História Magic Fate - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Vhope, Yoonseok
Exibições 125
Palavras 3.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


desculpem o atraso, estava em época de provas, e o tempo ficou curto, mas espero que gostem.
boa leitura <3

Capítulo 28 - Blood


Fanfic / Fanfiction Magic Fate - Capítulo 28 - Blood

Pov. SeokJin

A época de provas já tinha passado naquela faculdade, deixando a maioria dos alunos ansiosos para relaxar e curtirem o período de folga se divertindo em festas, com dança e bebida. Ainda que fossemos bruxos, e ainda estávamos em aprendizagem, ou pelo menos alguns de nós, sentíamos o mesmo desejo que as pessoas consideradas normais, e assim como todos, queríamos tentar uma válvula de escape.

Os dias decorrentes depois do dia em que Jimin foi seqüestrado, foram completamente normais, deixando mais espaço para que ele aprendesse mais a utilizar o seu cerne, ou pelo menos tentar se proteger. Já Jungkook o estava ajudando da forma que podia, ainda que tentasse manter distância do menor, para que ninguém suspeitasse o que estava acontecendo, mesmo que todos soubessem de uma forma ou de outra. Suga e Taehyung estavam mais próximos que antes, juntos de seu mais novo amigo, Hoseok.

Todos nós sabíamos que Hoseok era um manipulador de metal, e portanto sempre mantínhamos um pé atrás com o mesmo, e que de forma mais do que visível, ele também parecia ser extremamente cuidadoso. O que era de fato estranho nesse cuidado todo, era que eu não conseguia ver muita coisa de seu futuro, ou até mesmo suas futuras ações, como se não houvesse muito o que contar. No entanto, ele aparentava ser um cara bem humorado, simpático, e que fazia com que os dois garotos, ficassem muitos felizes.

Por outro lado, eu e Namjoon estávamos um pouco apreensivos com o que tínhamos um com o outro. Não éramos namorados, mas também éramos mais que amigos. Por mais que eu aparentasse não ligar muito para este tipo de coisa, eu me sentia um pouco incomodado. Ele gostava de ser discreto, de curtir cada momento, e não ligava muito para a opinião alheia. Eu respeitava isso nele, mas algo dentro de mim, dizia querer mais que isso.

- Jin, você já está pronto? Namjoon acabou de chegar.

- Já estou indo Jimin, só preciso da minha jaqueta.

Combinamos de ir a um clube que havia pelas proximidades, assim como a maioria dos universitários, para distrair um pouco a cabeça. A ideia inicial, por mais estranho que possa parecer, foi de Yoongi, que alegou que seria mais divertido se todos fossem juntos.

Já totalmente arrumado, segui Jimin até o estacionamento do seu apartamento, e fui de encontro ao garoto de cabelos loiros. Namjoon estava usando uma calça de coro com uma blusa mais clara, o típico sorriso de lado que mostrava suas covinhas, e os cabelos de um jeito despojado, o deixando ainda mais sexy.

- Os garotos já estão lá, só falta você e Jimin. – Disse de forma natural, mas assim que colocou seus olhos em mim,alargou aquele sorriso inconfundível. – Agora eu sei o motivo da demora. – Abriu a porta para que eu pudesse entrar, junto de Jimin.

Durante o percurso, Namjoon ficava sempre me olhando pelo retrovisor do carro, e aquele ambiente começou a ficar pesado de repente. Mas eu tinha que ser forte, precisava deixar claro o que eu queria, então decidi fingir que não vi.

Chegamos depois de alguns minutos, e já podíamos ouvir a música alta de fora do clube. Namjoon nos ajudou a entrar e logo vimos o restante dos garotos, todos sentados em uma mesa, nos esperando para finalmente curtirem um pouco da festa.

- Pensei que não viriam mais, estava quase indo dançar sem vocês. – Brincou Hoseok.

- Ainda bem que chegamos a tempo. – Jimin respondeu, já indo se sentar em uma das cadeiras. – Mas quero beber algo primeiro.

- Também concordo.

- Não vai exagerar Jin. – Me repreendeu Namjoon, falando perto do meu ouvido sem que os outros escutassem.

Peguei minha bebida, e a tomei enquanto encarava Namjoon da forma mais sexy que eu conseguia, sem que os outros pudessem ver. Eu queria que ele me desejasse, que dissesse o que queria comigo. Que tomasse alguma atitude.

- Gente eu já estou indo. – Avisou Jimin empurrando alguns dos garotos. Deixando na mesa, apenas eu, Jungkook e Namjoon.

- Acho que vou ao banheiro, podem ir se quiser. – Jungkook havia percebido aquela troca de olhares, que na minha concepção era discreta, e nos deixou.

 

Resolvi que iria provocá-lo. Andei pelo mar de pessoas e de vez em quando, olhava para trás, dando sinais para que me seguisse. A música tinha uma batida forte, e para minha sorte, os outros estavam do outro lado do salão. Ninguém saberia.

Comecei a dançar conforme a música, deixando meu corpo ser conduzido pelo alto volume e o álcool que percorria pelo meu sangue. Eu nunca havia experimentado uma noite como essa, mas eu confesso que estava me divertindo, assim como eu queria que ele se sentisse também. Namjoon começou a se aproximar a passos lentos, me encarando como se fosse me comer vivo. Parecia que havia apenas nós dois naquele lugar.

Eu dançava do jeito que eu sabia, não que isso fosse grande coisa, pelo menos era o suficiente para que seus olhos parassem apenas em mim. As luzes que caiam sobre ele, combinavam perfeitamente com o cabelo descolorido, e a cada batida da música, nossa distância diminuía. Eu já me sentia um pouco embriagado, eu nunca havia bebido, mas estava sendo ótimo.

Quando finalmente chegou perto de mim, quase colando nossos corpos. Namjoon não tirava seus olhos de mim, e logo colocou suas mãos perto na minha cintura, terminando com aqueles poucos centímetros que nos separavam.

- Você não devia estar tão sexy assim SeokJin. – Disse bem  perto do meu ouvido.

- Por que? Não gostou? – Fiz do mesmo jeito que ele, e tocando levemente meus lábios em seu lóbulo.

- Você está chamando muita atenção.

- Isso é algo ruim? – Perguntei provocativo.

- Quando está chamando atenção além da minha, sim. Não quero ver outras pessoas te comendo com os olhos.

- Bom, e o que você pretende fazer sobre isso? – Perguntei enquanto ele colava seu peitoral nas minhas costas. Seu calor passava do seu corpo para mim, e aquilo era extremamente excitante.

- O que eu pretendo fazer? – Ele segurou perto do meu quadril, e me virou de frente para ele com brutalidade, me arrastando até a parede mais próxima do local. – Eu vou mostrar para todos que você tem dono.

Seus lábios tocaram os meus sem nenhuma gentileza, assim como sua mão que passava pelo meu corpo. Logo passei a massagear seus cabelos , os puxando para aprofundar o contato. Sua língua me tomava de um jeito único, quase em desespero por ser algo tão bom. Ele colou uma de suas pernas entre as minhas, e pude sentir o quão excitado ele estava com apenas alguns toques meus. Logo sua boca foi para em meu pescoço, chupando cada pedacinho dele, enquanto eu deixava minhas mãos percorrem seu corpo até chegar a sua bunda.

Namjoon estava com sua respiração quente, enquanto eu apenas tentava o deixar mais excitado possível. Só que eu ainda tinha assuntos para resolver.

- Por que acha que é meu dono? Não me lembro de ter concordado.

- Quer que eu te faça lembrar? – Olhou para mim como se pudesse ver minha alma. – A não, você quer outra coisa.

Droga ! Meu plano estava por água a baixo, Namjoon leu meus pensamentos justo no momento em que me deixei levar, e agora ele sabia de tudo.

- Aqui não é o lugar mais apropriado para isso. – ele me puxou novamente para si, deixando ambiente carregado de luxúria novamente. – Podemos conversar sobre isso depois, mas agora eu preciso de você SeokJin. – Pude sentir seu sorriso, quando colocou sua cabeça perto do meu ombro. – Por que agora eu também sou seu.

 

Aquele beijo era intenso, cheio de luxuria e sentimentos proibidos que guardávamos a tempos, tão intenso que eu pensei que iria explodir. Ambos excitados e sedentos para terminar aquela noite da melhor maneira possível.

Mas algo aconteceu no meio daquele momento.

Uma visão.

 

De repente eu estava em outro lugar.

Um templo repleto de estatuas estranhas e desenhos de um mundo antigo. As pinturas me davam medo, pois mostravam uma seqüência de histórias horripilantes sobre maldições e mortes. Uma mulher extremamente bonita estava no altar do templo, com todas suas vestes em cor preta, e algumas velas da mesma cor ao seu redor.

A mulher começava a envelhecer rapidamente, e cada segundo seu rosto ganhava cada vez mais marcas, cicatrizes e rugas. Assim que chegou ao ponto de quase morrer, seus olhos vermelhos pararam em mim.

- Morte! 

Gritou para mim e logo virou cinzas, que passaram pelo meu corpo me dando o pior dos calafrios. Assim que ela sumiu, as paredes do local, assim como os objetos e colunas começavam a sangrar. O sangue escorria por todos os lados, enquanto sua voz gritando “morte” ressoava por todos os cantos, e aquela aura sombria tomava o local.

Foi então que tudo ficou escuro, e por mais que eu tentasse gritar, correr ou acordar, eu não conseguia chegar a lugar algum. Eu me sentia em completo desespero, como se aquela escuridão me sufocasse aos poucos.

- Jin !

No meio daquela tormenta escutei uma voz que eu reconhecia muito bem, me chamando pelo nome. Aquela voz ficava cada vez mais forte, e eu precisava alcançá-la nem que fosse a última coisa a se fazer na minha vida.

- Jin! Volta Jin, pelo amor de Deus! SeokJin!

Minha voz praticamente não saia, mas eu continuei a chamar pelo seu nome, como pequenos suspiros cansados pela luta exaustiva.

Namjoon ... Kim Namjoon ...

Quando finalmente senti o calor das suas mãos pelo meu rosto e abri os olhos, foi como sair de uma banheira fria de forma repentina, emergindo para buscar todo o ar que podia.

- Graças a Deus, SeokJin. – Namjoon estava com a minha cabeça em seu colo, suas mãos tremiam e seus olhos marejados mostravam o estado de espanto em que ele estava. – Pensei que você tivesse morrido !

- Namjoon o qu-

- Nunca mais me assuste deste jeito entendeu?! – Assim que ergui um pouco meu tronco, Namjoon me abraçou com toda sua força. Ver ele naquele estado, fez meu coração se apertar, e chorar junto com ele.

- Me desculpe Nam, calma, eu estou aqui.

- Não faz mais isso, por favor.

Depois de um tempo abraçados, dei um beijo na sua testa e acariciei seus cabelos. Não estávamos mais no clube, e na verdade eu nem sabia que lugar era esse.

- Nam, onde estamos?

- Você não se lembra de nada? – Perguntou se levantando e me ajudando a fazer o mesmo.

- Não.

- Você apagou no nada Jin. Comecei a ficar desesperado porque eu não conseguia ouvir você, nem quando eu tentava entrar. Te carreguei até esse quarto junto com os meninos.

- Onde eles estão? Eu fiquei muito tempo desacordado?

- estão do lado de fora, saíram quando viram você acordar. – Namjoon estava tentando se recompor. – O que aconteceu Jin?

- Acho que tive uma visão. Mas não foi algo comum, foi como se eu realmente vivesse aquilo. – Me lembrar daquilo me causava arrepios, eu não queria ver aquilo nunca mais. – Foi horrível Nam.

- Está tudo bem agora, estou com você.

Ele deu o seu melhor sorriso e me trouxe até os garotos.

- Ya! SeokJin! Nunca mais nos assuste desse jeito, pensei que Namjoon fosse morrer! – Jimin estava quase vermelho pelo estresse.

- Desculpe Jimin, não sei ao certo o que aconteceu, mas agora está tudo bem.

- Que bom que nada de ruim aconteceu então, pelo menos Namjoon esta melhor. – Disse Jungkook.

- Chega vocês, não estou muito bem para continuar com a festa, acho melhor ir. – Namjoon estava indo em direção ao seu carro. – Vamos SeokJin.

- Pode ir hyung, vamos aproveitar um pouco, não se preocupe.

- Vá logo. – Disse Jungkook, que logo se aproximou. – Ele realmente ficou preocupado com você, nunca o vi chorar por alguém Jin.

 

Me despedi dos garotos rapidamente e fui ao encontro dele, que já estava dentro do carro, apenas me esperando para que saíssemos dali. Abri a porta e me sentei ao seu lado, enquanto Namjoon apenas estava com suas mãos no volante e a cabeça apoiada nelas.

- Você está bem Nam? – Perguntei um pouco receoso. Ele apenas negou com a cabeça. – Quer que eu dirija?

Namjoon concordou com a minha proposta e trocamos de lugar. A princípio nosso destino era sua casa, seria mais fácil de chegar e estaríamos dormindo em poucos segundos. Foi então que comecei a pensar da razão dele estar dessa forma, e não creio que seja apenas por mim. Mudei nossa direção e fomos para minha antiga casa, a mesma que ficava  perto do local do feitiço. Seria uma viagem um pouco mais longa, mas seria melhor para ele pensar. Precisávamos de um tempo.

 Dirigir pela estrada a noite era algo relaxante, não havia transito algum, e o silêncio predominava. Chegamos em menos de uma hora, deixei que ele entrasse primeiro e decidisse o que queria fazer.

Minha ideia era algo para ele comer, já que eu havia deixado alguns mantimentos da ultima vez, e deixar ele relaxado. No entanto meus planos foram por água abaixo quando ele me abraçou por trás enquanto eu tentava cozinhar alguma coisa. Durante um tempo eu apenas fiquei parado, deixando que ele se apoiasse em mim. Me virei de frente para ele, e meu coração se apertou assim que eu o vi chorar.

- Namjoon, tudo vai ficar bem, não fique assim. – Eu o abraçava enquanto mexia em seus cabelos, como uma criança. – Quer me dizer o que está acontecendo? – Ele acenou com a cabeça e me puxou até o sofá, nos sentamos e ele respirou fundo antes de falar.

- Acho que eu sei do motivo por você ter ficado daquele jeito comigo antes. – Eu praticamente gelei com aquilo, eu não estava pronto para ser o motivo da sua tristeza, eu nunca estaria. – E por mais que você tenha visto Jin, você não sabe de tudo.

- O que você quer dizer? – Fiquei receoso em perguntar, eu queria descobrir mais coisas ruins sobre aquilo.

- Você viu a morte dos meus pais, e sabe quem foi que fez aquilo, mas você sabe do por que aconteceu tudo aquilo? – Apenas neguei com a cabeça, eu não consegui dizer nada. – Meu cerne apareceu para mim muito cedo, meus pais tinham medo do que poderia acontecer comigo, então procuraram por uma vidente, para saber o que estava acontecendo comigo. Seu preço era alto, e o que ela queria não era algo material. Meus pais decidiram que fariam aquilo que ela pedisse, e encontraram alguém que pudesse ajudar, mas foram enganados por essa pessoa, e não fizeram conseguiram o que era preciso para que a vidente me ajudasse.

Namjoon suspirou pesado novamente, contendo as lágrimas para dar continuidade ao que estava dizendo.

- Naquele dia em que eles morreram, eu não entendia muito sobre meu cerne, e eu aprendi da pior forma possível.

- Namjoon o que aconteceu? – Perguntei um pouco depois dele ter parado.

- Seus pensamentos estavam em mim quando eles morreram, me pediam para ser forte e me diziam que me amavam muito. Eu só entendi que eles morreram quando seus pensamentos cessaram , e casa ficou em completo silêncio. Eles foram mortos por minha causa, Jin, e eu não vou deixar que aconteça o mesmo com você.

Ambos estavam chorando, abraçados como se não houvesse amanhã. Eu tinha medo do que ele podia pensar sobre mim, do que poderia acontecer quando ele descobrisse, mas o fato de perdê-lo e vê-lo desse jeito, era mais assustador do que qualquer outra coisa.

- Eu não vou te deixar tão fácil.

- Não vou deixar que pensamentos desse tipo passem pela sua cabeça. – Namjoon brincou um pouco, estava aliviado por colocar para fora o que pensava.

- Foi por isso que você ficou desesperado quando não ouviu meus pensamentos? Achou que eu tivesse morrido?

- Você me assustou de verdade Jin, achei que tivesse perdido você para sempre.

Ele aos poucos se soltou de mim, para ficar bem a minha frente, olhando nos meus olhos antes de fazer qualquer coisa.

- Não se preocupe mais com o que aconteceu, isso não é uma culpa que você deva carregar.

- Mas Nam, eu-

- Jin, eu estou falando sério. Não me importo de quem você é filho, ou de onde você veio, eu só não consigo mais imaginar um mundo no qual você não exista.

Era obvio que minha reação foi um tanto quanto inesperada, eu normalmente teria dito um “eu também te amo” ou apenas o beijado, mas eu apenas fiquei o olhando surpreso, como se estivesse hipnotizado por ele. Quando dei por mim, eu já estava chorando novamente, e o abraçando tão forte, que acabamos por cair no tapete, ficando por cima dele.

- Não vai falar nada? – Ele levou sua mão até o meu rosto e o acariciou.

- Eu te amo Namjoon.

Finalmente o beijei do modo como eu queria naquele momento, sem pressa e de forma intensa, apenas com aquele contato eu sabia o que ele sentia, e aquilo era a melhor coisa. Sua mão foi até minhas costas, tocando levemente com a ponta dos dedos, deixando aquele aproximação mais quente. Mas ele se distanciou um pouco, apenas me deixando apoiado em si.

- Me desculpe por ser assim?

- Assim como Nam?

- Assustado. Eu nunca gostei de alguém antes, então eu não sei como funciona esse tipo de coisa. Você provavelmente deve ter ficado bem irritado. – Disse dando aquele sorriso de lado.

- Pensei que já tivesse esquecido desse assunto.

- Eu tive medo quando eu descobri que gostava de você, e eu não sabia exatamente o que fazer, eu só queria ter você do meu lado. Mas esqueci que para isso eu precisava dizer algumas coisas ...

- Tipo o que ... ?

- Quer namorar comigo Kim SeokJin?

 

Pov. Hoseok

Depois daquele incidente com Seokjin, os garotos continuaram a dançar mais um pouco, mas logo voltaram para suas respectivas casas. Eu , Tae e Yoongi, decidimos que iríamos até o apartamento do mais velho, e juro que aquilo estava ocupando mais parte dos meus pensamentos do que o necessário. Eles eram extremamente excitantes, como se cada um fosse feito exclusivamente para mim, mesmo que você opostos.

Enquanto estávamos na porta do garoto, meu celular começou a tocar, então acenei para que eles entrassem antes, afinal aquela chamada não poderia ser recusada.

- Espero que esteja pronto para amanhã Hoseok.

- Fiz tudo o que me pediu, não precisa se preocupar.

- Não quero que eles interfiram, não vou perdê-lo como da última vez Hoseok. Posso confiar em você?

- Sabe que sim.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, preparem-se para o próximo
bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...