História Maid!? Watashi!? - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ansatsu Kyoshitsu (Assassination Classroom)
Tags Karma X Nagisa
Visualizações 327
Palavras 1.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heuehuej

Capítulo 17 - Cap.17- Não me olhe assim!


Fanfic / Fanfiction Maid!? Watashi!? - Capítulo 17 - Cap.17- Não me olhe assim!

Cap.17

Pov's Nagisa

Peguei o meu celular e...

-Nagisa, viemos em um mercado do bairro vizinho para fazer uma visita no café da minha irmã.

-Nagisa, onde você está?

-Venha nos ajudar, o café está cheio.

E mais outras mensagens do tipo, agora fazia sentido por que elas estavam ali.

-Nagisa, aquelas não são suas colegas?

-Aparentemente tenho que ir ajudar, gomen né depois eu ajudo você e a sua mãe em casa.-. Juntei minhas mão com a cabeça virada para o chão.

-Tudo bem, ainda tenho que ir pegar algumas coisas e depois volto para te buscar.

-Não precisa, eu consigo voltar sozinho.

-Sabe o caminho?

Fico em silêncio, pior que eu realmente não sabia, eu fui para o mercado perdido nos pensamentos e mesmo que tentasse memorizar eu sou péssimo nisso.

-Não, mas eu dou um jeito...

-Para de cú doce.

-Karma não fale palavrão, por favor?

-kkkk okay

Vou em direção ao café e me troco no banheiro, aparecendo na cozinha e vendo a cara de nervoso da minha gerente.

-Nagisa ! Onde estava?

-Sem sinal...

-Aff, Asano-kun faltou e a cozinha como pode ver esta bem corrida, atenda os clientes em quanto em tento dar algum jeito.

O café era típico daqueles que fica no fundo do mercado para as pessoas passarem e ter a vontade de beber algo apenas sentindo o cheiro do café no ar.

Agradável, porem como hoje havia "maids" o café deve ter enchido por causa da curiosidade por coisa diferente que pessoas tem, deixando ele mais corrido do que "agradável".

-O que o senhor deseja?

-Um café expresso, com açúcar separado por favor.

Anoto o pedido no caderdo de blocos, e abaixo minha cabeça, sinal de respeito aos clientes, sabe como japão é né?

Algo passou pela minha cabeça, então Asano era o nome do garoto daquele dia, parece que ele e Karma não se dão bem.

Um momento... Asano? Eu já ouvi esse nome antes, onde mesmo?

Asano... Asano...Asano... Asano...

Asano?

-Aaaaaaaa!

-Nagisa ! Não grite do nada o que aconteceu!?-. A gerente me olhava confusa, e os clientes assustado com o ato repentino.

-D-desculpe, não é nada-.Digo coçando a cabeça e esfregando meu pé no chão envergonhado.

Gakushu Asano, sim eu me lembro desse nome, o que ele era mesmo? Esse segundo nome me lembra algo... Asano...

-Aaaaaaaa!

-Nagisa !

-Desculpa-. Coloco minhas mãos na boca corando por conta do escândalo que acabei de fazer.

Atendi mais uns, mais outras, outros crianças e etc, eu não odiava o trabalho, só não consigo acostumar com esse uniforme ridículo.

-Eu vou chorar..-. Estava exausto, o dia parecia que não passava.

-O que disse Nagisa?-. Era a veterana gentil.

-Nada não senpai! 

-AAAAA!!-. Essa voz...

A senpai sai correndo indo em direção da voz escutada, era meio preocupante, pois parecia mais um berro...

-Pessoal não é nada, podem continuar a comer ou beber.-. Pessoas na mesa e nas bancadas começaram a comentar sobre o ocorrido.

Vou até a cozinha e vejo uma das funcionárias que estava cozinhando com a perna queimada.

-Nagisa ligue para o médico, você continue a atender os clientes, não podemos deixar eles preocupados ou algo assim.

Ela faz "sim" com a cabeça e volta com a bandeja na mão, atendendo quem estivesse ali.

-Foi bom eu voltar rápido, o que houve?

Karma! O que ele faz aqui?

-O que faz aqui? Espere, você é aquele que cuidou da Nagisa certo?-. A gerente dizia com os olhos brilhando, quem diria que até ela fazia uma reação desses.

-Sim, espere ela está bem?

-Sim, mas...-.Ela aponta para a cozinheira queimada.

-Deixe me ver, coloque ela cuidadosamente no banco e tragam uma pomada e um pano molhado.

-Como?-

-A queimadura não foi grave, diria que foi bem simples, só respingou água, pomada vai aliviar a ardência, provavelmente ficará marcada em tonalidade de marrom, mas não é grande coisa.

 A gerente pega as coisas trazendo para onde a garota estava sentada.

Karma pega o pano com água fria colocando-o em cima da pele dela, era feito com tanto cuidado que algo me incomodava por dentro.

Ele começou a passar pomada e depois sorriu para a funcionária, algo muito errado está muito errado, o que é essa sensação!?

No que estou pensando? Ela está ferida e ele cuidando de seu machucado isso não tem prob... Por que ela está corada e ele sorrindo!?

-Vou continuar o meu trabalho, com licença

-Nagi? 

Ignoro ele, espera por que eu o ignorei? Ele não fez nada de errado, aff eu estou muito confuso, respira, inspira e não pira palavras da Kayano.

-Volte para casa,e passe a pomada depois do banho e antes de dormi, evite tampa-lo, deixe a pele respirar bem.

-Já chamei um táxi para ela e afinal qual é seu nome?

Pov's Karma

Nagisa sai batendo o pé, fico confuso e tento ir atrás dele, mas sua gerente me impede fazendo xinga-la mentalmente.

-Karma Akabane.

-Sabe cozinhar? Eu preciso muito de ajuda, e aparentemente você já conhece a Nagisa.

-Não está errada, e sim sei cozinhar.

-Maravilha! Aceita trabalhar apenas por hoje?

E poder ver Nagisa naquela roupa o dia inteiro? Óbvio, só preciso saber o motivo pelo qual está emburrado.

-Coloque o uniforme, está naquele quartinho de trás.

Vou lá e me pergunto o por que eles tem uniforme masculino, já que Nagj trabalha como menina devia ter um motivo que ele não possa dizer que é garoto, eu acho.

Coloco o uniforme e me olho no espelho, fico estranho, é só um dia mesmo não vou reclamar.

Vou para a cozinha e começo a preparar os pratos rapidamente mas ao mesmo temlo com cuidado.

-2 omeletes e.... nossa.-. Nagisa entra com uma cara de surpreso, sera que ainda está emburrado por nada?

-Nagisa-kun?

-Você sabe cozinha?

-É mais ou menos, sei fazer miojo então acho que sei faze um risoto.

-É diferente... Ele parece se tocar de algo e vira igual antes.

-Oe Nagisa... Nagisa-kun! 

-Volte ao trabalho.

-Mas...

Ele me olha depois cora e volta como estava antes, esse ser sabe como me deixar confuso.

Ele volta falando mais um pedido, vejo o seu frágil corpo com aquele uniforme...

Deixo de fazer tudo no momento, chego perto de Nagi e agacho em direção a sua meia calça que estava meio para baixo.

Arrumo a meio e beijo sua coxa olhando para cima vendo um tomate, dou um sorriso inocente que logo vira um sorriso malicioso e...

-... NÃO ME VEJA ASSIM ! HUMPF!

Ele sai nervoso igual a um coelho sem cenoura, ou um ursinho pooh sem mel.

Passou algumas horas e o café estava bem calmo, a gerente liberou eu e o Nagi, estava cansado nunca tinha cozinhado na vida.

Troco de roupa, em seguida me espreguiço estralando minhas costas e meus dedos, estou parecendo um velho.

Nagisa sai em passos apressados, pego em seu pulso puxando para mim, aquilo estava sendi irritante já!

-Oe Nagi, não faz isso comigo-. Tento fazer uma voz manhosa, mas ele parece ser imuni a tentativas de fofura Karma.

-Estou f-fazendo nad-da-. Ele fica emburrado e vira a cara tentando virar para voltar ao rumo.

-Mentira-. Colo meus lábios nos seus dando um longo selinho.

-O uniforme caiu muito bem em você-. Ele abaixa a cabeça, mas dava para ver que estava corado.

Pego em seu rosto e encaro ele rindo, depois beijando suas bochechas fazendo com que resmungue algo.

-Vamos para casa, sua mãe deve estar preocupada

-Vamos!

Pegamos a bicicleta e fomos a minha casa, em questão de minutos na bicicleta eu sinto um peso nas minhas costas me agarrando pela cintura.

Rio da situação, e sinto um calorzinho nas costas, eram as bochechas dele com certeza.

-Por que corou quando Asano chegou perto de você naquele dia?

-É vergonhoso falar...

-Você gsota dele? 

-NÃO! -.Quase ele cai da bicicleta.

-Heeee, sei

-Aff, eu só me senti mal por não ter o tamanho que vocês tem, e pare de pensar em coisas inútil, gosto só de você.

Me surpreendeu bastante dessa vez Nagi

-D-D-Digo!, aaaa se is-sso for possível, quero d-dizer, eu também aaaaaaaa.

Ele volta a me abraçar, e eu volto a sentir o seu rubor nas minhas costas, eu, rio, Nagisa era fofo de mais em um nível sobrenatural.

Então eu não preciso me preocupar com Asani, era só questão de tamanho, me sinto aliviado por algum motivo.

Não temos nada concreto, aoenas fazemos isso por puro desejo e talvez atração? Eu não sei...

Chegamos em casa e já vou ver como minha mãe está, meu pai já tinha voltado então estava tudo sob controle.

-Karma! Filho por que você nem chegou direito e já foi saindo?

-É que precisava buscar o Nagisa

-Ora, esqueceu ele lá?

-Longa história, mas nada que tenha a ver com nós.

-A Nagisa, só temos 2 quartos você tera que dormi com Karma, gomen !

Pov's Nagisa 

Como assim!? Um lugar gigante desses só tem 2 quartos!? Você deve estar zoando com a minha cara...

Olho para Karma e ele apenas sorri, claro o que esperar de Karma, não vou protestar, afinal já não basta estar ali de favor...

Minhas bochechas estavam vermelhas,o que eu faço Kami-sama?





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...