História Magnética - Capítulo 92


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arrow, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Liga da Justiça, Os Vingadores (The Avengers), Supergirl, The Flash, Thor
Personagens Alex Danvers, Anthony "Tony" Stark, Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Clark Kent (Superman), Clint Barton, Detetive Joe West, Diana Prince (Mulher Maravilha), Dr. Bruce Banner (Hulk), Dr. Harrison Wells, Dra. Caitlin Snow, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Iris West, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Jane Foster, Kara Zor-El (Supergirl), Leonard Snart (Capitão Frio), Loki, Maria Hill, Mick Rory (Onda Térmica), Natasha Romanoff, Nick Fury, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Pepper Potts, Personagens Originais, Peter Parker, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers, Thea Queen, Thor, Visão
Tags Arrow, Flash, Os Vingadores, Supergirl
Exibições 487
Palavras 3.813
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Isso é triste...... Muito triste mesmo...... Pq esse é o último,o capítulo da famfic..... Quando eu comecei ela, eu não fazia ideia de que muita gente gostaria dela, que se apaixonariam pela história e tals... Maa bem.... Tudo o que é bom, um dia acaba (já se dizia o título do capítulo) e eu queria dizer obrigado aos que acompanharam a fanfic ate aqui. Aos que a descobriam a pouco tempo e aos que a acompanham desde o início. Me dói o coração postar o último capítulo pq percebo que pararei de escrever sobre os azares e sortes que a Taylor tem na vida... Fico muito feliz que, apesar da nova descoberta e do pequeno exagero da família biológica de Taylor, ainda tenha gente que tenha gostado e continua acompanhando a fanfic.

Mas a pergunta que não quer calar.... Terá segunda temporada?????

Vou ficar calada. Apenas curtam o capítulo! Boa leitura!!!! :) :D

Capítulo 92 - Capítulo XCII


Capítulo 92 - Tudo que é bom, um dia acaba. 

Sabe quando o filme termina? Aquela hora em que tudo acaba e depois você fica sem chão? Era isso o que Taylor sentia. 

Taylor passou por muita coisa. Coisas que vai ser difícil dela se esquecer. Ainda não lhe caía a ficha das aventuras que passou com os seus amigos. Os risos, as lágrimas, as dores, um dia ela sentiria falta de tudo. 

Observava o nascer do sol. Aquele seria um novo dia para ela. Respirou fundo, olhando para a foto que ela guardava dela, de Anna, Dylan, Torunn e Thomas. Seus olhos lacrimejavam. Nunca pensou que isso aconteceria com ela. Permitiu que uma lágrima caísse do seu olho. 

Atrás da foto, estava a dos seus pais com Thomas. Depois dela, era a do time Flash. Apertou firmemente aquela foto. Atrás dela, estava ela vestida de Magnética, só que sem a máscara, e o Peter, com o uniforme de Homem-Aranha e sem a sua máscara. Guardou aquelas fotos rapidamente no seu bornal. Olhou ao redor do seu quarto. O painel de parede antes coberto de fotos, agora estava vazio. Todo o seu quarto estava vazio. A única coisa que dava cor naquele lugar eram as pinturas na parede. Foi para a sala de estar, e viu seus pais e Thomas lá, conversando entre si. Depois de um tempo, a sua mãe lhe abraçava há muito tempo. 

O pior era que os seus abraços eram muito apertados que Taylor teve de recuperar um pouco de ar dos seus pulmões. 

— Pepper, eu ainda quero falar com ela hoje, de preferência. — diz o seu pai. 

Pepper se afastou daquele abraço e, ainda com as lágrimas secas no seu rosto, disse.: 

— Tenha cuidado, querida — pediu ela com a voz trêmula — Vamos te visitar toda semana. Talvez eu possa deixar alguém no meu lugar na empresa e... 

— Não, mãe! Eu vou ficar bem — garantiu Taylor — Vamos fingir que seja um intercâmbio! 

— Mas nas férias... 

— Papai me disse que eu vou ficar em um internato. E tem uma mansão dele lá. 

— É só um intercâmbio, Pepper — concordou o seu pai, intervindo na conversa. 

— Então eu também vou para um intercâmbio! — falou Thomas. — Eu largo o colégio interno! 

— Eu estou falando grego por acaso? — protestou Taylor— Eu vou para um internato! Eu vou ficar bem! 

— Taylor, Loki está atrás de você! — afirmou a sua mãe. Taylor suspirou, sabendo da preocupação que ela sentia. 

— Eu sei. Eu sei. Prometo que vou ficar próxima de coisas de metal. — Taylor deixou que seus olhos lacrimejassem — Eu vou ficar bem! 

Foi a sua vez de abraçar a sua mãe. Sentiu os braços de Thomas também envolta dela. Depois foi os do seu pai. Era inacreditável que Taylor iria largar tudo aquilo... 

— Eu vou ligar para você todos os dias. E responda a todas as minhas ligações — ela se afastou do abraço, desfazendo o mesmo — E Taylor... — Pepper adotou um tom de voz mais severo, ignorando as suas lágrimas — Se você fugir com um universitário motoqueiro eu te mando para a China. 

— Não a subestime — cochichou Tony para Taylor. 

Taylor virou-se para ele e viu o seu semblante triste. Ele abriu os braços e se aproximou para um abraço. Taylor viu que ele segurava as suas lágrimas. 

— Se cuide, Taylor — Tony respirou fundo e deixou uma lágrima escapar de seus olhos. — Eu odeio o velocista, mas se você ficar com outro cara... 

— Eu te amo, pai! — interrompeu Taylor. Tony apertou mais o abraço. 

— Eu também te amo, Taylor! — retribuiu ele. 

Afastou-se dele e dou de cara com Thomas, que via a situação também com um semblante triste. 

— Me fala que eu vou com você! — ele não escondia as lágrimas nos seus olhos. — Há poucas semanas atrás eu recuperei a minha irmão de volta e agora vou perdê-la por causa de um cabeça de rena? 

— Thomas... 

— Isso não é justo! — exclamou ele — E você ainda por cima corre perigo. Pai, eu quero sair do colégio interno... 

Thomas não pode completar a frase depois de um tapa dado por Taylor. Aquilo já a irritava, e o jeito meloso e protetor de Thomas não vai desfazer a sua raiva. 

— Qual a parte do "eu sou a Magnética e tenho poder de controlar metais, não vou ficar em um lugar sem que não tenha nada de metal e vou ficar bem" vocês não entenderam? — gritou Taylor. Thomas olhou para ela furioso. 

— Você está em perigo! Eu não vou te deixar! — ele agarrou os seus ombros — Por favor, me fala que vai ficar bem! 

Os dois se abraçaram. Aquela fora uma relação de amor e ódio misturado com bipolaridade por parte dos dois. Os seus pais deviam pensarem a mesma coisa, pois eles ficaram muito atordoados com tudo aquilo. 

— Eu te amo, Taylor! 

— Eu também te amo, Thomas! 

— O que foi isso? — indagou o seu pai, confuso — Ainda bem que nunca tive irmãos. 

***

— Você vai ficar bem! — garantiu Barry, pegando a sua mão — Apenas tome cuidado! 

— Você também, velocista — falou também Taylor. — Só não... 

Taylor se perdeu em devaneios antes de terminar a frase. Imaginar que não poderá mais ver Barry lhe assustava. Taylor sentia um enorme aperto no coração. Ela largaria tudo o que fez agora para trás só por causa do seu tio. Thomas tinha razão. Aquilo era muito injusto. Barry desviou os olhos da vista dos prédios de cima da Torre Stark e olhou para Taylor. 

— Só não...? 

— Só não se esqueça de mim — pediu Taylor, olhando para ele. 

— Eu nunca irei me esquecer de você — após falar aquilo, Barry colou seus lábios nos de Taylor. 

Foi um beijo longe, pois Taylor sabia que ficaria muito tempo sem beijar alguém. 

— Barry, para de engolir ela e vamos embora — a fala de Cisco fez com que ambos se afastassem. 

— Obrigada, Cisco — disse Taylor irônica. 

— Toma cuidado, cara — falou Dylan, fazendo um toque com Cisco. 

— Você também, novo agente da S.H.I.E.L.D. — retribuiu Cisco. 

— Bem, boa sorte com os meta-humanos... E com o meu pai... — aconselhou Taylor. 

— Qual deles? 

— Os dois — respondeu a Caitlin. 

— E tome cuidado com Loki — disse Caitlin, se despedindo. 

Depois de um tempo, Taylor, Anna e Dylan ficavam vendo o carro onde estavam o time Flash se afastando deles. O trio se entreolhou. A partir dali, eles perceberam o que a vinda deles significou para os três. Taylor tinha o sentimento de que estava sem chão. Os três voltavam a pé para a Torre Stark, com caras de tristeza. 

— Eu vou sentir falta deles — falou Taylor. 

— Eu também. — falou Anna — Se lembram do primeiro dia que viemos aqui? 

— É. Taylor quase mata a gente e Anna desconfiava deles. 

Eles riram. Riram para não sentirem saudades. 

*** 

— Quando começam os seus treinos? — perguntou Taylor, enquanto saíam do elevador. 

— Próxima semana! Você vai ver! Quem sabe um dia vamos fazer parte de uma nova iniciativa dos Vingadores! 

— Não se empolgue tanto assim, Dylan! Nós nem começamos o nosso primeiro treino! — retrucou Anna, revirando os olhos. 

— É sempre assim. Você só sabe tirar a minha alegria e as minhas esperanças. 

— Dá para vocês dois não se matarem enquanto eu estiver fora? — Taylor pôs fim na discussão dos dois. 

— Mas quem é que vai impedir de começarmos uma guerra civil? Torunn vai voltar para Asgard e Thomas vai passar mais tempo com o pai dele construindo as armaduras! — disse Dylan, enquanto colocava as malas no chão. 

— Sai fora! Eu nem aguento ficar com vocês dois sozinhos por cinco minutos. — reclamou Torunn, nem querendo imaginar o seu trabalho de impedir que os irmãos gêmeos Whitney matem um ao outro. — Mas até de suas brigas sentirei falta! 

Torunn os abraçou. E o trio gemeu. Quando Thomas se aproximava deles com a última mala, ele foi puxado para o abraço. 

— Torunn.... Queremos continuar vivos! — disse Anna com a voz fraca. 

— Eu sei disso! Mas eu quero espreme-los até ficarem do tamanho de uma formiga e te levarem no meu bolso escondidos. 

Eles retribuíra, o abraço, vendo que Torunn estava muito emocionada naquele momento. Em frente à Torre Stark, o tempo estava muito frio e ameaçava chuva, do jeito que Taylor gostava. Todos. Com exceção de Torunn, que usava um vestido rosa com botas, todos estavam agasalhados. Taylor estava com a pele fria. Seu casaco jeans azul claro a protegia do frio e cobria a sua camisa personalizado da Magnética que uma loja vendia. Seus lábios já estavam rosados por causa do frio. 

— Me escrevam! — ordenou Torunn. 

— Mas você vive em outro mundo. — Anna avisou. 

— Vocês dão um jeito. Sei que vamos dar um jeito. 

— Está tudo bem, Torunn! Nós vamos nos ver de novo. — consolou Dylan. — Claro, se nos convidar para o seu aniversário. 

— Não! É sério, Dylan! — disse Torunn, agora falando sério. — Quando eu estava indo para Midgard, eu tinha o pensamento de que os meus pais me odiavam. Eu pensava que eu perderia o meu tempo aqui. Que eu ficaria sozinha. Mas eu experimentei uma coisa que eu nunca experimentaria em Asgard. — Torunn olhou para todos. — Eu só tive Uller como amigo a minha vida inteira. Mas nunca tive uma amiga. E eu nunca me apaixonei por ninguém. Eu achava que seria uma coisa boa dizer adeus a esse lugar há muito tempo atrás, mas percebi que será mais doloroso do que eu pensava. Vocês me ensinaram a como me divertir. Me ensinaram que eu não devo ligar para o que o meu pai pensa. 

— Nós também, Torunn. Nós também. — disse Anna, já sorrindo por ver que tem uma amiga fora daquele mundo. 

— Eu nunca vou me esquecer de vocês. 

Torunn olhou para Anna e a abraçou. 

— Está debaixo da sua cama. — disse Torunn. 

— O quê? 

— Você vai ver. — garantiu Torunn, se afastando do abraço e sorrindo para Anna. 

Torunn se direcionou para Taylor e Thomas. Ela abraçou logo os dois. 

— Vocês dois me fazem pensar em como seria se eu tivesse irmãos. — disse Torunn. — E eu espero ser uma excelente irmã para o meu irmão. 

— Toma cuidado, loirinha. — Thomas retribuiu o abraço, o mesmo fez Taylor. 

— Fique segura, Taylor. — pediu Torunn. — Você me ensinou muita coisa. E é muito bom ter um membro da minha família do meu lado nesses dias. 

— Torunn... E se alguém suspeitar sobre... Aquilo? 

— Aquilo o quê? — perguntou Torunn se afastando do abraço. — Suspeitar de quê, filha do Tony Stark? 

Taylor sorriu. Torunn, assim que se afastava do abraço de Thomas, avistou Dylan espiando a cena de dentro da Torre Stark. Torunn suspirou. 

— Dylan é muito idiota! 

— Não se preocupe, Anna! Eu darei um jeito nele. — disse Torunn, caminhando até Dylan. 

O mesmo cruzou os braços e fingiu interesse em alguma coisa. Torunn parou do seu lado e Dylan disse.: 

— Você não tem que voltar para Asgard não? Uller já deve estar te esperando! — afirmou Dylan. Torunn deu um sorriso discreto para si mesma. 

— Que gentileza, Dylan. — disse Torunn, sarcástica. Torunn pegou na gola de sua camiseta. — Irei embora em poucos dias e é assim a sua despedida para mim? 

— O quê? Thomas já não se despediu de Thomas? — falou ele de cara fechada. — Torunn, eu vou entender se você... 

Torunn assim como Taylor, nunca beijou ninguém na sua vida. Mas ela vai embora. Talvez demore muito para Dylan reencontra-lá novamente. E, por isso, um selinho já bastava para os dois. Torunn colou os lábios dos dois e foi um beijo bem rápido. Quando Torunn se afastou, uma vermelhidão lhe atingiu nas suas bochechas. 

Dylan continuava parado, fitando Torunn sem expressão alguma. Levou segundos para entender o que acabara de acontecer. Ele sentiu, de alguma forma, que faíscas saíam dele e que se aquilo fosse um filme, o público aplaudia de pé. Torunn, mesmo com uma extrema timidez de sua parte, deu um sorrisinho envergonhado. Dylan se aproximou dela sem mais nem menos e colou os seus lábios novamente. Ele pretendia dar um beijo de língua, mas as suas línguas mal se tocaram e ouvem uma voz que fez Dylan sentir calafrios pelo corpo. 

— Torunn, está pronta? 

Os dois se afastaram a tempo antes que Thor visse direito a cena. Mas Jane, que estava do seu lado e conseguiu ver tudo, paralisou na mesma hora. Torunn e Dylan deram as costas para eles dando tempo de se recomporem. 

— Torunn? — perguntou Thor novamente. Ele olhou para Jane. — O que houve aqui? 

Torunn e Dylan olharam para Jane com esperança. Jane nem sequer olhou para eles e disse.: 

— Torunn estava se despedindo de Dylan — mentiu ela. 

Jane olhou para os dois e sorriu discretamente. Dylan e Torunn soltaram o ar que prendiam nos seus pulmões. 

— Ah, claro! Dylan... — Thor o fuzilou com o olhar. — Eu quero falar com você, garoto! 

Dylan se desesperou por completo. 

Torunn e Jane os deixaram a sós. Dylan queria ter ido com elas, pois Thor o olhava de uma forma estranha, como se quisesse a cabeça de Dylan empalhada na sua parede. Por fim, Thor soltou um suspiro. 

— Eu não sei o que a minha filha vê tanto em você para ficar falando sobre você — falava Thor — Não sei as suas intenções com a minha filha, mas... Eu tenho que te agradecer por ter se sacrificado para salvá-la quando vocês atacaram a base dos meta-humanos. 

Dylan relaxou os ombros. 

— N-Não tem de quê... Senhor — Dylan se esforçava para não gaguejar. 

— E agora vejo o quanto você é importante para Torunn — refletiu Thor — Mas eu sei muito bem como são os garotos da idade de vocês em Midgard. 

— Eu te garanto! Thomas é o mulherengo! Por mais que me esforce, eu nunca consegui uma menina... — Dylan parou de falar ao ver que abria a boca demais. 

— Como posso saber se você é diferente deles? — questionou Thor — Vejo o quanto que Torunn gosta de você e você dela. E sei muito bem que se atrasar o coração dela, ela ficará triste. E a única coisa que eu quero no mundo é ver a minha filha triste por causa de um garoto como você! 

Dylan preferiu se manter calado. 

— Espero que tenha entendido, Dylan! — falou Thor. 

— S-Sim, senhor... — respondeu Dylan, assustado. 

— Pai! — chamou Torunn. Thor deu uma ultima olhada para Dylan e depois saiu do saguão. — Não fique assim, Dylan. — Torunn virou Dylan para ela — Sei muito bem que você é diferente dos outros. E muito especial para mim! 

— Eu sou? — Dylan percebeu o quanto aquela fala saiu boba da parte dele. Se ela te beijou é lógico que você é especial. 

Torunn o beijou novamente. 

— O que você acha? 

— Ei! Vocês dois — chamou Anna. 

Os dois se afastaram, sorrindo um para o outro. 

Ao se aproximarem deles, Torunn e Dylan viram Thomas, Tony, Pepper e Taylor se abraçando. O ônibus já estava estacionado, enquanto recebia as bagagens de Taylor. 

A mesma olhou para os seus amigos e estendeu o braço. Eles também participaram do abraço coletivo. 

Sim, aquele era o final de sua história. Taylor tinha que voar, pois estava sem chão. Ela se sentia aflita. Era horrível sentir aquilo. Ela queria poder voltar no tempo e viver tudo aquilo novamente. Taylor estava muito triste agora. Moraria em outro estado por causa de Loki. Eles se afastaram do abraço quando o motorista buzinou. As portas se abriram. Taylor olhou para elas e, hesitante, subiu-as. Passou pelas fileiras e encontrou um lugar vago no fundo. Sentou-se na janela e viu os seus pais, o seu irmão e os seus amigos do lado de fora. Ela tocou no vidro, como se fosse um aceno para eles. Tentou pensar que tudo daria certo, inacreditavelmente. Deveria estar feliz por eles. Thomas se reconciliou com a sua família. Anna e Dylan serão agentes da S.H.I.E.L.D. E Torunn terá uma história para contar e compartilhar com Uller. 

Do outro lado da rua, um idoso observava-os e encarava a garota por trás de Magnética. Eles estavam escondidos em um beco. Uma mulher de azul se aproximava dele e sussurrou.: 

— Quando vamos pega-la? — perguntou. — Está é a hora perfeita. 

— Paciência, Mística. Paciência — pedia o idoso, calmo — Tudo tem a sua hora. — ele olhou mais atentamente para Taylor. — E a hora dela vai chegar. Charles foi bem esperto e rápido ao procurá-la antes de nós. Ele sabia que, assim que soubesse de mais uma pessoa com campo magnético no mundo, eu a procuraria. 

— Então quando é a hora certa? — pergunta Mística, também calma. 

— Logo, minha cara! Logo! 

O ônibus começou a andar. Taylor ficou olhando para fora da janela até perder todos que amavam de vista. Se sentiu sozinha. Sem os seus pais, sem o seu irmão e muito menos sem os seus amigos. E muito menos sem o time Flash. Quem diria que um dia imaginariam isso de Taylor? A parceira do Flash? 

Ela fechou os olhos, tentando relaxar a mente enquanto pingos de chuva apareciam na janela do ônibus. Respirou fundo, segurando as suas lágrimas. Pegou o seu caderno de desenhos do seu bornal e começou a folhear os seus desenhos. 

Era uma nova aventura para ela. Sem a companhia dos seus amigos e dos seus pais de criação. Irá para um lugar onde só tem estranhos para ela. Taylor olhou pela janela, apreciando a vista. Isso daria um ótimo filme. Mas deixar tudo para trás é muito mais difícil. E pior ainda quando descobre que o seu pai é um criminoso e o seu tio um deus nórdico. Mas sabia que um dia voltará. Taylor verá Anna, Dylan, Thomas e Torunn novamente. Todos eles juntos novamente. E um dia, encontrará Barry, Cisco e Caitlin. Se encontrará com Peter Parker. E até se encontrará, infelizmente, com Oliver Queen um dia. Taylor tinha que admitir, agradecia por ele ter a ajudado a se defender, mas preferia não dizer isso a ele. 

Continuou olhando pela janela. Uma hora, eles passaram por um muro bem na hora em que o ônibus parava em um sinal vermelho. Era um desenho da Magnética e do Flash. A heroína da cidade estava indo embora dali. Então esse é o fim. O fim da sua jornada, e o começo de outra. E nem Loki pode a impedir. 

Mas se algum dia, por coincidência do destino, Loki cruzar no seu caminho, ou o dos seus amigos, não a importava se ele era o seu tio ou não. Se ele sabe sobre mim ela ou não, aí sim é um grande problema. Não fazia a mínima ideia do que fará com ela, mas sabia que a sua mãe tem os seus motivos para a esconder de você. Talvez a usar ou algo assim. Taylor sabe muito bem que Snart não vai ser como o Darth Vader. Mas agora ela entende o Luke Skywalker. Descobrir que o seu pai é o pior ser do mundo, e não entender de como isso tudo aconteceu, quem era a sua mãe, quem realmente era o seu pai quando ele conheceu a sua mãe e como ele não sabe de sua existência a irritava muito. Mas pelo menos, Luke acreditava que Darth Vader ainda tinha bondade no coração, e ele tinha mesmo, porque Luke o trouxe para o lado da luz. Mas isso não quer dizer que Taylor consiga deixar o seu pai bonzinho. É impossível. E as suas circunstâncias são bem diferentes. Taylor não tinha toda essa esperança que Luke tinha. E o seu tio está mais sombrio que antes. Ele não parecia ser mais o mesmo. Não parecia mais o vilão fraco que era quando os Vingadores o enfrentaram. 

Um dia, Taylor descobrirá as respostas que agora tanto procura. Um dia, ela voltará. E Taylor quer que fique desse jeito; ela fica na sua, Snart na dele e que Loki fique bem longe dela. Se ele descobrir de tudo, e vier até ela com a maior cara de pau vai pagar por fazê-la ter de se afastar de sua família. E pode trazer o seu exército... Isso não é o fim, é apenas um "Até logo". Porque tem o mais importante de todos... O Hulk! 

— Isso aí! Pensamentos positivos — disse uma voz. 

Taylor levou um baque e abriu os seus olhos. Não fazia a mínima ideia de como aquele homem parou bem do seu lado tão rápido e discretamente ao mesmo tempo. 

O que lhe chamava a atenção era os seus cabelos um pouco grandes e prateados. Ele usava um óculos, que o retirava bem rápido. Seu estilo era uma mistura de corredor e hippie, mas não chegava a ser tão bizarro quanto às roupas que Torunn costuma usar. Segurava em suas mãos um saco com pipocas dentro. Depois de engolir uma, ele aproximou o saco de pipocas para Taylor. 

— Quer um pouco? — ofereceu ele. 

— Não, obrigada — falou Taylor meio sem jeito. 

— Segura isso para mim, por favor? — indagou ele, lhe entregando o saco de pipocas para Taylor. — Acho que guardei um saquinho de sal no meu bolso. 

Ele estava certo. Pegou o saquinho de sal e o abriu. 

Chegou o momento que fez o cérebro de Taylor falhar. Com uma rapidez incrível, não sem antes de se certificar de que ninguém os via ali, começou a colocar sal em cima da pipoca. Depois, ele pegou o saco de pipocas de volta com a sua rapidez e voltou a comer. 

— Mas o quê... 

— Já ouviu falar em um tal de Charles Xavier? — perguntou ele. Taylor imediatamente entendeu tudo aquilo. 

— Por favor, me diz que não é um meta-humano — desejava ela. Ele pegou tá,bem um cartão do seu bolso e o entregou para Taylor. 

— Não esquenta! Eu sou um mutante — ele falou a última frase baixinho. — Bem, você é uma metade mutante e metade meta-humana, se não me engano. Magnética, não é? 

Taylor arregalou os olhos para ele. 

— Quem é você? 

— Prazer — ele estendeu a mão e fez um aperto de mão com Taylor — Pietro. Mas prefiro que me chamem de Mercúrio e... Aceito você não me atacar e não falar que sou um mutante. 

De alguma forma, Taylor sentiu que ele não era tão perigoso assim. 

— Pipoca? — ofereceu ele novamente — Se ficar tudo para mim, vai acabar rápido. 

Taylor olhou para a pipoca e depois para ele. 

— Quero — aceitou ela, meio hesitante. 

— Então, Taylor, não é? — indagou Pietro — Sabe porquê Fury indicou Wechester? 

— Me dê motivos para confiar tanto em você assim — perguntou Taylor, cheirando a pipoca antes de comê-la. Sabe que não deve aceitar nada de estranhos. Mas como se esse estranho sabe o seu maior segredo? 

— Por que você não fala que sou mutante agora e não falo que você é a Magnética — ele piscou o olho — Enfim... O curioso de Wechester é que, há poucos quilômetros de sua casa ou do seu internato, existe um Instituto... 

Taylor pegou o cartão de Mercúrio enquanto mastigava a pipoca. 

— "Instituto do Professor Xavier para Jovens Super Dotados". — Taylor relia. Ela olhou para Mercúrio. 

— Mudando de assunto... Eu soube que você é amiga de outro velocista! 

Taylor olhou para Pietro. 

Não. Aquele não era definitivamente o fim de sua jornada. Nem de longe será. 

 


Notas Finais


Na Nanan na na nnannnnn..... (Pra quem não sabe, ou seja, ninguém, é a música Heathens do Esquadeao Suicida. A música onde aparece os créditos finais).

Novamente eu quero agradecer a vocês que fizeram com que eu continuasse a fanfic e que ela estivesse no coração de cada um de vcs. E, com esse final... Será que Pietro só terá essa participação na fanfic???????

Enfim.... Mais surpresa estão por vir. Vai por mim. Espero que gostem!!!!


É comentem!!!!! :) :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...