História Magic And Blood - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Camille O'Connell, Caroline Forbes, Davina Claire, Elijah Mikaelson, Emma Swan, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Kaleb Westphall, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Rebekah Mikaelson, Regina Mills (Rainha Malvada), Stefan Salvatore
Tags Davina Claire, Haylijah, Klaroline, Kol Mikaelson, Kolvina, Stebekah, The Originals
Exibições 99
Palavras 1.036
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Magia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom dia, povo.
Falter morrer escrevendo isso aqui hoje de madrugada, mas curti o resultado.
Enfim, espero que gostem <3 Nos vemos nas notas finais!

Capítulo 27 - Your Love


Em 1919…

Davina

Eu estava terminando de arrumar a cama para a Mary Louise dormir. Não era muito fácil fazer com que ela dormisse fora de casa, mas estávamos indo.

Eu estava cansada. Mas ainda assim, houveram dias bem piores…

Em 1915, pouco depois da maldição finalmente ter sido quebrada, e de Kaleb ter ido embora de nossas vidas, tanto eu quanto Kol concordamos que o melhor seria deixar aquela casa. Por mais que tantas coisas boas tivessem acontecido lá, havia algo que pairava sobre aquela casa, como se fosse… uma aura negativa. Vimos que aquilo não seria o ideal para a Mary, e por isso fomos embora.

Kol optou por não morar nas mesmas cidades em que seus irmãos moravam, ou seja: Mystic Falls, que era onde Klaus e Caroline moravam e Monterrey, onde Rebekah e Stefan moravam. Então, fomos morar na Europa: Mais especificamente, em Londres.

Era uma cidade movimentada, e cheia de vida, e na época o que eu menos precisava era ir morar em uma cidade calma e em silêncio. E pra melhorar tudo, Freya também morava em Londres, o que tornava tudo maravilhoso.

Falando nela, Freya fora extremamente útil conforme Mary Louise crescia. Ela descobriu que Lou era uma herege original, assim como ela, o que as tornavam praticamente uns dos seres mais poderosos da terra. Freya guiava Mary Louise em relação à magia e o vampirismo precoce, o que era excelente. Não sei o que teria feito sem ela.

Enfim, apenas em 1917 eu e Kol nos casamos de verdade. Optamos por casar aqui mesmo na Europa - não sei o exato porque, mas eu não queria voltar pra América.

Exatamente agora estamos na Rússia, resolvendo uns assuntos. Geralmente quando íamos em alguma viagem, deixamos Mary Louise com Freya, mas dessa vez decidimos trazê-la conosco.

— Prontinho, querida — ouvi Kol dizer para Mary, o que significava que ele já tinha terminado de fazer as tranças no cabelo dela, ou seja, estava na hora de dormir.

Lou se levantou e veio andando em minha direção. E então, a observei mais uma vez.

Ela usava uma graciosa camisola branca, que tinha vários babadinhos, e se estendia até as canelas. Os cabelos castanhos com algumas mechas louras estavam trançados delicadamente, e no fim de cada trança havia um laço de fita da mesma cor dos babados da camisola. Seus olhinhos castanhos, iguais aos de Kol, demonstravam cansaço, e isso queria dizer que ela estava morta de sono.

Os olhos dela toda vez me lembravam o dia que a concebi. Os olhos brilhantes de Kaleb, enquanto ele me penetrava, chegava a ser macabro o jeito como ele me olhava. E quando a maldição deles foi quebrada, passei por um dos momentos mais difíceis da minha vida: um dilema.

Eu teria que pôr na minha cabeça, que no corpo do homem que eu mais odiava, havia o homem que eu mais amava. Era contraditório. Eu o amava… e o odiava ao mesmo tempo. Às vezes eu só queria nunca ter conhecido Kaleb, teria sido mais fácil… Mas aí lembro que se não fosse por ele, Mary Louise nunca teria existido…

Aliás, eu não sei como seria minha vida sem ela. Mary Louise era uma luz em minha vida, ela era tão… doce, e meiga, apesar de ter gênio forte. Ah, isso. Mary Louise quando se intrigava com algo não nos deixava em paz por nenhum segundo, ela não desistia nunca. Mas ela era um amor, e pra falar a verdade, com 4 anos ela já era bem mais madura do que eu já era com 10…

Mas fora tudo isso, eu não existiria sem ela. Antes, eu achava que ela seria um fardo, mas eu estava enganada… Totalmente enganada…

E para Kol tudo era melhor. Ele era um vampiro, então tudo era muito novo pra ele. Até porque não havia possibilidade antes dele acabar sendo pai, e agora, bom… havia Mary Louise.

Kol era um excelente pai, e Mary passava o dia todinho brincando com ele. E ambos se divertiam muito.

Em relação aos Mikaelson, a tia preferida de Mary era Freya. Até porque desde quando era praticamente um bebê, Freya estava lá, e sempre a ajudando com magia. Mary também gostava muito de Rebekah, ela sempre a levava para passeios ao ar livre, como piqueniques e tal.

Uma combinação perfeita para Mary Louise era Kol e Stefan. Até porque daí saía a dupla (ou trio) mais divertido do mundo…

Lou também gostava de Caroline, entretanto nunca teve um contato direto com Klaus… porque… talvez ela fosse muito nova pra isso. Já em relação à Elijah e Hayley, eles estavam viajando desde 1914. Mas com certeza estavam seguros…

— Mamãe, eu estou com sono — ela se aproximou de mim, e me abraçou.

— Estou vendo, Lou — e a ajudei a subir na cama — Sei que não é a mesma coisa da nossa cama em casa, mas…

— Não tem problema, mamãe — ela sorriu de forma doce — Está ótimo, não precisa se preocupar.

Nossa. Geralmente ela fazia um escândalo quando ia dormir fora de casa.

— Mary Louise Mikaelson, o que você tem? — perguntei, rindo — Você não é fofa desse jeito!

— Coitada, só está com sono — Kol, que estava na janela, respondeu.

— De qualquer forma — respondi — Boa noite, querida.

Beijei a testa dela, e dentro de alguns segundos, ela já estava dormindo.

Fui até onde Kol estava, e o vento repentino vindo da janela fez com que o xale que eu estava usando nos ombros flutuasse.

Seus olhos estavam perdidos, o que significava que ele estava pensando em algo. Pus minha mão sobre a dele, e seus olhos imediatamente se imergiram sobre os meus. Não importava quanto tempo passasse, aquela sensação sempre seria única.

— Você está feliz, Davina? — após alguns minutos silenciosos, Kol quebrou o silêncio me perguntando isso.

Sorri pra ele.

— E porque eu não estaria? Eu tenho a filha perfeita, o marido perfeito e a vida perfeita — respondi — Está tudo… em paz, agora.

Houve uns segundos de silêncio.

— Sim — ele sussurrou — Sim, está tudo em paz.

E ele me beijou. Fora a melhor sensação da minha vida… Era como se fôssemos dois jovens beijando-se pela primeira vez.

Estava tudo bem agora.

Nada mais iria nos atrapalhar a sermos felizes.

Nem magia… nem sangue.


Notas Finais


Gente, esse foi o fim de Kolvina na fanfic * triste, viu *
Sério gente, esse foi o epílogo Kolvina, então a parte deles na fanfic acabou. É isso né.
Vai ter um bônus Delena e Sam & Katherine (Satherine ia ficar uma bostinha) e bônus Stebekah. E tô pensando seriamente em fazer um bônus com a Mary Louise já crescida.
Enfim, é isso.
Favoritem e comentem <3 Espero que tenha gostado ;))


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...