História Mais perto do que se Imagina - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 3
Palavras 713
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Bônus (Não Recomendado para Menores de 18)


... Sua boca passeia por todo o meu corpo e suas mãos se concentram em estimular meus mamilos já desnudos, me perco no barulho de nossas respirações, seu corpo sobre lentamente o trazendo mais para perto, suas mãos se separam uma dando apoio para ele no beijo e outra fundindo nossos corpos, da sala já não vejo mais nada, somente o homem em cima de mim e seus olhos negros, sua boca parece faminta assim como a minha. Afasta-se vagarosamente colocando meus braços em seus ombros e puxando minhas pernas para termos o máximo de contato possível, sua boca ainda me domina fazendo uma trilha de beijos e mordidas ate o meu colo, chegamos aos tropeços ao pé da escada ele sobre sem nos soltarmos, o tempo passa quase imperceptível, seus pés são ágeis e quando menos espero minhas costas já entra em contato com a madeira fria da porta do meu quarto, pela primeira vez sua mão se afasta do meu corpo, ele abre a porta e me joga na cama ferozmente, vira-se para trás e fecha à porta, caminha ate mim como uma fera enquanto desfivela seu cinto, seu tronco já desnudo sobe e desce, suas mãos pairam sobre seu quadril, e me olha com divertimento misturado com perversão:

 

-Bela Alice não quer vir me ajudar?

 

Sorrio e me levanto indo ate ele, abaixo até um pouco abaixo do seu quadril e puxo suas calças, ele acompanha os meus movimentos passando sua língua pelos seus lábios, jogo sua calça sobre a poltrona ao outro lado do quarto, e me direciono para sua cueca, seu sorriso aumenta mais quando coloco minhas mãos para trás e aproximo minha boca da borda, puxo, ela cai sobre os seus pés olhos para o seu majestoso (sinceramente não pode ser chamado de outra maneira), com minha boca salivando, ele sorri abertamente:

 

-Intimidada bela?

 

-Não já vi maiores - seu sorriso vacila.

 

Levo minhas mãos ao seu mastro, subo e desço, ele ofega, aproximo minha boca da glande, lambo seu rosado, seus gemidos ecoam pelo quarto, começo a aprofundar seus pênis em minha garganta, engulo e recuo, repetidas vezes, logo sua mão envolve meu cabelo, o puxando com força e rapidez, massageio seu testículos, começo a sentir os tremores de satisfação liberados pelo seu corpo, ele imunda a minha boca, lambo a sua extensão, sou puxada para cima e jogada logo em seguida na cama, ele abre minha pernas, puxa, arrancando de mim a fina peça que ainda se mantinha em meu corpo, olha para mim e afunda a cabeça entre as minhas pernas, sua língua é precisa, suas mãos se mantém sobre as minhas pernas me impendido de criar atrito, a cada toque de sua língua é arrancado de mim um gemido profundo, a cada toque ele se torna mais lento, soas ações prazerosas me torturam, me fazendo ficar na porta do clímax, meu corpo treme, sua língua se aprofunda e me explora, meus pensamentos estão quase nulos, e meus suspiros estão ressoando por todo o quarto, minha boca abre e fecha tentando achar uma maneira de protestar, minha voz não sai, ele diminui a velocidade, "ganho voz":

 

-Por favor... Jake! – imploro entre gemidos.

 

Seu sorriso aumenta e sua boca me explora outra vez, com mais intensidade me fazendo chegar ao ponto alto, sou consumida pela sua boca. Ele sorri e sem me dar tempo de recuperação sobre em cima de mim, beija meus lábios me fazendo sentir o meu gosto, e penetra, retirando qualquer coisa que me fizesse me sentir firme, em suas mãos me tornava vela sob o fogo, seus movimentos iam e vinham suas mãos se apoiavam na cabeceira, suas costas estavam tensas, sua boca se aloja em meu pescoço, seu movimentos se aceleram, minhas mão sobrem e descem aranhando suas costas, meus dentes fincados em seu ombro, e o silencio ensurdecedor ao lado de fora, enquanto nesse recinto se ouviam sons animalescos, os tremores chegavam, a cama rangia, nossa respiração era descompassada, ele toma minha boca, nos preenchermos, ele sai lentamente de mim e cai ao meu lado, me puxando com o seu outro braço para perto, beija o topo da minha cabeça e os meus lábios e olha para os meus olhos com um grande sorriso:

 

-Falei que iria me perder...


Notas Finais


Obg Por Lerem!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...