História Mais do que um amor - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Jamon, Keroshane, Leiftan, Miiko, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Eldarya, Wonzinha
Visualizações 1.154
Palavras 1.736
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não sei o que falar sobre esse capítulo... Hehe
A pedido de ~Marysdmm, e por algumas das leitoras que shippam ela com o Ezarel :3

Capítulo 8 - Erros e erros.


Fanfic / Fanfiction Mais do que um amor - Capítulo 8 - Erros e erros.

   Acordei na madrugada, estava novamente com insônia. Fiquei um bom tempo me perdendo em pensamentos, eu estava refletindo sobre a noite passada. Resolvi tomar um banho, me despi e soltei meu cabelo.

   A água fria me deu o "despertar" que eu precisava, agora sim estava acordada. Terminei meu banho e saí enrolada na toalha, indo em direção ao meu armário. Peguei minha lingerie e um blusão, que ia até o começo da coxa e um short largo.

       QUEBRA DE TEMPO  ~
   Já estava na hora de tomar café, mas eu estava sem fome, e com muita dor de cabeça. Resolvi esperar Ezarel sair de seu quarto para abordá - lo, o que não demorou muito.

   - Ei! Ezarel! - Ele estava de costas, logo se virando para mim.

   - Sim?

   - Eu acordei com dor de cabeça, não tem como você me indicar uma poção? - Disse pondo as mãos na nuca.

   - O que eu ganho com isso? - Ezarel disse sarcástico.

   - Terá feito uma boa ação, o que você não faz muito. E, ajudará uma amiga! - Ezarel revirou os olhos sorrindo - Tá.. deixa eu pensar... Se eu te der meus biscoitos e mel hoje você faz isso pra mim?

   - Você sabe muito bem como fazer negócio. Vou pegar pra você, me espere aqui. - Ezarel estava saindo quando eu segurei seu braço.

   - Não precisa, apenas me diga qual poção é e eu mesma vou ir pegar, já sou grande o suficiente! - Disse rindo e dei língua pra Ezarel.

   - Pra mim, você vai ser sempre uma menininha, a minha menininha. - Eu corei e desviei o olhar de Ezarel. - Voltando ao assunto... Pegue a poção que fica ao lado das dos mascotes, só não tome mais do que meio copo, pois essa poção tem efeitos "estranhos", se não tomada corretamente.

   - Claro. Até mais, Ez. - Fui em direção ao laboratório de alquimia.

   Chegando lá, vi os estoques de poções e rapidamente achei a poção que procurava. Abri a poção e me lembrei das palavras de Ezarel: "Não tome mais do que meio copo, a poção tem efeitos estranhos..."  Sinceramente, eu não queria saber de nenhum efeito. Só queria relaxar, e além do mais, os efeitos não devem ser tão ruins assim.

   Em um só movimento virei a poção para dentro da minha boca, aquela poção era realmente muito saborosa. Bebi um pouco mais da metade e guardei ela em seu devido lugar. Minutos depois, minha dor de cabeça estava mais fraca. Sentei na cadeira e fiquei lendo o livro de poções que estava aberto. Senti uma leve tontura, e não conseguia mais me focar naquelas letras. Acho que os efeitos da poção estão começando.

      QUEBRA DE TEMPO ~
   Eu estava totalmente zonza,  aquela poção me deixou meio bêbada. Me levantei e fiquei cambaleando. Fui em direção ao meu quarto, que estava muito longe. Avistei Ezarel na Sala das Portas, e um pensamento me veio a tona: "Quem sabe eu não possa me divertir um pouco com Ezarel, vai ser uma grande maneira de esquecer Nevra". Um sorriso discreto surgiu em meu rosto.

   Corri até Ezarel e puxei ele, sem nem perguntar se ele queria vir ou não. Estava indo para seu quarto. Abri a porta e "empurrei" Ezarel pra dentro.

   - O que você tá fazendo?! - Ele estava surpreso.

   - Só estou proporcionando um pouco de diversão pra você. - Deixei um sorriso malicioso escapar. Me aproximava de Ezarel, e ele recuava. - Fica quieto!

   Agarrei o braço de Ezarel e o puxei para mim. Encostei seus lábios nos meus, enquanto Ezarel se debatia, mas eu não estava com paciência. Sentei ele na cadeira e sentei em seu colo, senti sua ereção. Comecei a rebolar enquanto passava a mão em seu abdômen por cima de sua roupa. Beijei seu pescoço levemente, o que o fez soltar um gemido baixo. Sorri e deixei um chupão em seu pescoço. Fiz menos peso em suas pernas, deixando ele mais "solto". No mesmo momento, ele segurou minhas mãos e me empediu de continuar.

   - Você não é nada legal... - Eu disse fazendo bico.

   - O que aconteceu com você ...? Deixa eu adivinhar, você tomou mais do que devia da poção, não é mesmo? - Ezarel disse tentando manter a calma.

   - Ahh.. Qual é! Bebi um pouco demais sim, mas isso não vem ao caso! Agora deixa eu continuar... - Comecei a rebolar novamente, mas ele me prendeu com as pernas.

   - Annabel... Não podemos continuar com isso, vai por mim, você tá bêbada! - Ele me tirou de seu colo e me colocou sentada na cama.

   - Eu sei... Eu sei... Agora estou vendo a besteira que eu ia fazer, me desculpa mesmo Ezarel! - Ele se sentou ao meu lado e disse:

   - Tudo bem... Eu sei que você nunca faria isso se estivesse totalmente sóbria. Da próxima vez, só me escuta. Estamos entendidos? - Ele estendeu a mão pra mim.

   Assenti e peguei em sua mão. Saí de seu quarto e fui em direção ao meu. Nunca mais eu vou fazer esse tipo de coisa. Qual é o meu problema?!

         P.O.V'S NEVRA ~

   Acordei hoje com os nervos lá em cima. Eu preciso arranjar um jeito de Annabel me perdoar, preciso muito. Só que não sou muito bom em fazer coisas fofas... O que me resta é pedir ajuda para Ezarel, eu conheço muito bem Annabel, mas estou inseguro sobre o que fazer... Espero que Ezarel  me ajude.

   Fui em direção a Sala Principal, Annabel não estava lá. Estava me sentindo um idiota no meio de Valkyon e Ezarel. (Só lembrando que isso aconteceu depois do quase hentai do Ezarel.) Me aproximei donde Ezarel  estava e me sentei na cadeira ao lado.

   - Ezarel, podemos conversar ... ?

   - C-claro... Do... que precisa? - Notei que ele estava nervoso.

   - Queria falar sobre Annabel...

   - Eu - Eu não fiz nada! .... Não foi.. - Interrompi Ezarel.

   - Calma, só queria um conselho seu. Queria fazer um agrado pra Annabel mas não sei como fazer... Poderia me ajudar?

   - Tá... Deixa eu pensar... Já sei! Por que você não faz um encontro com Annabel? Tipo, um piquenique. Acho que isso funcionaria, se quiser eu posso te ajudar.

   - Obrigado, obrigado, obrigado! Não precisa, você já me ajudou o bastante - Abri um sorriso enorme e saí correndo.

         P.O.V'S ANNABEL ~
   Tomei outro banho para tentar voltar ao normal. Deitei na cama e fiquei fazendo absolutamente nada. Ouvi batidas na porta e fui atender, mas não tinha ninguém. Olhei em volta e vi um bilhete, que estava na frente da porta.

  Me encontre hoje as 19:30 no Quiosque Central, se quiser resolver de uma vez por todas nossos problemas.

   Assinado, Nevra.

   Será que eu devo ir? Me senti confusa. Eu não sei se quero que as coisas fiquem do jeito que estão... Nem sei se quero que fiquem como antes.

   Vou ir. Não tem como me decidir se não ouvir o que Nevra tem para falar. Eu confesso que fui má com ele na última vez que nos encontramos.

     QUEBRA DE TEMPO ~
  
  O horário marcava 19:10, já estava na hora de me arrumar. Vesti uma blusa solta e um short de malha, Vesti uma blusa casaco grande por cima, estava frio. Soltei meu cabelo e coloquei uma coroa de flores, junto com um colar com o pingente de lua.

   Cheguei no horário exato em que Nevra pediu,  mas não estava vendo o mesmo. Parei para olhar o local, ele estava com uma toalha estendida no chão e umas flores em volta. Nevra sabia ser romântico quando queria. Me aproximei mais, só que ainda não avistava ele.

   De um segundo pro outro senti duas mãos me abraçando por trás e rodeando minha cintura.

   - O - Obrigado por ter vindo. Eu estava receoso em relação a isso. - Nevra falou em meu ouvido, eu me virei de frente pra ele e tirei suas mãos de minha  barriga.

   - Por qual razão me chamou aqui? - Fui direta.

   - Eu queria novamente te pedir perdão... - Interrompi ele.

   - Já conversamos sobre isso aquele dia. Não temos mais nada para conversar.

   - Mas Annabel...

   - Sem mas. Até mais, Nevra. - Me virei para ir embora, quando Nevra segura meu braço e me abraça. Ele começou a chorar e falar com uma voz manhosa.

   - Por favor, Annabel... Eu só peço que.. v-você me p-erdoe! Eu.. eu.. errei muito com você e me a-arrependo! Só escuta o que eu t-tenho pra falar! A pessoa que eu mais amava estava sendo acusada de me trair, o que acha que eu senti?! E depois, q-quando vocês estavam brigando e eu descobri a verdade da pi-or maneira possível, eu fiquei totalmente abalado, não só por ter sido traído... Mas sim por maltratar você! Eu fui um idiota Annabel - Ele não parava de chorar - E-eu mereço sim tudo o que você está fazendo, m-mas eu... Só quero que v-você me per..perdoe...

   Eu não aguentei e retribui o Abraço de Nevra, acariciei seus cabelos e deixei que ele chorasse. Eu nunca tinha pensado por esse lado da moeda...

   - Não chora... Já está tudo bem.. Shh - Limpei suas lágrimas e fiz ele ficar cara a cara comigo. Decidi contar sobre o acontecimento de hoje, decidi ser sincera com ele. - Sabe, Nevra... Hoje eu e o Ezarel quase ... transamos. Eu decidi ser sincera com você...

   - O-oque?! Q-quer dizer que vocês agora estão... juntos?! - Ele abaixou a cabeça e colocou as mãos no rosto - Devia ser esse o motivo de Ezarel ficar tão nervoso quando fui falar com ele! N - Não vou mais te inco... - Interrompi ele pela quarta vez, se não me engano.

   - Não é nada d-disso! Eu estava bêbada por um efeito de uma poção, nada mais.. Não chora por mim, de novo não. - Peguei suas mãos e as tirei de seu rosto, coloquei as minhas mãos em suas bochechas e fiz carinho nele.

   - Annabel, eu.. Eu...

   - Você?! - Falei curiosa.

   - Eu... te.. - Ele hesitou - Ah.. deixa pra lá. - Nevra corou mais do que já estava, prendeu suas mãos na minha cintura e me puxou para um beijo. Eu não resisti.

   Nevra tinha me magoado, mas agora eu estava realmente pronta para perdoar.


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...