História Mais uma Vez - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Tags Farosella, Fogaça, Fogasella, Masterchef, Paola Carosella
Exibições 82
Palavras 982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Ápice


     Fogaça afastou-se de Paola, a puxando pela mão para saírem dali e irem até os sofás. Ela estava bambeando, não sabia se pelo vinho ou pelo que estava acontecendo. 
     Atravessaram o corredor rapidamente, ele na frente, puxando Paola. 
     "Calma" ela pediu, para que caminhasse mais devagar. Já no local onde ficavam os sofás, ela olhou para o relógio que ficava a alguns metros dali. Eram quase meia noite. Pensou em Francesca, Jason, o que estava fazendo? Agora que tinha chegado ali, iria terminar com aquilo, porem, não conseguia deixar de demonstrar seu atordoamento. 
     Fogaça estava sem camisa, deixando suas tatuagens a mostra,  com sua calça jeans escura que costumava usar, e descalço. 
     O celular dele, que estava na mesa ao lado, notificou a chamada feita por sua namorada. Com a vibração, o barulho na mesa chamou atenção dos dois, que viraram-se para ver o que era. 
     Paola sentiu-se desconfortável, e ele, para amenizar a situação, desligou o celular, não atendendo a chamada.
     "Por que você não atendeu?" Paola perguntou.
     "Não deve ser importante" ele disse, voltando para perto dela e a abraçando pela cintura. 
     "Mas Fogaça..." ela protestou mais uma vez, estava sentindo-se culpada. 
     "Você vai mesmo deixar uma ligação estragar o clima que a gente estava?" Perguntou olhando no fundo dos olhos dela. 
     "Desculpa, só achei que..." foi interrompida por ele "Shiii" Fogaça disse, levando o indicador até a boca dela, com um sorriso nos lábios, e começaram a voltar ao clima que estavam antes. 
     Ele sentou no grande sofá, afundando um pouco, puxando Paola pela mão, que sentou em uma das pernas dele, virada de frente para ele. Inclinou seu corpo para beija-lo, enquanto passava suas mãos pelo peitoral tatuado. 
     Alguns segundos nessa posição, e inverteram os lugares. Paola sentou-se, e Fogaça apoiou os joelhos no sofá, com uma perna de cada lado do corpo dela. 
     Paola ergueu os braços e ele a ajudou a tirar a blusa, logo depois o sutiã, que já estava aberto. Fogaça levantou e tirou sua calça, ficando apenas de cueca. Aproveitando que estava de pé, puxou a calça de Paola, que também já estava aberta, e tirou, com a ajuda dela, que ergueu levemente o quadril para facilitar a retirada.
     Paola levantou-se, ficando de frente para ele, que segurou o rosto dela entre as mãos, olhando fixamente em seus olhos, depois a beijando. Os corpos dos dois estavam colados, e um podia sentir o calor do outro. 
     Fogaça deitou-se novamente no sofá, e Paola, logo após, sentou-se em cima dele. O beijava com tesão, esfregando seu quadril no dele, enquanto ele deslizava suas mãos pela lateral do corpo dela. 
     Sem aviso, pausou o beijo, olhando para Fogaça com um olhar de quem iria aprontar. Deslizou seu corpo e sentou-se nas coxas dele, sem desviar o olhar. 
     Desceu a cueca dele e o engoliu de uma vez só. De imediato, sua única reação foi cravar suas unhas no sofá, erguendo o quadril. 
     "Aahh Paola! Que boca é essa???" disse, quase sem voz. Quando percebia que ele estava quase perdendo o controle, diminuía o ritmo, enquanto era ajudada por suas delicadas mãos. 
     Quando parou os movimentos e afastou-se, Fogaça segurou seus braços e trocou de posição, fazendo com que Paola batesse suas costas no sofá de couro. 
     "Aí" ela exclamou. Ele inclinou seu corpo, segurando forte seus cabelos ondulados, e aproximou-se de seu ouvido "Sua boca é deliciosa" sussurrou "Agora é a minha vez de te fazer delirar" soltou, fazendo com que tivesse espasmos. 
     Paola arqueou as costas e gemeu o nome dele, pois já sabia o que estava por vir. Então, apenas tentou relaxar e aguentar o máximo que podia. 
     Fogaça a olhou por longos instantes. Nenhum dos dois desviava o olhar. Ele aproximou seu rosto da intimidade de Paola, e com a mão, puxou a pequena calcinha, lentamente, até chegar aos pés, dando um beijo neste, fazendo com que Paola se contorcesse. 
     Abriu as pernas dela delicadamente, beijando a parte interna de uma das coxas, depois, passando a língua quente na virilha dela. 
     "No sei se vou aguentar, Fogaça!" Ela disse entre gemidos fracos. 
     "Tenho certeza que vai" ele respondeu, com um olhar intimidador, começando a suga-la com vontade. Quando percebeu que Paola estava quase chegando ao ápice, passou apenas a língua de leve, fazendo com que o corpo dela arqueasse. 
     "Ahhh... chega. No aguento mais" ela supliciou. 
     "Isso! Goza, goza na minha boca" disse num tom de comando, deixando ela mais excitada ainda. Contraiu-se, pois achou que não teria mais forças para segurar. 
      "Não" puxou ele para perto de si "Hoje eu quero junto com você" e beijaram-se, sedentos um pelo outro. 
     Tirou sua cueca e segundos depois já estava em cima dela. Finalmente iriam sentir a pele um do outro, o momento que tanto estavam esperando. 
     Sem avisar, a invadiu com uma estocada intensa e profunda, os dois gemeram ao sentirem as peles em contato, Fogaça apertava a coxa de Paola, tentando controlar-se. 
     "Ah, você é tão apertada" disse próximo do ouvido dela, com seu membro latejando. Paola repousou sua mão no peitoral do tatuado, como se quisesse dizer que ali era seu limite. "Tá doendo?" perguntou. 
     "No, no! Continua, por fabor" pediu, sedenta por ele. 
     Ele estava preocupado em machuca-la, mas a cada apertada que a intimidade dela dava em seu pênis, ele enlouquecia, cada contração e lutava para se controlar, enquanto Paola arranhava suas costas, deixando marcas. 
     Mais umas estocadas, e se derramaram em um orgasmo intenso. Fogaça saiu de dentro e deixou seu corpo cair sobre o dela, fazendo com que gemesse ao sentir o peso do corpo dele no seu. Ambos estavam realizados. 
     Deitados juntos no grande sofá, estavam abraçados, e ofegantes depois de tudo aquilo. Fogaça virou para o lado, vendo Paola com a respiração descompassada, com nariz e bochechas vermelhas e com os cabelos grudados devido o suor de seu corpo, pensou "Nunca esteve tão linda". 


Notas Finais


Demorou mas chegouuu! Olha o hot aí minha gente 😂😂😂 Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...