leo me diga por que você está sofrendo.- a psiquitra cruza as pernas e pega seu caderno de anotações.

-  Eu não sei.-

- Por que você não sabe?-

-Eu só sei que eu estou estressado e desesperado, é a única coisa que eu sei de mim.- Leo começa a chorar.- EU SÓ QUERO MORERRR!!!!!!!- Ele coloca seus braços nos olhos, para enxugar as lágrimas.

- Bom Leo.........- A psiquiatra fala- Você sabia que se você não se ama, acha que uma pessoa é mais importante que você, isso te impede de você se ama, e eventualmente impede de você amar os outros?- Leo se vira para a psiquiatra - Bom não devemos dizer que queremos morrer, porque se não nós iremos eventualmente morrer, por que agente se odeia, e quando estamos mortos não sentimos nada e não amamos os outros. - Leo então fala com um sorriso de sofrimento.

- Sabe, nós recebemos o que nós merecemos, ou seja, eu mereço morrer, eu mereço sofrer, eu mereço vira um ser morto, sem alma, sem sentimentos, a morte é boa de cereto modo, se ela não existisse nós teriamos a pior maldição do mundo, a imortalidade.- A psiquiatra anota os sentimentos de Leo no caderno o que Leo está sentido e seu desejo de morrer. Então Pink fala.

- Então se você deve morrer, deixe eu te ajudar!- Pink fica em cima de Leo, e com suas mãos o estrangula, Leo começa a ficar ofegante e sua visão embaçada. Antes que Leo morresse a psiquiatra disse para Pink parar, ela parou, Leo ainda estava ofegante.

- Sabe Leo, eu sei que você não quer morrer- A psiquiatra fala com um sorriso.- Você só quer uma salvação, e como você não achou ela, voc~e não sabe o que fazer, e como desculpa você quer morrer antes da hora.- Leo então pergunta.

- E quem é essa minha salvação?- Com o seu braço cobrindo os olhos.

 - Bom,  você que deverá achar a resposta sozinho. Nós estamos apenas o apoio para você não desistir.- Pink fala- Afinal, toda pergunta tem uma resposta.- A psiquiatra arranca uma folha do caderno de anotações, e dele faz uma base de desenho do Leo.

- Bom iniciamos com a parte mais importante. A cabeça.- A psiquiatra fala.- Depois vem o tronco, os braços e as pernas.- A psiquiatra mostra o desenho para Leo.- Esse é você você.- Leo olha se vira e olha para o desenho.

- Estou tão perdido....- Leo começa a ficar desolado.

- Bom. Então adicionamos o chão.- Pink fala, e uma linha se traça no final do papel representando o chão.

- Agora você pode andar e sentir.- A psiquiatra fala.- Você pode respirar e viver.- Leo no desenho começa a viver.

- Nossa.- Leo fala surpreso.- Então isso é a vida!! - Pink então se anima.

- SIM!!! Você está vivendo, tudo isso por causa do seu desejo de viver!!!- Pink começa a dá pulinhos de alegria.

- Há. Isso é por causa do meu desejo...- Leo começa a entender, e abre a sua mente.

- Exato.- A psiquiatra fala.- Sabe Leo, você disse que nós recebemos o que nós merecemos, isso você está certo, mais esse merecer vem com o sentido de consequência. Ou seja, se nós tomamos certas atitudes, elas voltaram em forma de outras atitudes como conseguências, certo?- Leo começa a ficar confuso.

- Sim.- 

- Você sabia que a principal ação que nós fazemos para receber o que merecemos, é o desejo?- A psiquiatra pergunta a Leo..

- Não- Tudo começa a fazer sentido.

- Por exemplo, uma pessoa desejava ficar um dia inteiro no computador, mais todos os dias ela desejava isso, e por isso a rotina dela passou a ser um dia no computador, e com isso ela formou a sua rotina. Tudo isso, através do desejo.-  Pink fala, Agora Leo sabe a resposta para tudo.

- Há!!! Agora entendi, eu desejava tanto sofrer por causas das coisas ruins que eu fiz, que acabei merecendo sofrer, essa foi minha escolha. Mais eu não quero mais sofrer, eu quero me libertar!!! Esse é meu desejo, pois no final. Eu sou a minha salvação.- A psiquiatra e Pink sorriam para Leo.

- Exato, meus parabéns- A psiquiatra o parabeniza.

- Nossa!!! Como você demorou pra achar a resposta em? Idiota!!- Pink fala com um tom de brincadeira. Assim, quando Leo pisca ele está de novo no lugar onde tem dois caminhos, mais agora não tem só dois caminhos, tem milhares, bilhões de caminhos. São escolhas, que originam outras escolhas.

Leo ver um caminho, um caminho que até agora ele nunca tinha visto. Esse é o caminho que ele deve escolher, ele entrou no caminho, e sentiu-se seguro, pela escolha que ele fez, um enorme clarão é visto.

De repente, Leo acorda, na sua cama. O seu estava com nuvens cinzas, uma cor depressiva, bom no ponto de vista de Leo, todos nós só temos um só ponto de vista, isso é uma das coisas que nos diferencia.

Leo troca seu pijama por uma roupa caseira, e ver os causadores do clima depressivo, era Stella, Ariel e Sirihs. Todos estavam sentados na mesa da cozinha, com olhos tremendo de medo e desespero. Leo pergunta.

- Por que, vocês estão tristes?- Um enorme silêncio fica na cozinha, até Sirihs responder, com uma voz calma, mais assustada.

- Nós somos apenas quatro, na próxima viagem, todos nós iremos morrer.- Leo então respira fundo e fala. Com uma voz firme e grossa.

- Se é isso que vocês desejam, então é isso que mereceram. Tomem cuidado, se amem, pois no final, a salvação de vocês, são vocês mesmos.- Um enorme silêncio fica na cozinha. De repente pássaros começam a cantar, destruindo o silêncio na cozinha. O dia começa a ficar mais claro, borbeletas de todas as cores saem dos seus casulos. Leo sai da sala, de repente um sentimento fica nos corações de Stella, Ariel e Sirihs, o mesmo sentimento que Leo sentiu quando acordou do desespero dele. Esse sentimento era felicidade. Isso é a felicidade, é ter aquele sentimento que tudo está bem, e o desespero acabou. Ariel, Stella e Sirhs começam a chorar.

Então todos correm para o sofá da sala onde Leo estava sentado.

E O ABRAÇARAM!!!!!!!! COM MUITA ALEGRIA!!!

Leo quase ia morrendo asfixiado lá, então todos começam a ficar mais confiantes consigo mesmos e assim, todos saem da casa da arvore, e vão para o Sul, pegar o elemento fogo dos dois deuses irmão, Flammer a deusa do calor e Flammón o deus do fogo. E com isso, a felicidade encheu os corações do grupo.

 

 

 

CONTINUA......

    

 

 

 

 

 


Notas Finais


Obrigado por ler e volte sempre!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...