História Magic - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Mike, Pac, Rafael "CellBit" Lange
Tags Cellbits, Cellke, Mikhael Linnyker, Rafael Lange, Tazercraft
Exibições 52
Palavras 704
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Drabble, Droubble, Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


♞ Olá! A fanfic é um desafio da Akise (@sfnine).
♞ Eu espero que vocês gostem.
♞ Boa leitura.

Capítulo 1 - Foi como magia.


Estados Unidos, Boston.


  O circo estava mais lindo do que os anos anteriores que Rafael — infelizmente — não conseguiu presenciar. O local estava colorido e alegre, lotado de pessoas alegres ansiosas para ver a apresentações, especialmente a de mágica, que era o que atraia a maioria das pessoas presentes ali.

Rafael estava em uma das fileiras da frente, com um pacote de pipoca doce em suas mãos, sorridente e com as mãos suando de nervosismo, afinal, aquela seria a primeira vez que estava em um circo. E ao seu lado quem lhe acompanhava era Mikhael,  sorridente e conversando com o amigo,  na intenção de fazê-lo esquecer o nervosismo.

Vários assuntos foram conversados e Lange prestava atenção em cada palavra dita pelo moreno, e vez ou outra dava suas opiniões sobre o que Mike dissera.

Os dois garotos tinham apenas nove anos, a diferença era de meses (já que Rafael faz aniversário em fevereiro e Mikhael em maio), tinham um carinho enorme entre si, que impressionava até a suas mães.

De repente, as luzes do local se apagaram, uma voz masculina alta se apresentou, todos deduziram que aquele era o inicio do show. Lange estava feliz, estava com uma vontade imensa de gritar, seu sorriso não tinha mais tamanho e para Linnyker era realmente bonito de se ver.

Mike não podia mentir, ele gostava de ver o amigo feliz, achava cada traço do garoto incrivelmente delicado, e seus olhos azuis era o que mais chamava a atenção de Linnyker. Mas aquele rostinho bonito escondia uma risada meio exagerada.

ⓜⓐⓖⓘⓒ


E assim o show ocorreu. Com truques de mágica que era o que mais chamava a atenção, ele realmente queria descobrir de como uma cartola preta vazia poderia sair um coelho branco? Oh sim, o ilusionismo é incrível. E também queria saber como uma pessoa pode ser cortada ao meio sem dor nenhuma? E de como um pano fino de seda poderia sair um pássaro branco? Eram tantas duvidas, Rafael queria perguntar isso para o homem que fez aquilo durante a sessão de mágica.


E depois foram os truques de malabarismos, que surpreendia os presentes no local. Para todos era incrível ver uma pessoa jogando bolas pra cimas e logo pegando-as rapidamente. Em seguida chegaram os animais pintados e com acessórios de cores vibrantes, fazendo truques com seus domadores. E pouco tempo depois se retiraram, e em nenhum momento desses a música parou e a cada truque havia uma salva de palmas no final dela.

Rafael estava tão feliz que nem sequer tirava os olhos do show, e na primeira vez que foi bater palmas se esqueceu do pacote de pipoca cair no chão, ficou triste mas logo Mike ofereceu o resto de pipoca que havia no seu pacote para Rafael que agradeceu passando o braço pelo pescoço do amigo e o agradecendo.

Rafael também não podia mentir, adorava aquele cabelo em um topete perfeito de Mike e aquele sorriso convidativo para retribuir.

O show terminou e Rafael estava mais feliz do que qualquer pessoa daquele local,  ele andava em direção a saída do local, comentando com Mike cada momento que o impressionou ele no show, e alguns momentos era os mesmos que Linnyker havia gostado. A mãe de Rafael, Deya, levou os meninos para sua casa, e deixou Rafael acompanhar Linnyker até sua casa, já que não estava muito tarde e o bairro não era perigoso.

– Eu gostei muito da sua companhia hoje, obrigado – Rafael andava em passos lentos em direção a casa de Mike, que lhe acompanhava em seus passos.

– De nada, Rafa. Nós merecemos – ficou triste em saber que estavam na frente da casa de Mike e logo teria que voltar para casa.

– Bem, tchau – sorriu e abraçou o amigo, que retribuiu ao mesmo instante.

Se separaram e Rafael tomou uma atitude, se aproximou e beijou o canto dos lábios de Linnyker,  que se assustou e corou e sorriu com o ato. Rafael sorriu de canto e correu a sua casa ainda com o sorriso nos lábios e em sua mente a memória do beijo próximo da boca de Linnyker que havia dado.

Realmente, foi uma das melhores atitudes que Rafael teve, foi como magia.




Notas Finais


★ Obrigado por lerem.

★ Beijos da Tia Poly ♡.

twitter: @alwayspactw


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...